Arquivos mensais: Abril 2017

BELCHIOR CONTA COMO CONHECEU ELIS REGINA

Elis, a nossa maior cantora, era um pouco esquentada, a ponto de ganhar do Vinícius o apelido de “Pimentinha”. Personalidade forte à parte, ela tinha um coração e uma generosidade tão grandes quanto seu talento. E sua generosidade permitia que ela desse oportunidade aos novos compositores, gravando suas músicas.

Foi assim com Milton Nascimento, com Ivan Lins e Vítor Martins, com João Bosco e Aldir Blanc, com Fagner, só para citar alguns. E foi assim também com Antônio Carlos Belchior de quem ela gravou duas músicas essenciais: “Como Nossos Pais” e “Velha Roupa Colorida”.

No vídeo abaixo, o Belchior conta, em entrevista ao Miéle, como conheceu Elis. Confiram:

BELCHIOR, UM RAPAZ LATINO-AMERICANO QUE FEZ OBRA MARCANTE NOS ANOS 70

BELCHIOR4

Do jornalista e crítico musical Mauro Ferreira, no G1:

Antônio Carlos Belchior (26 de outubro de 1946 – 29 de abril de 2017) sai de cena aos 70 anos sem que ninguém tenha decifrado o enigma existencial deste cearense nascido em Sobral que abandonou a vida artística a partir de 2007, afundado em dívidas, crises e angústias. Compositor fundamental na corrente migratória que deslocou artistas nordestinos para o eixo Rio–São Paulo ao longo da década de 1970, Belchior logo se desgarrou do pessoal do Ceará para construir obra de identidade própria, ainda que o primeiro sucesso desse cancioneiro autoral, Mucuripe, música lançada em 1972 na voz icônica da cantora Elis Regina (1945 –  1982), tenha sido composto com o conterrâneo Raimundo Fagner.

Belchior estreou em disco em 1971 com a gravação e edição de compacto simples que apresentou a música Na hora do almoço. O primeiro álbum sairia somente em 1974, com a regravação dessa canção Na hora do almoço entre músicas então inéditas como A palo seco e Todo sujo de batom. Lançado pela extinta gravadora Continental, companhia fonográfica de origem brasileira, o álbum não alcançou o público, talvez por conta do canto torto do artista, cortante como faca e como as letras carregadas de urgência e paixão. Belchior precisou esperar dois anos para alcançar o sucesso nacional com a edição do segundo álbum, Alucinação, obra-prima da discografia do cantor e compositor, então já contratado pela multinacional Philips.

Produzido pelo então iniciante Marco Mazzola, Alucinação (1976) contou com arranjos de José Roberto Bertrami e apresentou repertório inteiramente autoral (composto sem parceiros) que destacou o hit radiofônico Apenas um rapaz latino-americano e os dois petardos roqueiros detonados por Elis Regina no ano anterior no roteiro do antológico show Falso brilhante (1975 / 1977), além de nova regravação de A palo seco.

Em Alucinação, Belchior fez uma espécie de inventário emocional das perdas e ganhos da geração que tentou mudar o mundo na década de 1960. O disco já embutia uma amargura na constatação de que tudo continuava como antes. Mas o cantor, seduzido pelo sucesso, diluiria essa desilusão no toque pop do terceiro álbum, Coração selvagem (1977), lançado há 40 anos e alavancado pelo sucesso da passional canção-título, gravada recentemente pela cantora Ana Carolina. Foi o álbum que marcou a estreia do cantor na gravadora WEA.

Mesmo acenando para o pop radiofônico em músicas como Galos, noites e quintais (1976), lançada no ano anterior por Jair Rodrigues (1939 – 2014), Coração selvagem é um grande álbum em que Belchior deu voz à canção Paralelas (1975), música lançada há dois anos na voz de Vanusa, e regravou Todo sujo de batom.

A partir do quarto álbum, Todos os sentidos (1978), Belchior nunca mais alcançou a mesma popularidade e a mesma contundência como compositor, embora Medo de avião, música que abriu o álbum de 1979, tenha tocado muito bem nas rádios e gerado mais um hit para o artista. A rigor, foi a última música de Belchior a ganhar a voz do povo brasileiro.

Belchior gravou discos com regularidade ao longo das décadas de 1980 e 1990. Contudo, álbuns como Objeto direto (1980), Paraíso (1982), Cenas do próximo capítulo (1984), Melodrama (1987) e Elogio da loucura (1988) jamais reeditaram o vigor dos discos dos anos 1970. Em parte porque o repertório era menos inspirado, em que pese uma ou outra boa composição. Em parte porque o tom tecnopop dos arranjos dos anos 1980 estava fora de sintonia com o espírito da obra de um artista que alcançou mais relevância, empatia e representatividade entre 1972 e 1977.

De todo modo, Belchior sempre fez shows pelo Brasil com regularidade, escorado nas canções que lhe deram fama na década de 1970. Nunca lhe faltou público. E talvez tivesse sido assim até ontem à noite, quando ele saiu de cena na cidade gaúcha de Santa Cruz do Sul (RS). A questão é que Belchior, a partir de 2007, resolveu se recolher nos bastidores, cada vez mais arredio e recluso. Reclusão que virou fuga a partir de 2008. O que levou este senhor latino-americano a se retirar de cena há nove anos é um enigma que, ao que tudo indica, permanecerá indecifrado, já que a solução vai embora juntamente com Belchior.

LULA: “TEREI O MAIOR PRAZER EM DERROTAR O CANDIDATO DA REDE GLOBO”

LULA 8e0f3208-ff9b-491b-8282-c87bd5b03fae

A notícia é do portal Brasil Atual:

Um dia após a greve geral desta sexta-feira contra a reforma da Previdência e trabalhista, que contou com a adesão de mais de 35 milhões de trabalhadores e foi destaque na imprensa internacional, uma multidão voltou às ruas na tarde de hoje (29). Desta vez, a população de Rio Grande (RS) e municípios vizinhos lotou a praça em frente à prefeitura para ouvir o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em ato em defesa da indústria naval brasileira, da Petrobras, do pré-sal e da democracia.

Ao lado de Dilma Rousseff, do ex-governador Olívio Dutra (PT), da senadora Gleisi Hoffman (PT-PR), além de deputados petistas, dirigentes da CUT e de sindicatos, entre outros aliados, Lula desafiou a Rede Globo a apresentar o nome do candidato que deverá apoiar para a Presidência da República.

“Eu peço a Deus que a Globo descubra qual é o seu candidato porque eu, que nem queria ser candidato, terei o maior prazer em derrotar esse candidato. A Globo não se presta mais a transmitir informações, mas em tentar destruir o PT, Dilma e Lula”, disse, sob aplausos da multidão.

A emissora, segundo o ex-presidente, “deve ficar com uma azia desgraçada quando faz pesquisa e vê meu nome”, afirmou, para então emendar que continua sendo o “Lulinha paz e amor”.

images-cms-image-000543265Lula atacou o presidente Michel Temer (PMDB) e sua política de desmonte do Estado e de ataques aos direitos dos trabalhadores.

“Uma nação não pode ser condenada por alguém que não sabe governar, que não entende da alma desse povo, que não conhece as raízes profundas. Não pode ser governado por alguém que, por incapacidade, está vendendo um país que construímos.”

Ele também mencionou o juiz federal Sérgio Moro, a quem prestará depoimento no próximo dia 10. “Não estou sendo ‘julgado’ por corrupção, mas pelo meu jeito de governar. E como dizia Fidel, a história vai me absolver.”

JORNAL DE JALES: ARTICULISTA DIZ QUE “SOMOS UMA SOCIEDADE CORRUPTA RECLAMANDO DA CORRUPÇÃO”

capa JJ 30.04.17Eis a capa do Jornal de Jales deste domingo, enviada pelo Brasilino Pires da Costa, que, assim como o Deonel, anda “enfastiado” de títulos mas está preparado para comemorar mais um. O principal destaque é a história de três profissionais jalesenses que estão entre os 600 mil trabalhadores atingidos pelo desemprego nas empresas investigadas pela Lava Jato. Os dois engenheiros que trabalhavam na UTC e o ex-diretor financeiro de uma empresa canadense perderam seus empregos, mas não perderam as esperanças: eles acreditam que o país vai voltar a crescer e que os empregos vão voltar.

E por falar em empregos, matéria de capa do JJ destaca que a economia jalesense gerou 299 empregos formais – ou seja, com carteira assinada – no primeiro trimestre de 2017, segundo dados divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego. No período, Jales registrou 1.048 contratações e 749 demissões. O editorial do jornal aborda o assunto e diz que a situação, em Jales, poderia estar bem melhor não fosse o fechamento de dois frigoríficos nos últimos anos. O editorial diz, também, que, em dois anos, uma grande empresa de Jales que empregava 300 trabalhadores baixou o número de empregados para 170.

As manifestações contra as reformas do governo Temer, ocorridas em Jales na sexta-feira, 28; o convênio assinado pelo prefeito Flá Prandi em São Paulo, que prevê a liberação de R$ 700 mil para recuperação de duas estradas rurais; a cavalgada realizada em Jales no feriado de 21 de abril; e o trabalho de conscientização feito em uma escola municipal de Jales, visando o combate ao mosquito Aedes aegypti, são outros assuntos do JJ deste domingo.

Na página 02, artigo do ex-bancário Osmar Gabriel diz, prenhe de razão, que “somos uma sociedade corrupta reclamando da corrupção”. E na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior informa que o empresário jalesense Luiz Henrique Moreira – que, se tudo correr bem, deverá disputar uma vaga de deputado federal pela região – vai receber o Título de Cidadão Benemérito de Buritama, onde ele foi vereador. A honraria foi aprovada por unanimidade pelos vereadores de Buritama como reconhecimento ao homenageado pelos “relevantes serviços prestados à cidade”.  

DIOGO NOGUEIRA – “EU E VOCÊ SEMPRE”

diogo_nogueira-323944“Eu e Você Sempre”, uma composição do Jorge Aragão e do Flávio Cardoso, é um samba romântico que os ouvintes do Brasil & Cia – o programa que apresento na Regional FM, aos domingos – estão sempre pedindo. Ultimamente, tenho tocado a releitura gravada pelo Diogo Nogueira que, segundo alguns desses ouvintes, ficou melhor que a versão original, com o Jorge Aragão.

Pessoalmente, gosto de ambas as versões, mas prefiro a do Diogo, talvez por ser mais recente e ter sido gravada com mais recursos. Filho do falecido sambista João Nogueira, Diogo completou 36 anos na quarta-feira, 26. Sua história de vida guarda ao menos uma semelhança com a história do astro Júlio Iglesias: ambos tentaram carreira no futebol antes de partir para a música.

Júlio, goleiro do juvenil do Real Madrid, foi obrigado a encerrar a carreira precocemente, com apenas 20 anos, depois de um acidente de carro. E Diogo, depois de se destacar na várzea carioca, chegou a assinar contrato como profissional do Cruzeiro de Porto Alegre, mas uma contusão no joelho o obrigou a parar com o futebol. Em ambos os casos, a música é que saiu ganhando.

No vídeo abaixo, a versão do Diogo Nogueira para “Eu e Você Sempre“.

 

A TRIBUNA: MORADOR DE JALES RECLAMA DE SUPOSTO ERRO MÉDICO NA UPA E QUER INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS

capa tribuna 30.04.17No jornal A Tribuna deste final de semana, destaque para a nomeação do ex-prefeito Pedro Callado para ocupar o cargo de procurador geral do município. A nomeação foi confirmada pelo ex-prefeito, que deu entrevista ao jornal onde conta como aconteceu o convite do prefeito Flá Prandi e os motivos que o levaram a aceitar a incumbência de chefiar a Procuradoria Geral. De seu lado, o prefeito Flá disse ao jornal que a escolha de Callado não foi política, mas apenas técnica. Segundo o prefeito, Callado poderá contribuir bastante com sua experiência e conhecimento.

Destaque, também, para o caso de um morador de Jales que foi à Justiça contra a Prefeitura para tentar receber uma indenização por danos morais em função de um suposto erro cometido por uma médica da UPA. Segundo o morador, a médica – sem pedir exames – diagnosticou uma “erisipela” em seu tornozelo quando, na verdade, ele teria uma fratura. Ainda de acordo com o morador – um comerciante – ele teria sofrido 30 dias com dores terríveis e medicamentos inadequados, além de não conseguir trabalhar por mais de um mês.

O protesto contra as reformas do governo Temer, que levou cerca de 400 pessoas às ruas de Jales; a promessa da Prefeitura que prevê a instalação de faixas elevadas de pedestres nas principais avenidas da cidade; as críticas feitas por quatro vereadores ao pedido de licença do vereador Macetão, que está se afastando da Câmara por, inicialmente, trinta dias; as investigações da Polícia Federal envolvendo um funcionário do DAEE de Jales; e a Agritec, evento promovido pela Etec Jales para desenvolvimento do agronegócio, são outros assuntos de A Tribuna.

Na coluna Enfoque, os bastidores de reunião política realizada no sábado passado, quando o deputado Fausto Pinato(PP) aventou a possibilidade de termos Pedro Callado como candidato a deputado estadual em 2018. Na página de opinião, o Poletto diz que “o Brasil está em um ponto morto da história”, enquanto o Callado diz que “os municípios estão falidos”. E o santista Victor Pereira escreve sobre o papel das defesas no futebol atual. E no caderno social, destaque para a esperadíssima coluna do Douglas Zílio e para a inauguração da loja Amanda Semijoias, na Rua Dez.  

JOVEM DE JALES MORRE EM ACIDENTE NA MANHÃ DESTE SÁBADO

A notícia do Jornal do Povo cita, por precaução, apenas as iniciais, mas os nomes completos das duas jovens são Karina Brilhadori (foto) – que faleceu – e Deiseane Silva de Souza. Deu no portal de notícias da Rádio Assunção:

karina3Um grave acidente registrado por volta das 8h30 da manhã deste sábado, 29/04 nas proximidades da cidade de Vitória Brasil, tirou a vida da jovem K.B. de 29 anos, da cidade de Jales.

De acordo com as informações apuradas pela reportagem do Jornal do Povo da Rádio Assunção FM, o veículo Voyage com placas da cidade de Santa Abertina que estava com duas jovens moradoras da cidade de Jales, transitava pela rodovia Eliezer Montenegro Magalhães e tinha como destino a cidade de Ouroeste.

O veículo era conduzido pela jovem  D.S.S., de 23 anos. Nas proximidades da cidade de Vitória Brasil, teria perdido o controle da direção saindo além do acostamento e ao tentar retornar à pista veio a capotar várias vezes.

A jovem K.B. de 29 anos, que estava que no banco do passageiro, devido a gravidade dos ferimentos, morreu no local do acidente. A motorista do veículo D.S.S. foi encaminhada para a Santa Casa de Jales.

A Polícia Técnica Científica esteve no local do acidente, bem como o Corpo de Bombeiros que precisou serrar as ferragens do veículo para retirada das duas jovens. Também estiveram atendendo a ocorrência a equipe do SAMU, Polícia Rodoviária Estadual base operacional de Jales, bem como a Polícia Militar. As causas do acidente serão apontadas através de Perícia Técnica.

DEU NA FOLHA NOROESTE DE HOJE

folha noroeste 29.04.17No jornal Folha Noroeste deste sábado, a principal manchete destaca pesquisa realizada pelo pessoal do curso de Gestão Empresarial da Fatec Jales, sobre o humor dos consumidores do comércio jalesense. A notícia não diz que a pesquisa foi feita no dia 08 de abril, um sábado, mas não esclarece o número de consumidores entrevistados. De qualquer forma, o levantamento mostra que aumentou o pessimismo dos consumidores em relação ao cenário político e econômico. Nada menos que 69% dos entrevistados consideram que o cenário poderá piorar, sendo que na pesquisa anterior, realizada em dezembro de 2016, apenas 30% acreditavam que o ano de 2017 seria pior.

Destaque também para a visita que o prefeito Flávio Prandi(DEM) – acompanhado por uma comitiva de vereadores – fez ao Palácio dos Bandeirantes, onde assinou um convênio com a Secretaria Estadual de Agricultura e Abastecimento. O convênio prevê a liberação de R$ 699,9 mil para a recuperação de duas estradas rurais de Jales, num total de 6,58 quilômetros. Uma delas é a JAL 452, que passa pelo Córrego dos Coqueiros. A outra é a JAL 456, entre Jales e Urânia.

Na coluna FolhaGeral, o desembaraçado redator-chefe Roberto Carvalho está informando que na terça-feira passada, 25, completou um ano que a Câmara Municipal de Jales aprovou – em caráter de urgência – a doação de um terreno à Secretaria  Estadual de Educação. No terreno, localizado em frente ao Clube do Ipê, o governo estadual deveria construir um novo prédio para abrigar a EE “Juvenal Giraldelli”, mas, transcorrido um ano, não há, segundo o colunista, nenhuma informação de como andam os trâmites para início da construção.

REFORMA TRABALHISTA: RENAN DIZ QUE SENADO VAI OUVIR TRABALHADORES

images-cms-image-000543124

Ele, tanto quanto os outros, não é flor que se cheire, mas tem, é inegável, um faro político apurado. E já percebeu que o governo Temer fede. A notícia é do Brasil 247:

A greve geral desta sexta-feira 27, que paralisou escolas, bancos e transportes em todas as capitais do País, já produziu resultados práticos. A reforma trabalhista, que praticamente mata direitos consagrados na CLT, não será chancelada de forma automática pelo Senado. Quem avisa é o senador Renan Calheiros (PMDB-AL), líder do PMDB e ex-presidente da Casa.

“Uma discussão dessa importância, num momento de desemprego agudo como o atual, não pode ser votada de atropelo, na calada da noite”, disse Renan ao 247.

Num discurso no Senado, na tarde de ontem, Renan afirmou que Michel Temer tenta fazer a reforma do “dá ou desce” – ou os empregados aceitam as condições impostas pelos patrões ou buscam outro emprego. “Isso é inaceitável”.

Segundo ele, as paralisações desta sexta-feira foram muito fortes em todo o País, o que impõe a necessidade de diálogo. “Nós vamos chamar os trabalhadores e cada uma das centrais sindicais para discutir todos os pontos da reforma”, disse ele.

Renan afirmou ainda que a experiência internacional demonstra que, onde houve retirada de direitos e garantias sociais, não se viu nenhum aumento significativo dos empregos. “Ao contrário, só houve precarização”.

DESEMPREGO AUMENTA COM TEMER E JÁ ATINGE 14,2 MILHÕES DE BRASILEIROS

images-cms-image-000543055

Alguns paneleiros achavam que todos os problemas – incluindo o desemprego – ficariam resolvidos com a saída da Dilma. Mas, além de retirar direitos dos trabalhadores, o governo Temer só fez aumentar o desemprego. A notícia é da Reuters:

A taxa de desemprego no Brasil continuou em trajetória de alta e fechou o primeiro trimestre em 13,7 por cento, novo recorde histórico e com contingente de mais de 14 milhões de pessoas sem emprego em meio à dificuldade de a economia dar sinais consistentes de recuperação após dois anos seguidos de recessão.

Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, nos três meses até fevereiro, a taxa de desemprego estava em 13,2 por cento e, no primeiro trimestre de 2016, em 10,6 por cento. O resultado de março ficou em linha com pesquisa da Reuters junto a economistas.

“Fechamos o trimestre com notícias nada favoráveis para o mercado de trabalho. As pessoas estão tendo que se jogar no mercado em busca da sobrevivência”, destacou o coordenador da pesquisa, Cimar Azeredo.

Ele se referia ao número recorde de 103,123 milhões de pessoas na força de trabalho, ou aqueles que estão disponíveis para trabalhar, aumento de 1,4 por cento sobre o ano anterior.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou ainda que a quantidade de trabalhadores sem emprego no período atingiu 14,176 milhões, 27,8 por cento a mais do que no primeiro trimestre de 2016, ou 3,1 milhões a mais de pessoas sem um posto.

A população ocupada foi a 88,947 milhões de pessoas em março, o nível mais baixo desde o primeiro trimestre de 2012, início do levantamento, após recuo de 1,9 por cento sobre o mesmo período de 2016.

O número de trabalhadores com carteira assinada caiu a 33,406 milhões de pessoas no primeiro trimestre, o menor contingente da série

1 2 3 10