Arquivos mensais: Maio 2013

FLÁ ASSUME DIRETORIA DO PROGRAMA VIVALEITE

A notícia foi divulgada pelos jornais locais, neste final de semana. O ex-vereador de Jales e ex-candidato a prefeito, Flávio Prandi Franco responde, desde o dia 09 de maio, pela Diretoria do Programa Vivaleite, considerado o maior programa estadual de distribuição gratuita de leite pasteurizado do Brasil.

Flá assumiu a direção do Vivaleite a convite do Secretário Estadual de Desenvolvimento Social, Rodrigo Garcia. Segundo Flá, trata-se de um grande desafio e, ao mesmo tempo, trata-se também de uma demonstração da confiança que o secretário Rodrigo Garcia deposita no seu trabalho.

O ex-vereador, que continua morando em Jales, explicou que a nova função vai exigir muito tempo e trabalho, mas, apesar disso, ele não vai perder o vínculo com nossa cidade: “Eu devo ficar em São Paulo durante os dias úteis e, nos finais de semana, estarei sempre em Jales, pois tenho um compromisso com a nossa cidade”.

O Programa Vivaleite – que atende crianças de 6 meses a 6 anos e 11 meses de idade e idosos com mais de 60 anos – distribui anualmente 117 milhões de litros de leite enriquecido, para cerca de 650 mil famílias em todo o Estado. Mensalmente, são 15 litros de leite para cada beneficiário inscrito no Programa.

PREJUÍZOS DA EXPÔ FERNANDÓPOLIS ULTRAPASSAM R$ 1 MILHÃO, SEGUNDO SITE

A Expô Fernandópolis deste ano começou errada e, assim como a nossa Facip, esteve ameaçada de cancelamento algumas vezes. E, pelo jeito, o resultado não está sendo dos melhores. Vejam a notícia do site Região Noroeste:

A Expô Fernandópolis vai socorrer a Santa Casa ou a Santa Casa irá socorrer a Expô? Essa é uma pergunta que tem que ser feita aos organizadores da Expô Fernandópolis 2013. Até esta segunda-feira, o prejuízo acumulado ultrapassou a casa dos R$ 1,1 milhão de reais.

Os dados são públicos e estão disponíveis no portal transparência no próprio site da Prefeitura, identificados nos itens receita e despesa. Até agora foram arrecadados cerca de R$ 1,3 milhão com vendas de permanentes, ingressos, camarotes, terrenos, publicidade, patrocínios, inscrições para modalidades no rodeio e outros valores arrecadados.

Na despesa da Expô estão lançados, na pasta da secretaria de Cultura, o pagamento para contratações de shows, som, palco, iluminação, premiações, tropas, locutores, Ecad e outros itens necessários para a realização da festa. Essa despesa ultrapassou a o valor de R$ 2,5 milhões de reais que saíram dos cofres públicos, pagos com o dinheiro do contribuinte que ainda teve que pagar para entrar no recinto.

A contabilidade da festa ainda não está fechada, mas os números sempre mudam para cima ou para baixo, dependendo do que há a receber e outras despesas que sempre aparecem de última hora.  A comissão tem, por lei, um prazo de 90 dias para prestar contas aos vereadores e à população. 

O RN tentou falar com o presidente, empresário Renato Colombano, sobre o assunto, mas ele não atendeu a ligação e também não retornou ao telefone.

CÂMARA DE MESÓPOLIS DESAPROVA RELATÓRIO QUE DESAPROVAVA CONTAS DE EX-PREFEITO

Em sessão extraordinária realizada quarta-feira (22/05), a Câmara de Mesópolis derrubou – por sete votos contra um – o parecer do Tribunal de Contas do Estado (TCE), que recomendava a desaprovação das contas anuais do ex-prefeito Otavio Cianci, relativas ao exercício de 2010.

Apenas a vereadora Vânia Domingues(PMDB) votou favorável à aprovação do parecer do TCE e, por conseguinte, contra a aprovação das contas do ex-prefeito. Um dos vereadores – Luiz Olímpio(PSB) – não compareceu à sessão, por problemas de saúde.

Apesar de o ex-prefeito Tavinho ter suas contas reprovadas por três anos consecutivos, os vereadores de Mesópolis, segundo informações, não tiveram nem mesmo a preocupação de ler o relatório do TCE, que tinha 18 folhas.

A vereadora Vânia foi a única a usar a tribuna para falar sobre as irregularidades que constavam no relatório . Ela finalizou seu discurso, dizendo:

“Nós somos fiscais do povo e do dinheiro público e não temos que  ajudar prefeito, como ouvi um vereador dizer na reunião, e sim fiscalizar o atos dele. As contas da Prefeitura foram analisadas por técnicos do TCE e, infelizmente, os colegas vereadores nem se deram ao trabalho de ler o relatório. Mesmo assim, peço para que analisem bem antes de votar, pois são muitas as irregularidades e não podemos encobrir sujeira deixada por uma má administração”.

DEPÓSITO SUSPEITO

Circulam nos meios políticos, rumores sobre a cópia de um recibo de depósito bancário que teria chegado às mãos de um conhecido empresário local. O depósito, com data de 2010, tem como beneficiário um agente político aqui da terrinha. O valor do recibo seria algo em torno de R$ 5 mil. 

Até aí, nada demais. O problema é que, de acordo com os mesmos rumores, o depósito teria sido feito por um terceiro e seria, digamos assim, uma espécie de retribuição por “favorecimentos políticos” prestados pelo tal agente. 

Este aprendiz de blogueiro não teve acesso à cópia do recibo, mas uma fonte do blog garante que viu o documento e falou com o autor do depósito. E o que ele ouviu é comprometedor.

EMPRESA DA ZONA AZUL NÃO ESTÁ PAGANDO A PREFEITURA

O vereador Tiago Abra(PSB) confirmou ontem, durante a sessão da Câmara, o que já se suspeitava. Em discurso, ele disse que a empresa responsável pela exploração da Zona Azul – a Soluções em Tecnologia de Trânsito Ltda, de Goiânia – não repassou um único centavo do que arrecada à Prefeitura, nos últimos cinco meses.

Como se sabe, a empresa ganhou a licitação com a proposta de repassar para a Prefeitura de Jales cerca de 20% do valor arrecadado com a cobrança por vagas no estacionamento.

De acordo com o vereador, a empresa já estaria devendo algo em torno de R$ 70 mil à nossa Prefeitura. 

CLIENTELA DE GAROTA DE PROGRAMA DOBROU DEPOIS QUE ELA APARECEU NA TV

A propaganda é a alma do negócio! Lembram-se da Lola Benvenutti? É aquela moça de São Carlos que se formou em letras, mas, pelo jeito, vai continuar trabalhando como garota de programa. Pelo menos, ela vai fazer o que gosta! 

Depois de matéria veiculada na TV, a Lola já foi até convidada pelo site Paparazzo para um ensaio fotográfico. Por sinal, ela usou umas calçolas ridículas – como essa da foto acima – durante o tal ensaio.

Mas, além de ter faturado com o ensaio fotográfico, Lola está faturando, também, com o expressivo aumento de sua clientela. Antes da fama, ela atendia cinco clientes diariamente. Depois da fama, ela passou a atender, em média, dez clientes por dia. E, se quisesse – ou se pudesse – Lola atenderia muito mais.

Ela disse que recebe, atualmente, cerca de 400 ligações por dia e que é parada nas ruas para dar autógrafos. E a procura de pessoas de outros estados é tão grande que ela já pensa em viajar pelo Brasil para fazer programas. “Eu posso fazer temporadas em outros estados, pode até rolar um ‘tour da Lola’”.

Além de dobrar a clientela, Lola aproveitou para reajustar o valor da “consulta” em 40%. “Tive que subir um pouco o valor pela demanda, mas prefiro fidelizar o cliente. Só não passo dessa quantidade de clientes por dia, até porque fico cansada e tenho que cuidar da minha saúde”, disse a moça ao G1.

NICE NOMEIA MAIS UM ASSESSOR

A nomeação do novo secretário municipal de Esportes, Bruno Altimari, não foi a única novidade produzida na galáctica equipe de assessores da nossa ungida prefeita. A outra novidade, porém, não mereceu o anúncio oficial, como no caso de Bruno.

Trata-se da nomeação, ocorrida já há alguns dias, de Adriano Lisboa de Domenicis – esse jovem ao centro da foto – para o cargo de chefe de gabinete da Secretaria Municipal de Fazenda. Caberá a ele, entre outras coisas, cuidar das licitações da nossa Prefeitura.

Adriano, até onde se sabe, veio de Populina. Ele teria aportado em Jales há pouco tempo, por conta do serviço da esposa, que trabalha, segundo informações, como enfermeira no Hospital de Câncer. O novo chefe de gabinete integrou – como secretário – a Comissão Organizadora da Facip 2013, aquela que não houve.

Depois dessa, só resta agora mais um cargo a ser preenchido por Nice: o de coordenador do Polo da UAB de Jales. Quem se habilita?     

UNIFORMES ESCOLARES DE RIO PRETO TERÃO MAIS ITENS E CUSTARÃO BEM MENOS QUE OS DE JALES

Desculpem insistir nesse assunto, mas acho que, em casos como o dos uniformes escolares comprados por Nice, quanto mais informações, melhor para que os prezados leitores possam formar uma opinião.

Andei tentando descobrir, na internet, quais foram os gastos de Fernandópolis e Votuporanga nesse quesito, mas não foi possível localizar. Os gastos de Rio Preto, no entanto, estão disponíveis.

A principal cidade da região, que possui cerca de 25.000 alunos em suas escolas municipais, gastará cerca de R$ 2 milhões com uniformes. Ou seja, cerca de R$ 80,00 por criança matriculada. Jales, com 3.560 alunos, gastará R$ 430 mil, o que significa cerca de R$ 120,00 por aluno. Uma diferença de R$ 40,00 por aluno. 

Mas, uma outra diferença mostra que a compra de Nice precisa ser melhor explicada: enquanto o kit adquirido pela nossa prefeita possui  02 camisetas, 01 bermuda e 01 conjunto de frio, o kit de Rio Preto terá tudo isso e mais 01 camiseta de manga comprida, 01 par de tênis e 02 pares de meias para cada aluno.

Apenas com estes três itens, a Prefeitura rio-pretense gastará cerca de R$ 34,00 por aluno. Quer dizer: se Rio Preto comprasse somente os itens que estão sendo adquiridos por Nice, gastaria apenas R$ 46,00 por aluno, quase três vezes menos que Jales. 

A Prefeitura de Jales não divulgou, ainda, qual o valor unitário de cada peça do novo uniforme escolar, mas, considerando os preços estimados em Monte Azul Paulista, onde a mesma empresa – a Hebrom – ganhou a licitação, é possível deduzir os valores estimados em Jales e compará-los com os preços estimados em Rio Preto. Confiram a tabela abaixo e vejam a desproporção: 

Peça

Rio Preto

Jales

Bermuda

9,15

19,50

Camiseta manga curta

7,00

16,85

Camiseta sem manga

6,30

15,70

Conjunto calça e jaqueta de frio

32,70

66,00

CARLÃO PIGNATARI VIRÁ A JALES HOJE ANUNCIAR RECURSOS PARA SANTA CASA

Segundo a assessoria da Santa Casa de Jales, o deputado estadual Carlão Pignatari(PSDB) estará fazendo uma visita ao hospital nesta segunda-feira. A visita, marcada de última hora, está prevista para daqui a pouquinho, às 11:00 horas.

De acordo com o comunicado enviado à imprensa, o deputado virá a Jales para anunciar a conquista de alguns recursos para a nossa Santa Casa.

UNIFORMES ESCOLARES DE SANTA FÉ CUSTAM TRÊS VEZES MENOS QUE OS DE JALES

A mais recente pataquada do governo Nice – a compra de uniformes escolares – deverá esquentar a sessão da Câmara desta segunda-feira. Como já foi dito por aqui, a prefeita pretende investir R$ 430,8 mil na aquisição dos uniformes, um valor respeitável, se comparado com o que o governo anterior gastava nesse quesito.

Para se ter uma ideia, o ano em que Parini e Élida Barison mais gastaram com uniformes, foi em 2007, quando a Prefeitura pagou R$ 115,2 mil à empresa ganhadora da licitação. Naquele ano, além de bermudas e camisetas, a Secretaria de Educação distribuiu também mochilas e tênis aos alunos do município.

Nos anos seguintes, quando foram distribuídas apenas camisetas e bermudas, gastou-se R$ 82,2 mil(2008), R$ 54,2 mil(2009), R$ 57 mil(2010), R$ 62,5 mil(2011) e R$ 79,5 mil(2012). Ou seja, em seis anos, Parini gastou R$ 450,6 mil com uniformes. Nice gastará R$ 430,8 mil em apenas um ano.

Façamos agora uma comparação com Santa Fé do Sul. Na semana passada, a Prefeitura de lá entregou os uniformes – iguais a esses da foto ao lado – aos alunos do município. Pela internet, é possível constatar que a nossa vizinha adquiriu 14.370 peças pelas quais está pagando R$ 89,4 mil a uma empresa de Uberaba(MG). Reparem que cada peça está saindo, em média, a R$ 6,22.

Jales, por sua vez, está comprando 21.652 peças pelos já citados R$ 430,8 mil. Ou seja, cada uma delas está custando, em média, R$ 19,89. Uma diferença razoável, não acham? A foto aí do lado mostra os uniformes que estão sendo adquiridos pela Prefeitura de Jales.

Eu não entendo de confecção, nem de tecidos, mas será que existe uma diferença tão grande assim na qualidade ou no tipo dos uniformes que justifique tamanha discrepância nos preços? Com a palavra, os nobres  vereadores.

1 2 3 4 13