PROFESSOR DE HARVARD APONTA ILEGALIDADES DA LAVA JATO CONTRA LULA

lula-e-moro

Deu no portal Pragmatismo Político:

Após trazer artigo de dois procuradores da República da força-tarefa de Sérgio Moro, evidenciando a perseguição da Operação Lava Jato a membros do Partido dos Trabalhadores e ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e ser duramente criticada por parcialidade, a Folha de S. Paulo consultou o antropólogo John Comaroff, especialista em lawfare e professor na Universidade de Harvard.

Para o especialista, a sequência de abusos cometida pelo juiz federal da Lava Jato ainda está difícil de compreender em Harvard, com “fatos que perturbam a audiência internacional” e, segundo ele, as ações demonstram uma “ânsia em acusá-lo [Lula]“. “Eu estou tentando entender o caso. Meus colegas aqui em Harvard não conseguem compreender“, afirmou.

“Ao vazar conversas privadas, mesmo que envolvam 20 pessoas, se Lula está entre elas, você sabe que é dele que a mídia falará. Isso é ‘lawfare’. Você manipula a lei e cria uma presunção de culpa“, foi a resposta do professor.

Na entrevista ao jornal, o especialista defendeu, ainda, a substituição de Sérgio Moro para que questionamentos sobre a isenção ou não do magistrado nas ações que tramitam contra o ex-presidente possam seguir sem questionamentos ou polêmicas.

Certamente há muitos outros juízes capazes no Brasil. Em princípio, se você quer manter o sistema judicial o mais limpo possível, você não perde a oportunidade de evitar conflito de interesse ou atitudes impróprias“, disse.

Com vasto conhecimento no uso do sistema legal contra a figura de um inimigo, denegrindo ou deslegitimando a imagem da pessoa investigada disfarçada em mecanismos legais, Comaroff entende que a Lava Jato faz o contrário do que prevê a Constituição: cria a “presunção da culpa” e não a da inocência, como nos é garantida.

O professor de Harvard criticou as escutas telefônicas aprovadas pelo juiz do Paraná contra o ex-presidente, envolvendo detentores de foro privilegiado e, ainda, estendendo-se após o período autorizado. Além disso, questionou o grampo feito no escritório da defesa de Lula. Moro justificou a medida dizendo ser também investigado o advogado Roberto Teixeira. Para Comaroff, o ato é “muito ilegal no mundo inteiro“.

Não se pode fingir que não se esperava que essas medidas contra Lula não teriam impacto. Isso demonstra uma ânsia em acusá-lo. Parece que Lula tem recebido um tratamento diferente nos aspectos legais na operação“, disse. “O país possui um sistema legal robusto. Não há necessidade de se violar a lei“, completou.

6 comentários

  • Eduardo Cunha - o Malvado Favorito

    O problema maior, é que o sistema judiciário nos Estados Unidos se mostrar muito superior ao brasileiro. Este professor mostra pontos a serem questionados, mas como resolver isso?
    A população pegou ódio da classe política e agora começa uma antipatia pela classe jurídica; em função dos conchavos políticos/jurídicos que temos visto ultimamente, no prende e solta do “Supremo”.
    Como um ministro como o Tofoli, que não teve a capacidade intelectual para passar em concurso para juiz, chega a esse cargo?
    Isso Harvard não fala…

  • O que um professor americano tem com isso?

    Depois que o governo de PT “emprestou” (ou deu) mais de R$ 600 milhões ao governo de Cuba para construir um porto (Mariel) pela Odebrecht. Sempre ela!
    Esta semana passada foi feita a delação premiada por 77 executivos deste grupo empresarial baiano, sendo que o pagamento de R$ 5,3 milhões de caixa dois feito pela empreiteira à campanha de Mauricio Funes, candidato a presidente de El Salvador.
    O dinheiro, segundo delatores, foi pago em 2008 pela Odebrecht ao marqueteiro João Santana, que comandou a comunicação da campanha que elegeu Funes, em março, sendo que o montante foi descontado do caixa do PT junto à empreiteira.
    Certamente, esse professor americano não entende como um país pobre como o nosso, Lula, o ex presidente (agora, reu de 3 processos!) manda dinheiro para os países vizinhos para uma determinada empreiteira fazer a obra.
    Mas a policia federal e a justiça federal, certamente sabem!

  • Guilherme

    Força-tarefa da Operação Lava Jato ganha Prêmio Innovare
    Instituto premia práticas que dão mais eficiência à Justiça.

  • Casca dura

    Esse professor deveria cuidar do processo eleitoral de seu país, ao invés de falar asneiras.
    Ademais, as únicas ilegalidades que vi na “lava jato” e a ausência do Sr. Luis Inácio Lula da Silva e de sua família atrás das grades e devolvendo o dinheiro que desviaram do Brasil.

  • Justiça tarda mas não falha

    Depois que Lula ofendeu o juiz Moro e até pediu a prisão dele, pois ainda, desmoralizou a policia federal que ele se vangloriou em reativar.
    Agora, os petistas choram que o Moro “está perseguindo” Lula e com isso, estão vitimizando o grande chefe do petroduto. É o velho “golpe”!
    Renan faz o mesmo, em não obedecer a determinação do STF, em sair do cargo de presidente do senado. Tambem acusa o ministro que mandou ele sair.
    Parece que os politicos começam a sofrer nas mãos da justiça

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *