RENAN ACHA QUE TEMER FOI ‘MUITO BURRO’ AO FORÇAR ROMPIMENTO COM GOVERNO

temer 2

Da coluna de Mônica Bergamo:

Michel Temer errou e passou a correr riscos desnecessários ao forçar a mão para que o PMDB rompesse com o governo, acelerando o processo de impeachment. A opinião é do presidente do Senado, Renan Calheiros, que chegou a dizer a outros parlamentares que o vice-presidente “foi muito burro”.

RISCO
Calheiros diz que, ao se colocar como contraponto de Dilma Rousseff, o vice se posicionou na linha de tiro e atraiu para ele os ataques dos que são contrários ao impeachment. Disse Calheiros aos senadores que, em Alagoas, seu Estado natal, 80% eram a favor da saída da presidente. Mas, com Temer do outro lado da linha, o entusiasmo das pessoas esmoreceu.

RISCO 2
Michel Temer teria também “enchido a caneta” de Dilma de tinta, abrindo espaço para que ela fizesse centenas de nomeações para atrair aliados em cargos antes ocupados pelo grupo do vice no governo.

O MINEIRO
O presidente do Senado acha que Temer deveria ter agido como Itamar Franco, vice que assumiu a Presidência no lugar de Fernando Collor depois do impeachment, na década de 1990: o mineiro ficou nas sombras e esperou o governo cair no colo dele.

8 comentários

  • Quem quer ser ministro?

    Esse Renan Calheiros e’ pior e mais vagabundo do que Cunha porem com varios processos, ele esta’ sendo blindado pela Dilma como era por Lula.
    Portanto ele tem seus interesses em manter Dilma, no poder, pois assim os seus crimes da lava jato sao “esquecidos”.
    Certamente nao gostou que Temer tirou o PMDB do governo pois agora Dilma faz promocao dos cargos de ministro
    Quem tiver 10 deputados — nas maos, que votam nela– leva o cargo de ministro

  • Eleitor

    Burro não, burros. O Edinho Araujo tamém entrou nessa barca furada.

  • Anônimo

    O PMDB é, historicamente, um reduto de políticos fisiológicos. Matade finge apoia o governo e a outra metade finge que é oposição. Agora, a metade saiu do governo e a outra metade permanece no governo, comandando pelo menos CINCO MINISTÉRIO e milhares de cargos de confiança em diversos escalões. São profissionais do toma lá da cá.

  • ADOREI A NOTICIA

    AOS RATAZANAS DO PMDB QUE SÓ GOSTA DE SER VICE, CARGOS, COMISSÕES, MINISTÉRIOS E DINHEIRO.

    TEMER SOFRE PEDIDO DE IMPEACHMENT E PODE DEIXAR A VICE-PRESIDÊNCIA Vice-presidente é acusado através das citações e mensagens sobre repasses na operação Lava-Jato.Temer sofre pedido de impeachment Temer sofre pedido de impeachment PUBLICIDADE
    Michel Temer foi citado na operação Lava-Jato e é acusado por crime de responsabilidade. O ex-ministro da educação, Cid Gomes, representou uma denúncia contra o ex-presidente, que, se for julgado, poderá perder o seu cargo e ficar inelegível por oito anos. Cid baseou-se nas investigações da operação Lava-Jato, onde Michel Temer é citado como participante do esquema de repasse de dinheiro da OAS.
    Cunha também é investigado por repasses das empreiteiras
    A acusação é baseada em seis pontos e um deles é a receptação de mensagens trocadas entre o Presidente da Câmara, também do PMDB, Eduardo Cunha e um dos presidentes da OAS, Léo Pinheiro.
    Nas mensagens Cunha fala sobre o repasse no valor de 5 milhões de reais a Michel Temer. Todas as denúncias são construídas a partir dos documentos, delações e arquivos da Operação Lava-Jato. Cid Gomes cita seis pontos onde o ex-presidente cometeu crime de responsabilidade e possível corrupção. O vice-presidente é acusado de crime de responsabilidade por citações entre as delações premiadas e as investigações da operação Lava-Jato.
    Cunha não poderá analisar o pedido de cassassão de Michel Temer
    Até agora o ex-presidente não havia sido alvo de denúncias e nem investigações na operação Lava-Jato, mesmo sendo citado em documentos e delações. Michel Temer ocupou o topo dos hastags mais compartilhados na rede social Twitter, quando o PMDB anunciou a saída do governo. A hastag #RenunciaTemer foi a mais compartilhada durante todo o dia.
    A denúncia foi protocolada por Cid Gomes na câmara dos deputados federais. Como o atual Presidente da Câmara, Eduardo Cunha é citado nas provas contra Michel Temer, quem deverá analisar o pedido será o vice-presidente da casa, Waldir Maranhão do PP – MA.
    O vice-presidente também foi alvo de críticas por todos os lados. As manifestações a favor da democracia e contra o golpe ao sistema político que rege o Brasil, também pediu a renuncia do ex-presidente. Diversos atos ocuparam centenas de cidades no Brasil e no mundo a favor da permanência da presidente Dilma Rousseff nesta sexta-feira (31), um dia após a saída do PMDB do governo.
    PMDB errou ao antecipar sua saída do governo
    O cenário político brasileiro atual é de instabilidade e a cada semana surgem novos desfechos que levam ao empoderamento do atual governo. Nesta semana o PMDB, partido do vice-presidente, Michel Temer, anunciou a saída do governo. A decisão aconteceu em poucos minutos e dividiu o partido. A ordem era para que em doze dias todos os políticos do partido abandonassem os cargos comissionados ligados ao governo, o PMDB possuía seis ministros e somente dois até agora deixaram o cargo.
    Muitos políticos, estudiosos e jornalistas apontam que o PMDB deu ”um tiro no pé” ao abandonar prematuramente o governo nesta semana. O partido abandona o PT e em doze dias entrega todos os cargos que pertencem ao governo federal.

  • Nois

    A segunda Turma do STF, abriu nesta quinta feira ação penal contra o corrupto e ladrão o Deputado Paulinho da Força Sindical. Por unanimidade por crime de lavagem de dinheiro e contra o sistema financeiro nacional.
    De acordo com a procuradoria, o parlamentar foi beneficiário de um esquema de desvios de dinheiro em empréstimos de financiamento entre o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), a prefeitura de Praia Grande (SP) e as Lojas Marisa. Os fatos foram investigados na Operação Santa Tereza, deflagrada pela Polícia Federal em 2008.
    Segundo a acusação, o esquema de desvios ocorria por meio da falsificação de notas fiscais para tentar explicar a aplicação do dinheiro repassado pelo banco, cujos montantes eram divididos entre os envolvidos. De acordo com a denúncia, os crimes eram facilitados por João Pedro de Moura, ex-assessor do deputado e ex-integrante da Força Sindical no conselho do BNDES. Segundo o subprocurador Paulo Gonet, o valor cobrado nos contratos era 4%. “O denunciado [deputado], em troca de favores políticos, recebia uma parte das comissões. Que era paga à quadrilha e beneficiários desses empréstimos concedidos pelo BNDES”, disse.
    Para o ministro Teori Zavascki, relator da ação penal, conversas telefônicas gravadas pela Polícia Federal indicam que houve o desvio dos recursos. Segundo o ministro, planilhas manuscritas e cheques apreendidos mostram a divisão dos valores, que foram recebidos por intermédio de consultorias inexistentes e depositados na conta da ONG Meu Guri, ligada ao deputado, para ocultar a origem dos recursos.
    “A denúncia apontou que a suposta associação criminosa seria composta, entre outros, pelo acusado [Paulinho], que se utilizaria sua influência junto ao BNDES para conseguir aprovação do financiamento, cobrando como contrapartida, comissões, que variavam de 2% e 4% do valor financiado. A influência exercida decorreria dos cargos ocupados pelo acusado, deputado federal, e de presidente da Força Sindical”, disse o ministro.
    E o mesmo ainda não tendo vergonha na cara, como a maioria dos fascistas golpista quer ofim do governo Dilma

  • eu

    os coxinhas estão se esfolando

  • Bananeira

    ESSE RENAN CALHEIROS É PIOR ESPÉCIE DE POLITICO QUE EXISTE NO PAÍS. JÁ RENUNCIOU P NÃO SER CASSADO. O LUGAR CERTO DELE É CADEIA, JUNTO COM O EDUARDO CUNHA E TODOS OS QUE ROUBARAM NOSSO BRASIL

  • Anyone

    Engraçado a galera do Governo que estão se coçando dizendo que a comissão que avalia o impeachment está cheia de processos pela lava-jato, que o presidente da câmara não pode estar lá pq tem conta na Suiça e leva em consideração a opinião do excelentíssimo senador Renan Calheiros, figura conhecidíssima pelo não tão distante escândalo do Mensalão, atolado até o pescoço de processo pela lavado. Dois pesos, duas medidas… A verdade é que é tudo farinha do mesmo saco e se o PT for expulso do Governo (o que vai acontecer vcs querendo ou não) e o PMDB ficar, não adiantará em nada… afinal, quem é que manda lá? Quem é que tem mais cadeiras, mais mando, mais deputados, mais ministérios?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *