APLICATIVO DE MOTOTÁXI AJUDA A PRENDER SUSPEITO DE LATROCÍNIO EM RIO PRETO

Evidentemente que não é aconselhável sair por aí perseguindo bandidos e entrando em luta corporal com eles. Mas, vejam que interessante essa ação de um grupo de mototaxistas de Rio Preto. A notícia é do Diário da Região:

Tecnologia particular de uma empresa de mototáxi ajudou na prisão do suspeito de matar o mototaxista Sidinei Aparecido de Oliveira, 60 anos, poucas horas depois do latrocínio – roubo seguido de morte – na Vila Toninho, em Rio Preto. O aplicativo é similar ao Uber e, através dele, um outro mototaxista convocou profissionais para perseguir o suspeito do crime, que foi encurralado e capturado pela Polícia Militar.

Ao saber que um homem tentava vender o veículo da vítima no bairro João Paulo 2º por R$ 800, o mototaxista Bruno Daniel dos Santos Menino, 36 anos, juntou outros sete condutores, por meio do aplicativo, e saiu em busca do suspeito. Na empresa, a secretária dele monitorava a localização das motos e convocava outros. Ao todo, 20 mototaxistas estavam na caçada. Nesse meio tempo, a PM foi acionada.

“Na hora, pensei: vamos juntar todo mundo e vamos fechá-lo. Cada um foi para um canto e eu o achei”, contou Bruno, que cercou o homem quando ele entrou em uma rua sem saída, no bairro Duas Vendas. “Já sabia que a rua não tinha saída. Parei na esquina e só esperei. Pensei, ‘se ele descer derrubo ele’. Hora que ele veio na minha direção, joguei minha moto contra a dele. Nós entramos numa luta corporal. Hora que ele viu que estava aglomerando bastante mototaxista, saiu a pé. Rapidinho a polícia chegou, foi coisa de minutos”.

O suspeito é Marcus Vinícius de Siqueira Bono, 27 anos. Ele foi reconhecido por mototaxistas que se recusaram a fazer a corrida que Sidinei fez e acabou sendo morto, por volta das 5 horas.

A tenente Amália Paci conta que o suspeito negou o latrocínio e alega ter comprado a moto. “Ele assumiu que pediu a corrida na rodoviária e foi até a Vila Toninho. Lá, ele diz que parou numa biqueira para usar droga, depois de um tempo um rapaz da biqueira ofereceu a moto para ele”.

A polícia não acredita na versão de Marcus Vinicius, que foi preso por latrocínio e está na carceragem da Delegacia de Investigações Gerais (DIG). O delegado Fernando Tedde acredita na participação de outra pessoa no crime.

O crime:

Testemunhas disseram que momentos antes de sair, o suspeito foi revistado por guardas municipais. “Ele tomou um enquadro. Tinha uma faca no chão, mas ele disse para os guardas que não era dele”, contou um mototaxista que não quis ter o nome divulgado.

Sidinei foi encontrado com marca de corte no pescoço e afundamento de crânio, causado por pedradas, na avenida Nelson Vitalino. O sepultamento será nesta sexta-feira, dia 23, no cemitério de Bebedouro, onde moram familiares dele.

O genro da vítima Mateus Pamplona, 22 anos, disse que a família está consternada. “Meu sogro sempre foi trabalhador, saía para trabalhar às 5h. As filhas eram tudo para ele. Sempre foi um cara calmo. A gente só espera que a justiça seja feita.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *