41 comentários

  • anonimo

    color visão de araçatuba vai mandar 500 funcionários embora…..boato que o frigorifico de Santa fé do Sul vai fechar…………..conversei com cido saraiva..o cido bicheiro ajuda muito hosp cancer de Barretos é o pré candidato a prefeito PMDB em Araçatuba, conversa mole que é o Itamar Borges, só cola aquina terra dos caipiras Jales coisa de Assembleia de D…. administração PT araçatuba é um desastre, um prefeitoque está não é…ruim isso, com esse PT lá até as filhas do dono GOL e REUNIDAS foi embora de Araçatuba e Brasil….terra de ninguém.

  • Não entendi…notícia do século passado???
    Em que ano estamos?
    Tem alguma interessante da época do descobrimento, quando Cabral chegou?

  • vagner pereira

    para de puxar saco do pt

  • Evandro

    De certo as coisas está boa nesse governo, para você ficar com ironia.

  • Henrique Machado

    Cardosinho, vcs petista, é engraçado tem tão justificar o péssimo governo atual, a robalheira atual, com noticias de 15, 20, 30 anos atrás…Os tempos são outros para ficar olhando para o passado.

    • Foi só uma pequena volta ao passado, preclaro Henrique. Confúcio, que era um cara razoavelmente inteligente, dizia que “se queres prever o futuro, estuda o passado”.

      • Realista

        Justamente Cardosinho. Conhecer o passado para construir um futuro melhor tentando nao cometer os mesmos erros la de tras mas parece que os petistas como voce finge que o governo atual nao tem problemas e querem justificar os erros de agora olhando somente para o passado esquecendo que o nosso futuro depende do que estamos fazendo no dia de hoje. Voce como blogueiro e formador de opiniao deveria ser mais prudente, retirar essa mascara do PT que esta lhe impedindo de enxergar a realidade.

        • Acho que o que está me impedindo de enxergar a realidade são as opiniões de alguns jornalistas respeitados e independentes. Acho que vou parar de ler os artigos do Mauro Santayana, como esse, por exemplo:

          Se os brasileiros, antes de ficar repetindo sempre os mesmos comentários dos portais e redes sociais, procurassem fontes internacionais em que o mercado financeiro normalmente confia para fazer tomar suas decisões, como o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Mundial, veriam que a história é bem diferente, e que o Produto Interno Bruto (PIB) e a renda per capita caíram, e a dívida pública líquida praticamente dobrou, foi no governo Fernando Henrique Cardoso.

          Segundo o Banco Mundial, o PIB do Brasil, que era de 534 bilhões de dólares, em 1994, caiu para 504 bilhões de dólares, quando FHC deixou o governo, oito anos depois.

          Para subir, extraordinariamente, destes 504 bilhões de dólares, em 2002, para 2 trilhões, 300 bilhões de dólares, em 2013, último dado oficial levantado pelo Banco Mundial, crescendo mais de 400% em dólares, em apenas 11 anos, depois que o PT chegou ao poder.

          E isso, apesar de o senhor FHC ter vendido mais de 100 bilhões de dólares em empresas brasileiras, muitas delas estratégicas, como a Telebras, a Vale do Rio Doce e parte da Petrobras, com financiamento do BNDES e uso de “moedas podres”, com o pretexto de sanear as finanças e aumentar o crescimento do país.

          Com a renda per capita ocorreu a mesma coisa. No lugar de crescer em oito anos, a renda per capita da população brasileira, também segundo o Banco Mundial, caiu de 3.426 dólares, em 1994, no início do governo, para 2.810 dólares, no último ano do governo FHC, em 2002.

          E aumentou, também, em mais de 400%, de 2.810 dólares, para 11.208 dólares, depois que o PT chegou ao poder, também segundo o World Bank.

          O salário mínimo, que em 1994, no final do governo Itamar Franco, valia 108 dólares, caiu 23%, para 81 dólares, no final do governo FHC e aumentou em três vezes, para mais de 250 dólares, hoje, também depois que o PT chegou ao poder.

          As reservas monetárias internacionais – o dinheiro que o país possui em moeda forte – que eram de 31,746 bilhões de dólares, no final do governo Itamar Franco, cresceram em apenas algumas centenas de milhões de dólares por ano, para 37.832 bilhões de dólares nos oito anos do governo FHC.

          Nessa época, elas eram de fato, negativas, já que o Brasil, para chegar a esse montante, teve que fazer uma dívida de 40 bilhões de dólares com o FMI.

          Depois, elas se multiplicaram para 358,816 bilhões de dólares em 2013, e para 369,803 bilhões de dólares, em dados de ontem, transformando o Brasil de devedor em credor, depois do pagamento da dívida com o FMI em 2005, e de emprestarmos dinheiro para a instituição, quando do pacote de ajuda à Grécia em 2008.

          E, também, no quarto maior credor individual externo dos EUA, segundo consta, para quem quiser conferir, do próprio site oficial do tesouro norte-americano.

          O Investimento Estrangeiro Direto (IED), que foi de 16,590 bilhões de dólares, em 2002, no último ano do governo FHC, também subiu mais de quase 400%, para 80,842 bilhões de dólares, em 2013, depois que o PT chegou ao poder, ainda segundo dados do Banco Mundial, passando de aproximadamente 175 bilhões de dólares nos anos FHC (mais ou menos 100 bilhões em venda de empresas nacionais) para 440 bilhões de dólares depois que o PT chegou ao poder.

          A dívida pública líquida (o que o país deve, fora o que tem guardado no banco), que, apesar das privatizações, dobrou no governo FHC, para quase 60%, caiu para 35%, agora, 11 anos depois do PT chegar ao poder.

          E, ao contrário do que muita gente pensa, o Brasil ocupa, hoje, apenas o quinquagésimo lugar do mundo, em dívida pública, em situação muito melhor do que os EUA, o Japão, a Zona do Euro, ou países como a Alemanha, a França, a Grã Bretanha – cujos jornais adoram ficar nos ditando regras e “conselhos” – ou o Canadá.

          Também ao contrário do que muita gente pensa, a carga tributária no Brasil caiu ligeiramente, segundo Banco Mundial, de 2002, no final do governo FHC, para o último dado disponível, de dez anos depois, e não está entre a primeiras do mundo, assim como a dívida externa, que caiu mais de 10 pontos percentuais nos últimos dez anos, e é a segunda mais baixa, depois da China, entre os países do G20.

          Quanto à questão fiscal, não custa nada lembrar que a média de déficit público, sem desvalorização cambial, dos anos FHC, foi de 5,53%, e com desvalorização cambial, de 6,59%, bem maior que os 3,13% da média dos anos que se seguiram à sua saída do poder; e que o superavit primário entre 1995 e 2002 foi de 1,5%, muito menor que os 2,98% da média de 2003 e 2013 – segundo Ipeadata e o Banco Central – nos governos do PT.

          Considerando-se estas informações, que estão, há muito tempo, publicamente disponíveis na internet, o grande mistério da economia brasileira, nos últimos 12 anos, é saber em que dados tantos jornalistas, economistas, e “analistas”, ouvidos a todo momento, por jornais, emissoras de rádio e televisão, se basearam, antes e agora, para tirar, como se extrai um coelho da cartola – ou da “cachola” – o absurdo paradigma, que vêm defendendo há anos, de que o Governo Fernando Henrique foi um tremendo sucesso econômico, e de que deixou “de presente” para a administração seguinte, um país econômica e financeiramente bem sucedido.

          Nefasto paradigma, este, que abriu caminho, pela repetição, para outra teoria tão frágil quanto mentirosa, na qual acreditam piamente muitos dos cidadãos que vão sair às ruas no próximo domingo:

          A de que o PT estaria, agora, jogando pela janela, essa – supostamente maravilhosa – “herança” de Fernando Henrique Cardoso, colocando em risco as conquistas de seu governo.

          O pior cego é o que não quer ver, o pior surdo, o que não quer ouvir.

          Não dá, para, em perfeito juízo, acreditar que os advogados, economistas, empresários, jornalistas, empreendedores, funcionários públicos, majoritariamente formados na universidade, que bateram panelas contra Dilma em suas varandas, há poucos dias, acreditem mais nos boatos das redes sociais, do que no FMI e no Banco Mundial, organizações que podem ser taxadas de tudo, menos de terem sido “aparelhadas” pelo governo brasileiro e seus seguidores.

          Está certo que não podemos ficar apenas olhando para o passado, que temos de enfrentar os desafios do presente, fruto de uma crise que é internacional, que faz com que estejamos crescendo pouco, embora haja diversos países ditos “desenvolvidos” que estejam muito mais endividados e crescendo menos do que nós.

          Assim como também é verdade que esse governo não é perfeito, e que se cometeram inúmeros erros na economia, que poderiam ter sido evitados, principalmente nos últimos anos.

          Mas, pelo amor de Deus, não venham nos impingir nenhuma dessas duas fantasias, que estão empurrando muita gente a sair às ruas para se manifestar: nem Fernando Henrique salvou o Brasil, nem o PT está quebrando um país, que em 2002, era a décima-quarta maior economia do mundo, e que hoje já ocupa o sétimo lugar.

          Mauro Santayana é jornalista

          • Realista

            Cardosinho, so digo o seguinte. Li toda a reportagem que voce postou mas os tempos sao outros. Me lembro que antes do Plano Real viviamos epocas bem complicadas com planos economicos e congelamento de precos na tentativa de controlar a inflacao que hoje os jovens nao conseguem nem imaginar o que era viver naquela epoca. So estou externando minha indignacao sobre as publicacoes que o Sr. faz em seu blog porque vejo que nao ha uma intencao de informar mas sim de distorcer os fatos.

  • Toba´s Bar

    Um governo que estabilizou a economia e colocou o Brasil para frente.
    Quanto aos 12 anos de PT à frente, além do desemprego chegar a percentuais alarmantes, cadê a possibilidade de recolocação das pessoas no emprego?
    Brasil, pátria educadora onde os bandidos ladrões roubam e saqueiam à luz do dia e nas nossas frontes.

  • jonas

    Parabens cardosinho por suas publicaçoes , a cada dia voce nos lembra de como o era a economia e nossos governandes. Precisou de um metalurgico colocar a pais nos trilhos para andar.
    voce só nao consiguira achar manchetes de jornal da Época com a policia federal prendendo funcionários de estatal e empreiteiros corruptos, pois quase nao existia a Policia federal , era sucateada e com poucos funcionarios e quando agia era para prender vendedor de CD pirata e sacoleiros do Paraguay.

  • epoca boa

    Ate’ o Cardozinho tem saudades do FHC, na epoca que nao se tinha ex presidentes envolvidos com corrupçao e nao se falava em propina de 5,6,7 milhoes
    Epoca que nao tinha diretores e presidente de estatal, empresarios e politicos presos.
    Epoca que o presidente mandava e nao ficava nas maos do presidente da camara

    • Época em que tínhamos um engavetador-geral. Época em que a Polícia Federal realizava 06 operações por ano. Época em que algumas empresas foram privatizadas com dinheiro do BNDES. Época em que, apesar do dinheiro das privatizações, a dívida do Brasil aumentou.

      • Anônimo

        PF fazia 6 operações por ano, agora 600 e o mérito é do Pt? Tenham paciência!!! O mérito é da pf que mesmo com o governo criticando e atuando de todas as formas pra segurar o fim da farra da corrupção ainda consegue prender estes malandros.

  • GOVERNO DO PSDB

    HENRIQUE M ACHADO E [email protected] , que tal lembrarmos então do Mensalão Tucano, Privataria Tucana, Metrô de SP, Sabesp de SP e a falta de Água, Trensalão, Sudene,Banestado,Furnas em Minas, HSBC e a Suíça SIVAN, Desvio da Saúde em Minas, Construção de Aeroportos,do Richa e seus Soldados e Cachorros em Curitiba,dos Aumentos da Água no Estado de São Paulo,dos Aumentos do ICMS e Pedágio no Paraná,dos 5 Milhões que Cunha recebeu de Empresas,da Educação no Fundo do Poço em SP nos 20 anos de Governo Coxinha,dos Pedágios paulistas todos nas Mãos do filho de Covas etc….. Não são outros tempos não seu Coxinha Fascistas, pois como disse dois delatores da corrupção da Lava Jato,isso tudo começou no Governo de FHC, o mesmo que Privatizou a Vale do Rio Doce que valia 10 Bilhões e foi vendida, por 3,3 Bilhões, o mesmo Presidente que comprou Deputados e Senadores por 200 Mil para aprovarem sua Reeleição e que graças a Deus agora não tem mais, mas tem Lula em 2018, esse sim é o medo,inveja e o ódio de vocês capitalistas. Você queria um Traficante e Viciado no Poder? Acho que pela mentalidade e pensamento sim, por isso tanta Besteira e ódio.

    • Vão voltar a copiar e publicar as besteira do portal do Diabo, 247 (2+4+7=13, número do Capeta); porque não conseguem explicar o momento atual, que se mostra muito preocupante quanto ao desemprego e a volta da inflação!

  • GOVERNO DO PSDB

    AOS COXINHAS COM ÓDIO,INVEJA,DESINFORMADOS,MEDO DO LULA: Escândalos do Governo de FHC que a Mídia Golpista tenta esconder e também os próprios partidários da Burguesia,dizendo que isso é passado e não conta:——

    Ela só pode ser fruto de um planejamento meticuloso do PSDB e do DEM:

    1 – Conivência com a corrupção

    O governo do PSDB tem sido conivente com a corrupção. Um dos primeiros gestos de FHC ao assumir a Presidência, em 1995, foi extinguir, por decreto, a Comissão Especial de Investigação, instituída no governo Itamar Franco e composta por representantes da sociedade civil, que tinha como objetivo combater a corrupção. Em 2001, para impedir a instalação da CPI da Corrupção, FHC criou a Controladoria Geral da União, órgão que se especializou em abafar denúncias.

    2 – O escândalo do Sivam

    O contrato para execução do projeto Sivam foi marcado por escândalos. A empresa Esca, associada à norte-americana Raytheon, e responsável pelo gerenciamento do projeto, foi extinta por fraudes contra a Previdência. Denúncias de tráfico de influência derrubaram o embaixador Júlio César dos Santos e o ministro da Aeronáutica, Brigadeiro Mauro Gandra. O primeiro grande escândalo do governo FHC, que derrubou um ministro e dois assessores presidenciais foi do Sivam, foi instalada uma CPI para apurar a corrupção e o tráfico de influência no contrato de US$1,4 bilhão para a criação do Sistema de Vigilância da Amazônia.

    3 – A farra do Proer

    O Proer demonstrou, já em 1996, como seriam as relações do governo FHC com o sistema financeiro. Para FHC, o custo do programa ao Tesouro Nacional foi de 1% do PIB. Para os ex-presidentes do BC, Gustavo Loyola e Gustavo Franco, atingiu 3% do PIB. Mas para economistas da Cepal, os gastos chegaram a 12,3% do PIB, ou R$111,3 bilhões, incluindo a recapitalização do Banco do Brasil, da CEF e o socorro aos bancos estaduais.

    4 – Caixa 2 de campanhas

    As campanhas de FHC em 1994 e em 1998 teriam se beneficiado de um esquema de caixa 2. Em 1994, pelo menos R$5 milhões não apareceram na prestação de contas entregue ao TSE. Em 1998, teriam passado pela contabilidade paralela R$10,1 milhões.

    5 – Propina na privatização

    A privatização do sistema Telebrás e da Vale do Rio Doce foi marcada pela suspeição. Ricardo Sérgio de Oliveira, ex-caixa de campanha de FHC e do senador José Serra e ex-diretor da Área Internacional do Banco do Brasil, é acusado de pedir propina de R$15 milhões para obter apoio dos fundos de pensão ao consórcio do empresário Benjamin Steinbruch, que levou a Vale, e de ter cobrado R$90 milhões para ajudar na montagem do consórcio Telemar.

    6 – A emenda da reeleição

    O instituto da reeleição foi obtido por FHC a preços altos. Gravações revelaram que os deputados Ronivon Santiago e João Maia, do PFL do Acre, ganharam R$200 mil para votar a favor do projeto. Os deputados foram expulsos do partido e renunciaram aos mandatos. Outros três deputados acusados de vender o voto, Chicão Brígido, Osmir Lima e Zila Bezerra, foram absolvidos pelo plenário da Câmara.

    7 – Grampos telefônicos

    Conversas gravadas de forma ilegal foram um capítulo à parte no governo FHC. Durante a privatização do sistema Telebrás, grampos no BNDES flagraram conversas de Luiz Carlos Mendonça de Barros, então ministro das Comunicações, e André Lara Resende, então presidente do BNDES, articulando o apoio da Previ para beneficiar o consórcio do banco Opportunity, que tinha como um dos donos o economista Pérsio Arida, amigo de Mendonça de Barros e de Lara Resende. Até FHC entrou na história, autorizando o uso de seu nome para pressionar o fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil.

    8 – TRT paulista

    A construção da sede do TRT paulista representou um desvio de R$169 milhões aos cofres públicos. A CPI do Judiciário contribuiu para levar o juiz Nicolau dos Santos Neto, ex-presidente do Tribunal, para a cadeia e para cassar o mandato do Senador Luiz Estevão (PMDB-DF), dois dos principais envolvidos no caso.

    9 – Os ralos do DNER

    O DNER foi o principal foco de corrupção no governo de FHC. Seu último avanço em matéria de tecnologia da propina atende pelo nome de precatórios. A manobra consiste em furar a fila para o pagamento desses títulos. Estima-se que os beneficiados pela fraude pagavam 25% do valor dos precatórios para a quadrilha que comandava o esquema. O órgão acabou sendo extinto pelo governo.

    10 – O “caladão”

    O Brasil calou no início de julho de 1999 quando o governo FHC implementou o novo sistema de Discagem Direta a Distância (DDD). Uma pane geral deixou os telefones mudos. As empresas que provocaram o caos no sistema haviam sido recém-privatizadas. O “caladão” provocou prejuízo aos consumidores, às empresas e ao próprio governo. Ficou tudo por isso mesmo.

    11 – Desvalorização do real

    FHC se reelegeu em 1998 com um discurso que pregava “ou eu ou o caos”. Segurou a quase paridade entre o real e o dólar até passar o pleito. Vencida a eleição, teve de desvalorizar a moeda. Há indícios de vazamento de informações do Banco Central. O deputado Aloizio Mercadante, do PT, divulgou lista com o nome dos 24 bancos que lucraram muito com a mudança cambial e outros quatro que registraram movimentação especulativa suspeita às vésperas do anúncio das medidas.

    12 – O caso Marka/FonteCindam

    Durante a desvalorização do real, os bancos Marka e FonteCindam foram socorridos pelo Banco Central com R$1,6 bilhão. O pretexto é que a quebra desses bancos criaria risco sistêmico para a economia. Chico Lopes, ex-presidente do BC, e Salvatore Cacciola, ex-dono do Banco Marka, estiveram presos, ainda que por um pequeno lapso de tempo. Cacciola retornou à sua Itália natal, onde vive tranquilo.

    13 – Base de Alcântara

    O governo FHC enfrenta resistências para aprovar o acordo de cooperação internacional que permite aos Estados Unidos usarem a Base de Lançamentos Espaciais de Alcântara (MA). Os termos do acordo são lesivos aos interesses nacionais. Exemplos: áreas de depósitos de material americano serão interditadas a autoridades brasileiras. O acesso brasileiro a novas tecnologias fica bloqueado e o acordo determina ainda com que países o Brasil pode se relacionar nessa área. Diante disso, o PT apresentou emendas ao tratado – todas acatadas na Comissão de Relações Exteriores da Câmara.

    14 – Biopirataria oficial

    Antigamente, os exploradores levavam nosso ouro e pedras preciosas. Hoje, levam nosso patrimônio genético. O governo FHC teve de rever o contrato escandaloso assinado entre a Bioamazônia e a Novartis, que possibilitaria a coleta e transferência de 10 mil micro-organismos diferentes e o envio de cepas para o exterior, por US$4 milhões. Sem direito ao recebimento de royalties. Como um único fungo pode render bilhões de dólares aos laboratórios farmacêuticos, o contrato não fazia sentido. Apenas oficializava a biopirataria.

    15 – O fiasco dos 500 anos

    As festividades dos 500 anos de descobrimento do Brasil, sob coordenação do ex-ministro do Esporte e Turismo, Rafael Greca (PFL-PR), se transformaram num fiasco monumental. Índios e sem-terra apanharam da polícia quando tentaram entrar em Porto Seguro (BA), palco das comemorações. O filho do presidente, Paulo Henrique Cardoso, é um dos denunciados pelo Ministério Público de participação no episódio de superfaturamento da construção do estande brasileiro na Feira de Hannover, em 2000.

    16 – Eduardo Jorge, um personagem suspeito

    Eduardo Jorge Caldas, ex-secretário-geral da Presidência, é um dos personagens mais sombrios que frequentou o Palácio do Planalto na era FHC. Suspeita-se que ele tenha se envolvido no esquema de liberação de verbas para o TRT paulista e em superfaturamento no Serpro, de montar o caixa 2 para a reeleição de FHC, de ter feito lobby para empresas de informática, e de manipular recursos dos fundos de pensão nas privatizações. Também teria tentado impedir a falência da Encol.

    17 – Drible na reforma tributária

    O PT participou de um acordo, do qual faziam parte todas as bancadas com representação no Congresso Nacional, em torno de uma reforma tributária destinada a tornar o sistema mais justo, progressivo e simples. A bancada petista apoiou o substitutivo do relator do projeto na Comissão Especial de Reforma Tributária, deputado Mussa Demes (PFL-PI). Mas o ministro da Fazenda, Pedro Malan, e o Palácio do Planalto impediram a tramitação.

    18 – Rombo transamazônico na Sudam

    O rombo causado pelo festival de fraudes transamazônicas na Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia, a Sudam, no período de 1994 a 1999, ultrapassa R$2 bilhões. As denúncias de desvios de recursos na Sudam levaram o ex-presidente do Senado, Jader Barbalho (PMDB-PA) a renunciar ao mandato. Ao invés de acabar com a corrupção que imperava na Sudam e colocar os culpados na cadeia, o presidente Fernando Henrique Cardoso resolveu extinguir o órgão. O PT ajuizou ação de inconstitucionalidade no Supremo Tribunal Federal contra a providência do governo.

    19 – Os desvios na Sudene

    Foram apurados desvios de R$1,4 bilhão em 653 projetos da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste, a Sudene. A fraude consistia na emissão de notas fiscais frias para a comprovação de que os recursos recebidos do Fundo de Investimentos do Nordeste (Finor) foram aplicados. Como no caso da Sudam, FHC decidiu extinguir o órgão. O PT também questionou a decisão no Supremo Tribunal Federal.

    20 – Calote no Fundef

    O governo FHC desrespeita a lei que criou o Fundef. Em 2002, o valor mínimo deveria ser de R$655,08 por aluno/ano de 1ª a 4ª séries e de R$688,67 por aluno/ano da 5ª a 8ª séries do ensino fundamental e da educação especial. Mas os valores estabelecidos ficaram abaixo: R$418,00 e R$438,90, respectivamente. O calote aos estados mais pobres soma R$11,1 bilhões desde 1998.

    21 – Abuso de MPs

    Enquanto senador, FHC combatia com veemência o abuso nas edições e reedições de Medidas Provisórias por parte José Sarney e Fernando Collor. Os dois juntos editaram e reeditaram 298 MPs. Como presidente, FHC cedeu à tentação autoritária. Editou e reeditou, em seus dois mandatos, 5.491medidas. O PT participou ativamente das negociações que resultaram na aprovação de emenda constitucional que limita o uso de MPs.

    22 – Acidentes na Petrobras

    Por problemas de gestão e falta de investimentos, a Petrobras protagonizou uma série de acidentes ambientais no governo FHC que viraram notícia no Brasil e no mundo. A estatal foi responsável pelos maiores desastres ambientais ocorridos no País nos últimos anos. Provocou, entre outros, um grande vazamento de óleo na Baía de Guanabara, no Rio, outro no Rio Iguaçu, no Paraná. Uma das maiores plataformas da empresa, a P-36, afundou na Bacia de Campos, causando a morte de 11 trabalhadores. A Petrobras também ganhou manchetes com os acidentes de trabalho em suas plataformas e refinarias que ceifaram a vida de centenas de empregados.

    23 – Apoio a Fujimori

    O presidente FHC apoiou o terceiro mandato consecutivo do corrupto ditador peruano Alberto Fujimori, um sujeito que nunca deu valor à democracia e que fugiu do País para não viver os restos de seus dias na cadeia. Não bastasse isso, concedeu a Fujimori a medalha da Ordem do Cruzeiro do Sul, o principal título honorário brasileiro. O Senado, numa atitude correta, acatou sugestão apresentada pelo senador Roberto Requião (PMDB-PR) e cassou a homenagem.

    24 – Desmatamento na Amazônia

    Por meio de decretos e medidas provisórias, o governo FHC desmontou a legislação ambiental existente no País. As mudanças na legislação ambiental debilitaram a proteção às florestas e ao cerrado e fizeram crescer o desmatamento e a exploração descontrolada de madeiras na Amazônia. Houve aumento dos focos de queimadas. A Lei de Crimes Ambientais foi modificada para pior.

    25 – Os computadores do Fust

    A ideia de equipar todas as escolas públicas de ensino médio com 290 mil computadores se transformou numa grande negociata. Os recursos para a compra viriam do Fundo de Universalização das Telecomunicações, o Fust. Mas o governo ignorou a Lei de Licitações, a 8.666. Além disso, fez megacontrato com a Microsoft, que teria, com o Windows, o monopólio do sistema operacional das máquinas, quando há softwares que poderiam ser usados gratuitamente. A Justiça e o Tribunal de Contas da União suspenderam o edital de compra e a negociata está suspensa.

    26 – Arapongagem

    O governo FHC montou uma verdadeira rede de espionagem para vasculhar a vida de seus adversários e monitorar os passos dos movimentos sociais. Essa máquina de destruir reputações é constituída por ex-agentes do antigo SNI ou por empresas de fachada. Os arapongas tucanos sabiam da invasão dos sem-terra à propriedade do presidente em Buritis, em março deste ano, e o governo nada fez para evitar a operação. Eles foram responsáveis também pela espionagem contra Roseana Sarney.

    27 – O esquema do FAT

    A Fundação Teotônio Vilela, presidida pelo ex-presidente do PSDB, senador alagoano Teotônio Vilela, e que tinha como conselheiro o presidente FHC, foi acusada de envolvimento em desvios de R$4,5 milhões do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT). Descobriu-se que boa parte do dinheiro, que deveria ser usado para treinamento de 54 mil trabalhadores do Distrito Federal, sumiu. As fraudes no financiamento de programas de formação profissional ocorreram em 17 unidades da federação e estão sob investigação do Tribunal de Contas da União (TCU) e do Ministério Público.

    28 – Mudanças na CLT

    A maioria governista na Câmara dos Deputados aprovou, contra o voto da bancada do PT, projeto que flexibiliza a CLT, ameaçando direitos consagrados dos trabalhadores, como férias, décimo terceiro e licença maternidade. O projeto esvazia o poder de negociação dos sindicatos. No Senado, o governo FHC não teve forças para levar adiante essa medida antissocial.

    29 – Obras irregulares

    Um levantamento do Tribunal de Contas da União, feito em 2001, indicou a existência de 121 obras federais com indícios de irregularidades graves. A maioria dessas obras pertence a órgãos como o extinto DNER, os ministérios da Integração Nacional e dos Transportes e o Departamento Nacional de Obras Contra as Secas. Uma dessas obras, a hidrelétrica de Serra da Mesa, interior de Goiás, deveria ter custado US$1,3 bilhão. Consumiu o dobro.

    30 – Explosão da dívida pública

    Quando FHC assumiu a Presidência da República, em janeiro de 1995, a dívida pública interna e externa somava R$153,4 bilhões. Entretanto, a política de juros altos de seu governo, que pratica as maiores taxas do planeta, elevou essa dívida para R$684,6 bilhões em abril de 2002, um aumento de 346%. Hoje, a dívida já equivale a preocupantes 54,5% do PIB.

    31 – Avanço da dengue

    A omissão do Ministério da Saúde é apontada como principal causa da epidemia de dengue no Rio de Janeiro. O ex-ministro José Serra demitiu seis mil mata-mosquitos contratados para eliminar focos do mosquito Aedes Aegypti. Em 2001, o Ministério da Saúde gastou R$81,3 milhões em propaganda e apenas R$3 milhões em campanhas educativas de combate à dengue. Resultado: de janeiro a maio de 2002, só o estado do Rio registrou 207.521 casos de dengue, levando 63 pessoas à morte.

    32 – Verbas do BNDES

    Além de vender o patrimônio público a preço de banana, o governo FHC, por meio do BNDES, destinou cerca de R$10 bilhões para socorrer empresas que assumiram o controle de ex-estatais privatizadas. Quem mais levou dinheiro do banco público que deveria financiar o desenvolvimento econômico e social do Brasil foram as teles e as empresas de distribuição, geração e transmissão de energia. Em uma das diversas operações, o BNDES injetou R$686,8 milhões na Telemar, assumindo 25% do controle acionário da empresa.

    33 – Crescimento pífio do PIB

    Na “Era FHC”, a média anual de crescimento da economia brasileira estacionou em pífios 2%, incapaz de gerar os empregos que o País necessita e de impulsionar o setor produtivo. Um dos fatores responsáveis por essa quase estagnação é o elevado déficit em conta-corrente, de US$23 bilhões no acumulado dos últimos 12 meses. Ou seja: devido ao baixo nível da poupança interna, para investir em seu desenvolvimento, o Brasil se tornou extremamente dependente de recursos externos, pelos quais paga cada vez mais caro.

    34 – Renúncias no Senado

    A disputa política entre o Senador Antônio Carlos Magalhães (PFL-BA) e o Senador Jader Barbalho (PMDB-PA), em torno da presidência do Senado expôs publicamente as divergências da base de sustentação do governo. ACM renunciou ao mandato, sob a acusação de violar o painel eletrônico do Senado na votação que cassou o mandato do senador Luiz Estevão (PMDB-DF). Levou consigo seu cúmplice, o líder do governo, senador José Roberto Arruda (PSDB-DF). Jader Barbalho se elegeu presidente do Senado, com apoio ostensivo de José Serra e do PSDB, mas também acabou por renunciar ao mandato, para evitar a cassação. Pesavam contra ele denúncias de desvio de verbas da Sudam.

    35 – Racionamento de energia

    A imprevidência do governo FHC e das empresas do setor elétrico gerou o apagão. O povo se mobilizou para abreviar o racionamento de energia. Mesmo assim foi punido. Para compensar supostos prejuízos das empresas, o governo baixou Medida Provisória transferindo a conta do racionamento aos consumidores, que são obrigados a pagar duas novas tarifas em sua conta de luz. O pacote de ajuda às empresas soma R$22,5 bilhões.

    36 – Assalto ao bolso do consumidor

    FHC quer que o seu governo seja lembrado como aquele que deu proteção social ao povo brasileiro. Mas seu governo permitiu a elevação das tarifas públicas bem acima da inflação. Desde o início do plano real até agora, o preço das tarifas telefônicas foi reajustado acima de 580%. Os planos de saúde subiram 460%, o gás de cozinha 390%, os combustíveis 165%, a conta de luz 170% e a tarifa de água 135%. Neste período, a inflação acumulada ficou em 80%.

    37 – Explosão da violência

    O Brasil é um país cada vez mais violento. E as vítimas, na maioria dos casos, são os jovens. Na última década, o número de assassinatos de jovens de 15 a 24 anos subiu 48%. A Unesco coloca o País em terceiro lugar no ranking dos mais violentos, entre 60 nações pesquisadas. A taxa de homicídios por 100 mil habitantes, na população geral, cresceu 29%. Cerca de 45 mil pessoas são assassinadas anualmente. FHC pouco ou nada fez para dar mais segurança aos brasileiros.

    38 – A falácia da reforma agrária

    O governo FHC apresentou ao Brasil e ao mundo números mentirosos sobre a reforma agrária. Na propaganda oficial, espalhou ter assentado 600 mil famílias durante oito anos de reinado. Os números estavam inflados. O governo considerou assentadas famílias que haviam apenas sido inscritas no programa. Alguns assentamentos só existiam no papel. Em vez de reparar a fraude, baixou decreto para oficializar o engodo.

    39 – Subserviência internacional

    A timidez marcou a política de comércio exterior do governo FHC. Num gesto unilateral, os Estados Unidos sobretaxaram o aço brasileiro. O governo do PSDB foi acanhado nos protestos e hesitou em recorrer à OMC. Por iniciativa do PT, a Câmara aprovou moção de repúdio às barreiras protecionistas. A subserviência é tanta que em visita aos EUA, no início deste ano, o ministro Celso Lafer foi obrigado a tirar os sapatos três vezes e se submeter a revistas feitas por seguranças de aeroportos.

    40 – Renda em queda e desemprego em alta

    Para o emprego e a renda do trabalhador, a Era FHC pode ser considerada perdida. O governo tucano fez o desemprego bater recordes no País. Na região metropolitana de São Paulo, o índice de desemprego chegou a 20,4% em abril, o que significa que 1,9 milhão de pessoas estão sem trabalhar. O governo FHC promoveu a precarização das condições de trabalho. O rendimento médio dos trabalhadores encolheu nos últimos três anos.

    41 – Relações perigosas

    Diga-me com quem andas e te direi quem és. Esse ditado revela um pouco as relações suspeitas do presidenciável tucano José Serra com três figuras que estiveram na berlinda nos últimos dias. O economista Ricardo Sérgio de Oliveira, ex-caixa de campanha de Serra e de FHC, é acusado de exercer tráfico de influência quando era diretor do Banco do Brasil e de ter cobrado propina no processo de privatização. Ricardo Sérgio teria ajudado o empresário espanhol Gregório Marin Preciado a obter perdão de uma dívida de R$73 milhões junto ao Banco do Brasil. Preciado, casado com uma prima de Serra, foi doador de recursos para a campanha do senador paulista. Outra ligação perigosa é com Vladimir Antônio Rioli, ex-vice-presidente de operações do Banespa e ex-sócio de Serra em empresa de consultoria. Ele teria facilitado uma operação irregular realizada por Ricardo Sérgio para repatriar US$3 milhões depositados em bancos nas Ilhas Cayman – paraíso fiscal do Caribe.

    42 – Violação aos direitos humanos

    Massacres como o de Eldorado do Carajás, no sul do Pará, onde 19 sem-terra foram assassinados pela polícia militar do governo do PSDB em 1996, figuram nos relatórios da Anistia Internacional, que recentemente denunciou o governo FHC de violação aos direitos humanos. A Anistia critica a impunidade e denuncia que polícias e esquadrões da morte vinculados a forças de segurança cometeram numerosos homicídios de civis, inclusive crianças, durante o ano de 2001. A entidade afirma ainda que as práticas generalizadas e sistemáticas de tortura e maus-tratos prevalecem nas prisões.

    43 – Correção da tabela do IR

    Com fome de leão, o governo congelou por seis anos a tabela do Imposto de Renda. O congelamento aumentou a base de arrecadação do imposto, pois com a inflação acumulada, mesmo os que estavam isentos e não tiveram ganhos salariais, passaram a ser taxados. FHC só corrigiu a tabela em 17,5% depois de muita pressão da opinião pública e após aprovação de projeto pelo Congresso Nacional. Mesmo assim, após vetar o projeto e editar uma Medida Provisória que incorporava parte do que fora aprovado pelo Congresso, aproveitou a oportunidade e aumentou alíquotas de outros tributos.

    44 – Intervenção na Previ

    FHC aproveitou o dia de estreia do Brasil na Copa do Mundo de 2002 para decretar intervenção na Previ, o fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil, com patrimônio de R$38 bilhões e participação em dezenas de empresas. Com este gesto, afastou seis diretores, inclusive os três eleitos democraticamente pelos funcionários do BB. O ato truculento ocorreu a pedido do banqueiro Daniel Dantas, dono do Opportunity. Dias antes da intervenção, FHC recebeu Dantas no Palácio Alvorada. O banqueiro, que ameaçou divulgar dossiês comprometedores sobre o processo de privatização, trava queda de braço com a Previ para continuar dando as cartas na Brasil Telecom e outras empresas nas quais são sócios.

    45 – Barbeiragens do Banco Central

    O Banco Central – e não o crescimento de Lula nas pesquisas – tem sido o principal causador de turbulências no mercado financeiro. Ao antecipar de setembro para junho o ajuste nas regras dos fundos de investimento, que perderam R$2 bilhões, o BC deixou o mercado em polvorosa. Outro fator de instabilidade foi a decisão de rolar parte da dívida pública estimulando a venda de títulos LFTs de curto prazo e a compra desses mesmos papéis de longo prazo. Isto fez subir de R$17,2 bilhões para R$30,4 bilhões a concentração de vencimentos da dívida nos primeiros meses de 2003. O dólar e o risco Brasil dispararam. Combinado com os especuladores e o comando da campanha de José Serra, Armínio Fraga não vacilou em jogar a culpa no PT e nas eleições.

    • zucão

      Essa cartilha do P.T é bastante conhecida. Muito pior que tudo isso é o caso da madame rosimeri noronha do qual Lulla não até hoje não falou nada. O instituto Lulla gasta uma fortuna com advogados para livra-la da Papuda, mas com se diz, araruta tem seu dia de mingau

  • GOVERNO DO PSDB

    A DIREITA GOLPISTA:–

    Folha detona Aécio e fala de: Mentiras, Corrupção, Ditadura, Arrogância e Drogas.

    Fabiano Portilho

    Aécio perde batalha da verdade.

    A frase atribuída ao nazista Joseph Goebbels — uma mentira repetida mil vezes se transforma em verdade — tem sido a resposta preferida de Aécio Neves e sua equipe diante de críticas.

    O problema é quando a verdade, repetida mil vezes, continua sendo verdade, sem contraponto ou contraditório capaz de desmenti-la.

    O candidato tucano construiu uma pista de pouso em propriedade familiar. A chave da mordomia ficava na mão de parentes, os quais, aliás, ele empregou aos montes. Tudo documentado. Nenhum estudo, mesmo fabricado às pressas, provou a necessidade da obra. Isso não é uma questão íntima. É dinheiro público queimado para fins pessoais. Existe uma ação em curso, por improbidade administrativa. É um fato, não depoimento selecionado de delação desesperada, desculpe, premiada.

    O governo de Minas destinou uma gorda fatia de publicidade para empresas de telecomunicações dos Neves. Nem o candidato nega. É deselegante perguntar como o rapaz lida quando se encontram o público e o privado? Cabe aos brasileiros descobrir o montante, pois envolve gente disputando a Presidência. “Não registramos quanto foi gasto”, respondem o tucano e seu staff. (Segundo o Folha de S. Paulo, Aécio gastou 705 milhões em publicidade).

    Documentos do Tribunal de Contas de Minas Gerais apontavam suspeitas de irregularidades no governo do atual senador. A capivara foi citada durante um dos debates. Horas depois, a papelada desapareceu do site oficial do tribunal, uma instância pública (!). Tomou Doril. Sumiu. E nada se faz a respeito.

    O drible no bafômetro e outros momentos pouco edificantes da rotina noturna do senador estão fartamente documentados na internet e imprensa escrita. Não são montagem, assim como não é falso o stand-up daquele artista de fim de noite que relacionou Maradona e Aécio quanto ao consumo de drogas. Hoje o mesmo personagem posa de aecista desde criancinha. Mas nunca desmentiu a performance.

    Balela a história de que trazer a público tudo isso é baixaria etc, etc. Isso é falta de argumento de quem não tem resposta.

    Pense bem: quantas vezes já não deparamos com indivíduos brilhantes (o que não é propriamente o caso…), mas com uma trajetória errática, que seríamos incapazes de indicar para uma função, mesmo menor, numa empresa? Não há nisso preconceito nenhum; somente o desejo de saber qual é a pessoa certa para o lugar certo.

    “Ah, mas e os programas, as propostas?”, indagam os puritanos habituais. Bem, todos conhecem o que pensam tanto Dilma quanto Aécio e seu braço direito, Armínio Fraga.

    A primeira pelo que ela e seu partido fizeram nos últimos tempos no Planalto. Aécio, pelo que ele e sua equipe revelam em entrevistas e jantares. Coisas como corte de gastos sociais, esvaziamento de bancos públicos, encolhimento de salários, facão nas empresas, tarifaço, mudança nas leis trabalhistas e por aí vai. As tais medidas impopulares. Para ele, sem isto o Brasil vai piorar. Acredite quem quiser.

    Com a campanha perto do fim, supostas regras de etiqueta surgem para esconder o essencial. Cortina de fumaça. Estão em jogo a vida e o futuro de milhões de pessoas. Elas têm todo o direito de conhecer quem pretende ocupar o cargo mais alto da República.

    Pesquisas são só pesquisas. A depender delas, o PT não teria ganho no primeiro turno na Bahia e em Minas Gerais, Aécio não teria os votos obtidos em São Paulo, e o PMDB estaria fora do segundo turno no Rio Grande do Sul.

    A questão não é satanizar institutos. É dar aos seus levantamentos o peso que merecem. Mais do que nunca, o primeiro turno mostrou que a palavra final é do eleitor, não de pesquisados. Da mesma forma que é patética a tática de carimbar como mentiras verdades inapagáveis, registradas em vídeo, áudio e folhas de papel.

    Fonte: Folha de S. Paulo

    • Finado Zé.

      O prtalha ninguém vai ler essa inutil. carne de çinguiça…que na qual foi copiada e colada do site 247…e que está sendo investigada pela LAVA JATO de der recebido dinheiro do esuema de corruPtçao .

  • zucão

    Coisas da mídia golpista!

  • GOVERNO DO PSDB

    AOS INVEJOSOS,OS QUE ODEIAM,AOS QUEM TEM MEDO E QUE SOFRERAM LAVAGEM CELEBRAL DOS COXINHAS:

    Palavras de um jornalista da Band:

    Ao comentar corrupção na Petrobras, Boechat chama FHC de ‘oportunista’. O jornalista lembra que eram muitas as denúncias de desvios na estatal sob a gestão tucana, mas quase nada foi investigado. Comentário gerou repercussão no meio político
    O jornalista Ricardo Boechat comentou nesta segunda-feira, dia 17, no seu programa na Band News FM a Operação Lava Jato realizada pela Polícia Federal. O jornalista afirma que sempre houve gente roubando na Petrobras, independentemente da gestão – foi assim em todos os últimos governos que passaram pelo Palácio do Planalto.
    O comentário de Boechat ganhou repercussão imediata no meio político em todo País. As afirmações passaram a ser pauta de conversas ao longo do dia, especialmente em São Paulo e Brasília.

    “O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso veio a público para dizer que sentia vergonha do que estava acontecendo na Petrobras. Eu queria fazer a seguinte observação: Acho que ele [Fernando Henrique Cardoso] está sendo oportunista quando começa a sentir vergonha com a roubalheira ocorrida na gestão alheia. É o tipo de vergonha que tem memória controlada pelo tempo.
    A partir de um certo tempo para trás ou para frente você começa a sentir vergonha, porque o presidente Fernando Henrique Cardoso é um homem suficientemente experiente e bem informado para saber que na Petrobras se roubou também durante o seu governo. ‘Ah, mas não pegaram ninguém!” Ora presidente! Dá um desconto porque só falta o senhor achar que na gestão do Sarney não teve gente roubando na Petrobras. Na gestão do Fernando Collor não teve gente roubando na Petrobras. Na gestão do Itamar Franco não teve gente roubando na Petrobras. A Petrobras sempre teve em maior ou menor escala denúncias que apontavam desvios.
    Eu ganhei um Prêmio Esso em 89 denunciando roubalheira na Petrobras. […] A Petrobras sempre foi vítima de quadrilhas que operavam lá dentro formada por gente dos seus quadros ou que foram indicados por políticos e por empresários, fornecedores, empreiteiras. Então essa vergonha do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso é sim uma tentativa de manipulação política partidária da questão policial”, disse Boechat.
    “Eu acho mais o que saudável que as pessoas se manifestem politicamente. Contra e a favor do Governo. Eu acho muito bom que se manifestem contra principalmente porque governos sob pressão tendem a ser mais claros, objetivos, focados no interesse coletivo, mas acho que pegar essas manifestações para vender a ideia de que está se trabalhando um impeachment, ou se pedindo um impeachment da presidente Dilma é tão ridículo quanto estar nessas manifestações para pedir a volta a ditadura militar. Quem está pedindo o impeachment, mesmo que não peça a volta da ditadura militar está trabalhando com o mesmo DNA golpista, o mesmo tipo de idiotice, de imbecilidade, porque a Dilma, queiram ou não, foi eleita legitimamente não pelos nordestinos como parte deles prefere de forma neurótica e preconceituosa propagar, mas pelos mineiros que Aécio Neves governou, cariocas e fluminenses que jamais foram dados a votar em governantes da situação. Então ela foi eleita pela maioria dos votos do Brasil. Pronto, acabou, vira essa página e vamos em frente”, comentou Boechat

  • Tucano abandonado

    Blogueiro, a que pé está o processo do Fausto Pinato? Aquele que ele responder por forjar depoimento de testemunha.

  • Anônimo

    Concordo. O Pt é apenas mais um que se rendeu à corrupção. Fora corruptos.

  • epoca boa

    CARDOZINHO
    O PT nao deve estar muito feliz com policia federal, pois alem de estar prendendo os petistas agora prendeu o Ze’ Dirceu.
    Dizem que o Lula nao dormiu essa noite com medo de ele contar tudo. Sera’ que ele vai aguentar tudo sozinho como foi feito no mensalao e o Lula vai sair numa “boa”?
    Voce disse que nessa epoca ele privatizaram com dinheiro do BNDES, agora, venderam a Petrobras e ninguem viu a cor do dinheiro.
    Apesar disso, no ano passado, faltou dinheiro no caixa do governo por isso tiveram que dar pedaladas, a Dilma esta’ sendo processada e pode sofrer o impeachment

  • le

    bommm diaaaaa petista….Otima semana p/o Jose Dirceu

  • JOSÉ DIRCEU

    Finado Zé—-le—[email protected]—-Anônimo—-Vagner pereira—-Henrique Machado—-Jonas—-Realista—-Epoca Boa:—–caros amigos que carregam em seus seres o ódio,a inveja, o medo e o desprezo pelo Presidente Lula e pela Presidenta Dilma e não querem ou não sabem perceber, através dos acontecimentos políticos no Brasil, que a única intensão do MPF, STF, PSDB,DEM,JUIZ MORO e consequentemente a Direita brasileira,não são com os problemas de corrupção,.da economia,da educação, da saúde no Brasil,pois isso sempre existiu em praticamente todos os governos como: Itamar Franco,José Sarney,Collor e FHC,o problemas dessa quadrilha é a tentativa de voltar ao Poder,usando qualquer meios,mas principalmente tentar acabar com o PT e o Presidente Lula,provável Presidente em 2018. Mas não se esqueçam como começou a Revolução de 1932 e como começou o Militarismo ou a Ditadura em 1964.
    Agora um exemplo das idéias dos Dep. Federais do PSDB e da Direita governarem o Brasil:–

    O deputado federal Rogerio Marinho (PSDB-RN), titular da Comissão de Educação da Câmara dos Deputados, propôs, no último dia 6 de junho, uma lei que torna crime o “assédio ideológico” em ambiente escolar. O projeto prevê pena de detenção de três meses a um ano e multa, com possibilidade de aumento da punição, caso o ato seja praticado por educadores ou “afete negativamente a vida acadêmica da vítima”.

    O projeto de lei pede alterações no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) para que seja incluído entre os direitos da criança e do adolescente “adotar posicionamentos ideológicos de forma espontânea, livre de assédio de terceiros”. O PL 1411/2015 também propõe alterações no Código Penal para incluir o crime de “expor aluno a assédio ideológico, condicionando o aluno a adotar determinado posicionamento político, partidário, ideológico ou constranger o aluno por adotar posicionamento diverso do seu, independente de quem seja o agente.”

    Apesar da previsão da pena de detenção, o deputado disse que garante que nenhum professor será preso. “Serão processados os doutrinadores que vilipendiam o direito de aprender dos alunos e exorbitam da sua liberdade de cátedra. De acordo com o Código Penal, penas cujo total sejam inferiores a 4 anos terão cumprimento inicial em regime aberto e, de acordo com o texto apresentado, se condenado ao máximo, o doutrinador será sancionado em 1 ano e meio de detenção, que pode ser facilmente transigida, se assim for da vontade do Parquet (Ministério Público), em prestação de serviço comunitário ou pagamento de dias-multa.”

    Para Marinho, a lei não causaria insegurança ao professor ou reduziria o espaço a debate, pelo contrário, garantiria que todas as ideologias fossem apresentadas. “Basta apresentar todas as vertentes interpretativas dos fenômenos estudados, sem fazer proselitismo, sem desvirtuar o fato, sem omitir dados e sem fazer indicações morais discutíveis”, diz.
    ura acomodar os (as) estudantes ao mundo existente, a educação que defendia tinha a intenção de inquietá-los.

    PODE ISSO EM PLENO SÉCULO XXI–NÃO SABE ESTE DEPUTADO, QUE O SIMPLES DIREITO DE VOTAR É HISTÓRIA? POR FAVOR BURGUES ENSINEM ALGUMA COISA A ESSE……………………

    • doença petista : panico da delaçao premiada

      JOSE DIRCEU
      Voce certamente esqueceu de tomar seus remedios e teve insonia quando ficou sabendo que o J. Dirceu foi preso.
      Na tentativa de defende o PT, Lula e o Ze’ Dirceu misturou Rogerio Marinho com a PL 1411/2015, codigo penal, etc
      Ficou louco.
      Voce esta’ com a doença dos petistas que cada delaçao (premiada) que e’ feita, voces entram em panico

    • Renato Duque vem aí….lá…lá….lá.lá.lá.lá!
      Acabou…

  • JOSÉ DIRCEU

    DOENÇA PETISTA: PANICO DA DELAÇÃO PREMIADA. MEU CARO DESPREPARADO APRENDA A DISCUTIR POLITICA E CONSEQUENTEMENTE SOBRE TODOS OS ASSUNTOS VOCÊS SÓ SABEM FALAR EM PRESO E DELAÇÃO PREMIADA,JUNTAMENTE COM INVEJA E ÓDIO, APESAR DE QUE EU ACHO QUE ROUBO TEM QUE SER PRESO INDEPENDENTE DE NOME E PARTIDO,MAS VOCÊ EM TODA SUA INTELIGÊNCIA NÃO ACHA, QUE: AÉCIO CHEIRA CHEIRA, CUNHA, RENAN, COLLOR, FHC,SERRA, ALKIMIN, RICHA,DEMÓSTENES, CAIADO ETC….NÃO ROUBAM OU NUNCA ROUBARAM. A ÚNICA DIFERENÇA E QUE NUNCA FORAM PRESOS,POIS TODO O PODER JUDICIÁRIO BRASILEIRO ESTA PODRE, TODO ELE COMPRADO PELO PSDB E O DEM, ONDE JÁ SE VIU NUMA CORRUPÇÃO TÃO GRANDE COMO ESTA NA PETROBRAS, QUE COMEÇOU CONFORME ALGUNS DELATORES NO GOVERNO DE FHC ( ULTIMO DELATOR MÁRIO GOIS ( OPERADOR PARA A DIRETORIA DE SERVIÇOS DA PETROBRAS ) A SEMANA PASSADA,FRENTE AO JUIZ CORRUPTO MORO DISSE ISTO PELA TERCEIRA VEZ) E O JÁ FALECIDO PAULO FRANCIS JÁ DIZIA ISSO EM 1996,MAS MESMO ASSIM SÓ SE PRENDE ( JUSTAMENTE OU INJUSTAMENTE ), ELEMENTOS DO PT, E OS OUTROS PARTIDOS E OS OUTROS LADRÕES,COMO FICA?
    É COMO EU PENSO PARA A OPOSIÇÃO TODO DINHEIRO É LIMPO, PARA O PT É DE CORRUPÇÃO, ENTÃO SUA DOENÇA PETISTA VOCÊ NÃO SE LEMBRA DO: MENSALÃO TUCANO, PRIVATARIA TUCANA, METRÔ DE SP, O TRENSALÃO EM SP, A LISTA DE FURNAS, SIVAN, SUDENE, CONSTRUÇÃO DE AEROPORTOS PARA O TRÁFICO EM MINAS, DESVIO DE 5 BILHÕES DA SAÚDE EM MINAS, SABESP EM SP, AUMENTO DO ICMS EM SP–PARANÁ E RS ETC…. ISSO NÃO É CORRUPÇÃO? ONDE ESTÃO OS LADRÕES? ISSO FOI TUDO ENGAVETADO E EMPURRADO PARA DEBAIXO DO TAPETE. PELO JUDICIÁRIO CORRUPTO DO BRASIL, MANIPULADO PELO PSDB E DEM. PENSE ANTES DE ESCREVER BESTEIRA. LEMBRANDO SEMPRE SOU A FAVOR DE ROUBOU, CADEIA, MAS PARA TODOS, POIS GANHAR O PODER NA MARRAR ISSO NUNCA,POIS SÃO MAIS OU MENOS 54 MILHÕES DE ELEITORES, TOPANDO QUALQUER PARADA PARA SE CUMPRIR A CONSTITUIÇÃO, QUE TODO O PODER EMANA DA MAIORIA DO POVO, ATRAVÉS DO VOTO SECRETO E UNIVERSAL. NÃO VOU MAIS PERDER MEU TEMPO COM PESSOAS DO SEU NÍVEL: DESPREPARA,COM INVEJA E ÓDIO, DEVES SER UM BURGUES.

  • JOSÉ DIRCEU

    DOENÇA PETISTA–PANICO DA DELAÇÃO PREMIADA—Além do ódio, da Inveja, do medo, agora a burguesia capitalista fascista, vem a chantagem e a tentativa de comprar os Delatores, para que os mesmo entreguem o Lula, (entreguem o Lula e seras solto rapinho ), vocês se rebaixaram ao ultimo degrau da escada,na tentativa de tomar o poder,pois o Lula soltou será presidente em 2018 e quem sabe ele preso pode até correr sangue,como já começo, ao soltarem bomba no Instituto Lula,( estou vendo de novo um 1964 pela frente ), isso tudo por causa do poder, que não foi conseguido através do voto,vocês cobras rastejantes não estão pensando no Brasil e em sua população , mas puramente no poder de qualquer maneira,para poder continuar roubando da mesma forma como toda essa corja ao qual pertence, e se esquecendo que se Dilma cair ( coisa que não vai acontecer), quem vai governar é o PMDB do Michel Temer, Renan e Cunha, ai sim vocês sentirão na pele o que é bom. Você não deve ter notado que Cunha, além de estar contra o governo esta também prejudicando o andamento do crescimento administrativo econômico, social, da saúde, da agricultura, da educação, da politica, etc… do Brasil, tu e os outros coxinhas devem ter muito dinheiro e não pensam como jamais pensaram, nas classes inferiores brasileira que infelizmente não é meu caso, mas aprendi a pensar, a querer, a amar meus irmão brasileiros que são milhares passando necessidades neste país onde o capitalismo e o fascismo predomina. Não sou doente e nem preciso tomar remédio, pois ao deitar durmo com a consciência tranquila, nunca desejando o mal de ninguém seja ele quem for.
    Leia essa noticia, talvez vai satisfazer seu ego doentio e mesquinho:–
    De acordo informações do jornal Valor Econômico, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva entrou no “radar” da Operação Lava Jato, de acordo com uma autoridade diretamente envolvida nas investigações logo após a prisão preventiva do ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu.
    Dirceu foi preso ontem na 17ª fase da Operação, a Pixuleco. Ele é investigado por suspeita de corrupção e lavagem de dinheiro por receber R$ 29 milhões em sete anos, de empresas investigadas por meio da JD Assessoria e Consultoria.
    “Por enquanto são suspeitas. Ele [Lula], por ora, não é investigado. Mas ele está no radar”, afirmou a autoridade ao jornal. Segundo o jornal, chama a atenção dos investigadores o fato do ex-presidente ter recebido pagamentos a título de remuneração por palestras de empresas investigadas na Operação Lava Jato. Aliás, no mês passado, foi aberto um inquérito no MPF (Ministério Público Federal) para investigar o petista por suposto tráfico de influência.
    Segundo o procedimento investigatório criminal aberto no último dia 8, o ex-presidente “teria obtido vantagens econômicas da Empreiteira Odebrecht, a pretexto de influir em atos praticados por agentes públicos estrangeiros, notadamente dos governos da República Dominicana e de Cuba, em relação a obras financiadas pelo Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e por agentes públicos federais brasileiros”.
    De acordo com a fonte ouvida pelo Valor, “ele [Lula] recebeu valores daquelas empresas investigadas. No exercício do mandato dele não há nenhum indício de que tenha recebido. Mas depois que ele saiu do cargo, recebeu aqueles valores referentes a palestras pelo Instituto [Lula], que têm de ser pensados”. A Lils palestras, Eventos e Publicidade Ltda, empresa aberta por Lula para receber remuneração pelas palestras, recebeu R$ 1,5 milhão da Camargo Corrêa.
    “Nenhum dos delatores disse que os pagamentos recebidos por Lula foram propina. Mas os valores não deixam de ser suspeitos. Nos parece incompatível se considerarmos que as empresas pagavam mais de R$ 300 mil por palestra que sequer comprovação têm, e ainda com esse custo”. O ex-presidente, por meio de sua assessoria, ressaltou a legalidade das palestras.
    E a prisão de Dirceu no âmbito da Lava Jato acirrou ainda mais os ânimos contra o PT e a presidente Dilma Rousseff, segundo o Palácio do Planalto. Segundo informações do jornal O Estado de S. Paulo, auxiliares de Dilma temem que a investigação atinja Lula, mesmo sem provas concretas.
    De acordo com o jornal, o assunto foi tratado em conversas reservadas entre ministros, ontem, antes da reunião de coordenação política. A ordem no Planalto é proteger Dilma do novo escândalo, que tem potencial para dar munição aos protestos marcados para o dia 16 contra o governo e a corrupção.
    Dirigentes da corrente majoritária Construindo um Novo Brasil, de Lula e Dirceu, discutiram os desdobramentos da crise em Brasília na segunda-feira, e hoje haverá reunião da Executiva Nacional. Petistas teriam recebido informações de que integrantes da Polícia Federal e do Ministério Público estariam dizendo aos presos: “Se você entregar o Lula, sairá rapidinho.”

  • JOSÉ DIRCEU

    [email protected], concordo com a prisão de José Dirceu, mas tem muitos ladrões a solta por ai, como FHC, Aécio Cheira Cheira, Aloysio Nunes, Serra, Alkimin, Richa, Renan, Cunha e muitos outros, inclusive você com suas burrices, sandices, incompetência,despreparo,analfabeto politico, invejoso,transmissor de ódio e principalmente por não ter argumentos para discutir politica, sem falar em prisões,delações,corrupções e principalmente que as corrupções do passado não valem nada,aprenda que corrupção é corrupção,ladrão é ladrão, seja no presente ou passado, seja grande ou pequeno, em copiar e publicar o blog 247, deixa de ser ignorante e passe a pesquisar revistas,blogs e jornais decentes e imparciais e coloque sua inveja e ódio sobre sua prole, ia me esquecendo trouxa é sua…………..Até nunca mais seu burguesinho.

  • fiel escudeiro

    discutir com petista é igual curintiano, voçe nunca tem razão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *