16 comentários

  • Anonimo

    Ressalvado o entendimento contrário (que sejam de mil – no caso foi de 10), achei interessante o voto do Ministro derrotado. Caberia a Defesa do preso recorrer a Superior Instância (ao TRF) e não a mais alta Corte.

    Enfim, há outros casos aguardando julgamento, mas o do ex presidente têm maior pressa.

    • Rapizodia

      Caro anônimo no final do seu texto você dá a dica! Não sou profissional do direito, mas já li por diversas vezes que a espécie do caso, quando se trata de pessoa presa, as decisões têm que serem rápidas! Segue uma dessas respostas (colhida na Gazeta do Povo) : “A resposta está no Regimento Interno do STF, que prevê a prioridade dos habeas corpus sobre todas as outras questões. Todas. Processos com réu preso têm prioridade total sobre qualquer outro, até sobre aqueles em que há risco de morte. A intenção e coibir os excessos do Estado sobre a pessoa! Você profissional do direito que nos lê, elucida prá nós!?

  • Lula em Tremembé, seria a glória.

    Independente da não transferência do ex-presidente, nos bastidores tivemos um embate político entre o Governador Dória e a amante, diga-se, Gleici Hoffman.
    “A segurança e a vida do presidente Lula estarão em risco sob a polícia de João Doria”, disse a amante.
    Dória, então, a respondeu na mesma rede social.
    “Fique tranquila, ele será tratado como os todos os outros presidiários, conforme a lei, @gleici. Inclusive, o seu companheiro Lula, se desejar, terá a oportunidade de fazer algo que jamais fez na vida: TRABALHAR”, rebateu o Governador Paulista.
    EM TEMPO:
    Dessa o sapo barbudo escapou, mas ainda terão várias outras oportunidades, visto que o mesmo ainda terá que responder a outros processos.

  • Enfermeiro cubano

    *****Supremo vê dedo de Moro na transferência de Lula na tentativa de ofuscar vazamentos do Intercept

    A Coluna Painel de Daniela Lima na Folha de S.Paulo informa que, num sinal enfático à “república de Curitiba”, Câmara e Supremo responderam institucionalmente à decisão da juíza Carolina Lebbos de transferir Lula para Tremembé (SP). A ordem dela foi lida no STF como parte de tática da Lava Jato para ofuscar o vazamento de mensagens de procuradores e de Sergio Moro. Antes de levar o recurso do petista ao plenário, Dias Toffoli, presidente da corte, avisou que sustaria a transferência com uma liminar. Foi, aí, informado de que os colegas o acompanhariam.
    De acordo com a publicação, segundo relatos, foi Alexandre de Moraes quem teve a iniciativa de conversar com colegas nos bastidores. Ele teria dito a Toffoli que não seria necessário “desgastar a presidência” com o caso, sinalizando veredito colegiado. Nem ministros alinhados à Lava Jato foram contra a remessa do caso ao plenário. Edson Fachin e Luís Roberto Barroso deram apoio prévio ao caminho. A decisão de Lebbos ampliou ainda mais a antipatia de uma ala da corte com o ministro Sergio Moro. Em conversas reservadas, integrantes do Supremo atribuíram à influência dele o pedido de transferência feito pela PF e a resposta da juíza.
    O voto do decano Celso de Mello contra a transferência de Lula não deve ser visto como uma pista do rumo que ele vai adotar ao julgar o habeas corpus do petista que alega suspeição de Moro, avisam colegas do ministro, completa a Folha.

  • Enfermeiro cubano

    *****TRANSFERÊNCIA DE LULA É NOVO ATO DE PERSEGUIÇÃO:-

    1) A decisão de transferir o presidente Lula de Curitiba para São Paulo é de exclusiva responsabilidade da Superintendência da Polícia Federal do Paraná, que solicitou a medida, e da juíza de Execuções Penais Carolina Lebbos, que deferiu o pedido sem considerar os argumentos da defesa do ex-presidente.
    2) Lula não deveria estar preso em lugar nenhum porque é inocente e foi condenado numa farsa judicial. Não deveria sequer ter sido julgado em Curitiba, pois o próprio ex-juiz Sergio Moro admitiu que seu processo não envolvia desvios da Petrobrás investigados na Lava Jato.
    3) A decisão da juíza Carolina Lebbos caracteriza mais uma ilegalidade e um gesto de perseguição a Lula, ao negar-lhe arbitrariamente as prerrogativas de ex-presidente da República e ex-Comandante Supremo das Forças Armadas.
    4) O Partido dos Trabalhadores exige que os direitos de Lula e sua segurança pessoal sejam garantidos pelo estado brasileiro, até que os tribunais reconheçam a sua inocência, a parcialidade da sentença de Moro e a ilegalidade da prisão, onde quer que seja cumprida.

  • Enfermeiro cubano

    A juíza Carolina Lebbos não contava com o pragmatismo de última hora do STF. A defesa do ex-presidente Lula entrou com recurso direto ao STF para barrar a transferência de sua prisão para a penitenciária de Tremembé em São Paulo. Conforme fundamentou o Ministro Marco Aurélio no seu voto divergente, houve supressão de instâncias inferiores, no caso, o recurso deveria ter sido manejado ao TRF 4. Porém, é notório fosse o rito respeitado, o ex-presidente estaria agora na carceragem paulista sob um grande espetáculo midiático. Também, despicienda a discussão aqui sobre respeito aos ritos, pois nem o TRF 4 respeitou o rito quando da concessão do HC concedido por um de seus Desembargadores. O fato é que não foi a primeira vez que o STF suprimiu instâncias inferiores, e certamente não será a última, mas causa espanto quando se trata do Lula, onde a maioria dos recursos lhe foi desfavorável. Ao que parece, o entendimento do STF em relação aos processos do ex-presidente está mudando, entretanto, a magistrada Carolina Lebbos perdeu o andar da carruagem, e acabou pagando o preço de sua vaidade.

  • Marreta

    LULA EM TREMEMBÉ, SERIA A GLÓRIA ———para um ser irracional, que não tem índole, caráter, respeito , personalidade, têmpera,hombridade, honestidade, dignidade, integridade, probidade, honradez, respeitabilidade, retidão, seriedade, decência, decoro, presença, firmeza, determinação etc….pois de seu cérebro composto de merda e mais nada vem a um blog, mesmo tendo esse direito, demostrar suas características vil , ao dizer que a deputada Gléici Hoffman é amante do ex- presidente Lula e chamá-lo de sapo barbudo, talvez pensando ele o Sr. pseudo “” Lula em Tramembé, Seria a Glória”” estar falando de sua querida mamãe, a dama das noites paulistana e de seu pai o chifrudo dos bairros. Será esta sua intenção, talvez mas, o mesmo terá várias outras oportunidades de mudar seu palavreado se apreender a ser um ser racional educado o que eu duvido muito.
    Então a amante é sua mãe mesmo e chifrudo é mesmo seu pai entendeu “”LULA EM TREMEMBÉ, SERIA A GLÓRIA “””.

  • Depois de Greenwald temos a SHEHERAZADE, ex critica do PT

    Depois de ouvir a jornalista criticar o PT, varias vezes. Fico refletindo o que fez a jornalista mudar de ideia. Percebo que cada jornalista tem seu preço. Os seus argumentos foram muitos fracos e inconvincentes.
    O STF não poderia julgar a transferência de Lula, aliás com uma rapidez nunca vista neste país! Atropelaram o TRF-4 que é quem deveria julga-lo. Mas isso demonstra que quando “eles” querem. Ninguem segura!
    A decisão da juíza de Curitiba foi perfeita, tecnicamente. O pedido da policia federal e da prefeitura de Curitiba é necessário. Porem politicamente, não atendeu as vontades do PT e do STF que se juntaram e querem soltar Lula. Talvez eles querem prender o juiz e o procurador Deltan antes que saia o terceiro julgamento. Aí! Lula voltará a cadeia como acontece com Cabral, Garotinho, Temer, e outros.
    Corram, petistas

    • Rapizodia

      Você não deve ter ouvido toda a declaração da jornalista! No final ela fala que não faz críticas pessoais, não fica remoendo ranço, articulando vingança e insistindo no erro, faz seu trabalho politicamente e só! Levar para o campo pessoal é próprio de quem quer vencer uma situação pela truculência e resiste a mediação! Eu crítico as ações do Governo naquilo que acho que está errado, tem até alguns que não nutro apreço pessoal, mas não conheço o sujeito intimamente e portanto não posso dizer que não seria seu amigo! Tenho enes amigos que são contrários as minhas ideias, continuamos amigos e rimos juntos de piadas! Também tenho outros que se afastaram, pois são aqueles truculentos, saem xingando todos e querem resolver a bala qualquer questão, ainda bem que se afastaram!

      • Depois de Greenwald temos a SHEHERAZADE, ex critica do PT 2

        Rapizodia
        Como eu disse os seus argumentos são fracos. Fica claro como os políticos defenderam Lula e correram de para o STF proibir a transferência. Como foram rápidos? kkkkk
        Agora, qualquer coisa ou até uma transferência de preso, eles correm para o STF resolver kkkkk Gilmar, Toffoli e Lewandoski socorrem! O caixa agradece
        Certamente Lula precisa de socorro pois está estourando o terceiro julgamento.

  • mané

    O ASSUNTO DESTE DESTE INTERTEXTUALIZADO NÃO REFERE AO ASSUNTO DA MATÉRIA-MAS MERECE SER LIDO PARA MOSTRAR COMO A DIREITA MILICIANO TAMBÉM FAZ CORRUPÇÃO.

    PARAGUAI ****Mensagens mostram que governo Bolsonaro pressionou Paraguai para viabilizar esquema de corrupção em Itaipu . O jornal paraguaio ABC traz revelações bombásticas sobre o esquema de corrupção em Itaipu para beneficiar a empresa LEROS e políticos do PSL, partido do Bolsonaro.
    O intermediário da LEROS nas negociações secretas foi Alexandre Giordano, suplente do senador do Major Olímpio, do PSL, que é líder do Bolsonaro no Senado.
    Essas últimas revelações aprofundam a crise política no país vizinho e poderão levar ao impeachment tanto do presidente como do vice-presidente paraguaio por crime de lesa-pátria.
    Na reportagem O presidente sabia tudo sobre o acordo secreto, o jornal ABC afirma que “Mario Abdo Benitez [presidente do Paraguai] recebeu pressões do Brasil para assinar a Ata secreta de 24 de maio”Continua depois da publicidade
    O jornal acessou “comunicações reveladoras”, cujo conteúdo reflete “as pressões e ameaças dos brasileiros, assim como as reações de autoridades e funcionários paraguaios”.
    Em mensagem de WhatsApp enviada ao presidente do país em 8 de junho – após, portanto, a assinatura da Ata Bilateral – quando então se discutia os termos da contratação da LEROS em desdobramento à assinatura da Ata, o presidente da ANDE [Administración Nacional de Eletricidad] Pedro Ferreira disse que “estava muito preocupado pelo assinado pelo Brasil, porque havia sido dito que acordaram 12% [de venda de energia paraguaia excedente], porém se depararam com 18%, o que significaria 341 milhões de dólares de sobre custo” para o Paraguai.Continua depois da publicidade
    A resistência do então presidente da ANDE aos termos lesivos do acordo emperrava o andamento do esquema de corrupção para favorecer a LEROS.
    Segundo o ABC, esta contrariedade de Pedro Ferreira causou “mal-estar do governo brasileiro”, fato que fez com que o Itamaraty adotasse a medida extrema, só adotada em momentos de alta tensão e crise entre países, de convocar o embaixador paraguaio no Brasil, Hugo Saguier Caballero no dia 20 de junho.
    Caballero reportou a convocação ao diretor-geral de Itaipu pelo lado paraguaio, José Alberto Alderete que, por sua vez, repassou ao presidente do Paraguai a mensagem
    “Me permito escrever-te porque estou sumamente preocupado. Ontem ao meio-dia fui convocado para as 15 hs a uma reunião no Itamaraty. Não sou adivinho, mas supus que o tema era Itaipu. O Secretário-Geral Octavio [Brandelli, vice de Ernesto Araújo] foi chamado ao Planalto pelo mesmo tema e, desculpando-se, me pediu para reunir com a Embaixadora Eugenia, diretora geral de América”.
    Na mensagem, Caballero relata que “de fato, o tema era Itaipu e me entregou um “aide-mémoire” que expressa o ‘mal-estar do governo brasileiro’, não [da] Chancelaria”.
    É enigmático este registro do ex-embaixador paraguaio no Brasil, de que o mal-estar é do Planalto, não do Itamaraty.
    O embaixador relaciona o mal-estar ou a impaciência do Planalto:
    “à atitude da ANDE de não cumprir os compromissos assumidos na Ata de 24 de maio. O teor do mesmo é realmente grave. Posteriormente envio um documento elaborado pela Itaipu Brasil intitulado ‘Reflexos da falta de regulamentação da Ata Bilateral’, que quantifica os prejuízos. Isto é muito grave”.
    Ainda de acordo com o jornal ABC:

    “23 de junho ocorre uma conversa que demonstra que Abdo Benítez estava a par da negociação com o grupo LEROS, a empresa brasileira que está no centro da tormenta por haver sido, presumivelmente, apadrinhada pelo vice-presidente Hugo Velázquez e seu advogado, Joselo Rodríguez. Ferreira disse ao presidente Abdo Benítez que deveria receber 2 grupos brasileiros que viriam do Brasil para comprar energia paraguaia e escreve: ‘o [grupo] que conversamos com o vice-presidente e outro [grupo] que é do conhecimento de Ullón’ [o chefe de gabinete de Abdo]”.
    Em mensagem de 4 de julho, Pedro Ferreira alerta outra vez o presidente paraguaio acerca da lesividade do acordo. Ele então disse: “Queria lhe mostrar os números e nossa análise. A prova de que o acordo é claramente inconveniente é que querem que o mantenhamos secreto. Por que os que firmaram e viram a Ata não saem a defendê-la publicamente?”.
    No dia 5 de julho, com receio das represálias do governo Bolsonaro caso perdurassem empecilhos ao negócio, o presidente paraguaio Mario Abdo Benítez insistiu e pressionou Pedro Ferreira para que cedesse, e então recebeu a seguinte resposta do ex-titular da ANDE:
    “Presidente, se para algo lhe serve, negocia minha cabeça, não a ANDE. Eu entenderei e até aprovarei essa postura. Sei o quanto é difícil o cargo de Presidente, porém eu não posso firmar algo contrário ao meu país, não conscientemente, e, além disso, em algo que creio vai lhe prejudicar muitíssimo”.
    Como comentado no artigo É preciso investigar esquema do Bolsonaro e do PSL em Itaipu [aqui], estamos diante de uma suspeita gravíssima de corrupção que, segundo divulga a imprensa paraguaia, pode envolver diretamente Bolsonaro, membros do seu partido, o PSL, e empresa que atua no mercado de energia e na mineração de diamante e nióbio, a LEROS.
    Em denúncia anterior, a TV Telefuturo [aqui] mostrou mensagens em que o assessor do vice-presidente paraguaio [i] afirmava que os representantes da LEROS negociavam “em representação da família presidencial do país vizinho” e [ii] recomendava confidencialidade do acordo “devido a que, em conversações com o mais alto posto de mando do Brasil se concluiu que não é o mais favorável” dar publicidade aos seus termos para não prejudicar o negócio da LEROS.
    A denúncia do jornal ABC de que [i] o presidente do Paraguai “recebeu pressões do Brasil para assinar a Ata secreta de 24 de maio” e de que [ii] o então embaixador paraguaio no Brasil foi convocado para conhecer o “mal-estar” do Planalto devido à demora no trâmite do contrato que favoreceria negócios corruptos da empresa LEROS, são indícios extremamente sérios de um caso de roubalheira binacional.

  • Mesmo fraco, Moro é maior que Bolsonaro

    Depois da divulgação das gravações de conversas de Moro e os procuradores, o ministro enfraqueceu com as ações no STF, congresso e planalto. Mesmo com esse desgaste, Moro tem mais popularidade do que Bolsonaro. Ele sabe disso e deverá mante-lo como ministro.
    Certamente, o povo entende que o Moro — quando era juiz — mantinha contatos normais e necessários com os procuradores para prender mais de 100 políticos e autoridades. Porem proibidos por lei. Todo magistrado faz isso!
    Na realidade, ele chefiou a Lava Jato por isso é odiado pelo PT e STF. Porem suas condenações foram mantidas pelo TRF-4. STJ e STF. Lula foi preso. Um fato nunca visto no Brasil!
    Agora, a novela da IntercPT acabou. Prenderam 4 hackeadores. Moro vai apagar o incêndio e vai seguir sua vida. O PT vai tentar tirar Lula da cadeia. O STF parece que quer. Vamos seguir a vida

  • resumindo, as vezes...

    se vc critica pt não pode criticar bolsonaro, se critica bolsonaro não pode criticar o pt… que absurdo… e quem tem bom senso? e quem é democrata e republicano? é tucano? que pensamento estreito… a crítica centrada e equilibrada caiu no abismo? temos que pertencer a alguma manada? no rj ou vc é miliano ou é traficante, é assim agora?

  • Enfermeiro cubano

    FESTIM
    *****Moro, ‘acuado’, forja mais uma armação e relaciona PCC com o PT
    Em nota, Partido dos Trabalhadores diz que quem deve explicações à Justiça é o ministro, após condutas criminosas divulgadas pela Vaza Jato
    Com crimes denunciados na Vaza Jato, Moro tenta relacionar o PT a facção que cresceu durante governos tucanos em SP
    O PT chama de mentirosa e forjada a notícia publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo nesta sexta-feira (9) e que relaciona o partido ao PCC . Em nota, o partido afirma que trata-se de “mais uma armação como tantas outras”. A matéria traz supostas interceptações, em operação da Polícia Federal (PF), de conversas entre líderes da grupo. Um deles afirma que mantinha “linha de diálogo cabulosa” com o partido.
    A nota lembra que a PF é subordinada ao ministro da Justiça, Sergio Moro, acuado pelas revelações de suas “condutas crimonosas”, após série de reportagens da Vaza Jato, feitas a partir de diálogos mantidos pelo então juiz e integrantes da Operação Lava Jato, que revelaram bastidores de abusos e ilegalidades cometidos.
    Quem dialogou e fez transações milionárias com criminosos confessos não foi o PT, foi o ex-juiz Sergio Moro, para montar uma farsa judicial contra o ex-presidente Lula com delações mentirosas e sem provas. É Moro que deve se explicar à Justiça e ao país pelas graves acusações que pesam contra ele”, diz o texto emitido pelo PT.
    Até as 13h de hoje, a reportagem ainda era um dos temas mais comentados nas redes sociais. O deputado federal Rogério Correia (PT-MG) ridicularizou a publicação. “Muito mal feita mais esta armação do Ministro Moro contra o PT , tentando vincular ao PCC. Coisa de gente de mal caráter que certamente propôs ao bandido algum benefício para delação.” A mensagem foi reproduzida de acordo com o original, incluindo erros de digitação ou de ortografia. Usuários também lembraram da tentativa de relacionar o partido ao sequestro do empresário Abílio Diniz, em 1989.
    Berço paulista
    O PCC surgiu em meados da década de 1990, em São Paulo, como reação ao caos do sistema prisional, simbolizado pelo Massacre do Carandiru, quando 111 detentos foram mortos pela polícia após uma rebelião no presídio da capital paulista que deu nome ao massacre e já não existe mais. O grupo passou a se organizar nos presídios, cobrando taxas dos ingressantes para garantir regras de convivência e condições mínimas de segurança.
    O grupo cresceu em relevância a partir do período (que dura até hoje) em que São Paulo passou a ser governado pelo PSDB, passando a comandar o lucrativo merda ilegal de drogas, e outras ações criminosas, levando também o seu poder disciplinador às periferias paulistas.
    Em 2015, o Estadão divulgou um depoimento de um delegado que afirmou que o governo paulista – sob comando de Claúdio Lembo, vice de Geraldo Alckmin – teria feito um acordo com o PCC, para por fim à rebelião nos presídios em todo o estado em 2006, em processo judicial que investigava advogados supostamente ligados ao crime organizado.
    No ano passado, o senador Major Olímpio (PSL-SP), então deputado, deu entrevista ao Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciária e demais Servidores Públicos do Sistema Penitenciário (Sindcop), em que acusava o ex-governador Geraldo Alckmin pelas “irresponsabilidades” em não fazer o devido combate às crescentes ameaças por parte do crime organizado e de ser “padrinho” do PCC. Em troca de não intervir nos negócios da facção administrados de dentro dos presídios, o PCC concordava em coibir ações violentas, como o crime de homicídio, em todo o estado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *