PROTESTO EM ALAGOAS: PREFEITOS VÃO MANTER PREFEITURAS FECHADAS POR UMA SEMANA

images_cms-image-000455797

Pelo menos 66 dos 102 municípios alagoanos deverão manter as portas de suas sedes administrativas fechadas durante toda a próxima semana, em protesto contra uma queda de 38% no valor do FPM repassado pelo governo federal.

O prefeito tucano de Pão de Açúcar, Jorge Dantas, foi um dos maiores defensores do fechamento. As notícias não informam se o prefeito alagoano de Viçosa, Flaubert Filho(PROS), acusado de desviar R$ 1 milhão da Previdência Municipal, também aderiu ao protesto.

Detalhe: a queda de 38% no FPM que os prefeitos alagoanos  mencionam refere-se apenas à 1ª parcela de setembro, repassada na quinta-feira, 10. A queda na primeira parcela de setembro é verdadeira. Mas o FPM repassado às prefeituras alagoanas nos sete primeiros meses do ano teve, na realidade, um razoável aumento.

Pão de Açúcar, a cidade do prefeito tucano, por exemplo, recebeu R$ 8,6 milhões de janeiro a julho deste ano. Esse valor representa um aumento de 10% em relação aos R$ 7,8 milhões repassados de janeiro a julho do ano passado (estou citando somente os primeiros sete meses porque o Portal da Transparência ainda não disponibilizou os valores de agosto).

O município de Pão de Açúcar, do prefeito tucano, possui, segundo a última estimativa do IBGE, 24.878 habitantes. E recebeu, como já citei, R$ 8,6 milhões em sete meses de 2015. No mesmo período, Jales, que possui o dobro de habitantes, recebeu R$ 11,1 milhões, apenas 30% a mais que a cidade alagoana. 

Acho que os prefeitos paulistas teriam muito mais motivos para reclamar. De qualquer forma, vamos à notícia do Alagoas 247:

Em assembleia realizada na tarde desta sexta-feira (11), 66 gestores decidiram fechar as prefeituras que administram, durante toda a próxima semana, em protesto contra a queda de 38% do FPM, o Fundo de Participação dos Municípios, que representa uma das principais fontes de arrecadação das cidades alagoanas. Contudo, os prefeitos garantem que os serviços de Educação e Saúde não irão sofrer prejuízos. Em Maceió e Arapiraca, as paralisações vão ocorrer somente na sexta-feira (18). 

A ideia dos gestores é mostrar à população que a crise não é algo exclusivo de apenas uma ou duas cidades, mas, sim, uma realidade presente em várias municípios. Com o discurso de ‘quebradeira geral, os prefeitos desejam mostrar unidade frente à recorrente queda dos repasses oriundos do FPM, sobretudo neste mês de setembro. Eles também responsabilizam a presidente Dilma Rousseff (PT) pelo atual momento de dificuldade do país. 

A proposta de fechamento das sede das prefeituras e das secretarias municipais foi apresentada aos gestores pelo prefeito de Pão de Açúcar, Jorge Dantas (PSDB). Dantas justificou que o governo federal ‘não está antenado com o momento de turbulência que os municípios enfrentam’. Ele chegou a propor o fechamento de hospitais e unidades de emergência, mas a maioria rejeitou. 

Na oportunidade, a prefeita de Mar Vermelho, Juliana Almeida (PMDB), destacou a necessidade de os gestores refletirem um pouco melhor sobre a suspensão dos serviços. Ela argumentou que o prefeito não faz greve e que a população costuma enxergar, no gestor municipal, o papel do estado. O apelo, porém, não surtiu efeito entre os colegas gestores.

Já a prefeita da segunda maior cidade de Alagoas também se mostrou contrária à paralisação. Célia Rocha (PTB) argumentou que a ‘greve’ não vai atingir o objetivo de chamar a atenção da população, pois, tal medida, segundo ela, comprometeria ainda mais as receitas do município de Arapiraca.

“Vamos punir quem não tem poder para resolver nada. Vamos a Brasília para cobrar da presidente Dilma Rousseff e da bancada federal. Só eles podem nos ajudar neste momento de crise. Da maneira que está não pode continuar”, sustentou Célia Rocha. 

7 comentários

  • DEBY & LOID

    Cardosinho Ce ta loco cachoeira com a matéria em destaque “BELO BUMBUM” não consigo nem interessar pelas matérias abaixo, Uh danada assim vc mata o papai rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs

  • Jalesense

    Alagoas 247???? Meu Deus.

  • chora, prefeito

    A queda do repasse do FPM, ja’ era esperada assim como essa manifestaçao das prefeituras mais pobres
    Foi essa populaçao mais pobre que elegeu a Dilma pois recebe a bolsa familia que certamente nao vai sofrer cortes, pelo menos, por enquanto pois a Dilma perderia mais popularidade
    A verdade e’ que todos assistem, na tv, noticias da roubalheira da Petrobras e da crise economica porem finge que nao e’ com ele
    Quando mexem com o bolso deles, ai chora
    E nao vai adiantar reclamar para o deputado pois politico nao arruma dinheiro pois so’ tira ,ou melhor, rouba

  • Macaco Prego

    É choradeira de prefeitos demagogos e imcompetentes. Eles gastam mal o dinheiro das prefeituras. Só viajam e fazem festas. Cambada!

  • Olho Vivo

    Tem prefeito por aí que paga hora extra para funcionário apaniguado até no mês em que o funcionário está de férias.

  • Papão

    Vão enchendo as prefeituras de funcionários “aprovados” em concursos fraudulentos. É maracutaia mais maracutaia.

  • Anônimo

    Para o brasileiro agora ficou fácil se sentir grande: Basta culpar a Dilma, como se ela tivesse inventado a corrupção.
    Ninguém pode fazer nada para ajudar a amenizar e encontrar soluções para esse momento difícil. São todos ineptos. Vamos todos espernear, cruzar os braços e esperar que uma mulher sozinha resolva tudo e torne nossa vida fácil. O pior de tudo é que ainda tem uns elementos por ai morrendo de medo dela conseguir isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *