PRESIDENTE DO SENADO CRITICA GOVERNO BOLSONARO POR FALTA DE AGENDA E TRAPALHADAS

O ex-urubólogo Alexandre Garcia, que agora se ocupa em pintar o governo Bolsonaro de cor-de-rosa, vive dizendo que o entendimento entre o Bozo e o Congresso está uma maravilha. Pois bem, ontem foi o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, o Botafogo, quem criticou o governo. E hoje é a vez do presidente do Senado.

A notícia é do UOL:

Em entrevista ao programa Central GloboNews, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), se mostrou crítico a pontos-chave da gestão de Jair Bolsonaro (PSL). Ele concordou com a afirmação do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), de que o Executivo “não tem uma agenda para o país”; disse que o governo comete trapalhada todos os dias e que “dar liberdade para as pessoas portarem armas não vai ser um episódio bom para o Brasil”.

Sobre a falta de agenda, ele afirmou que o Congresso apresentará seu próprio planejamento. “Se o governo não tiver sua agenda, e parece que não tem, vamos fazer a nossa. Não vamos ficar esperando”, disse Alcolumbre.

O senador pontuou ainda que, diariamente, há “algum tipo de trapalhada na coordenação política”. Segundo o parlamentar do DEM, há muito “desencontro” na articulação política do Palácio do Planalto.

“Esse modelo que o presidente implantou e que ele assumiu na campanha eleitoral de não se aproximar da política não está dando certo. O que está dando certo é a vontade gigante de deputados e senadores de ajudar o Brasil”, afirmou o congressista.

Para Alcolumbre, se a proposta de reforma da Previdência for aprovada, será porque há parlamentares que “acreditam que é um caminho para gerar riquezas para transformar o Brasil”, e não por mérito da articulação do governo federal.

O presidente do Senado ainda comentou o decreto de Bolsonaro que flexibilizou o porte de armas, dizendo que ele foi coerente com as propostas apresentadas em campanha pelo presidente, mas que, conforme parecer elaborado pela da área técnica do Senado, a decisão extrapolou os limites dos poderes do Executivo.

Na opinião do senador, a flexibilização do porte de armas não resolverá o problema da segurança pública. “Em um momento de tanta fragilidade social, dar liberdade para as pessoas portarem armas não vai ser um episódio bom para o Brasil.

1 comentário

  • Senado e "o toma lá, dá cá"

    Durante a Lava Jato, a sociedade brasileira percebeu que temos quadrilhas de bandidos dentro do Congresso Nacional
    Por isso votamos num politico inexperiente porem um capitão do exercito que falava mal dos políticos.
    Bolsonaro encheu o comandos das estatais de militares que estão em confronto com os políticos porem Bolsonaro precisa dos deputados para aprovar a reforma.
    Certamente essas quadrilhas querem ganhar pois sempre ganharam com o “toma lá, dá cá” porem está difícil. Bolsonaro não quer dar nada a esses políticos corruptos. Muito menos, compra-los
    O presidente do senado representa “o toma lá, dá cá”
    E chora!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *