VEREADOR DE VILA VELHA QUER PROIBIR QUE NOIVAS SE CASEM SEM CALCINHA

Vocês se lembram daquele padre alagoano, Jonas Mourinho, que se negou a realizar um casamento ao perceber que a noiva estava sem calcinha e, ainda por cima, mais depilada que a Bárbara Evans? Pois é, parece que ele não está sozinho. Vejam a notícia publicada pela Folha de Vitória:

O vereador Ozias Zizi (PRB), autor de projetos polêmicos, lançou mais um que já está dando o que falar. O parlamentar protocolou projeto que proíbe que mulheres sem calcinhas se casem em cerimônias religiosas nas igrejas do município de Vila Velha.

A iniciativa foi tomada depois que a mania ganhou a Internet como simpatia para prolongar a duração do matrimônio. O parlamentar considera um desrespeito aos princípios religiosos. Os decotes das noivas também serão proibidos e só vão poder atingir até o meio das costas.

O vereador justifica que, como agente público, precisa intervir para evitar que esses modismos tomem conta das cerimônias realizadas em igrejas católicas e evangélicas do município. “O casamento não se apega a usar ou não a peça íntima. Mas a igreja, independente do credo religioso, é um local sagrado. Se a pessoa acha que ela pode se casar de qualquer jeito, que o faça em uma praia ou num retiro”, justificou.

Nas ruas é difícil achar alguém que queira casar sem calcinha. O membro da ONG Transparência Capixaba Edmar Camata critica a proposta e lembra quais são os deveres dos parlamentares.

“O vereador tem constitucionalmente papéis básicos que são legislar e fiscalizar o poder Executivo. Obviamente pegar questões que não afetam o dia a dia da sociedade na nossa opinião passa bem longe da tarefa do vereador”, disse.

Para o pastor Enoque de Castro, o projeto do vereador de Vila Velha é “ridículo” e essa fiscalização não deve ser feita pela igreja. Ele não vê problemas nas noivas casarem sem a peça. “Tem pessoas que fazem opção de não usar roupa íntima. Isso não tem nada a ver. É um absurdo ter que fiscalizar uma coisa dessas, saber ou não se alguém está com a roupa íntima”.

A notícia não esclarece a quem caberá, caso a lei seja aprovada, a desgastante tarefa de verificar se as noivas, na hora do sim, estão usando a indispensável peça íntima.

3 comentários

  • Cardosinho, eu pensava que já tinha lido de tudo…Aproveita a deixa e faz uma pesquisa sobre quantos e quais projetos nossos vereadores criaram esse ano.

    • Preclara Luiza, farei um levantamento sobre os projetos da atual legislatura, mas, já de antemão, posso adiantar que não vamos encontrar nada de importante entre as leis aprovadas. E o que é pior: as poucas leis que visam melhorar a vida dos nossos cidadãos não funcionam, pois não são fiscalizadas pelo poder executivo.

  • antonio inacio da costa

    nota;caso essa lei pegue e, precissar de alguem para verificar se a noiva esta ou nao ,sem a referida pecinha poderei me candidatar, para essa desgastante tarefa, espero passar no teste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *