PACO: “DOU MAIS VALOR AO CARÁTER DAS PESSOAS DO QUE AOS PARTIDOS POLÍTICOS”

Falecido há cerca de duas semanas, vítima da covid-19, o ex-vereador Francisco Gerez Garcia, o Paco – na foto ao lado com o amigo Chico Melfi e o ex-prefeito Edson Freitas de Oliveira – não teve o direito a ser velado na Câmara Municipal, nem tampouco pôde ser homenageado pelos amigos, como merecia.

Paco foi vereador num tempo em que os vereadores não ganhavam salários – ou subsídios, como gostam de dizer os nobres edis de agora – nem diárias ou ajuda para a gasolina das viagens. Seu voluntariado não ficou apenas na política. Na vida comunitária, ele presidiu a APAE por vários anos.

Paco iniciou sua carreira política em 1972, como candidato a vereador pela Arena, o partido da ditadura militar, quando outro arenista – Honório Amadeu – se elegeu como prefeito de Jales. Eleito, Paco foi colega de outra vítima recente da covid: o “manda-brasa” Onevam José de Matos.

Em 1992, Paco foi personagem de um curioso episódio vivenciado em nossa Câmara Municipal, que à época, tinha 17 vereadores. Apoiado por seu tio, o prefeito José Antonio Caparroz, ele resolveu disputar a presidência do Legislativo, tendo como adversário o professor Oswaldo Soler. 

Paco era tão favorito que já tinha até reservado espaço em uma pizzaria da cidade, para a festa da vitória. Deu-se, então, a surpresa. Aberta a urna de votação – naquele tempo o voto era secreto – o placar foi de 10 a 7 para Soler.

Como as pizzas já estavam pagas, Paco decidiu manter a festa, até para esquecer a derrota. Outros nove vereadores compareceram ao regabofe, todos eles jurando ter votado no candidato derrotado. Enquanto isso, em um restaurante, Soler comemorava a vitória acompanhado por apenas seis vereadores.  

Ele abandonou a política em 1992, mas, em 1996, saiu do exílio temporário que vivia em Mirassol D’Oeste(MT), para vir a Jales dar um depoimento no horário eleitoral em que “detonava” o professor Rato, que disputava a Prefeitura com Pedro Pupim.

Por sua longa convivência com a Arena e os partidos que a sucederam, Paco causou surpresa em 2014, quando anunciou sua filiação ao “arqui-rival” PMDB. 

Naquela ocasião, entrevistado por este aprendiz de blogueiro sobre sua filiação ao PMDB, partido do qual ele foi adversário quase a vida inteira, Paco explicou que estava atendendo a um convite do presidente do partido, o Garça, a quem sempre respeitou como adversário.

E encerrou o papo com uma frase definitiva: “Dou mais valor ao caráter das pessoas do que aos partidos políticos”.

10 comentários

  • Sérgio

    Me desculpe Cardozinho, mas esse tal de PACO, não me trás boas memórias. Vivi em Jales todo esse período. Ele era um cara ARROGANTE e ELITISTA. Nunca cumprimentava um pessoa pobres. Era elitista e arrogante. Só tinha amizades de classe social média alta. Talvez por ser sobrinho do Caparroz. Nunca soube sequer a profissão dele, nunca vi ele trabalhar. Não é pq faleceu que se tornou pessoa boa. Agora, sua esposa sim. Gostaria que vc me corrigisse, se não me engano era professora. Ela sim, merece minha estima e condolências. Foi minha professora, Maria Elvira, merece meus pesares. Deu aula para mim. Pessoa de nobre saber. Humilde. Não tinha nenhuma discriminação entre pobres e ricos. Mas, mesmo assim, meus pesares à família. Que DEUS conforte o coração de todos seus familiares. Todo respeito meu a eles.

    • Catia

      Boa noite

      Não é porque faleceu que se tornou boa pessoa…. sempre foi .
      Não te culpo por não ter tido o privilégio de conhecê-lo.
      Todos que tiveram esta oportunidade, tenho certeza que pensam diferente de você.
      Sempre trabalhou pelo próximo, a frente da Apae por 15 anos, e também Câmara Municipal , por 4 mandatos.
      Um educador por formação que pelas condições de mercado de trabalho foi funcionário do FrigoJales por 25 anos …. nunca foi um a toa como sugeriu .

      Minha mãe conforme disse , sempre foi excelente pessoa.
      Ambos sempre tiveram os mesmos princípios e não teriam vivido 55 anos juntos se não tivessem os mesmos valores.

      Me perdoe …. mas ele não se aplica ao seus adjetivos ARROGANTE E ELITISTA.

  • Traíra

    Cadê a Tribuna? Você tá cuspindo no prato que te alimenta.

  • A TETA SECOU.

    NENHUMA CAPITAL TERA PREFEITO DO PT, REALMENTE A TETA SECOU.

  • PREJUDICADO

    EITA TA CENSURANDO COMENTARIOS , DEPOIS FALA DA CENSURA GOVERNO MILITAR KKKKKKKKKKKÇ

Deixe uma resposta para Sérgio Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *