MINISTÉRIO PÚBLICO DE JALES AJUIZA MAIS UMA AÇÃO DE IMPROBIDADE CONTRA EX-PREFEITO DE MESÓPOLIS

Tavinho-prefeito-de-MesopolisO ex-prefeito de Mesópolis, Otávio Cianci, chamado por seus eleitores de Tavinho, está fora do poder há mais de dois anos, mas continua sofrendo as consequências dos erros cometidos durante seu reinado.

Somente em 2015 já são duas ações civis públicas por improbidade administrativa. A última delas foi ajuizada na semana passada e teve origem em uma denúncia da combativa vereadora Vânia Domingues e na fiscalização do Tribunal de Contas (TCE).

Além de Tavinho, outras 14 pessoas físicas e jurídicas estão no rol dos acusados, inclusive os três membros da Comissão de Licitação.

Dessa vez, a encrenca de Tavinho e Cia é por conta de suposto  superfaturamento – na verdade, um hiper superfaturamento – na aquisição de medicamentos e materiais de enfermagem.

Pra começar, o prefeito, ao invés de abrir apenas uma licitação nas modalidades Tomada de Preços ou Pregão, como manda a lei, preferiu fracionar (dividir) irregularmente a compra em duas licitações do tipo Convite, onde se pode convidar apenas empresas “amigas”.

O resultado disso é que o TCE, ao fiscalizar as duas licitações, apontou o superfaturamento da maioria dos itens licitados e adquiridos pela Prefeitura de Mesópolis.

Segundo a fiscalização do TCE, os materiais de enfermagem foram comprados por preços, em média, 159% maiores que os praticados na região. O superfaturamento, nesse caso, oscilou entre 35% e 419%, variando de acordo com o produto. O rolo de fita para autoclave, por exemplo, custou R$ 6,00 em Mesópolis, mas, a 10 km dali, em Populina, a mesma empresa vendeu o produto por R$ 1,15.

Quanto aos medicamentos, o superfaturamento teria sido, em média, de espantosos 2.249%. O Diclofenaco, que foi vendido em outros municípios da região por R$ 0,0145, custou R$ 0,4350 à Prefeitura de Mesópolis. Superfaturamento de 2.900%

O comprimido Cimetidina 200mg também foi vendido na região por R$ 0,02 por uma empresa que, em Mesópolis, cobrou R$ 2,33 pelo mesmo medicamento. Superfaturamento de 7.934%.

Um detalhe curioso é que os auditores do Tribunal de Contas, ao visitar a Prefeitura de Mesópolis, não conseguiram ter acesso a um dos processos licitatórios, que, segundo a versão de assessores do prefeito Tavinho, tinha “desaparecido”.

No final das contas, o Ministério Público está pedindo a devolução de R$ 156,8 mil aos cofres públicos. A justiça de Jales já concedeu liminar determinando o bloqueio dos R$ 156,8 mil nas contas dos envolvidos.

Observação do blogueiro: Sinceramente, não entendi como o comprimido de Cimetidina pode ter sido vendido por R$ 0,02. Na internet, os preços de uma caixa com 20 comprimidos do medicamento variam de R$ 2,43 a R$ 14,95.

12 comentários

  • Santos

    quais foram as empresas que venderam, digo, participaram deste feito Cardosinho?

    • Eis os investigados/requeridos:

      Reqdo: Otavio Cianci
      Reqdo: Moacir Pereira
      Reqda: Andrea Savatin
      Reqda: Leandra Cristina Olimpio
      Reqdo: Fabio Luis Rodrigues Biazi
      Reqda: Maria Neide Rocha Magalhães – ME
      Reqda: Maria Neide Rocha Magalhães
      Reqdo: I.Z dos Passos – Me
      Reqda: Izabel Zanini dos Passos
      Reqdo: Cirurgica Vitoria Comercio de Medicamentos Ltda
      Reqdo: Gimenez Mateus Valência
      Reqdo: Arnaldo dos Passos Fernandópolis – Epp
      Reqdo: Arnaldo dos Passos
      Reqdo: Cirúrgica Olimpio Ltda
      Reqdo: Denilson Olímpio

  • Augusto

    Bem feito. Vai pagar pelo mal que fez a população. Vai chegar a vez de outros que mamou na teta da Prefeitura.

  • Vania

    Realmente hj saiu mais essa.
    8 anos na prefeitura e o resto da vida na Justiça.
    AÇÃO DE RESCISÃO
    54 TC-000707/011/14
    Autor(es): Otavio Cianci – Ex-Prefeito Municipal de Mesópolis.
    Assunto: Admissão de pessoal realizada pela Prefeitura
    Municipal de Mesópolis, no exercício de 2009.
    Responsável(is): Otavio Cianci (Prefeito à época).
    Em Julgamento: Ação de Rescisão em face da sentença
    publicada no D.O.E. de 01-03-14, que julgou ilegal a admissão
    de Silvana Elizete Cianci, aplicando multa ao responsável, no
    valor correspondente a 300 UFESP’s, nos termos do inciso II do
    artigo 104 da Lei Complementar nº 709/93 (TC-000794/011/10).
    Advogado(s): Mário Francisco Montini e outros.
    Acompanha(m): TC-000794/011/10.
    Fiscalização atual: UR-11 – DSF-II.
    SDG-3, 07 de maio de 2015.

  • Admirador

    Manda o Mocir Pereira resolver, eu bem que te avisei né Tavinho, agóra é muito tarde.

  • cardosinho tem ali o nome do moacir pereira. é aquele que dava assistência as prefeituras?. do que que ele tá sendo inquerido

  • fernando

    Concordo plenamente com punições, o duro é que, quem hoje denuncia cito a senhora Vânia Domingues, quando estava em seu cargo ganhando um salário altíssimo ao menos sabíamos da existência da tal pessoa. Ae por rixa politica com o ex prefeito Tavinho que extinguiu seu cargo, começou querer ser o ser humano mais correto do universo kkkkk . Aprovo suas denuncias, mas pq só depois que tiraram umas das tetas que era mamada por você ? hoje a nobre vereadora mais correta do país tem varias açoes contra o município, e se quer trabalha vive de atestado e postando coisas no tal facebook que por sinal tem 3 curtidas e 2 comentários para ver o tamanho da moral politica e social que ela tem na cidade e por fim agora vai na antena 102 dar uma entrevista, para falar de carro de câmara e sujeira de cidade logo após uma chuva de vento. Vânia o povo cansou de você.

  • joao

    VOTEM NO ZE MOREIRA E NO TAVINHO………..TRAZEM O MOACIR DE VOLTA.KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  • Decepicionado

    Pois é, o problema não é o de trazer e sim o de administrar, quando o ex-prefeito José Moreira trouxr o Moacir para Mesópolis conseguiu várias verbas, mas não houve fraudes porque tinha quem mandava e sabia administrar não deixava funcionário adsminstrar, já o sucessor do Moreira por dizer ser “leigo” na área administrativa mas não leigo no momento de fazer fraudes, desviar verbas e etc… como estamos vendo nos pareceres do TRIBUNAL DE CONTAS e não nas denuncias da Vania, isso é uma vergonha, devemos colocar administradores como o Moreira sim, que fez história quando foi para criar o Município e fazer da nossa cidade uma cidade modelo da regiao na época em ue foi prefeito, poid administrave nao deixava funcionario administrar, como aconteceu com o Tavinho e esta acontecendo na administração atual…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *