UM ANTICONTO DE NATAL: DOIS NORDESTINOS POBRES E O ‘MAIOR PRESIDENTE DO NORDESTE’

macei

Leio em manchetes que o golpista Michel Temer esteve hoje em Maceió, nas Alagoas, e, num devaneio – ou delírio – disse que pretende ser “o maior presidente do Nordeste que o país já teve”.

E o pior é que uma declaração dessas ainda consegue arrancar aplausos da plateia. É evidente que, na plateia, só tinha puxa-sacos: políticos e grandes empresários, ávidos por alguma ajuda governamental. Quem não estava a fim de puxar o saco, teve que ficar a uma distância razoável, como o pessoal da foto acima.

Mas a fala do “maior presidente nordestino” nascido em São Paulo, me fez lembrar um anticonto de Natal, escrito há alguns dias pelo Fernando Brito, do Tijolaço. E o que conta o anticonto? 

vidassecas2Conta um pedaço da história de Cícero e Laís. Ele, 50 anos, de  Girau do Ponciano, no Agreste. Ela, 21, de São Luís do Quitunde, da Zona da Mata.

Mas ambos não estão mais lá, como estavam, poucos meses atrás.

Estão nas calçadas de Maceió: ele, catando latinhas; ela, pedindo esmolas nas calçadas.

São dois dos 19 mil excluídos pela fúria moralizadora dos cortes no Bolsa Família.

Teriam de levar documentos para provar o que seus retratos já provam: são muito pobres, miseráveis mesmo, que precisa de uma mão que se lhes estenda e não que os esbofeteie mais ainda do que a vida já fez.

Documentos? CPF, para eles, só se for “Certidão de Passar Fome”, que sirva para algum tecnocrata pançudo lá de Brasília  convencer-se de que são apenas miseráveis e não corruptos que se locupletam com 70, 80, 150 reais por mês,  menos do que esses filhos da puta gastam numa noite em um restaurante, vindo igualmente do dinheiro público.

Cícero agarra um santo e reza para a família ter o que comer no jantar. Laís fica à porta dos bancos e do comércio, pedindo para as filhas, troféus dolorosos que mostra que ela, como nós, se reproduz, embora no rosto de sua filha maior o que se veja é a dor que a menor ainda não descobriu e para a mãe, talvez já nem mais lhe consiga franzir o rosto, de tão “normal” sentir.

Vidas que secaram, como eram secas as vidas de Fabiano e sua família, que minha geração conheceu pela obra de Graciliano Ramos.

E me vem um pensamento mau, lembrando o céu que sonhou Baleia, a cachorrinha dos retirantes, na hora da morte, onde havia um borralho de fogão para espantar as pulgas e preás, preás, preás da abundância que nunca teve.

Pois eu agora tento espantar do coração o desejo de que aos desgraçados que fizeram isso a esta gente sem nada não haja calor a lhes espantar as pulgas e que, em lugar de preás, lhes assombrem as imagens de Cícero, Laís e suas filhas, as vidas pobres que eles fizeram virar  miseráveis.

Que a maldição dos pobres os persiga para sempre.

A história dos excluídos do Bolsa Família em Alagoas pode ser lida em matéria de “A Gazeta de Alagoas”, aqui.

6 comentários

  • O sincero

    Sinceramente, esse blog virou um verdadeiro lixo!
    Um blog que já foi tão bem falado por tratar dos assuntos regionais, de cobrar das nossas autoridades locais… Acabou virando uma verdadeira MERDA
    Cardosinho, com todo o respeito, para de ser tão LAMBE SAL do PT, ninguém quer saber se a presidência vai ficar com PT, PSDB, PMDB ou com o capeta, o que todos querem é que os bandidos de gravata fiquem atrás da cadeia independente de partido.
    Esse blog ta dando nojo de se ver, você ta querendo usar uma ferramenta regional para atacar os políticos que nem ao menos sabe da existência desta.
    Volte com o blog como era antes, tratando dos assuntos de nossa região, porque sua imagem só piora a cada dia desta forma.

  • EU

    O COXINHA TA SE DOENDO. NAO QUER LER NAO ENTRA NO BLOG.

  • Presta Atenção

    E as obras da transposição do rio São Francisco?
    Se o Temer conseguir fazer alguma coisa em alguns meses; será uma vergonha para o PT, que por 13 anos vimos somente propaganda enganosa, visto a miséria causada pela seca no interior do Ceará.

  • PRESTA ATENÇÃO********ao invés de ficar escrevendo asneira, procure se informar e procurar sobre o assunto na mídia honesta e não tendenciosa, como sua pessoa, que é uma miséria de conhecimento sobre o assunto da transposição do rio São Francisco, não seja essa pessoa ranzinza de pensamentos enganosos, sem objetivos nenhum. Apreenda ser mais honesto em suas palavras ou noticias, se não sabes é preferível não se pronunciar do que passar por vergonha e se mostrar uma pessoa tão sem escrúpulo e conhecimento do assunto ( esta querendo enganar quem ? a si mesmo ?).
    Transposição do Rio São Francisco na PB chega a 90,5% de execução física.
    Águas de Eixo Leste vão chegar à PB em 2017 por meio do Açude Poções.
    Canal de acesso leva água da barragem de Itaparica até a Estação de Bombeamento 1 do Eixo Leste, conforme informações tiradas do G1 , da Folha de São Paulo e Estadão.
    O projeto da transposição das águas do Rio São Francisco entrou em sua reta final e apresenta 90,5% de execução física, sendo 89,6% no Eixo Leste e 91% no Eixo Norte, conforme informou o Ministério da Integração Nacional na sexta-feira (14). As águas do Rio São Francisco devem chegar à Paraíba por meio enchimento do Açude Poções, em Monteiro, previsto para ocorrer no primeiro trimestre de 2017.
    A estrutura física do Eixo Leste do projeto continua prevista para ser entregue em dezembro de 2016, segundo o Ministério da Integração Nacional, para que as águas do rio corram pelos canais ao longo do próximo ano. A entrega da estrutura do Eixo Norte está prevista para 2017.
    Após a chegada no Açude Poções, a água segue pelo Rio Paraíba percorrendo mais 130 km até chegar ao Açude de Boqueirão, que atende Campina Grande. É estimado que esse trajeto dure no mínimo um mês, de acordo com o Ministério da Integração Nacional.
    saiba mais
    ANA autoriza retirada de mais água do volume morto de Boqueirão, na PB, neste tempo de seca, mas mesmo assim, as obras da transposição do São Francisco na PB chegam a 85%. As águas só chegaram a Boqueirão em abril de 2017, diz a ANA.
    Ainda de acordo com o Ministério da Integração Nacional a obra que vai receber as águas do Eixo Leste vai beneficiar aproximadamente 631 mil habitantes no Agreste paraibano. O empreendimento é executado pelo Governo da Paraíba com orçamento de R$ 1 bilhão, sendo R$ 955,7 milhões de recursos federais e R$ 117,7 milhões do estado.
    O Ministério da Integração Nacional, por meio do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), iniciou a recuperação e modernização das barragens que vão receber as águas do São Francisco na Paraíba. Em fase de licitação, as obras em Coremas, Mãe D’água, Boqueirão, Poções e São Gonçalo não vão comprometer o cronograma de chegada da água ao estado, prevista para 2017, garante a pasta.
    A previsão do investimento federal nas cinco barragens da Paraíba é R$ 74 milhões. As licitações serão realizadas pelo Regime Diferenciado de Contratação (RDC), utilizado para dar celeridade ao processo. A previsão do prazo de execução das obras varia de 6 a 16 meses.
    Além das barragens que estão no processo de licitação, as barragens de Engenheiro Ávidos, Camalaú e São José já possuem estudos e projetos executivos elaborados em análise ou estão em fase final de elaboração.

  • PRESTA ATENÇÃO*******para você também o entendido de transposição:::::
    Com previsão de beneficiar 12 milhões de pessoas[16], o projeto prevê a captação de apenas 1,4% da vazão de 1 850 m³/s do São Francisco, dividida em dois eixos de transposição:

    Eixo Norte: Constitui-se em um percurso de aproximadamente 400 km, com ponto de captação de águas próximo à cidade de Cabrobó, Pernambuco. As águas serão transpostas aos rios Salgado e Jaguaribe até os reservatórios de Atalho e Castanhão no Ceará; ao Rio Apodi, no Rio Grande do Norte; e Rio Piranhas-Açu, na Paraíba e Rio Grande do Norte, chegando aos reservatórios de Engenheiro Ávidos e São Gonçalo, ambos na Paraíba e Armando Ribeiro Gonçalves, Santa Cruz e Pau dos Ferros, no Rio Grande do Norte.
    Em Pernambuco, prevê-se a disponibilização de água para atender a demanda dos municípios banhados pelas bacias dos rios Brígida, Terra Nova e Pajeú, que compartilham a Bacia do São Francisco.
    Na região de Brígida, uma ramificação do canal de transposição com cerca de 200 km de extensão está previsto para conduzir parte das águas até os açudes de Entre Montes e Chapéu. O projeto prevê uma vazão máxima de 99 m³/s e uma vazão de operação de 16,4 m³/s.
    Segundo o Ministério da Integração Nacional, a capacidade máxima será utilizada em períodos de escassez de água nas bacias receptoras e quando Sobradinho esteja em regime de espera para contenção de cheias ou com 94% de sua capacidade.
    Eixo Leste: As águas deste eixo percorrerão a distância de 220 km, a partir da barragem de Itaparica, no município de Floresta (Pernambuco), alcançarão o rio Paraíba, na Paraíba, e deverão atingir os reservatórios existentes nas bacias receptoras: Poço da Cruz, em Pernambuco, e Epitácio Pessoa (Boqueirão), na Paraíba.
    Ramificações serão construídas para transferir parte da vazão para as bacias do rio Pajeú, do rio Moxotó e para a região agreste de Pernambuco, através da construção de um ramal de 70 km que interligará o Eixo Leste à bacia do rio Ipojuca. A vazão máxima prevista é de 28 m³/s, mas a vazão média operacional será de 10 m³/s.
    De forma similar ao Eixo Norte, prevê-se que o sistema possa operar na vazão máxima em períodos de necessidade da bacia receptora e quando Sobradinho esteja em regime de espera para contenção de cheias ou com 94% de sua capacidade.
    A engenharia dos eixos de integração consiste em canais abertos, de seção trapezoidal variável, os maiores sendo de 25 metros de largura e 5 de profundidade, impermeabilizados com geomembrana protegida por uma camada de 5 cm de concreto. Nas regiões de travessia de riachos e rios serão construídos aquedutos. Para ultrapassar regiões de maior altitude, serão construídos túneis. Para chegar ao seu destino, as águas devem vencer barreiras impostas pelo relevo. Nove estações de bombeamento para elevar a água serão construídas: três no Eixo Norte, para vencer altitudes de 165 m e seis no Eixo Leste, onde as águas serão elevadas à altitude de 304 m. Está prevista ainda a construção de 30 barragens ao longo dos canais, que funcionarão como reservatórios de compensação para permitir o escoamento da água mesmo durante as horas em que o bombeamento esteja desligado (3 a 4 horas por dia).
    Fazer a transposição e manter a estrutura funcionando têm custos altos. Isso encarecerá a água para o consumidor. O custo final da água será R$ 0,013 por 1000 litros (m³). Entretanto, como os reservatórios poderão trabalhar com menores volumes, serão reduzidas as perdas por evaporação e haverá um ganho de água antes perdida para o Sol. Esse ganho de água, estimado em 24 000 litros por segundo, foi denominado de sinergia hídrica e barateará o custo médio da água transposta.
    O rio São Francisco é responsável por boa parte da geração de energia do país e é bastante navegável, o que propicia eficiência no transporte de cargas. O São Francisco possui uma grande importância econômica na região por onde passa, pois é usado para irrigação de plantações e pesca. A sua importância social é o fornecimento de água e de alimento (peixes) para a população
    É claro seu entendido que tudo aqui escrito foi pesquisado no G1, Estadão, Folha de São Paulo, alguns Blogs honesto como este, Carta Capital, Google etc……. então podes crer não são noticias falsa, mentirosa, sem fundamentos, sem estrutura verídica e feita com o intuito de esclarecer corretamente e não para tentar difamar este ou aquele partido ou politico, pois como deves saber ( será) esta transposição, começou a ser discutida no ano de 1963, sempre no intuito de levar água para nossos irmãos nordestinos, que sofrem a muitos anos por causa da seca. E quem teve a coragem que começar foi o Senhor Lula.
    Tomara que tenha apreendido alguma coisa de útil, para não escreveres futilidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *