PREFEITURA É CONDENADA POR MORTE DE CRIANÇA

Aqui em Jales, o advogado da família do jovem Rafael Goes Luiz – o estudante que morreu em novembro, vítima de um cabo de aço esticado entre duas máquinas da Prefeitura – ainda aguarda alguns laudos para entrar na Justiça com um pedido de indenização.

Casos como os do jovem Rafael e do principal personagem da notícia abaixo, o menino Alan, nos remetem a uma canção de Chico Buarque –  “Pedaço de Mim” –  onde o nosso grande compositor nos oferece uma das mais belas definições da palavra saudade.

Diz a música que “a saudade é o revés de um parto… a saudade é arrumar o quarto de um filho que já morreu…” Leiam a notícia do Diarioweb e vejam como os versos do Chico tem tudo a ver:

A Prefeitura de Sales foi condenada pela Justiça, em primeira instância, a pagar indenização de R$ 678 mil aos pais do estudante Alan Grano, de 11 anos. O menino morreu no dia 6 de setembro do ano passado ao ser atingido na cabeça após desmoronamento da cobertura de concreto do banco de reservas do estádio municipal.

Durante a partida a estrutura cedeu e atingiu as crianças que estavam no local. Alan não conseguiu fugir a tempo e morreu na hora, esmagado pelo concreto. Apaixonado pelo Santos Futebol Clube, de Neymar, o garoto tinha o sonho de ser jogador de futebol. Era o caçula da família. “A alegria da casa”, define a mãe, Maria Gomes da Conceição Grano.

“O quarto dele continua intacto. Dei algumas roupas, mas guardei a maioria. Dói muito entrar ali e saber que nunca mais ele vai acordar no meio da noite em direção ao meu quarto. É um sentimento muito dolorido, só quem passa por isso consegue saber como eu me sinto”, afirma a mãe.

Para ela, o mais difícil tem sido a dificuldade de lidar com a saudade, que só faz aumentar seis meses após a tragédia. “É difícil, é como ver a casa vazia”, define Maria, que tem outro filho, de 23 anos. “Agora somos três adultos aqui em casa, não tem mais criança, não tem mais bagunça, não tem mais alegria. Ainda estamos de luto, e infelizmente é um luto que não vai passar nunca”, conta.   

2 comentários

  • Chico Melfi

    Cardosinho, os versos do grande Chico Buarque, são magistrais e expressam com exatidão a terrível dor da ausencia do filho amado que se foi, mas a melhor definição de saudade, continua sendo a do Mario Palmerio…

    “Se queres compreender o que é saudade
    Terás que antes de tudo conhecer
    Sentir o que é querer, o que é ternura
    E ter por bem um grande amor, viver

    Então compreenderás o que é saudade
    Depois de ter vivido um grande amor
    Saudade é solidão, melancolia
    É nostalgia, é recordar, sofrer”

    • Sem dúvida, seo Chico, uma linda definição. E esses versos do Mário Palmério ficam melhores ainda quando cantados. Temos duas interpretações muito interessantes, uma delas com o Fagner e a Joanna e a outra com o Renato Teixeira e o Zé Geraldo. Vale a pena ouvir esses lindos versos cantados por eles.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *