POR ONDE ANDA JOSÉ SERRA?

Pelo visto, não são apenas o João de Deus, o Cesare Battisti e o motorista dos Bolsonaros que estão sumidos, como sugere a charge do talentoso Pelicano. Segundo o Zé de Abreu, tem mais gente desaparecida. Deu no Brasil 247:

O ator José de Abreu questionou neste sábado, 15, o desaparecimento do senador José Serra (PSDB-SP). Investigado em vários processos, entre eles um sobre supostas fraudes na construção do Rodoanel Sul, Serra tem ficado recluso.

“E o Serra, heim? Roubou a vida inteira, deixou a filha bilhardária, perdeu várias eleições e sumiu… Assim como seus processos. Sumiram”, diz Abreu pelo Twitter. 

JORNAL DE JALES: TRIBUNAL DE JUSTIÇA CONFIRMA QUE “DÍVIDA DA MINERVA” ESTÁ PAGA

Eis a capa do Jornal de Jales deste domingo, cuja principal manchete trata da decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo, confirmando que o débito com o Espólio de Euphly Jalles – também conhecido como “a dívida da Minerva” – já foi totalmente pago. Os advogados da família do fundador pleiteava uma mudança no cálculo da correção da dívida, que resultaria em um novo débito de quase R$ 8 milhões para a Prefeitura pagar. A decisão do TJ-SP foi dada a conhecer na quinta-feira, 13, e confirmou sentença o juiz da 2ª Vara de Jales, Alexandre  Kiataqui, que, em março deste ano, já tinha dito que a dívida estava liquidada,  rejeitando a pretensão dos advogados dos Jalles.

Destaque, igualmente, para entrevista do advogado jalesense Aislan Queiroga Trigo, que já foi presidente da subseção da OAB-Jales e agora foi eleito para o cargo de secretário-geral da OAB-SP. Na entrevista, Aislan diz que o fortalecimento das subseções da Ordem em todo o estado, bem como a implantação de um Portal da Transparência no órgão são algumas das prioridades da nova diretoria, que será comandada pelo presidente Caio Augusto Santos da Silva. Aislan disse, também, que a valorização da advocacia é o principal instrumento para aperfeiçoá-la em todo o país, o que, segundo ele, beneficiará não somente a classe dos advogados, mas toda a cidadania.

A final do campeonato municipal de futebol, que agitou o campo da Fepasa no domingo passado; a consolidação do Comboio como o melhor local para realização dos leilões do Hospital de Amor; o sucesso da jalesense Mariana Saad, influencer digital e empresária de beleza que conquistou o Brasil e o mundo; as atrações programadas pela Prefeitura e pela ACIJ para o comércio jalesense, que funcionará em horário especial a partir dessa segunda-feira; a volta do vereador Tiquinho à presidência da Câmara e a homenagem ao comerciante Pedro Laert Pupim, aprovada pelos vereadores, são outros assuntos do JJ.

Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior comenta os 50 anos do Ato Institucional nº 5 (AI-5), completados na quinta-feira. Editado em 13 de dezembro de 1968, o AI-5 implicou em prisões indiscriminadas, torturas, cassações de mandatos, suspensão de direitos políticos, censura à imprensa, atentados com morte, fechamento do Congresso, etc.  Cerca de 500 filmes, 450 peças teatrais, 200 livros, 100 revistas, mais de 500 letras de música e até novelas foram censuradas pelo regime militar.  Deonel lembra que, em Jales o facão do AI-5 alcançou o ex-prefeito e deputado estadual Roberto Rollemberg, que foi cassado em 1969. Apesar de ter sido eleito pela Arena – o partido do regime – Rollemberg tinha fama de comunista.

MIGUEL, O PEQUENO JALESENSE QUE GANHOU UM CORAÇÃO NOVO, TEM ALTA HOSPITALAR

A notícia é do Diário da Região:

Miguel Augusto Fernandes Chavier, que foi submetido a um transplante do coração no dia 16 de novembro, no Hospital da Criança e Maternidade (HCM) de Rio Preto, recebeu alta hospitalar na tarde deste sábado, 15. O pequeno morador de Jales, de apenas um ano, tinha miocardiopatia dilatada, que faz com que o coração cresça mais que o normal dentro do corpo sem nenhuma explicação.

Antes da cirurgia, a criança estava há 50 dias na Unidade de Terapia Intensiva do HCM recebendo diversos medicamentos para garantir que o órgão continuasse a bater. De acordo com Ulisses Croti, cirurgião-chefe do Serviço de Cardiologia e Cirurgia Cardiovascular Pediátrica do HCM, Miguel foi a menor criança a receber um transplante até hoje em Rio Preto.

A criança recebeu o órgão do garoto Lucca Miguel, de seis anos, filho de Elissom, ex-goleiro do Cruzeiro. O menino morreu no Hospital Público Regional de Betim no dia 15 de novembro, após ficar internado durante uma semana devido a um acidente doméstico.

CIENTISTA BRASILEIRA DESENVOLVE ‘CANETA’ QUE IDENTIFICA CÂNCER EM SEGUNDOS

Deu no portal de notícias da Band:

Uma cientista brasileira liderou os estudos para a criação de uma espécie de caneta que permite diagnosticar tumores em poucos segundos.

Lívia Eberlin trabalha como professora de química na Universidade do Texas; formada na Unicamp e pós-graduada nos Estados Unidos, ela acaba de ganhar uma bolsa de quase R$ 2,5 milhões da fundação norte-americana MacArthur, conhecida informalmente por premiar gênios de diferentes áreas, das artes a computação.

Tamanho reconhecimento veio graças a uma invenção com potencial de revolucionar o tratamento do câncer. Eberlin e sua equipe criaram um aparelho no formato de uma caneta que permite identificar em segundos se o paciente tem um tumor.

A “caneta”, quando em contato com o tecido humano, libera uma minúscula gota de água. As substâncias químicas presentes nas células vivas se movem, então, para a gotícula, que é sugada para análise.

O aparelho funciona ligado por um tubo a um equipamento chamado espectrômetro de massas, que realiza uma espécie de raio x das moléculas, analisando diversas características, como peso, estrutura e composição.

Nos experimentos conduzidos por Lívia, essa “impressão digital química” permite que os médicos descubram em segundos, durante a cirurgia, se o tecido analisado é saudável ou um tumor. Uma análise padrão desse tipo pode levar até duas horas.

“Em várias cirurgias de câncer o que se faz é: você retira o tecido, faz uma biópsia, manda para o patologista e você tem que esperar o resultado”, explica Lívia. “Nossa visão dá a possibilidade para o cirurgião de fazer a análise dentro do paciente, antes mesmo de remover o tecido. Ou seja, de imediato.”

“A esperança é que a gente consiga reduzir a ocorrência de uma segunda cirurgia, já que o cirurgião poderá retirar [todo o tumor] de uma vez só”, acrescentou a cientista brasileira.

MILTON NASCIMENTO – “MARIA, MARIA”

A melodia de “Maria, Maria” foi composta por Milton Nascimento em 1976, para integrar a trilha sonora de um balé do Grupo Corpo. Fernando Brant, autor do roteiro do balé, inspirou-se nas mulheres negras de nome Maria que trabalharam em sua casa, quando ele, ainda criança, morava em Diamantina.

Sem letra, “Maria, Maria” era cantada por Milton à base “lá-lá-lás”. Até que, em 1978 – depois que o Grupo Corpo já tinha excursionado pelo Brasil e até pelo exterior – Milton cismou de pedir a Brant que fizesse uma letra para que a música fosse incluída em seu próximo disco.

Para Brant foi moleza. Segundo o livro “A Canção no Tempo”, Brant compôs os versos de “Maria, Maria” durante o intervalo de um jogo do Brasil na Copa do Mundo de 1978, aquela em que a seleção brasileira foi, nas palavras de seu técnico, Cláudio Coutinho, a “campeã moral”. Explico: nossa seleção não perdeu nenhum jogo e foi desclassificada no saldo de gols depois de um jogo suspeito em que a Argentina goleou o Peru, cujo goleiro, um peruzeiro, era argentino.

Deixemos, porém, o Cláudio Coutinho de lado e voltemos a “Maria, Maria”, que foi gravada ainda em 1978 e tornou-se um dos destaques do famoso disco Clube de Esquina 2. A música foi um marco na carreira de Milton que, a partir dela, passou a ser conhecido em toda a América.

No clipe abaixo, com a participação das atrizes Zezé Mota e Camila Pitanga, a versão mais recente de “Maria, Maria”.

A TRIBUNA: EX-PREFEITO DE DOLCINÓPOLIS RESPONSABILIZADO PELO SUMIÇO DE R$ 149 MIL DESTINADOS À AQUISIÇÃO DE ÔNIBUS

No jornal A Tribuna deste final de semana, a principal manchete destaca que, de acordo com o TJ-SP, a nossa Prefeitura já não deve mais nada à família Jalles, por conta da desapropriação do Distrito Industrial. A matéria diz que a 9ª Câmara de Direito Público do TJ-SP negou provimento a um recurso dos herdeiros do fundador Euphly Jalles e confirmou sentença do juiz Alexandre Yuri Kiataqui, da 2ª Vara de Jales, dando por finda a famosa “dívida da Minerva” que nos acompanha desde 1986. Os advogados dos herdeiros alegavam que, de acordo com os cálculos deles, o município ainda estava devendo R$ 7,6 milhões em 2015, mas, nem a Justiça de Jales nem o TJ-SP concordaram com esses cálculos.

Se a dívida com dona Minerva está liquidada, de outro lado, parece que a Prefeitura terá que desembolsar um bom dinheiro para pagar dívidas com as duas empresas que foram responsáveis pela limpeza urbana e a coleta de lixo em Jales. A Ecopav, que prestou serviços de 2007 ao final de 2013, e a Proposta Ambiental, que cuidou da limpeza do início de 2014 até maio de 2015, foram à Justiça para cobrar o município. A Ecopav está cobrando R$ 226,2 mil e já ganhou a ação de cobrança em Jales e no TJ-SP. E a Proposta ajuizou duas ações, nas quais diz que a Prefeitura está devendo R$ 580 mil a ela. No caso da Proposta, as ações ainda não foram julgadas pela Justiça local.

A polêmica envolvendo a entrega das 99 casas do conjunto habitacional “Honório Amadeu”, que, segundo o presidente da CDHU, estaria sendo retardada pelo prefeito Flá por motivos políticos; a condenação da ex-prefeita Nice Mistilides e da empresa Proposta Ambiental Ltda, que, depois de muito barulho, terão de devolver – pasmem! – apenas R$ 8,8 mil à Prefeitura; o mutirão da Sabesp para renegociar dívidas de clientes; a assinatura do convênio com o governo estadual, através do MIT, que vai proporcionar R$ 600 mil para a reforma do Teatro Municipal; e os shows da programação de Natal da Associação Comercial, são outros assuntos de A Tribuna.

Na coluna Enfoque, destaque para o encrencado ex-prefeito de Dolcinópolis, José Luiz Reis Inácio de Azevedo, que está sendo responsabilizado pelo sumiço dos R$ 149 mil enviados em 2014 pelo governo federal para aquisição de um ônibus escolar; na página de opinião, o padre Eduardo Ramos escreve sobre Papai Noel e Jesus Cristo, enquanto o presidente eleito da OAB-SP, Caio Augusto, fala do trabalho indispensável dos advogados. No caderno social, destaque para a colorida coluna do Douglas Zílio e para o “Prêmio Destaques do Ano”, promovido pela agência Tribo Propaganda.    

CARRETA DE PREVENÇÃO AO CÂNCER VOLTA A JALES NA PRÓXIMA SEGUNDA-FEIRA

A notícia é da assessoria de imprensa do Hospital de Amor:

O Hospital de Amor Jales vai receber novamente, nas suas dependências, a unidade móvel de prevenção do câncer de mama. Desta vez, ela ficará disponível de 17 a 21 de dezembro. A ação é uma parceria entre a instituição e a Secretaria Municipal de Saúde.

A carreta ficará estacionada no pátio do estacionamento do Hospital, que fica localizado na Av. Francisco Jales, 3737 – Vila Maria. Segundo a enfermeira responsável pela unidade móvel, Ariane Muniz, serão oferecidos exames para todas as mulheres que se encaixem no perfil de risco. O atendimento será realizado por ordem de chegada, no entanto, as vagas são limitadas para o dia.

Mulheres de 40 a 49 anos, que fizeram seu último exame a mais de um ano, e de 50 a 69 anos, que fizeram a mais de dois anos, poderão se submeter ao exame de mamografia. Para participar, as interessadas deverão comparecer no Hospital de Câncer – agora Hospital de Amor, das 8h às 17h. É necessária a apresentação de xerox do CPF e RG, comprovante de residência e cartão SUS.

Mais informações podem ser obtidas na unidade de Prevenção em Fernandópolis, pelo telefone (17) 3465–5560.

MUNICÍPIO DE JALES TAMBÉM ADERE À PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DO ESTADO

A novidade está pendurada no portal do governo do Estado:

Na última terça-feira, 11, o prefeito de Jales, Flávio Prandi Franco, assinou o convênio de adesão ao PREVCOM MULTI, plano multipratocinado patrocinado pela Fundação de Previdência Complementar do Estado de São Paulo, que permite oferecer o benefício aos seus servidores.

O documento será encaminhado para a Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc), autarquia responsável pela fiscalização e supervisão das atividades deste setor. A partir da aprovação do órgão federal, as inscrições serão abertas pela administração municipal.

Dentro do regime previdência complementar, os funcionários públicos de Jales terão suas aposentadorias limitadas ao teto do INSS de R$ 5.645,80 (valor de 2018) e poderão aderir ao PREVCOM MULTI para assegurar uma renda superior.

A adesão ao plano multipatrocinado, que reúne vários estados e municípios, é a solução para adotar o novo regime sem arcar com os gastos elevados que seriam necessários para a criação de entidade própria.

Com a implantação do benefício, os participantes poderão contribuir com o percentual que desejarem e contarão com a parceria da prefeitura, que fará aportes paritários de até 7,5% do valor que ultrapassar o teto do INSS.

O documento firmado por Flávio Prandi e o presidente da SP-PREVCOM, Carlos Henrique Flory, autoriza a entidade a assumir a gestão da previdência complementar dos servidores jalesenses e realizar todos os procedimentos para colocar o sistema em operação.

Segundo prefeito, o acordo integra um conjunto de medidas que visa reduzir a pressão das despesas com aposentadoria sobre as finanças municipais. “Estamos colocando a previdência de Jales em um novo patamar”, disse Prandi.

DEU NA FOLHA NOROESTE DE HOJE

Na edição digital do jornal Folha Noroeste deste sábado, o principal destaque é a notícia sobre a atuação do ex-candidato a deputado estadual – e, pelo jeito, pré-candidato a prefeito – Luiz Henrique Moreira, que, segundo a matéria, teria viabilizado junto ao deputado federal Guilherme Mussi(PP) a liberação de uma verba de R$ 300 mil para o Hospital de Amor – Unidade de Jales. A notícia diz, ainda, que o autor da liberação do recurso (Mussi), deputado federal reeleito e presidente estadual do PP, esteve em Jales na noite do dia 03 de setembro, na sede da ACIJ, para apoiar o então candidato Luiz Henrique Moreira, ocasião em que fortaleceu ainda mais os laços políticos com o empresário jalesense.

Destaque, igualmente, para uma nota, acompanhada de duas fotos, em que o jornal critica a administração municipal. Segundo a nota, não obstante os pedidos feitos ao governo municipal – diretamente ou através das redes sociais – o prefeito e seus assessores não estariam nem um pouco preocupados em atender as reivindicações da população. O jornal relata que, depois de muitas reclamações, a administração tomou providências para, em junho de 2017, desobstruir um valetão e recolher os entulhos acumulados. A solução encontrada pela Prefeitura, no entanto, foi paliativa e, no momento, a situação do valetão é a mesma de 2017, com água empoçada e mau cheiro permanente.

Na coluna FolhaGeral, o impetuoso redator-chefe Roberto Carvalho comenta a eleição para a presidência da Câmara que resultou na escolha do vereador Tiquinho(PSD) para comandar o Legislativo no biênio 2019-2020. O colunista diz que, em princípio, o candidato a presidente seria o vereador Fábio Kazuto(PSB), mas, sem que ninguém entendesse os motivos, o representante da colônia japonesa acabou desistindo. Roberto conta, também, que o vereador Tiago Abra(PP), ao ser indagado por que não disputaria a presidência da Câmara, teria explicado que não tinha como enfrentar a tropa de choque do prefeito Flávio Prandi. Segundo Abra, os aliados do prefeito tinham sido orientados a não votar nele em hipótese nenhuma.

1 2 3 1.232