Arquivos mensais: Janeiro 2018

SEGUNDA INSTÂNCIA AUMENTA INDENIZAÇÃO QUE ANTIQUÁRIO DEVERÁ PAGAR A CHICO BUARQUE

Deu na Veja:

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) fixou em 100.000 reais o valor da indenização que o antiquário João Pedrosa deverá pagar à família do cantor Chico Buarque. Pedrosa já havia sido condenado em primeira instância a pagar um total de 25.000 reais por danos morais, após fazer um comentário ofensivo no Instagram da filha de Chico, Sílvia Buarque de Holanda

Condenado em primeira instância, o antiquário e jornalista de São Paulo, recorreu afirmando que pediu desculpas em cartas publicadas na imprensa e enviadas ao músico, dizendo-se arrependido (veja aqui).

“João Pedrosa ligou diretamente para mim, dizendo que exagerou e errou com o comentário, mas que tinha motivos para tê-lo feito. O tribunal levou em consideração que ele não se desculpou, mas apenas justificou o ato”, disse à VEJA o advogado da família Buarque de Holanda, João Tancredo.

O processo foi aberto depois de o antiquário publicar, em 2015, o comentário “família de canalhas! Que orgulho de ser ladrão!!!”, no perfil da rede social de Silvia. A sentença dos desembargadores da 8ª Câmara Cível do TJ-RJ, publicada nesta quarta-feira, ainda definiu que Pedrosa deverá providenciar a publicação da decisão nos jornais O Globo e Folha de S. Paulo.

DATAFOLHA: MESMO CONDENADO, LULA VENCE EM QUALQUER CENÁRIO

A pesquisa mostra, ainda, que, se ficar fora da disputa, Lula poderá levar o candidato apoiado por ele ao segundo turno. 44% dos entrevistados admitem que poderiam votar no candidato indicado por Lula.

Em contrapartida, 53% dizem que não votariam no candidato de Lula. É muito? Pois saibam que 50% não votariam em um candidato apoiado pelo “herói nacional” Sérgio Moro. E 87% não votariam no candidato de Temer.

Registre-se, também, que a pesquisa foi feita ainda sob o forte impacto do noticiário contra Lula, que inclui sua condenação e a apreensão de seu passaporte. Mas, vamos ao que saiu no Brasil 247:

A nova pesquisa de intenção de votos divulgada pelo Datafolha mostra que nem mesmo a condenação sem provas no TRF-4 foi capaz de abalar a liderança do ex-presidente Lula nas eleições de 2018.

Lula segue líder absoluto em todos os cenários analisados e venceria com folga qualquer um dos candidatos. 

O petista lidera o primeiro turno em todos os cenários em que seu nome é colocado, com percentuais que variam de 34% a 37%. No segundo turno, venceria Alckmin (49% a 30%) e Marina (47% a 32%), além de Bolsonaro.

A condenação de Lula pode torná-lo inelegível, mas sua participação na campanha depende de uma decisão do TSE que só deve ocorrer em setembro. Até lá, ele pode se apresentar como pré-candidato e recorrer a tribunais superiores para garantir seu nome na disputa.

Favorito para se candidatar à Presidência pelo PSDB, Alckmin patina em todos os cenários do Datafolha. O tucano tem de 6% a 11% das intenções de voto.

No segundo turno, o tucano seria derrotado por Lula e aparece tecnicamente empatado em uma disputa com Ciro Gomes. Nesta segunda simulação, quase um terço dos eleitores diz que votaria em branco ou nulo.

A dificuldade enfrentada por Alckmin para subir nas pesquisas provocou questionamentos dentro de seu próprio partido sobre a viabilidade de sua candidatura.

Potencial alternativa ao governador no PSDB, o prefeito paulistano João Doria também não decolou: aparece com, no máximo, 5% das intenções de voto.

SHOW DE BRUNO E MARRONE EM PROL DO HOSPITAL DE AMOR TEM MESAS ESGOTADAS

A notícia é da assessoria de imprensa do Hospital:

Sucesso de vendas e adesão do público de Jales e região, o Show com a dupla Bruno e Marrone que acontece somente no dia 16 de maio de 2018 (quarta-feira) tem as vendas das mesas esgotadas.

Diante da enorme procura a Captação de Recursos do Hospital de Amor Jales, para atender pedidos, decidiu por abrir as vendas de lounges para o show beneficente com open bar com uma das duplas mais consagradas do Brasil.

O evento que tem início, a partir das 21 horas, no salão de eventos Villa Rocca com show de abertura da dupla Bruno e Ed Carlos de Jales, também parceiros do hospital.  

Os interessados devem procurar o hospital na captação de recursos, das 08h às 17 horas e garantir o ingresso avulso que pode ser parcelado em 4x no cartão de crédito.

“Serão vendidos 50 lugares com direito ao open bar (água, refrigerante e cerveja) e não será cobrado estacionamento. Os ingressos darão acesso às laterais do salão (disponível no mapa), sem lugar reservado para se sentar, com algumas acomodações.”, ressaltou a gerente de Captação de Recursos, Adriana Mariano. 

MESAS ESGOTADAS

As vendas das mesas aconteceram nos dias 01 de dezembro (sexta-feira) para as pessoas que compraram no ano passado e que tinham interesse em continuar com o lugar e 04 de dezembro, para as mesas remanescentes, esgotando-se em um dia. 

“O evento que visa exclusivamente arrecadar recursos para manutenção de custeio do hospital em Jales, tem todas as mesas esgotadas, motivo que deixou Henrique Prata, presidente da Fundação Pio XII, mantenedora dos Hospitais de Amor, muito feliz com o comprometimento da população de Jales com o hospital, que é referência nacional no tratamento de câncer atendendo as 27 unidades federativas do país.”, afirmou a Gerente. 

SOBRE A DUPLA

O cachê de Bruno e Marrone, que tem mais de 30 anos de estrada, foi doado integralmente para o Hospital. “Graças à credibilidade e apoio desses artistas, é possível realizarmos eventos como esses que contribuem para o trabalho desenvolvido pela Fundação.”, finalizou Adriana.

As faixas “Enquanto eu brindo cê chora” e “Na conta da loucura” foram lançadas recentemente no DVD “Ensaio” e já têm 40 milhões de visualizações no YouTube. No show, a dupla promete mesclar novidades e antigos hits, como “Dormi na praça”, “Vidro fumê” e “Choram as rosas”.

SANTA CASA DIVULGA BALANÇO DE EMENDAS PARLAMENTARES RECEBIDAS EM 2017

A notícia é da assessoria de imprensa da Santa Casa:

Encerrado o ano de dois mil e dezessete, mesmo o País vivendo grande recessão e com a escassez de recursos destinados à saúde, a Santa Casa de Misericórdia de Jales, único hospital geral da cidade e referência para 16 municípios, cuja população soma mais de cento e dez mil habitantes, conseguiu manter a regularidade no atendimento aos seus pacientes nas especialidades oferecidas pelo seu Corpo Clínico. 

Não foi um trabalho fácil disse o administrador hospitalar, Rafael Carnaz Prado, “72% dos nossos pacientes são do Sistema Único de Saúde – SUS, cujos valores dos procedimentos estão defasados, não há reajustes há mais de 10 anos. Foi cortar despesas sem prejudicar a segurança nos atendimentos, negociar com fornecedores de insumos e serviços, reajustar tabela junto as operadoras de planos de saúde conveniadas, e tantas outras ações, para tanto foi fundamental o comprometimento de todo time de trabalho do hospital”. 

A gerente do setor de Captação de Recursos, Luciana Vicente, afirmou que a instituição precisa do apoio político para dar continuidade aos atendimentos oferecidos. “Vou constantemente a Brasília e São Paulo solicitar emendas, conto a história da instituição e até convido para conhecer o trabalho que realizamos por aqui. Graças aos parlamentares conseguimos minimizar as dificuldades financeiras e quero poder contar novamente com todos em dois mil e dezoito para que seja melhor que o ano que se encerrou”. 

Para suprir o déficit financeiro dos últimos exercícios contábeis, a instituição tem buscado aportes de recursos junto aos setores públicos Municipal, Estadual e Federal. Em dois mil e dezessete foi creditado para a instituição emendas dos Deputados Federais, Estaduais além do Senado Federal. Do total recebido R$ 1,330 milhão é para aquisição de equipamentos, R$ 870 mil é para compra de material médico de uso único e R$ 1.310.749 mil é para custeio com destinação específica. Ainda existem outros recursos que já foram assinados no ano que se encerrou, mas ainda não foram creditados em conta.

Para Junior Ferreira, provedor da instituição, “Esses valores obtidos são resultados do comprometimento do setor de Captação de Recursos que marca presença em São Paulo e Brasília para que sejamos lembrados pelos nossos deputados, com a ajuda deles conseguimos diminuir parte do déficit que possuímos e dar continuidade nos atendimentos prestados”.

MANUTENÇÃO DA CÂMARA MUNICIPAL CUSTOU R$ 2,3 MILHÕES EM 2017

Considerada uma das casas legislativas mais econômicas do Estado de São Paulo, a Câmara de Jales custou aos contribuintes jalesenses pouco mais R$ 2,3 milhões durante o ano de 2017, ou menos de 2% do orçamento municipal previsto para o ano passado. De acordo com a legislação, as câmaras municipais de cidades com menos de 100 mil habitantes podem gastar até 7% do orçamento anual do município, o que, no caso de Jales, corresponderia a R$ 7,9 milhões em 2017.

Divididos entre os 49.110 habitantes de Jales – segundo estimativa do IBGE para 2017 – os R$ 2,3 milhões gastos pela Câmara significam R$ 48,19 para cada um deles. O valor é bem menor do que gastou, por exemplo, cada habitante de Fernandópolis para custear o Legislativo da vizinha cidade. A Câmara de Fernandópolis – que possui 13 vereadores, três a mais que os 10 vereadores de Jales – gastou R$ 4,3 milhões em 2017, o que representa R$ 62,61 para cada um dos seus 68.670 habitantes.

A maior despesa da Câmara de Jales, em 2017, não foi com o pagamento dos vereadores, mas com os salários dos servidores efetivos, que custaram pouco mais de R$ 886 mil durante o ano. A folha de pagamento dos vereadores consumiu R$ 619,2 mil, enquanto os servidores comissionados custaram R$ 122,2 mil. No total, a folha de pagamento da Câmara consumiu pouco mais de R$ 1,6 milhão em 2017.

Afora a folha de pagamento dos servidores e dos vereadores, o maior gasto da Câmara foi com a Rádio Nova Cultura Ltda, responsável pela transmissão radiofônica das sessões do Legislativo. Em 2017, as transmissões custaram R$ 51,9 mil, quase o dobro dos R$ 28,5 mil pagos em 2016.

MATRIARCA AURESTINA ASSIS DE MATOS FALECE AOS 92 ANOS

A notícia é do Jornal de Jales:

Faleceu ontem, dia 29 de janeiro, no final da tarde, em São José do Rio Preto, a sra. Aurestina Assis de Matos. Ela estava visitando uma das filhas, Ambrosina, que mora naquela cidade.

Ela tinha 13 filhos biológicos e 3 adotivos, 54 netos, 58 bisnetos  e 13 tetranetos.

Foi casada inicialmente, em Itapagipe-MG, com Oderço Francisco de Matos. Em 1957, já com 10 filhos, mudou-se para Jales, na Chácara Alvorada, em frente à Facip. Em 1981, o marido faleceu. Em 1991, ela casou-se novamente com Antônio Joaquim do Carmo, que faleceu em 2003.

Seu corpo será velado no velório de Jales a partir das 14 horas. Ainda não está marcado o horário do sepultamento.

TRÊS CENAS DA ÓPERA-BUFA CHAMADA BRASIL

O jornalista Ronaldo Lenoir publicou em seu Facebook um resumo de três cenas deste início de semana que, segundo ele, representam três atos de uma ópera-bufa chamada Brasil.

1º ato

Sua excelência vampiresca Michel Temer encerra participação no maior jabá da história da TV brasileira dando uma gorjeta de 50 “temers” ao eterno camelô da esperança dos brasileiros mais pobres.

2º ato

Madame Cristiane Brasil, em convescote numa lancha, cercada por quatro cavalheiros de torsos desnudos, questiona, com o aval de seus acompanhantes, a prerrogativa do trabalhador de reivindicar direitos trabalhistas (veja aqui).

3º ato

Numa tuitada, o meritíssimo Marcelo Bretas, um dos paladinos da Justiça brasileira, praticamente invoca a Lei de Gerson para justificar o que chama de seu direito de reivindicar o pagamento em dobro, à sua família, do malfadado auxílio moradia. 

PESQUISA APONTA QUE, PARA MAIORIA, LULA FOI CONDENADO INJUSTAMENTE

O Instituto Quaest, de Belo Horizonte, fez uma consulta inédita junto a 310 mil pessoas que possuem conta no Facebook, entre os dias 24 e 25 de janeiro, logo após a condenação do ex-presidente Lula.

Das 310 mil pessoas, o Instituto sorteou 2.980 aleatoriamente, utilizando dados do IBGE e atributos como sexo, idade e região, de forma a garantir que a consulta refletiria a opinião do eleitorado brasileiro proporcional ao encontrado fora do Facebook.

Pois bem, ao perguntar se na opinião do entrevistado o TRF-4 agiu certo ou errado ao condenar Lula, 42% disseram que agiu certo, enquanto 54,7% responderam que agiu errado e 3,1% não souberam responder.

Perguntado se o juiz Sérgio Moro, autor da primeira condenação, provou ou não que o tríplex era mesmo de Lula, 4,3% não souberam opinar, 39% responderam que Moro conseguiu provar e 56,6% disseram que ele não conseguiu provar que o apartamento é de Lula.

O Quaest quis saber, também, se Lula recebe o mesmo tratamento da justiça que outros políticos, como Michel Temer e Aécio Neves. 3,3% não souberam opinar, 37,2% acham que a justiça trata Lula igual aos outros e 59,5% responderam que a justiça trata sim Lula de forma mais dura.

Ao serem perguntados se Lula cometeu mais erros ou acertos quando governou o país, 3,3% dos entrevistados do Quaest não opinaram, enquanto 37,4% responderam que ele errou mais do que acertou e 59,3% disseram que ele cometeu erros, mas fez muito mais coisas certas do que erradas em benefício do povo e do país.

Por fim, nada menos de 42,9% dos consultados, diante da condenação e da inelegibilidade momentânea do ex-presidente, disseram que Lula não deveria se candidatar à presidência da República, ao passo que 55,7% responderam que ele deveria ser candidato em 2018.

TOPA TUDO POR DINHEIRO: SÍLVIO SANTOS TENTA AJUDAR TEMER A APROVAR REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Pelo menos o SS não disfarça, como um certo comentarista global que, todos os dias, defende as reformas do Temer no rádio. 

Deu no Brasil 247:

Foi ao ar neste domingo, 28, a participação de Michel Temer no programa Silvio Santos. Na “entrevista”, Temer ressaltou “a importância das ‘colegas de trabalho’ sensibilizarem os deputados” para que eles votem a reforma da Previdência. “Colegas de trabalho” é a expressão que Silvio Santos costuma usar quando se refere à sua plateia (que é toda composta por mulheres).

Em troca de verbas publicitárias, o SBT e Silvio Santos abriram os braços para o discurso da reforma da Previdência de Michel Temer, que tentou convencer o brasileiro de que o sistema está prestes a quebrar. 

Alinhado com o discurso de Temer, Silvio Santos disse: “Não aprovar a reforma da Previdência não é piada, não é bazófia, se não fizer a reforma não vamos ter dinheiro para pagar os aposentados”. 

Antes de se despedir, em uma metáfora adequada à venda do apoio de Silvio, Temer disse que faria com o “patrão” algo que ele costuma fazer com suas colegas de trabalho. Longe do microfone, o diálogo ficou abafado, parecendo se tratar de algum segredo. O que se viu foi o emedebista passando uma nota de R$ 50 para o apresentador. 

1 2 3 9