CIRO GOMES CURTO E GROSSO: “BOLSONARO É CORRUPTO E HELENO É UM PICARETA”

E tem gente achando que a divulgação daquela reunião bizarra fortaleceu o Bozo. Até alguns dias atrás, o Datena não abriria espaço para o Ciro Gomes, mas a citação à Bandeirantes, feita pelo presidente da Caixa, parece não ter agradado. Agora ele deixou Ciro falar à vontade, sem interromper o entrevistado, o que é raro. Vale a pena ver o vídeo:

PREFEITURA CEDE ÁREA DOADA POR EMPRESÁRIO PARA SABESP REALIZAR PERFURAÇÃO DO ‘POÇÃO TRÊS’

A notícia é da Secretaria Municipal de Comunicação:

O prefeito Flávio Prandi Franco, o Flá, se reuniu na manhã da última quarta-feira, 27 de maio, com o empresário jalesense Sebastião Junior Ferreira e o gerente da Divisão de Jales da SABESP, Gilmar Rodrigues de Jesus, ocasião em que foi oficialmente formalizada a cessão, pela Prefeitura de Jales, de área de 1.500 m² à SABESP – Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo.

A cessão da área só foi possível graças à doação do espaço que pertence ao empresário Junior Ferreira, à Prefeitura de Jales. A área localizada na Gleba Ribeirão Lagoa, no Córrego do Jataí, irá abrigar um poço com 1.400 metros de profundidade no Aquífero Guarani.

Além desta obra principal, o espaço irá abrigar ainda três torres de resfriamento, um reservatório apoiado de 500 mil litros, duas estações elevatórias de água, adutoras, cabine primária de energia elétrica e área de manobra para caminhões e guindastes, além de adutor, bombas e demais instalações elétricas e hidráulicas.

A obra, denominada “Poção 3”, tem custo previsto de R$ 7 milhões e sua execução será de total responsabilidade da Sabesp.  O objetivo é garantir o abastecimento de água às populações de Jales, Urânia e Santa Salete. “Temos a estimativa que, depois de concluir a perfuração do Poção 3, não precisaremos nos preocupar com o abastecimento de água por cerca de 20 anos ou até mais que isso”, afirmou o gerente Gilmar.

“Precisamos nos lembrar de que esta obra tão importante para o nosso município foi viabilizada graças à ação do nosso amigo Junior Ferreira, que doou uma área particular de 1.500m², para a Prefeitura, de forma que foi possível efetuar a transferência do local à Sabesp. Ficamos muito felizes por contar com a tranquilidade e segurança que a perfuração do Poção 3 irá nos trazer. Por muito tempo os munícipes de Jales, Urânia e Santa Salete não precisarão se preocupar com o abastecimento de água e isso nos tranquiliza”, ressaltou o prefeito Flá.

JURÍDICO DO INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DIZ QUE PROPOSTA DE REAJUSTE PARCELADO DA CONTRIBUIÇÃO É INCONSTITUCIONAL

A assessoria jurídica do Instituto Municipal de Previdência Social de Jales (IMPSJ) emitiu um parecer jurídico, a pedido do superintendente do órgão, Claudir Balestrero, sobre a proposta de aumento escalonado da contribuição previdenciária dos servidores municipais.

A proposta foi sugerida pelo Sindicato dos Servidores e, segundo informações, teria sido “aprovada” em reunião realizada na quinta-feira, 21, quando representantes do Sindicato, Prefeitura e Câmara teriam fechado um acordo em torno do aumento da contribuição.

O acordo prevê um aumento parcelado da contribuição – atualmente de 11% – que seria reajustada em 0,5% a cada semestre, chegando em três anos – ou seja, em 2024 – aos 14% que já estão sendo pagos pelos servidores federais e estaduais, cujas reformas previdenciárias já foram aprovadas.

Segundo o parecer, assinado pelo procurador jurídico Igor Santos Pimentel, a proposta é inconstitucional. O próprio responsável pelo parecer ressalta, porém, que a sua opinião não terá nenhuma utilidade, uma vez que já houve um acordo – sem a participação do Instituto – que prevê a aprovação do aumento parcelado.

O prefeito Flá Prandi confirmou a este blogueiro que iria retirar o projeto de reforma da previdência municipal, que está tramitando na Câmara, para reenvia-lo com as alterações propostas pelo Sindicato. O prefeito confirmou, também, que a Procuradoria Jurídica do município ainda não tinha se manifestado oficialmente sobre a proposta do Sindicato.

E por que o reajuste parcelado da contribuição seria inconstitucional? Segundo o advogado do Instituto, a proposta atropela pelo menos dois artigos da Emenda Constitucional 103/2019, aquela que reformou a Previdência Social.

Um desses artigos diz que “os municípios não poderão estabelecer alíquota inferior à da contribuição dos servidores da União”. O outro artigo estabelece que “até que entre em vigor lei que altere a alíquota da contribuição previdenciária, esta será de 14%”.

Para o superintendente do Instituto, Claudir Balestrero, o município poderá correr o risco de ficar sem o Certificado de Regularidade Previdenciária (CRP), o que impedirá a Prefeitura de receber repasses de recursos e firmar convênios com a União.

Perguntado por que a reforma da Previdência Municipal só começou a ser discutida em março, Claudir garantiu que iniciou tratativas com a Prefeitura em janeiro, quando enviou a proposta de reajuste.

O superintendente, que também é servidor municipal, disse que “eu entendo a situação dos servidores, que mais uma vez serão sacrificados, mas não temos como fugir a esse aumento”. Ele lembrou que o reajuste de 3% já foi aprovado em Fernandópolis, Votuporanga e São José do Rio Preto, “sem parcelamentos”.

Claudir citou, ainda, uma nota técnica da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), com orientações para as prefeituras, onde destaca que a lei que altera a contribuição – que não pode ser diferente de 14% – teria que ser publicada até abril de 2020, já que ela só começa a valer 90 dias após a publicação.

Criticado pelo presidente do Sindicato dos Servidores, José Luiz Francisco, por não ter comparecido à reunião de quinta-feira, 21, Claudir explicou os motivos do não comparecimento.

“Na reunião de terça-feira, ficou combinado que o Sindicato protocolaria sua proposta na Câmara e daria dois dias para que o nosso jurídico e o Conselho Consultivo fizessem uma análise da mesma. Ocorre que, até a quarta-feira à tarde nada tinha sido protocolado, de forma que nós achamos que nem haveria reunião”, disse Claudir.

“Nós fomos avisados que a reunião estava confirmada quando ela já estava começando, mas concluímos que não tínhamos o que fazer lá, uma vez que a proposta do Sindicato não tinha sido disponibilizada para análise do jurídico e do Conselho do Instituto, como havia sido combinado”, concluiu o superintendente.

JALES REGISTRA 07 CASOS POSITIVOS EM 24 HORAS. E UNIDADE DE SAÚDE DO JARDIM SÃO JORGE VOLTA A FUNCIONAR AMANHÃ

A Secretaria Municipal de Comunicação divulgou o balanço do coronavírus em Jales, nas últimas 24 horas. Segundo o balanço, 15 casos foram notificados pela Vigilância Epidemiológica Municipal para a Covid-19. Destes, 02 exames já receberam resultados negativos e os demais casos suspeitos seguem em análise e em isolamento domiciliar.

Dos casos já notificados anteriormente no boletim do município, 15 testaram negativo para a doença, mas infelizmente 07 casos testaram positivos (mulher de 26 anos, mulher de 57 anos, mulher de 78 anos, mulher de 46 anos, homem de 29 anos, homem de 46 anos e homem de 26 anos).

Desse modo, os casos positivos, que eram 14 ontem, saltaram para 21 nesta quarta-feira, dos quais 08 estão curados, 11 estão em isolamento e 02 estão internados. Os casos suspeitos que aguardam os resultados de exames, somam 13, dos quais 12 estão em isolamento domiciliar.

De outro lado, todos os integrantes da equipe da ESF Setuo Suetugo (Jardim São Jorge) que foram testados para ao novo coronavírus apresentaram resultados negativos. Portanto, essa unidade de saúde volta a funcionar normalmente amanhã, dia 28 de maio.

Das seis vagas da UTI adulto da Santa Casa de Jales, cinco estão ocupadas, o que significa uma taxa de ocupação de 83,3%. Dos pacientes internados na UTI, 02 são de Jales, 01 de Dolcinópolis, 01 de Pontalinda e 01 de Urânia.

DUPLA LUCAS E JOÃO MARCOS REALIZA LIVE SOLIDÁRIA EM PROL DA SANTA CASA E DA CAMPANHA ‘JALES SEM FOME’

A notícia é da assessoria de imprensa da Santa Casa:

A dupla Lucas & João Marcos promoverá uma live, em prol da Santa Casa de Jales e da campanha “Jales sem fome”, que ocorrerá no próximo sábado, dia 30 de maio, as 14h00 no canal do Youtube da dupla.

Vários artistas estão contribuindo com instituições que tiveram que cancelar ações e eventos que ajudavam a suprir o déficit devido a esse período de pandemia.

Além disso a Santa Casa de Jales ressaltou que está com custos acima do habitual, por conta das despesas extras para o combate do novo coronavírus (COVID-19), estão realizando campanhas de doação e outras formas de equilibrar as despesas e receitas.

Neste momento é importante a colaboração de todos, fique em casa para reduzir a transmissão e ajude a Santa Casa de Jales com doação de qualquer valor para agência do banco do Brasil número 0411-1, conta corrente 49.000-8 (CNPJ 50.565.936/0001-38). 

VEREADORES QUESTIONAM PREFEITURA SOBRE AFASTAMENTO DE SERVIDORES QUE ESTÃO NO GRUPO DE RISCO DA COVID-19

Da assessoria de imprensa da Câmara:

Os vereadores Claudecir dos Santos – Tupete e Luiz Henrique Viotto – Macetão, em Sessão Ordinária (26), apresentaram um requerimento questionando se a Prefeitura vai afastar das atividades os servidores que se enquadram no grupo de risco da covid-19.

Os vereadores justificaram que as pessoas idosas, hipertensas, com insuficiência renal e doença respiratória crônicas são as mais vulneráveis a contrair o vírus. Vários órgãos dispensaram os funcionários do grupo de risco para evitar que fiquem expostos e tenham complicações decorrentes da contaminação por coronavírus.

Macetão comentou o requerimento: “É para saber o que oficialmente está sendo feito com os funcionários, se foi feito o afastamento. No Ceo (Centro de Especialidades Odontológicas) também tem uma funcionária que foi diagnosticada e continua aberto. Qual protocolo que o prefeito está seguindo?”, disse.

O vereador Vanderley Vieira – Deley falou sobre a propositura: “As cidades que não fecharam os estabelecimentos antes estão com muitos casos. Vai morrer muita gente sem socorro. Não sei até quando o estado de São Paulo vai suportar”.

Os vereadores indagaram quantos servidores são do grupo de risco e quais medidas serão adotadas para evitar que os outros servidores se contaminem. Macetão e Tupete também solicitaram informações sobre a servidora do Centro de Especialidades Odontológicas que teria contraído a covid-19.

O requerimento foi aprovado por unanimidade e encaminhado ao Poder Executivo, que tem até 15 dias úteis para enviar resposta ao Legislativo. Todos os requerimentos e suas respostas ficam disponíveis ao público no site da Câmara Municipal (www.jales.sp.leg.br).

SARA WINTER PODE SER PRESA PREVENTIVAMENTE POR AMEAÇAS A MINISTRO ALEXANDRE DE MORAES, DIZ ADVOGADO

O advogado criminalista André Perecmanis, professor universitário, afirmou que a militante bolsonarista Sara Winter deveria ser presa, depois de ameaçar o ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes. 

“Investigada por integrar quadrilha q dissemina fakenews, Sara Winter postou vídeo lamentando ñ estar em SP p/ ‘trocar socos’ com o Ministro Alexandre de Moraes e o ameaçando expressamente. Um investigado q ameaça o magistrado q cuida do caso deve ser preso preventivamente. Fim”, escreveu ele no Twitter.

A militante foi alvo da ação da Polícia Federal nesta quarta-feira, 27, determinada pelo ministro da Corte. “A gente vai descobrir os locais que você frequenta, quem são suas empregadas domésticas, a gente vai descobrir tudo da sua vida, até o senhor pedir para sair”, disse ela no Twitter.

Abaixo, o vídeo com as ameaças:

 

FRANÇA PROÍBE USO DE CLOROQUINA NO TRATAMENTO DA COVID-19

Há alguns dias, o porta voz do bolsonarismo, Alexandre Garcia, noticiou que o Reino Unido estava comprando não sei quantos milhões de comprimidos de cloroquina. A notícia é verdadeira, mas, ao contrário do que deu a entender o ex-urubólogo, a cloroquina não será utilizada no tratamento da covid-19.

Na verdade, será utilizada em testes de larga escala que serão realizados de junho a janeiro por hospitais em profissionais da saúde. A notícia do jornal The Guardian diz que “apesar dos testes, o Reino Unido não recomenda o uso do remédio, assim como as autoridades de saúde no mundo, já que não há uma comprovação científica de sua eficácia”.

PS.: O UOL está noticiando na tarde desta quarta-feira, que o governo do Reino Unido suspendeu os testes.

A notícia sobre a França é do Valor:

A França decidiu proibir o uso da hidroxicloroquina em pacientes com covid-19 por causa de estudos que mostraram que o medicamento tem pouca eficácia no combate ao novo coronavírus e pode gerar perigosos efeitos colaterais.

O decreto com as novas regras, que suspende uma decisão anunciada há dois meses para permitir que o remédio fosse usado sob supervisão médica, foi anunciado nesta quarta-feira pelo Ministério da Saúde.

Além disso, o governo francês também determinou a suspensão de novos testes clínicos com a cloroquina para o tratamento da covid-19.

O uso da cloroquina, normalmente em associação com antibióticos, era defendido por Didier Raoult, um polêmico virologista do país, e por lideranças mundiais, como Donald Trump e Jair Bolsonaro.

O remédio continuará sendo usado na França para o tratamento de doenças contra as quais sua eficácia é comprovada, como lúpus e outras doenças autoimunes.

SEM RESULTADOS POSITIVOS, HOSPITAIS DO PAÍS ABANDONAM A CLOROQUINA

Até o hospital de Floriano, no Piauí, onde a ministra Damares disse estar havendo o “milagre da cura” pela cloroquina, suspendeu o uso medicamento. A notícia do UOL:

A falta de bons resultados em estudos clínicos e a percepção de que a cloroquina e a hidroxicloroquina não trazem resultados positivos no tratamento contra a covid-19 — e ainda causa efeitos colaterais — levaram hospitais do país a descartar o medicamento de seus protocolos médicos sobre a doença causada pelo novo coronavírus.

A decisão desses hospitais contraria o novo protocolo do Ministério da Saúde, que na semana passada expandiu, sem nenhuma comprovação científica, o uso da medicação para pacientes na fase inicial da doença, como defende o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Dois dias depois da decisão do ministério, a maior pesquisa já publicada no mundo sobre a cloroquina apontou que a droga não oferece benefícios e traz riscos cardíacos aos pacientes com covid-19. Com base nesse estudo, a Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciou a suspensão dos testes com a cloroquina por conta dos riscos aos pacientes.

Antes mesmo da conclusão de estudos mais aprofundados, médicos e hospitais ouvidos pelo UOL apontaram a ineficácia do remédio e alertaram para os riscos. Algumas unidades de saúde chegaram a inserir a cloroquina no protocolo, mas ela foi retirada pouco tempo depois.

Segundo Frederico Jorge Ribeiro, coordenador de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do HSE (Hospital dos Servidores do Estado), no Recife, a medicação chegou a ser usada nos primeiros pacientes. Porém, como não se viu qualquer benefício, no dia 29 de março o remédio foi retirado do protocolo.

“Já naquela época não evidenciamos resultados que mostrassem a efetividade da cloroquina no tratamento de pacientes com covid-19. Usamos em alguns pacientes do HSE, com resultados frustrantes. Além disso, a cloroquina tem o potencial de provocar arritmias, que é agravado com o uso concomitante de azitromicina. Por isso, suspendemos o uso”, afirma.

FRASE

“O que está acontecendo é algo que qualquer um desconfie que seja proposital. Querem incentivar rachaduras diante de inquérito inconstitucional, político e ideológico sobre o pretexto de uma palavra politicamente correta? Você que ri disso não entende o quão em perigo está!”

(Eu não entendi nada! Se você entendeu, por favor me explique. A frase é do genial Carlos Bolsonaro, revoltado com a operação da PF contra a indústria de fake-news pró-Bolsonaro)

1 2 3 1.426