QUADRILHA COM MALAS DE DINHEIRO APLICAVA GOLPES EM POLÍTICOS, DIZ PF DE JALES

A notícia é do G1:

pf-foto_3Um dos integrantes do grupo preso pela Polícia Federal de Jales (SP) nesta sexta-feira (2) suspeitos de estelionato se apresentava a políticos da região como assessor de senadores e deputados de Brasília para praticar o crime. A informação é do delegado responsável pelo caso, Cristiano de Pádua, de acordo com o depoimento de uma das vítimas, que procurou a polícia após ser contactada pelos criminosos. Políticos eram alvos do crime.

A quadrilha de estelionatários estava na região noroeste paulista há pelo menos um mês e foi presa em São José do Rio Preto (SP). Segundo a polícia, eles marcaram diversas reuniões com políticos da região e negociavam a compra de dólares com dinheiro que seria sobra de campanha. “Esse grupo provavelmente age em diversos estados do Brasil. Uma das supostas vitimas procurou a delegacia e informou que havia recebido uma ligação telefônica de um dos golpistas, que tinha interesse de financiar sua campanha. Percebemos que eles fizeram contato com diversos políticos e candidatos que participaram das últimas eleições e que eventualmente teriam interesse no financiamento de campanha para as próximas eleições”, explica Pádua.

Segundo a PF, um dos integrantes do grupo se apresentava como o assessor, uma mulher como secretária e outro levava o dinheiro. O objetivo era negociar a compra de dólares a valores bem acima do mercado com dinheiro que o suspeito dizia ser sobras de campanhas eleitorais. Em uma tabela apreendida, havia alguns exemplos: por US$ 250 mil, o homem pagaria mais de R$ 1 milhão.

Os suspeitos foram presos com duas maletas de dinheiro e havia notas falsas entre as cédulas verdadeiras. No total foram contabilizados mais de R$ 600 mil. Três pessoas foram presas: um produtor rural de Minas Gerais de 42 anos, uma mulher de 33 anos, carioca, e um homem de 41 que é policial civil no Rio de Janeiro. Com eles, além do dinheiro foram apreendidos dois carros, um revólver e munição oficiais do estado fluminense.

2 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *