NOVO PLANO DIRETOR PODE INVIABILIZAR INVESTIMENTOS EM JALES E ATRAVANCAR CRESCIMENTO

Enquanto a cidade dorme distraída e feliz – depois ajudar a eleger, com 77,48% de seus votos válidos, o capitão Bozonaro – nossa Prefeitura Municipal tenta aprovar, na Câmara, um novo Plano Diretor que, após duas ou três audiências públicas, já está sendo discutido por nossos diligentes vereadores e pode ser votado numa das próximas sessões.

E, se for aprovado como está, poderá atravancar a cidade ao inviabilizar novos loteamentos. Na terça-feira, 13, por exemplo, representantes de quatro loteamentos – Residencial Aurora, Vila Nobre, Monte Líbano 2 e Loteamento Fazenda Ponte Pensa – estiveram na Prefeitura para uma reunião com o prefeito, visando discutir as novas regras que estão sendo propostas no projeto do Plano Diretor.

Juntos, os quatro loteamentos planejam comercializar 1.864 lotes populares, ou seja, lotes menores e com preços mais baixos. O novo Plano Diretor prevê, porém, que a testada mínima de um lote passará de seis para oito metros, enquanto a largura mínima das ruas passará de 12 para – um exagero! – 17 metros.

Somente esses dois pontos já farão diminuir o número de lotes de cada loteamento e, evidentemente, aumentar o valor de cada terreno, dificultando as coisas para as pessoas de menor poder aquisitivo, que são o público alvo dos quatro loteamentos. Existem, ainda, outros pontos que estão sendo criticados.

O imposto progressivo é um deles. O objetivo do imposto progressivo – impedir a especulação imobiliária – é justo, mas esse tipo de tributo deveria se restringir ao quadrilátero central, onde ainda existem lotes sem construção, esperando valorização maior. Cobrar o imposto progressivo de assalariados que compram um lote em 60 parcelas, afastado do centro da cidade, é penalizar os mais pobres.

Voltando à reunião de terça-feira, o prefeito, por algum bom motivo, não participou do encontro. Igualmente ausente o secretário de Planejamento, Niltinho Suetugo, principal mentor do projeto. A Prefeitura esteve representada pelo procurador geral Pedro Callado e pelos chefes de gabinete, Manoel Andreo de Aro e Wellington Assunção.

Até onde se sabe, os representantes dos loteamentos deixaram claro aos interlocutores do prefeito que, em prevalecendo as regras previstas no novo Plano Diretor, estarão inviabilizados os investimentos de cerca de R$ 20 milhões que eles pretendem fazer em Jales. Chamado às pressas para a reunião, o vereador Deley(PPS), líder do prefeito, criticou o projeto e prometeu fazer emendas.

Antes dele, na sessão da Câmara de segunda-feira, 12, o vereador Macetão(PP), também criticou, em discurso, o novo Plano Diretor que está sendo proposto. Macetão, prenhe de razão, foi ao cerne da questão, afirmando que o projeto, como está, vai espantar os investidores – como já está espantando – e dificultar aos mais pobres a realização do sonho da casa própria.

Voltaremos ao assunto.

13 comentários

  • Caseiro da erica

    Pelo menos tem um único vereador ali que salva, o restante e de dar vergonha! Deley? Se o prefeito chama está anta toda vez que tem algum problema ele chama este vereador, será que ele leu alguma página? Acho que não sabe que se trata, está muito mas muito mal mesmo!

  • Cidadao

    Quer dizer que em Jales estão querendo evitar que a cidade seja arrebentada pelo poder especulador? Parabéns aos vereadores!

    Chega de loteamentos que atendem unicamente ao lucro dos donos da cidade.

    Quem não sabe que terrenos minúsculos e ruas estreitas só aumentam o sofrimento das pessoas? Pobre não tem direito a ruas largas igual nos condomínios dos ricos é?
    Ou o autor do blog acha interessante que a cidade, no futuro, transforme-se numa grande zona leste de São Paulo?

  • Viuvos do PT

    Parece que o Cardozinho está com depressão da derrota de Lula e Haddad com o fato de “depois ajudar a eleger, com 77,48% de seus votos válidos, o capitão Bozonaro”
    Ele mistura Bolsonaro com esta noticia plano diretor de Jales e tem crise do “mais médicos”
    kkkkkkk

  • Ruas esburacadas : Propinas do passado!

    Os engenheiros da prefeitura estão certos em aumentar a testada minima para 8 metros como também a largura das ruas. Talvez 17 metros será muito!
    Mas o pior nisso tudo, é a espessura do pavimento asfáltico que os loteadores fazem. Uma vergonha!
    Ate com uma conivência da fiscalização do setor de obras.
    Será que tivemos propinas no passado dos prefeitos e engenheiros?

  • Roman

    O mínimo viável do tamanho dos terrenos é de 08x25m, para não virar uma favela e descaracterizar a cidade. Vai por mim enquanto há tempo depois será tarde demais. Virará uma cidade de amontoados de pessoas se persistirem com terrenos menos que 08x25m. Dei a dica. Aproveitem.

    • João Honesto

      Pessoal muitos aqui nao leram o novo plano, a testada minima para qualquer empreendiemnto é de 10 metros e nao 6 como foi apresentado neste post. 6 metros é em caso de desdobramento, e pra que isso ocorra, o lote tem de medir no minimo 12 metros de testada. Portanto os loteadores e investidores não serao beneficiados em nada, pois com testada minima de 10 metros, é impossivel fazer desmembramento para 6.

  • FLA-"anonimo"-Por.enquanto-"...

    MUITOBRIGADUU COOPERNHEIRO APRENDIZ DE BLOGUEIRO POR NAO PUBLICAR MEU COMENTARIO TE PREGUNTANDO QUAL SERIA O LOTEAMENTO QUE SERA LA ONDE SE REALIZAVA A NOSSA FLAlecida

    F A C I P CONHECIDA TAMEM COM FACIPAO…

    • João Honesto

      Cardoso nao respondeu porque ainda não ha definição alguma de como sera o empreendimento. Tenho fonte confiabilissima que os investidores contrataram uma empresa de marketing imobiliario para levantar a demanda da cidade, pode ser loteamento popular ou alto padrão, ha estudo para condominio fechado, ou talvez construção vertical (prédios). E ainda ha a possibilidade do investimento ser comercial, e parte do espaço ser explorado como polo de lazer e turismo. Aguardemos!!!

  • Fanfarrões

    Estes caras da prefeitura são de Beverly Hill KKKkkkkkkk não passam fome, não usam os PSFs e o UPA, são todos uns fanfarrões! Tem gente que não sabe o que é viver a vida inteira amontoado um em cima do outro e a única oportunidade de ter alguma coisa sua estes fanfarrões vem querer tirar, é uma vergonha!

  • joao

    O Plano Diretor apresentado é uma peça de ficção, aumentar a testada, a largura da ruas, fará com que os lotes tripliquem de preços, inviabilizando a compra por pessoas menos abastadas, impor ruas de 17 metros em bairros populares é sim, diminuir a quantidade de lotes, aumentar o valor dos mesmos e depois de alguns anos impor a prefeitura na hora do recape custos maiores. E tem mais no Plano Diretor novo, que a iluminação deva ser subterrânea, o que também aumenta o valor do investimento, causa frequente roubo de fiação e impõe a prefeitura a manutenção, pois as concessionarias não aceitam doação de rede subterrânea. Espero que os vereadores estudem muito bem o assunto, e apresentem emendas para melhorar o proposto, até porque a empresa que ganhou a licitação para elaborar o mesmo, com toda a capacidade da mesma, demorou mais de um ano para elaborar, e agora não vai querer que a Camara em alguns dias aprovem.

  • A nova guerra dos loteamentos

    A discussão e aprovação do Plano diretor passa por 4 setores interessados. Juntos, estão o promotor e os engenheiros da prefeitura que querem o melhor para a urbanização da cidade.
    Terceiro, a Câmara de Vereadores que não entendem nada do que se está discutindo mas representam (estão sofrendo pressão) os pequenos e grandes proprietários jalesenses de vários lotes na cidade.
    Por ultimo, os loteadores e investidores em loteamentos que são, na maiorias, de fora de Jales que certamente lotearão áreas da cidade e cairão fora. Deixarão os problemas futuros para nós pagarmos.
    Se a legislação permitir, os vereadores que tem a palavra final, deveriam alterar as leis para os 2 casos : um para o lote existente (desdobro) e outro, para os loteadores construírem os lotes (loteamento novo).
    Para os loteadores, vai ficar mais caro, vai! Mas os loteadores vão financiar os lotes com mais parcelas. Certamente, eles vão dar um jeito para vender. Até diminuir o seu lucro que é exorbitante.
    Porem os loteadores são os que mais sofrem pois pagar propinas ao prefeito, cartório, chefe da empresas (SABESP, CETESB, DER, ELEKTRO, etc) para agilizarem o processo pois chegam a demorar 4 anos para todos aprovarem um projeto. Tanto papel que precisa! Mas vale a pena. kkkkkk
    O choro é livre!

  • VGP

    Acho que o plano diretor tem que seguir a diretriz de lotes com no mínimo 8×25 mts,no contrario está nítido a prática tendenciosa do ditos loteadores ,em superfaturar nos preços e quantidades dos lotes,visando seu enriquecimento.Estar preocupado com os futuros compradores dos lotes,bem estar das pessoas,e bem estar habitacional do município,parece cômico e piada .
    Jales não mão de poucos,sem representatividade dos vereadores,e sem visão de gestão do poder público,para capitação de novas empresas e geração de emprego e renda para a população !

  • Anonimo

    Alguém ai pode me dizer se o Projeto de Lei Complementar 13/2018 foi aprovado ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *