PROCESSO DA LAVA JATO CONTRA SERRA, QUE ENVOLVIA CONTA NA SUIÇA E PROPINA DE R$ 23 MILHÕES, PRESCREVE

Nada como ter amigos influentes. Enquanto os processos contra petistas são julgados em tempo recorde, os processos que envolvem tucanos ficam engavetados e prescrevem. Reparem que, no caso do Serra, as cifras são 20 vezes maiores que o “tríplex do Lula”. Deu no Conversa Afiada:

Em decisão sigilosa tomada nesta sexta-feira 24/I, o juiz eleitoral Francisco Shintate declarou nula a possibilidade de punição ao senador José Serra (PSDB-SP) no inquérito que investiga repasses da Odebrecht via caixa 2, segundo informações da revista Crusoé.

Serra foi beneficiado pela redução do tempo de prescrição da pena à qual poderia ser condenado: como tem mais de 70 anos, o prazo cai pela metade.

Em 2016, executivos da Odebrecht afirmaram aos investigadores da Operação Lava Jato que a campanha de Serra à Presidência da República em 2010 recebeu R$ 23 milhões da empreiteira, via caixa 2.

Eles revelaram que parte do dinheiro foi entregue no Brasil e parte foi paga por meio de depósitos bancários em uma conta na Suíça. Segundo a Folha de S.Paulo noticiou à época, o acerto do recurso no exterior foi feito com o ex-deputado federal Ronaldo Cezar Coelho (ex-PSDB), que integrou a coordenação política da campanha de Serra.

Já o caixa dois operado no Brasil, de acordo com os relatos, foi negociado com o também ex-deputado federal Márcio Fortes (PSDB-RJ), próximo de Serra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *