MINISSAIA COMPLETA 50 ANOS E CONTINUA FAZENDO SUCESSO

1968=a minissaia

Aqui no Brasil, a minissaia (eu preferia mini-saia, mas a nova ortografia me obriga a acrescentar um “s” e juntar tudo) chegou por volta de 66/67. Deve-se às cantoras Vanderléa (a rainha da Jovem Guarda) e Nara Leão (a musa da Bossa Nova), a propagação da nova moda entre as brasileiras.

Pessoalmente, guardo boas lembranças desse tempo. Boa parte das meninas do colégio aderiu à novidade, para alegria dos meninos.

Lembro-me, também, que a professora de OSPB (Organização Social e Política Brasileira), cuja aula era uma das mais concorridas, era dona de uma bela coleção de minissaias. E de pernas igualmente maravilhosas.

Mas, vamos à notícia da Folha da Região, de Araçatuba:

minissaia 2Há 50 anos era praticamente impossível imaginar que uma saia, com comprimento acima do joelho, faria tanto sucesso em uma época quando imperava o machismo. A minissaia não só agradou as mulheres da década de 1960, como vem fazendo sucesso nas novas gerações. E, claro, com muitas transformações no decorrer dos anos.

O lançamento oficial da minissaia é marcado pela data de 10 de julho de 1964. A estilista Mary Quant, que tem hoje 80 anos de idade, foi a estilista responsável pela novidade. No entanto, a criação divide opiniões: além de Mary, que é britânica, quem briga pelo posto de inventor da peça é o estilista francês André Courrèges (91 anos).
  Vale destacar que a minissaia surgiu em uma década marcada pela “Swinging London”, um período de grandes mudanças culturais na segunda metade dos anos 1960, em Londres.

  Os fatos históricos sobre o seu surgimento são apenas um detalhe quando comparados com o relacionamento duradouro entre a minissaia e a mulher. Tal união não poderia ser diferente, já que a minissaia teve como madrinhas algumas celebridades de peso na moda e beleza mundial, como a atriz Brigitte Bardot e a modelo e cantora Twiggy.

  De acordo com a empresária Mari Bittencourt Martins, da loja Bouchic, de Araçatuba, a minissaia é um item atemporal e, desde quando surgiu, nunca mais saiu de moda. Ela conta que antigamente esta peça não era tão curta como é agora. Gradativamente, a criação deste artigo feminino acabou contribuindo com a revolução e a evolução das mulheres de todo o globo.

3 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *