REVISTA ÉPOCA TIRA DO AR NOTÍCIA SOBRE DOAÇÕES A INSTITUTO DE FERNANDO HENRIQUE

images_cms-image-000439409

Órgãos da imprensa tupiniquim e alguns comentaristas políticos  estão falando das doações da Camargo Correa ao Instituto Lula – algo que a Folha de S.Paulo já noticiou em 2011 – como se isso fosse uma grande novidade. Como se trata de Lula, mais do que uma grande novidade, as doações – que, por sinal, constam da contabilidade oficial da empresa – estão sendo vistas como um quase-crime.

Entre 2008 e 2013, a Camargo Correa doou quase R$ 190 milhões a 42 empresas e ONG’s, mas a imprensa e os comentaristas agourentos só se interessam pelos R$ 3 milhões doados ao Instituto Lula.

Para essa parte da imprensa, não interessa os R$ 7 milhões doados ao Instituto Fernando Henrique por um pool de empresários poderosos, inclusive da Camargo Correa. Com a diferença de que FHC correu o chapéu em 2002, antes mesmo de deixar a presidência, em um jantar no Palácio do Planalto, pago com dinheiro público.

Essa parte da imprensa também não dá nenhum destaque ao fato de a Sabesp ter doado R$ 500 mil ao Instituto FHC. Nem tampouco ao fato de o mesmo Instituto FHC ter um projeto aprovado pelo Ministério da Cultura em 2006 – já no governo Lula, portanto – que lhe abriu um crédito de R$ 10 milhões para captação de recursos com base na Lei Rouanet.

Vejam, por exemplo, o caso da revista Época, do grupo Globo. No final de semana, tentando esconder algo que já é conhecido de muita gente, a revista tirou do ar uma notícia que estava disponível desde 2002, sobre as doações ao Instituto FHC.

O curioso é que, naquela ocasião, a revista, que desaprova as doações feitas ao Instituto Lula, não se escandalizou nem um pouco com as doações obtidas por FHC. Muito ao contrário, a Época, aparentemente, viu até um certo glamour na corrida de chapéu do então presidente. Vejam um trecho da notícia de 2002, que a Época está tentando “apagar”:

Foi uma noite de gala. Na segunda-feira, o presidente Fernando Henrique Cardoso reuniu 12 dos maiores empresários do país para um jantar no Palácio da Alvorada, regado a vinho francês Château Pavie, de Saint Émilion (US$ 150 a garrafa, nos restaurantes de Brasília).

Durante as quase três horas em que saborearam o cardápio preparado pela chef Roberta Sudbrack – ravióli de aspargos, seguido de foie gras, perdiz acompanhada de penne e alcachofra e rabanada de frutas vermelhas -, FHC aproveitou para passar o chapéu. Após uma rápida discussão sobre valores, os 12 comensais do presidente se comprometeram a fazer uma doação conjunta de R$ 7 milhões à ONG que Fernando Henrique Cardoso passará a presidir assim que deixar o Planalto em janeiro e levará seu nome: Instituto Fernando Henrique Cardoso (IFHC).

O dinheiro fará parte de um fundo que financiará palestras, cursos, viagens ao Exterior do futuro ex-presidente e servirá também para trazer ao Brasil convidados estrangeiros ilustres. O instituto seguirá o modelo da ONG criada pelo ex-presidente americano Bill Clinton. Os empresários foram selecionados pelo velho e leal amigo, Jovelino Mineiro, sócio dos filhos do presidente na fazenda de Buritis, em Minas Gerais, e boa parte deles termina a era FHC melhor do que começou.

4 comentários

  • Jegue Jalesense

    Nobre Cardoso. Sempre que posta algo aqui do PT, NUNCA critica, somente faz um paralelo com algo que o PSDB fez. Por um lado, diz que nunca se investigou tanto e por outro lado, diz que as investigações só atingem o PT, mesmo estando no poder. Afinal, qual sua opinião sobre as diversas falcatruas que estão vindo à tona, independentemente de falcatruas praticadas pelo PSDB? Você, sinceramente, acha que tudo isso que está na nossa cara, com a Globo, Época, etc é uma grande fantasia? Que nada existiu e que também devemos seguir o exemplo dos maus políticos brasileiros como o PT fez?

    • Claro que as falcatruas existem. E vão continuar existindo. E ninguém está aqui para defende-las, muito pelo contrário, acho que o PT não tinha o direito de comete-las. O que o amigo “Jegue” parece não querer entender é seletividade da imprensa com relação às falcatruas e quais os interesses que existem por trás disso. Eu teria bons motivos para não gostar do PT, pois fui expulso do partido sob o justificativa de que as minhas críticas à administração Parini estavam colaborando para prejudicar a imagem do PT. No entanto, apesar disso e apesar dos erros condenáveis que alguns petistas vem cometendo, não posso deixar de reconhecer que o PT e o Lula ajudaram a melhorar a vida dos mais pobres. E não posso deixar de perceber que o principal objetivo dessa campanha contra o PT não é acabar com a corrupção, mas perpetuá-la com a volta dos entreguistas que venderam boa parte do país e não conseguiram melhorar a vida de ninguém, senão a deles mesmos e de seus cumpinchas.

  • anonimo

    Esse cardápio em restaurante de Brasilia não me deixa nem um pouco com inveja, prefiro o arroz e feijão, com um bife a milanesa e fritas. É muita frescura pro meu gosto.

  • Nós roubamos e ELE tambem

    Depois que o PT “instalou” uma quadrilha para roubar, na Petrobras, o partido ficou com a fama de ladroes e tenta jogar a culpa nos tucanos.
    Sempre faz comparaçoes a FHC mas esquece a lista de politicos como Ze’ Dirceu, Palocci, Vargas, Vaccari Neto, etc, enfim tem uma lista extensa que receberam propinas.
    Alem disso, se faz de vitima das propinas
    Seria melhor o partido fazer uma limpeza no partido e assumir a culpa porem defende os ladroes.
    E’ porque o partido tambem foi beneficiado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *