PROMOTOR DE GOIÁS DIZ QUE BOLSONARO REPRESENTA A PARTE PODRE DE UM PAÍS ADOECIDO

O Bozo aprontou mais uma palhaçada com jornalistas na manhã desta quarta-feira. E a claque que fica esperando pela passagem de seu líder em um cercadinho, feito gado, mais uma vez bateu palmas. Deve ser de gente assim, sem noção, que o promotor público de Goiás, Paulo Brondi, está falando em seu brilhante texto: 

Bolsonaro é um cafajeste. Não há outro adjetivo que se lhe ajuste melhor. Cafajestes são também seus filhos, decrépitos e ignorantes. Cafajeste é também a maioria que o rodeia.

Porém, não é só. E algo que se constata é pior. Fossem esses os únicos cafajestes, o problema seria menor. 

Mas, quantos outros cafajestes não há neste país que veem em Bolsonaro sua imagem e semelhança?

Aquele tio idiota do churrasco, aquele vizinho pilantra, o amigo moralista e desinformado, o companheiro de trabalho sem-vergonha…

Bolsonaro, e não era segredo pra ninguém, reflete à perfeição aquele lado mequetrefe da sociedade.

Sua eleição tirou do armário as criaturas mais escrotas, habitués do esgoto, que comumente rastejam às ocultas, longe dos olhos das gentes.

Bolsonaro não é o criador, é tão apenas a criatura dessa escrotidão, que hoje representa não pela força, não pelo golpe, mas, pasmem, pelo voto direto. Não é, portanto, um sátrapa, no sentido primeiro do termo.

Em 2018 o embate final não foi entre dois lados da mesma moeda. Foi, sim, entre civilização e barbárie. A barbárie venceu. 57 milhões de brasileiros a colocaram na banqueta do poder.

Muitos se arrependeram, é verdade. No entanto, é mais verdadeiro que a grande maioria desse eleitorado ainda vibra a cada frase estúpida, cretina e vagabunda do imbecil-mor.

Bolsonaro não é “avis rara” da canalhice. Como ele, há toneladas Brasil afora.

A claque bolsonarista, à semelhança dos “dezembristas” de Luís Bonaparte, é aquela trupe de “lazzaroni”, muitos socialmente desajustados, aquela “coterie” que aplaude os vitupérios, as estultices do seu “mito”. Gente da elite, da classe média, do lumpemproletariado.

Autodenominam-se “politicamente incorretos”. Nada. É só engenharia gramatical para “gourmetizar” o cretino.

Jair Messias é um “macho” de meia tigela. É frágil, quebradiço, fugidio. Nada tem em si de masculino. É um afetado inseguro de si próprio.

E, como ele, há também outras toneladas por aí.

O bolsonarismo reuniu diante de si um apanhado de fracassados, de marginais, de seres vazios de espírito, uma patuléia cuja existência carecia até então de algum significado útil. Uma gentalha ressentida, apodrecida, sem voz, que encontrou, agora, seu representante perfeito.

O bolsonarismo ousou voar alto, mas o tombo poderá ser infinitamente mais doloroso, cedo ou tarde.

Nem todo bolsonarista é canalha, mas todo canalha é bolsonarista.

Jair Messias Bolsonaro é a parte podre de um país adoecido.

6 comentários

  • Um minuto de fama

    Eu não conheço e não sei quem é esse promotor petista. Certamente é mais um petista que quer aparecer nas redes sociais. Petistas adoraram a opinião dele. Não poderia elogiar Bolsonaro

  • Eu

    Antes de postar meu comentário gostaria de deixar claro que não sou direita nem esquerda, simplesmente quero que o Brasil dê certo, Mas…. tudo isso que está acontecendo é produto de uma Educação Sucateada, do quanto menos souber melhor para se dominar, produto de anos do PT, assim pessoas desesperadas viram aí uma saida para seus problemas. Criaturas escrotas e de esgotos tem em toda sociedade, produtos de uma má distribuição de renda, quanto as falas do presidente,elas fogem da postura de um chefe maior.

  • seu kumyama

    HUMORISTA?? EM FIM DE CARREIRA DA NISSO AÍ, SE VENDE POR POUCO E FOI PARAR NA FINADA RECORD. FOI O QUE SOBROU PRA JANTA DE HOJE. DEVERIA TER PENA DELE.

  • Thiago

    Um “promotor público” que desfira um ataque tão pessoal ao chefe máximo da nação, eleito em um processo democrático legítimo pela maioria dos cidadãos brasileiros, deveria ser exonerado imediatamente.

    O texto dele é, antes de mais nada, anti-democrático, uma afronta ao processo democrático brasileiro.

    Sinceramente, dá vergonha ler tanta asneira escrita por um sujeito pago com o dinheiro público.

    • SÓ JUMENTO VOTOU EM BOZONARO.,

      o seu idolo MORO pode?

    • Prezado Thiago, é provável que a sua mãe ou a sua avó já lhe tenham falado sobre um dos adágios mais antigos e verdadeiros que a sabedoria popular nos ensinou: “quem fala a verdade não merece castigo”. Evidentemente que, durante este governo de babacas autoritários, o velho adágio está suspenso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *