GILBERTO GIL EXPLICA “CÁLICE”

Gilberto-Gil-e-Chico-Buarque

Muita gente imagina que a música “Cálice” seja uma composição de Chico Buarque e Milton Nascimento, os intérpretes da gravação original de 1978. Na verdade, a ideia de “Cálice” – surgida em uma Sexta-Feira da Paixão – foi de Gilberto Gil, que a levou ao Chico no dia seguinte para, juntos, compor a canção.

O refrão (Pai, afasta de mim esse cálice…) é de Gil, assim como a primeira estrofe (Como beber dessa bebida amarga…) e a terceira (De muito gorda a porca já não anda...). Chico escreveu a segunda estrofe (Como é difícil acordar calado…) e a quarta (Talvez o mundo não seja pequeno…).

Na primeira apresentação, em um evento chamado Phono 73, promovido pela gravadora Polygram, a censura do regime militar deu um jeito de calar Gil e Chico: os microfones do espetáculo foram desligados assim que eles começaram a cantar. Por conta dessa experiência, Gil não cantou mais “Cálice“.

Censurada, a música – composta num Sábado de Aleluia, em 1973 – só foi liberada cinco anos depois, quando Chico e Milton, com o acompanhamento luxuoso do MPB4, a gravaram. No vídeo abaixo, Gil explica como foi o processo de composição de “Cálice” e a dificuldade que ele tinha em falar dessa música:

 

 

5 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *