NOVO PRESIDENTE DIZ NÃO TER ENCONTRADO IRREGULARIDADES DE GOVERNOS PETISTAS NO BNDES. MUITO PELO CONTRÁRIO…

BNDES-Jovem Pan

Com muita categoria, o novo presidente do BNDES – o economista Paulo Rabello de Castro – colocou o “historiador” Marco Antônio Villa em seu devido lugar. Curiosamente, a grande imprensa – Folha, Veja, UOL – destacou apenas uma fala de Rabello sobre a JBS, mas a entrevista esclarece muitas outras coisas.

Sobre o suposto prejuízo de R$ 700 milhões causado pela JBS, que o Alexandre Garcia vive citando em seus comentários, Rabello disse simplesmente que “as pessoas dizem o que bem entendem”. O resumo da entrevista é do Brasil 247

Há 45 dias na presidência do BNDES, o economista Paulo Rabello de Castro divulgou nesta sexta-feira 14 o “Livro Verde”, no qual traz balanços das atividades do banco entre 2001 e 2016.

Em uma entrevista concedida à rádio Jovem Pan nesta quinta, ele disse não ter encontrado irregularidades dos governos petistas à frente da instituição e desmistificou o que chamou de “ranço” de “brasileiros que se dizem liberais” contra o que eles consideram ser “fomento demais, desenvolvimento demais”.

Questionado inicialmente sobre o que encontrou no BNDES, quando foi nomeado para o cargo pelo governo Temer, Rabello disse ter encontrado “muito talento” por parte dos 2,8 mil funcionários. Ele também declarou que não precisou “botar ordem em esculhambação nenhuma” quando assumiu o cargo. “Nada me surpreendeu”, afirmou.

“O tamanho do BNDES está sendo objeto de muita controversa. As pessoas começam a achar que temos fomento demais, temos banco de desenvolvimento demais. Alguns brasileiros que se dizem liberais chegam a dizer que nós temos desenvolvimento demais, porque há uma atitude muito rançosa em relação ao nosso País e que vaza para um certo desânimo, um certo desalento, e quase que um certo desalento profissional”, afirmou.

Em seguida, questionado por Marco Antonio Villa, crítico ferrenho de Lula e do PT, sobre financiamentos relacionados a operações realizadas nos governos petistas, como a do Porto de Mariel, em Cuba, e à JBS, dos irmãos Batista, que segundo Villa, deixaram grandes prejuízos ao banco, ele rebateu:

“Você vai me prometer uma coisa: vai ler as 200 páginas [do Livro Verde]. Você é um historiador, não pode ficar falando as coisas como está falando aí pelo microfone sem fazer uma investigação”. Em seguida, o economista ressaltou que o comportamento do BNDES é “absolutamente ético e exemplar”.

De acordo com o novo dirigente do banco, a JBS é “um dos negócios mais bem bolados e bem sucedidos da BNDESPar”, braço de participações da empresa. Rabello de Castro rebateu as informações de Villa e destacou que o resultado líquido das operações do BNDES com a JBS até dezembro tinha sido positivo em R$ 3,56 bilhões – o banco colocou R$ 8,1 bilhões na empresa.

Com base nos números, Rabello de Castro negou que os governos petistas de Lula e Dilma tenham “favorecido A ou B”. “O BNDES age tecnicamente. São mais de 30 pessoas que têm comportamento ético, impecável, assinando, pessoas que passaram num concurso. Seria muito difícil haver uma conspiração de 30 e tantos técnicos”, ressaltou.

A entrevista é longa – 29 minutos – mas é esclarecedora. Eis o vídeo:

 

7 comentários

  • VILA É O PALHAÇO DA SEMANA, VAI DORMIR NO SOFÁ SEU BABACA. SE É QUE JÁ NÃO DORME A MUITO. TEMPO.

  • Lula, BNDES e as empreiteiras : triangulo de propinas!

    Certamente, o balanço apresentado pelo BNDES é uma defesa do banco para a operação Bullish em que a Policia Federal investiga as fraudes ocorridas em emprestimos efetuados pelo b
    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios sãoanco.
    Desde 2008, na epoca de Lula e Dilma estão sendo investigados, pela, 3.000 emprestimos dentre eles 20 obras a paises da America do Sul e Moçambique para a Odebrechet, OAS, Queiroz Galvão, etc construirem (como nosso dinheiro) porto, hidroeletricas, aeroporto, barragens, metrô, etc. Quando as empreiteiras pagavam propinas por isso.
    O BNDES de Lula emprestou R$ 12,8 bi, ao grupo JBS sendo que este grupo cresceu assustadoramente pois foi considerado o campeão de emprestimos
    Para pagar as propinas, o dono da JBS abriu uma conta, no exterior, para Lula e Dilma de R$ 500 milhões para eles gastarem porem Lula xingou Joesley de “canalha”
    Eu queria ter um canalha que me desse tanto dinheiro!

  • pratico

    A unica coisa esclarecedora nesta verborreia toda é a frase “estou há apenas 45 dias voce não quer que um bordel se transforme em um convento em apenas 45 dias.

  • Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk…
    Uma CPI seria muito apropriada para constatar se não houve mesmo irregularidade!
    Ha quem interessa abrir essa caixa preta?

  • LULA BNDES, E AS EMPREITEIRAS: TRIÂNGULO DE PROPINAS, caro amigo você já procurou em sua casa, um canalha para lhe dar dinheiro?

  • Lula, BNDES e as empreiteiras : triangulo de propinas!

    O dono da JBS delatou Temer, Aécio e Lula (com Dilma) mas queria acertar mesmo era em Temer apesar que disse ter aberto uma conta no exterior de quase R$ 500 milhões para Lula (eles).
    No governo do PT, Joesley “rachou de ganhar dinheiro” logo quer a volta de Lula para conseguir mais emprestimos no BNDES. Agora está “comendo grama” com Temer.
    Essa conta aberta para Lula e Dilma vai gerar um processo com Moro pois já tem 5 processos e uma condenação por isso Lula xingou Joesley Batista de canalha.
    Eu certamente queria ter um “amigo” assim que me desse tantas propinas

  • O novo presidente do BNDES chamar o Villa de brilhante intelectual só pode ser ironia,por ser historiador o Villa apenas tem datas e eventos decorados na ponta da língua,o intelectual tem de contextualizar os fatos,coisa que o rancoroso Villa quase nunca faz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *