EX-PROMOTOR DE JALES INVESTIGA EXPLORAÇÃO SEXUAL DE MENOR POR POLÍTICOS DE IPIGUÁ

5a_1024x683

O promotor André Luiz de Souza, que atuou em Jales por muitos anos, está à frente da investigação. Além de políticos, a denúncia envolve um médico, um advogado, um empresário, etc. A notícia é o principal destaque do Diário da Região, desta quarta-feira.

Em depoimento ao Ministério Público, uma adolescente de 14 anos denunciou que foi obrigada a fazer programas sexuais com políticos, empresário, advogado, médico e servidor público de Ipiguá. No documento, ela menciona o presidente da Câmara de Vereadores, um ex-vereador, um funcionário da prefeitura, um advogado, um empresário  e um médico.

De acordo com a menor, a maioria dos encontros ocorreu em um motel próximo do trevo de Onda Verde, que não solicitava documentos da menina. “Eu realizava estes programa por volta das 15h e permanecia aproximadamente uma hora com cada pessoa”, disse a adolescente no depoimento.

O agenciamento dos programas era feito por uma mulher chamada Sílvia, que é apontada como a companheira de Abner Saulo de Oliveira Calixto, acusado de matar o delegado da Polícia Civil, Guerino Solfa Neto, em junho.

“Silvia ligava para as pessoas e fazia propaganda minha, dizia que uma menina de 14 anos estava trabalhando e que era nova e bonita. A Silvia me vendia pelo valor de R$ 50 e R$ 100. Inicialmente, os encontros aconteciam na porta da cada de Sílvia ou no trevo de Onda Verde. Onde eu aguardava as pessoas que combinavam o programa com ela (Sílvia)”, afirmou a menor em seu depoimento.

A adolescente citou que os contatos que Sílvia manteve com as pessoas para agendar os programas sexuais podem estar registrados no celular apreendido pela Delegacia de Investigações Gerais (DIG). Foi a partir da investigação da Polícia Civil sobre a morte do delegado que a denúncia envolvendo a garota veio à tona.

No depoimento feito na presença de conselheiras tutelares de Ipiguá ao promotor da Infância e Juventude, André Luís de Souza, no dia 18 de julho, a menina afirma que se mudou para a casa de Sílvia após iniciar um relacionamento com o filho da mulher. A adolescente menciona que sua mãe, que não aprovava o namoro, mudou-se para Catanduva.

O promotor deve pedir auxílio do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) para aprofundar a investigação em Ipiguá. A apuração vai depender, por exemplo, da quebra do sigilo telefônico dos acusados.

1 comentário

  • Cristina

    Saudades do Dr. Andre dei cada briga boa com ele em 2009 por conta do sacrificios de animais ate que eu ameacei entra nua no foro ai ele fez um TAK mas ñ adiantou eu ja tinha conseguido a remoção dele….ate o que é ruim deixa saudade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *