É OFICIAL: PREFEITURA SUSPENDE ATIVIDADES DO TEATRO MUNICIPAL

A Secretaria Municipal de Comunicação enviou notícia que confirma a interdição temporária do Teatro Municipal. Ei-la:

Em função de problemas estruturais, a Prefeitura Municipal de Jales, atendendo recomendação da Secretaria Municipal de Obras, Serviços Públicos e Habitação, do Corpo de Bombeiros e do Ministério Público Estadual, por meio do promotor de justiça Dr. Eduardo Hiroshi Shintani, suspendeu temporariamente as atividades de acesso ao público realizadas no Teatro Municipal de Jales, localizado na Rua 8, nº 2270, no Centro da cidade.

Antes mesmo da recomendação, a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Obras, Serviços Públicos e Habitação e do Corpo de Bombeiros apurou necessidades de adequação para evitar danos e acidentes às pessoas que frequentam o local. Por esse motivo a Prefeitura acatou a recomendação.

Diante das vistorias técnicas realizadas no espaço, a Prefeitura já havia elaborado um projeto de adequação estrutural e proteção de combate a incêndio, o qual foi aprovado em 2018, através do Conselho Municipal de Turismo, tendo, dessa forma, a destinação de recursos financeiros provenientes do Dadetur (Departamento de Apoio ao Desenvolvimento dos Municípios Turísticos) será utilizado para a completa adequação das necessidades existentes no Teatro.

A Secretaria Municipal de Esportes, Cultura e Turismo entrará em contato com as empresas que haviam reservado o espaço do Teatro Municipal para a realização de eventos no espaço e comunicar o ocorrido.

Histórico

Em abril de 2013 o Teatro chegou a ser interditado. Um laudo assinado pelo então secretário de Obras à época, pela chefe de gabinete da pasta e pelo chefe de gabinete da Secretaria Municipal de Planejamento, Desenvolvimento Econômico e Trânsito, constatou que a edificação apresentava problemas na cobertura de estrutura metálica e telhas de fibrocimento. Parte das telhas de fibrocimento entraram em colapso e a cobertura sofreu perca de função devido as chuvas e ao desgaste do material, causando problemas de umidade no forro de gesso. Esse forro apresentava sinais de fadiga e umidade, podendo ceder a qualquer momento.

Como se percebe, o problema persiste desde aquela época em que o teatro apresentava outros problemas. O sistema de captação de águas pluviais também estava comprometido, segundo os profissionais que emitiram o laudo de interdição do imóvel em 2013.

DE 22 INSCRITOS PARA ELEIÇÃO DO CONSELHO TUTELAR, 16 TIVERAM INSCRIÇÕES INDEFERIDAS

O Diário Eletrônico do Município publicou, nesta quarta-feira, o edital nº 04 da Comissão Eleitoral do CDMA, com os nomes dos inscritos para as eleições do Conselho Tutelar, marcadas para 06 de outubro, cujas inscrições foram indeferidas por conta da falta de algum documento.

E não foram poucas: nada menos que 16 inscrições foram indeferidas, inclusive a da atual conselheira Marilene Antunes. Ou seja, por enquanto apenas 06 das 22 inscrições estão confirmadas. A maioria dos indeferimentos ocorreram pela falta de certidões e de comprovante de residir em Jales há mais de cinco anos.

Não quer dizer, no entanto, que os indeferidos estarão definitivamente impedidos de disputar a eleição. Eles terão seis dias – de 18 a 23 de julho – para apresentar suas respectivas defesas, a fim de reverter o indeferimento.

CASO VIRE EMBAIXADOR, SALÁRIO DE EDUARDO BOLSONARO PODERÁ CHEGAR A R$ 70 MIL

Deu na coluna do Guilherme Amado, na revista Época:

Caso seja confirmada a nomeação do filho do presidente Jair Bolsonaro, Eduardo Bolsonaro, o “Zero Três”, para ser o embaixador brasileiro em Washington, o atualmente deputado federal vai ver seu salário dobrar.

De acordo com o Itamaraty, a remuneração bruta para o cargo é de US$ 18.216,25, o que equivale a R$ 68.546,57.

O valor considera que Eduardo Bolsonaro vai levar sua esposa, Heloísa Wolf Bolsonaro, com quem se casou em maio. O embaixador em Washington, casado, tem direito a um auxílio familiar de US$ 958,75 mensais, ou seja, R$ 3.607,71.

Somados, o valor que receberá será mais que o dobro dos R$ 33.763 que recebe atualmente enquanto deputado federal.

MINISTÉRIO PÚBLICO RECOMENDA INTERDIÇÃO DO TEATRO MUNICIPAL

Fontes confiáveis garantiram a este aprendiz de blogueiro que a Prefeitura de Jales decidiu atender a uma recomendação do Ministério Público local e está interditando parte do prédio do Centro Cultural “Edílio Ridolfo”.

Segundo consta, serão interditados camarins, palco e o setor da plateia – ou seja, as poltronas. A Secretaria Municipal de Esportes e a Central de Penas e Medidas Alternativas(CPMA), instaladas em algumas salas localizadas no Centro Cultural continuarão funcionando normalmente.

Esta não é a primeira vez que o Teatro é interditado. Em abril de 2013, a interdição ocorreu após laudo técnico do então secretário de Obras, Oswaldo Polízio Júnior, que apontou problemas estruturais graves no prédio.

Em dezembro de 2018, o prefeito Flá Prandi assinou um convênio que destinaria R$ 594,7 mil do programa Município de Interesse Turístico (MIT) para reformas no Centro Cultural. Com a chegada de João Dória ao poder, os convênios do MIT assinados pelo governo anterior – de Márcio França – foram suspensos.

MORO E DALLAGNOL DISCUTIRAM USAR DINHEIRO DE DEPÓSITOS JUDICIAIS PARA FAZER PROPAGANDA DA LAVA JATO

Deu no portal de notícias jurídicas Conjur:

O procurador Deltan Dallagnol pediu que o ex-juiz Sergio Moro autorizasse o uso de dinheiro em poder da 13ª Vara Federal de Curitiba para bancar uma campanha publicitária a favor da “lava jato”. A ideia de Deltan era que a vara financiasse a produção de um vídeo a ser veiculado na TV Globo para divulgar os projetos de reformas legais que os procuradores chamaram de “dez medidas contra a corrupção”.

A ideia foi apresentada a Moro pelo Telegram no dia 16 de janeiro de 2016: “Vc acha que seria possível a destinação de valores da Vara, daqueles mais antigos, se estiverem disponíveis, para um vídeo contra a corrupção, pelas 10 medidas, que será veiculado na globo?? A produtora está cobrando apenas custos de terceiros, o que daria uns 38 mil. Se achar ruim em algum aspecto, há alternativas que estamos avaliando, como crowdfunding e cotização entre as pessoas envolvidas na campanha”.

A conversa foi divulgada nesta segunda-feira (15/7) pelo jornalista Reinaldo Azevedo, da rádio BandNews FM, em parceria com o site The Intercept Brasil.

Depois de expor sua ideia a Moro, Deltan enviou ao ex-juiz o roteiro do vídeo. A propaganda seria um ladrão de terno e grava invadindo “uma casa de família de classe média” e roubando coisas, para dar ideia de que “a corrupção atinge a sua vida de tantas formas que você nem percebe”, como diria uma narração.

Um dia depois, Moro respondeu a Deltan que achava possível aquele valor, mas iria avaliar e respondeu depois. “Se for so uns 38 mil achi [quis escrever “acho”] que é possível. Deixe ver na terça e te respondo”.

O vídeo foi produzido, mas, ao que tudo indica, não foi veiculado na Globo [veja no final do texto]. Mas a destinação de dinheiro em poder de varas judiciais para campanhas publicitárias é ilegal. Esse dinheiro, proveniente de multas, custas e outras verbas, embora fique em poder do Judiciário, pertence ao Tesouro. No caso da Justiça Federal, ao Tesouro Nacional.

A divulgação acontece um dia após uma reportagem do jornal Folha de S. Paulo mostrar que Deltan queria abrir empresas de eventos para lucrar com a fama obtida na operação “lava jato” dando palestras.

Para evitar questionamentos legais e críticas, a ideia era que as empresas fossem gerenciadas pelas mulheres dele e do procurador Roberson Pozzobon.

BOLSOMINIONS PREGAM BOICOTE À RÁDIO BANDEIRANTES, APÓS ESTREIA DE MARCO ANTONIO VILLA

O professor Villa – tucano de carteirinha – se notabilizou por criticar sistematicamente o PT e petistas, sem nunca ter sido patrulhado pelo petismo.

Iniciada a “Era Bozozóica”, ele foi demitido da Jovem Pan por criticar Bolsonaro. E agora, já no dia da estreia na Rádio Bandeirantes, está sendo excomungado pelos bolsominions que não admitem críticas a seus ídolos.

Deu na Revista Fórum:

A estreia de Marco Antonio Villa na Rádio Bandeirantes nesta segunda-feira (15) gerou ira nos bolsonaristas que lançaram hashtag no Twitter contra o comentarista que agora comanda o programa Primeira Hora. A tag tomou conta dos assuntos do momento com críticas à emissora e muitas ironias contra o “movimento”.

Villa foi contratado pela Bandeirantes após ser demitido da rádio Jovem Pan por, ao que tudo indica, sofrer pressões por discordar do governo de Jair Bolsonaro. No programa de estreia, ele criticou duramente o anúncio da possível indicação de Eduardo Bolsonaro como embaixador do Brasil nos EUA.

A volta de Villa irritou bolsonaristas, que lançaram a hashtag contra a Band, pedindo boicote ao grupo. 

CÂMARA: JOCÉLIA CABRINI FOI A 9a MULHER A OCUPAR CADEIRA DE VEREADORA EM 80 ANOS

A servidora estadual e cerimonialista Jocélia Cabrini dos Santos Lima, de 41 anos, assumiu uma cadeira de vereadora durante a votação do parecer do Tribunal de Contas do Estado(TCE), favorável à aprovação das contas anuais da Prefeitura, relativas ao exercício de 2016.

Ela substituiu o vereador – e atual presidente da Câmara – Nivaldo Batista de Oliveira, o Tiquinho, que estava impedido de participar da votação do parecer, por ter assumido o cargo de prefeito por cinco dias, no lugar do titular Pedro Callado, em fevereiro de 2016.

Mesmo que por apenas 45 minutos, tempo que durou a discussão e votação das contas de 2016, Jocélia foi a 9ª mulher a ocupar uma cadeira de vereadora na Câmara de Jales, desde 1949. Antes dela, o Legislativo jalesense teve oito mulheres no cargo de vereador, sendo quatro delas como titulares – Hilda Elias Rochel de Souza(1949-53), Esmarlei Melfi(1982-92), Aracy Murari (2001-2012) e Pérola Cardoso (2009-2016).

As outras quatro, que assumiram o cargo temporariamente, foram: Nair Jorge (1959), Rosângela Bigulim (1983), Vera Aydar (1997) e Maria Aparecida Fuzetto, a Cida da Farmácia (2013). Jocélia deverá voltar à Câmara em agosto para votar as contas de 2015, que, ao contrário das contas de 2016, tiveram parecer desfavorável do Tribunal de Contas.

Em 2015, Tiquinho substituiu o prefeito Pedro Callado por 15 dias e, mais uma vez, não poderá participar da votação.

PREFEITO NO CEARÁ, MÉDICO ABUSAVA DE PACIENTES DURANTE CONSULTAS E FILMAVA OS CRIMES

A matéria não diz, mas ele é filiado ao PCdoB. Deu no jornal gaúcho Zero Hora:

O programa Fantástico, da TV Globo, divulgou neste domingo (14) reportagem sobre uma série de abusos sexuais que teriam sido cometidos por um ginecologista e clínico-geral ao longo de 32 anos. Ao menos 63 vídeos mostram José Hilson de Paiva, 70 anos, que também é prefeito da cidade de Uruburetama, no interior do Ceará, abusando de pacientes em consultas — alguns vídeos também foram gravados em atendimentos no município de Cruz. 

A reportagem encontrou 11 mulheres que disseram ter sido vítimas do médico, em casos de abusos que teriam ocorrido entre 1986 e 2018. Uma delas afirmou que começou a ser abusada aos 14 anos e voltava a consultar com o ginecologista pois ele era o único especialista do município.  

Ao analisar as imagens — gravadas pelo próprio José Hilton —, representantes da Associação Médica Brasileira afirmam que os procedimentos verificados nas filmagens não são adotados em nenhum momento no trabalho médico e classificam como crime as ações praticadas pelo ginecologista.

Ao ser procurado pela reportagem da TV Globo, o prefeito afirmou que “nunca fez nada forçado” e que a ação é “uma jogada da oposição” que quer derrubá-lo. Ele confirmou, no entanto, que houve relações sexuais, mas negou a realização em consultório.

O advogado do ginecologista afirmou em nota que ainda não teve conhecimento dos vídeos e que aguarda as mídias para uma manifestação mais concreta sobre o caso. A defesa disse ainda que irá ao Ministério Público checar a veracidade dos fatos.

Notícia bem mais completa e detalhada sobre o caso do médico-prefeito, publicada pelo Diário do Nordeste, pode ser lida aqui.

1 2 3 1.305