TJ-SP MANDA YOUTUBE RETIRAR DO AR VÍDEO CONTRA O DEPUTADO FAUSTO PINATO

A foto é da época da campanha eleitoral de 2018, quando o deputado Pinato era puxa-saco do Bozo e costumava chama-lo de mito. Depois de ver seus apadrinhados serem despejados da Ceagesp, ele passou a criticar o mito e, agora, está sendo alvo do ódio dos bolsonaristas. O mesmo ódio que o deputado ajudou a espalhar, principalmente contra Lula, Dilma e o PT.

A notícia é do Conjur

O desembargador Álvaro Passos, da 2ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo, ordenou que o Youtube retire do ar um vídeo com acusações contra o deputado Fausto Pinato (PP-SP). Segundo o magistrado, o conteúdo do vídeo ultrapassa a mera crítica. A decisão é de segunda-feira (11/1). 

Pinato é atualmente presidente da Comissão de Agricultura e Pecuária da Câmara dos Deputados, além de integrar a Frente Parlamentar Brasil/China. O advogado do político diz que ele foi alvo de ataques apenas por desagradar “um grupo ideológico que odeia a China”.

“O caso colocado em análise é simples. O agravante, por não agradar a um grupo ideológico que odeia a China, tem se tornado alvo de calúnias, difamações, ameaças e imputações inverídicas. As pessoas que ofendem o agravante não se apoiam em qualquer elemento concreto, qualquer atitude que tenha tomado, ou mesmo qualquer denúncia séria de que seja o mesmo acusado formalmente em qualquer esfera”, afirma a inicial do processo, ajuizada pelo advogado Sidney Duran Gonçalez

No vídeo, dois homens dizem que o deputado é um lobista “do regime comunista chinês no Congresso nacional”. “Nunca fez nada além disso. Se vende por viagem, por presente né? Se vende por pouca coisa, pelo menos, é o que se sabe até agora”, diz trecho do conteúdo. 

Para a defesa do parlamentar, o vídeo viola os direitos de Pinato, ofendendo sua moral e imputando-lhe conduta criminosa, sem qualquer embasamento fático.

Com a decisão do desembargador do TJ-SP, o Google terá cinco dias para retirar o vídeo do Youtube, sob pena de multa diária de R$ 3 mil, até o limite de R$ 300 mil. 

8 comentários

  • so jumento votou no bozo

    deputado l i x o

  • Pinatto : a bandidagem politica

    Corrupção e sujeira na Ceagesp. Comerciantes denunciaram cobrança de propinas por licenças na Ceagesp. Promotoria deverá investigar denúncias sobre a estatal, gerida por indicados do Pinato.
    Bolsonaro indicou o ex comandante da Rota para presidir a Ceagesp. Tirou o indicado do deputado. Acabou a moleza para o deputado. Temer entregou a Ceagesp para o deputado roubar. Pinato colocou o seu pai. Pinato teve a coragem de cobrar cargos do Bolso, para ele. Que cara de pau kkkk
    Alem de se envolver em falcatruas, no Ceagesp. A Policia federal encontrou envolvimento no caso da “operação Vagatomia” da Universidade Brasil de Fernandopolis. Seu nome é citado pela ex diretora da Universidade sobre uma lista de alunos enviada pelo deputado.

  • Emerson

    Mais um lixo que nossa região colocou na política.
    Só lixo de elege por aqui.

  • Júnior

    E agora o Bozo colocou um ex capitão da Rota como presidente da Ceagesp,que está obrigando os comerciantes a dar descontos altos mais somente para os militares, e o restante do povo nessessitado paga a conta alta.

  • Ponto foi mais um que abriu o olho tarde. Mas o gado, não aceita que discorde do Mito . Um exemplo muito claro disso é a relação do gado com Sérgio Moro.

  • Observador

    Se elegeu na sombra do Russomano.
    Nunca mais.

  • Pinato : a bandidagem da politica 2

    Sukodilaranja
    Sinceramente eu não quero saber a roubalheira do nobre deputado
    Eu só quero saber das verbas que ele vai trazer para Jales
    O resto é problema da justiça

    • Me desculpe. Errei na digitação do meu comentário.
      Pinato, abriu o olho tarde. Qualquer um que vai contra o mito, o gado vai contra.
      Você tem razão, tem que eleger gente da nossa região. Candidato de fora não vai trazer as verbas que tanto precisamos. Candidato de fora vai mandar as verbas pra onde eles residem, bem como seus familiares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *