PRÉ-CANDIDATOS A VEREADOR COMEÇAM A DIVULGAR SEUS NOMES AOS ELEITORES DE JALES

A notícia é do FocoNews:

O cenário político começa a se desenhar em toda a região e não é diferente na cidade de Jales. Há alguns dias nós já tivemos o atual prefeito Flávio Prandi Franco, o Flá, anunciando que não disputará as Eleições 2020 por estar focado no combate a pandemia da Covid-19 e reconhecer que este não seja o momento de pensar em fazer campanha

A decisão do atual chefe do executivo deixou muita gente surpresa e até então os nomes que surgem “de verdade” para disputar a principal cadeira de Prefeitura de Jales são os dos “Luíses”. O empresário LH, Luis Henrique Moreira (PSDB) e o professor Luis Especiato (PT) já declararam a pré-candidatura e devem fazer a disputa voltar a ser azul e vermelha nas urnas. Nos bastidores também surgem outros nomes, mas por enquanto eles ficam só nos bastidores mesmo.

Quem já vem aproveitando o espaço das redes sociais são os pré-candidatos a vereador. Jales pode ter uma lista enorme de nomes que devem concorrer a um espaço na Câmara Municipal. Dentre os pretendentes, medalhões e novatos. 

É o caso do empresário Elder Mansueli, da Augusta, que divulgou através do seu facebook que “coloca o nome a disposição da cidade”. Elder disse em vídeo divulgado que tudo que faz é sem interesse político e que, se conseguir entrar seria para tentar fazer além do que já faz, podendo ajudar mais pessoas e buscando solucionar os problemas dos moradores.

Betto Mariano, responsável pelo portal A Voz das Cidades, também colocou seu nome e divulgou que é pré-candidato a vereador. “Eu decidi colocar meu nome para representar os jalesenses nesta batalha porque essa cidade precisa resgatar os seus primórdios de cidade de centro de região, para entrarmos no cenário nacional e voltarmos a ser a Jales que sempre quisemos!”, finalizou.

O popular “Palhaço Pernilongo”, Dione Jodas, também divulgou vídeo lançando a pré-candidatura, “Depois de muita conversa com minha família e sempre querendo o bem das pessoas eu coloco meu nome a pré candidato a vereador de Jales. Com simplicidade, humildade, honestidade e sempre respeitando o próximo. Eu acredito que posso fazer muitas coisas boas!”, disse.

3 comentários

  • Marco Antonio Poletto

    Um salário mínimo é quanto deveria ganhar um vereador em Jales. Os que se apresentam, meu Deus. Tambem coloco o meu nome a disposição. Kkkkk. Teve um época que nossa câmara tinha um time de primeira. Advogados, Médicos, etc, e não tinham nenhuma remuneração. Era por amor a cidade.

  • rapizodia

    Vendo uma reportagem sobre o vereador Carlos Bolsonaro, fiquei pensando, como pode uma cidade pobre (Rio de Janeiro), de um estado igualmente pobre que faz parte de um país também pobre, pode gastar tão mau seus recursos, dinheiro de impostos arrecadados e que é a realização de sangue, suor e pobreza, pois torna o cidadão que paga ainda mais pobre ao não devolver ou devolver uma ínfima parte de qualquer melhoria. Observei que era funcionário ganhando 17 mil, outros 10 mil, e havia dinheiro enviado para recanto tal, outro e outro, até mesmo para outros municípios que gerou uma controvérsia, como um vereador mantém base eleitoral fora de sua cidade e com dinheiro dos munícipes da cidade que lhe elegeu? Eu e a maioria dos brasileiros estamos cansados desse desperdício, mas a classe política parece não se importar e vem prá cima da população com mais impostos, encurralam o contribuinte, desde pessoa física às pessoas jurídicas, sem dó nem piedade e ainda colocam empregados contra empregadores, quando na verdade as duas classes sofrem enquanto seus algozes se escondem atrás da pilastra da indiferença esperando que não sejam notados. Quando teremos alguma ação para resolver isso? Políticos usando o Estado como emprego formal são inúmeros e inimagináveis. Aqui em Jales também temos esta espécie, políticos sem engajamento com qualquer causa, não representam seu bairro ou sua cidade, não representam qualquer ação pública, não representam nada, mas se aproveitam de relacionamento e popularidade para alçar ao cargo e daí encaram a triste realidade, o cargo não tem importância, não leva a nada, não constrói nada, e então, ao invés de se contrariar e passar a perseguir uma forma de resolver a situação, simplesmente aceitam a condição, se enganam e passam a enganar aqueles que depositaram suas esperanças em suas falsas promessas de trabalho incansável, aceitam então o dinheiro do contribuinte para finalmente não fazerem nada e se acomodam esperando ter sucesso em novas eleições. É o que estamos observando aqui e em qualquer lugar deste pobre país, cidadãos caírem em cima do Estado como aves de rapina ou lobos famintos perseguindo o eleitor, com quem não se importará, até consumir até seus ossos não deixando restos deste pobre país, pois consomem até a si mesmo e seu futuro, são antropofágicos.

  • mil meu com mil teu

    AH VÁ.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *