MORRE MARIA SCHNEIDER, ESTRELA DE “O ÚLTIMO TANGO EM PARIS”

Deu no Jornal do Brasil, edição on line, de hoje:

Ela protagonizou cenas polêmicas com Marlon Brando

PARIS – A atriz Maria Schneider, protagonista com Marlon Brando do filme “O último tango em Paris”, que provocou escândalo na década de 70, morreu nesta quinta-feira em Paris, aos 58 anos, em consequência de uma longa doença, informou a família.

“Maria morreu esta manhã em Paris após uma longa doença”, declarou um parente da atriz, que tinha 19 anos quando protagonizou o filme dirigido pelo cineasta italiano Bernardo Bertolucci, que estreou em 1972.

Neste filme, controverso e chocante para os anos 70, Schneider fez o papel de Jeanne, uma jovem prestes a casar que, ao visitar um apartamento, conhece um misterioso americano com quem tem uma tórrida paixão. O filme teve cenas polêmicas. Numa delas, o personagem vivido por Marlon Brando utiliza manteiga para facilitar uma penetração anal.

Em uma pesquisa sobre as melhores cenas de sexo, produzidas pelo cinema, Marlon Brando e Maria Schneider ficaram em primeiro lugar. Vejam o comentário de uma revista especializada:

Manteiga multiuso

Antes do Último Tango, manteiga só servia para passar no pão. Escandaloso, polêmico e profundo, o filme ousou retratar o sexo nas telas como nunca se havia imaginado. Um homem maduro e uma jovem se encontram num apartamento vazio e, sem dizerem seus nomes, transam como alucinados. A conturbada relação resulta numa seqüência histórica que introduziu – com carinho – modalidades sexuais menos cristãs no cinema comercial. A famosa “cena da manteiga”, quando Brando unta o rechonchudo bumbum de Maria, foi censurada no Brasil, tornando-se quase mítica. Com tanta fama e ousadia, nada mais justo que a seqüência faturasse o primeiro lugar da lista.

La Schneider, no entanto, não gostou muito da cena. Anos mais tarde, ela disse em entrevista ao The Sun que se sentiu manipulada pelo diretor e por Malon Brando. A atriz nunca perdoou Bertolucci e ignorou sua presença quando o reencontrou em Tóquio, 17 anos mais tarde. Entre seus principais longas de sua carreira estão O Passageiro (1975), co-estrelado por Jack Nicholson, Os atores (2000) e seu último trabalho, o longa Cliente, de Josiane Balasko, em 2008.

Em Tempo: quer saber quais são as outras nove cenas de sexo mais bem avaliadas? Veja aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *