PARTIDO PRESIDIDO POR JALESENSE RECEBEU PROPINA DA JBS

É bem verdade que, considerando os R$ 600 milhões distribuídos a 1.829 políticos e 28 partidos, os R$ 617 mil repassados ao PRP – sigla presidida nacionalmente pelo jalesense Ovasco Rezende – é um mero trocado.

Matéria publicada pelo Diário da Região deste domingo destaca que pelo menos oito políticos da região de Rio Preto – entre eles, Edinho Araújo, Sinval Malheiros e João Paulo Rillo – estão na extensa lista de beneficiados pelas propinas (ou caixa 2, se o prezado leitor preferir) da JBS nas eleições de 2014.  

E entre os 28 partidos, temos o Partido Republicano (sic!) Progressista – PRP – que teria recebido R$ 617 mil da JBS.  O presidente do partido, Ovasco Resende, admite que a JBS repassou R$ 300 mil em 2014, ou R$ 317 mil a menos do que consta na lista. Parte desse dinheiro foi utilizado na campanha do candidato a senador Fernando Lucas (quem?) do PRP.

Em 2006, nosso conterrâneo Ovasco – que é filho do falecido ex-vereador jalesense Dirceu Gonçalves Resende – foi personagem do Jornal Nacional, acusado de tentar extorquir a empresária Ana Maria Rangel, então candidata à presidência da República pelo PRP.

Em conversas gravadas e divulgadas pelo noticioso da Rede Globo, Ovasco aparece pedindo R$ 14 milhões para financiar a campanha, dos quais R$ 3 milhões deveriam ser pagos à sigla como sinal e 800 mil em dinheiro, depositados diretamente em sua conta, sem que fossem declarados à Justiça Eleitoral.

À época, Ovasco, não obstante as gravações, desmentiu a acusação de tentativa de extorsão. Não se sabe se ele chegou a ser acusado formalmente na Justiça. O que se sabe, é que, transcorridos 11 anos, ele continua na presidência do PRP. Abaixo, um vídeo com Ovasco:

You need to a flashplayer enabled browser to view this YouTube video

3 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *