EXPÔ FERNANDÓPOLIS CAMINHA PARA O MESMO DESTINO DA FACIP DE JALES

Vejam os trechos de um texto interessante, publicado pelo site Região Noroeste:

Quem não se lembra daquele comercial de TV sobre o shampoo Denorex? Parece remédio, mas não é. Realmente, a política em Fernandópolis parece brincadeira, mas não é. Tudo gira em torno de vaidades, principalmente quando o assunto é Expô.

O problema parecia ter acabado, ai vimos que não. Um novo capítulo é escrito, de última hora, diante do confronto com aquilo que havia sido acordado. A comparação é simples: a Expô 2013 está caminhando para o mesmo destino ocorrido com a Facip, no município de Jales.

A Lei aprovada em Fernandópolis foi um modelo importado do município vizinho. O texto e as ideias são de um mesmo agente político que transita dentro da sigla partidária que elegeu a atual prefeita, Ana Bim, e a prefeita de Jales, Nice Mistilides. Na há diferença entre os dois municípios, são apenas separados por uma distância de aproximadamente 30 quilômetros e uma Estrela no meio.

Tudo na Expô está seguindo o padrão básico ocorrido com a Facip de Jales. Falta de tempo hábil para realização e contratação de serviços para realização da festa. A única diferença é que até agora Ana Bim não pediu autorização da Câmara para investir dinheiro público no recinto de Exposições. Também não há diferença entre os presidentes das festas, Pedro Callado (Jales) e Renato Colombano (Fernandópolis). Ambos são e serão vítimas de impasses políticos.

A possível estratégia de Ana Bim pode ser igual a que foi pleiteada na Facip. Para contratar serviços sem licitação ela deve mandar um novo projeto para Câmara e esperar que os vereadores aprovem a utilização de uma entidade com CNPJ que não seja da Prefeitura, assim justificando as contratações em carácter emergencial, nos mesmos moldes que ocorreria em Jales.

Ela tem a certeza que a Câmara não aprovará tal mecanismo e pela segunda vez, anunciará o cancelamento da Expô e a prorrogação da data, alegando falta de tempo para licitar os serviços necessários para realização do evento. Ana Bim colocará a culpa no Legislativo para tentar , mais uma vez, induzir a população que os “malvados” foram os vereadores.

Repito que são apenas trechos, mas coincidências entre o que está acontecendo em Jales e Fernandópolis são muitas. O texto, por inteiro, pode ser lido aqui.   

15 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *