Arquivos mensais: dezembro 2018

MÉXICO NEGOCIA COM CUBA PARA LEVAR MÉDICOS QUE FORAM EMBORA DO BRASIL

A notícia é do jornal Correio do Povo:

O novo presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, está prestes a fechar um acordo para receber pelo menos 3 mil médicos cubanos que vinham trabalhando no Brasil. A negociação entre o primeiro representante da esquerda a chegar à presidência mexicana e o regime cubano começou em setembro, segundo apurou o jornal O Estado de S. Paulo. Cuba anunciou que retiraria seus médicos do Brasil no dia 14 de novembro.

As tratativas foram mantidas em sigilo, até agora. Obrador tem um plano de austeridade que pretende reduzir o salário de servidores públicos, entre eles os médicos. Os cubanos que passaram pelo Brasil, portanto, ajudariam a cobrir cortes nos gastos públicos. “É austeridade, não vingança”, repetiu Obrador como um slogan durante sua campanha.

Os médicos cubanos que participarem de missões no México devem receber um quarto de seu salário. O restante ficará com o regime cubano. Obrador disse que o esquema atual de saúde pública no México é “insuficiente” e prometeu que sob seu governo, os mexicanos terão acesso a um sistema semelhante ao do “Canadá, Dinamarca, Inglaterra e países nórdicos”.

EM NOTA, POLÍCIA FEDERAL DIZ QUE HENRIQUE DO CAJ NÃO FOI AUTOR DA DENÚNCIA CONTRA EX-TESOUREIRA

Em agosto, quando era candidato a deputado federal, o despachado Henrique do CAJ disse a este aprendiz de blogueiro (veja aqui) que não tinha nada a ver com a denúncia anônima que levou a PF a descobrir os malfeitos da ex-tesoureira Érica.

Na quinta-feira, 29, enquanto esperava sua vez de depor como testemunha de acusação, nos corredores do Fórum, Henrique teria confessado ao jornalista Deonel Rosa Júnior – e a outras testemunhas – que tinha sido de sua autoria a denúncia que botou a PF no encalço das irmãs Carpi e respectivos maridos.

A versão que Henrique teria contado ao jornalista está sendo, no entanto, desmentida pela Polícia Federal, em nota de esclarecimento emitida ontem à noite. Ei-la:   

Operação “Farra no Tesouro” – Nota de Esclarecimento

A assessoria de imprensa da PF em Jales/SP esclarece que a informação que deu início às investigações que originaram a Operação Farra no Tesouro *NÃO* partiu da suposta denúncia de indivíduo citado em matéria do Jornal de Jales neste último domingo.

Trata-se de informação equivocada, pois esta pessoa não forneceu nenhuma informação que a PF já não tivesse conhecimento, ele apenas reverberou o que várias pessoas na cidade já suspeitavam: que a tesoureira do município de Jales estava ostentando padrão de vida incompatível com sua renda, informação esta que a PF já tinha desde o início das investigações.

O verdadeiro denunciante, que comunicou a existência do esquema criminoso, conforme solicitado, permanecerá no anonimato.

CORREIOS AINDA NÃO ESTÃO ENTREGANDO CORRESPONDÊNCIAS EM TRÊS BAIRROS NOVOS DE JALES

O Monte Líbano está localizado acima do JACB. O Jardim Tropical adiante do Jardim Municipal. E o Vila Mariana fica entre o Santo Expedito, o Arapuã e o Pedro Nogueira. A notícia é do G1:

Moradores de três bairros distintos de Jales (SP) enfrentam o mesmo problema: a falta de carteiros. Segundo eles, desde que se mudaram, nunca receberam uma correspondência.

O programador Valdeir Silva Caires mora no bairro Vila Mariana e só percebeu que os carteiros não entregavam no local, após fazer uma compra pela internet.

“Eles não entregaram a minha encomenda e tive que ir buscar direto no correio”, disse o programador.

A situação é a mesma no bairro Monte Líbano. Segundo o técnico em internet Cristian Regiolli, ele e os vizinhos nunca receberam nenhuma carta, encomenda ou boleto.

“Só descobri que tinha levado uma multa de trânsito, depois do vencimento, quando os pontos caíram na carteira.”

Os moradores do bairro Jardim Tropical também não tem o serviço de entrega no conjunto habitacional, onde moram há um ano.

Para o auxiliar de faturamento Welington Brás Teixeira, o bairro tem direito, assim como os outros da cidade. “Isso é o mínimo que o nosso bairro precisa ter”, disse.

Em nota, o Correio informou que estão estudando maneiras de ampliar o serviço de entrega para os três bairros e a previsão é de que a situação se normalize até junho do ano que vem.

JORNAL DE JALES: HENRIQUE DO CAJ SAI DO ARMÁRIO E REVELA TER SIDO O AUTOR DA DENÚNCIA CONTRA EX-TESOUREIRA ÉRICA

Eis a capa do Jornal de Jales deste domingo, onde a principal manchete destaca que as irmãs Érica e Simone Carpi – que cumpriam prisão domiciliar – aguardarão o julgamento do caso “Farra no Tesouro” em liberdade. Ou seja, até o pronunciamento final da Justiça, elas poderão circular livremente pela cidade. A decisão que concedeu a elas a liberdade provisória foi do juiz Adílson Vagner Ballotti, após pedido dos promotores Horival Freitas Júnior e Eduardo Shintani. Segundo o jornal, os representantes do Ministério Público e o magistrado entenderam que as acusadas não poderiam mais influir no processo ou coagir testemunhas.

Destaque, também, para a sessão da Câmara Municipal, realizada na segunda-feira, 26, quando os vereadores aprovaram o projeto de lei que autoriza o prefeito Flá Prandi a fazer um financiamento de R$ 11 milhões junto ao Ministério das Cidades. O jornal relata que o projeto foi aprovado pelos 10 vereadores e alguns deles destacaram a luta dos moradores do Jardim do Bosque e Parque das Flores e dos empresários dos Distritos Industriais I e III, onde a Prefeitura pretende investir boa parte do dinheiro em obras de infraestrutura. O JJ ouviu alguns desses empresários que compareceram à Câmara para acompanhar a votação do projeto.

A reeleição do advogado Marlon Luiz Garcia Livramento para a presidência da subseção da OAB de Jales e a eleição do também advogado Aislan Queiroga Trigo para o cargo de secretário-geral da seccional da OAB-SP; a aprovação do novo Plano Diretor do Município, que deverá ser confirmada nessa segunda-feira, em segunda votação; a réplica de uma moto que será sorteada durante o almoço da APAE, programado para o próximo domingo; e a visita do deputado federal eleito, Geninho Zuliani(DEM), que veio anunciar uma verba de R$ 220 mil para a Santa Casa, são outros assuntos do JJ.

Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior, que foi uma das testemunhas de defesa arroladas no caso “Farra no Tesouro”, revela nome, sobrenome e apelido do autor da denúncia contra a ex-tesoureira Érica, principal acusada pelos desvios: Luís Henrique Vicente de Oliveira, o Henrique do CAJ. Segundo Deonel, o polêmico homem-bomba – que também foi arrolado como testemunha, só que da acusação – saiu do armário e revelou ter sido dele a iniciativa de procurar o Ministério Público para repassar as suspeitas sobre os possíveis malfeitos da ex-servidora. Henrique disse que, dias depois de ir ao MP, ele foi chamado na sede da PF e confirmou a denúncia ao delegado Cristiano Pádua da Silva, revelando, ainda, que teria alertado a administração municipal, em 2015, sobre suas suspeitas.  

MARIA RITA – “O HOMEM FALOU”

No vídeo abaixo, a cantora Maria Rita – filha de Elis Regina e do maestro César Camargo Mariano – faz uma releitura de “O Homem Falou”, música de Luiz Gonzaga Júnior, o Gonzaguinha, um compositor que, como poucos, cantou a força do brasileiro, as mazelas sociais e os problemas do país.

Composta durante a ditadura militar – período em que Gonzaguinha, ao lado de Taiguara, foi um dos compositores com mais músicas censuradas – e repleta de recados aos generais, “O Homem Falou” só foi lançada em 1985, quando o regime militar já estava no fim. Foi uma das 09 músicas do disco “Olho de Lince”, o mesmo do sucesso romântico “Mamão com Mel”.

Em 2016, o samba “O Homem Falou” – que é uma chamada à vitória – embalou os sonhos da delegação brasileira durante a cerimônia de abertura dos Jogos Paralímpicos realizados no Rio de Janeiro. Maria Rita a gravou em 2007, no CD “Samba Meu”, disco que rendeu a ela vários prêmios, incluindo um Grammy Latino de melhor álbum de samba e um Multishow de Música Brasileira, também na categoria melhor álbum. 

No vídeo, assim como no CD, Maria Rita é acompanhada pela Velha Guarda da Mangueira.

A TRIBUNA: NOVO IMBROGLIO ENTRE PREFEITURA E FAMÍLIA JALLES FOI PARAR NA JUSTIÇA

No jornal A Tribuna deste final de semana, o principal assunto é a audiência realizada no Fórum de Jales, na quinta-feira, para ouvir as testemunhas e os réus do rumoroso caso da “Farra no Tesouro”. A matéria diz que a ex-tesoureira Érica sentou-se ao lado do ex-marido Betto e permaneceu calada durante toda a audiência. No final, Érica chorou quando o juiz Adílson Vagner Ballotti, atendendo a pedido do Ministério Público, anunciou a revogação da prisão domiciliar dela e da sua irmã Simone. A partir de agora, elas responderão ao processo em liberdade provisória. A audiência foi suspensa depois de ouvir 17 testemunhas e terá prosseguimento no dia 10 de dezembro, quando serão ouvidos os cinco réus.

Destaque, também, para um novo imbróglio envolvendo a família Jalles e a Prefeitura de Jales. A Prefeitura, por exigência da Cetesb, precisa realizar estudos no solo de propriedades próximas do antigo lixão, o que inclui duas fazendas dos herdeiros do fundador Euphly Jalles. Desde novembro de 2017, a municipalidade vem tentando obter autorização da família para que funcionários possam entrar nas duas fazendas, mas, apesar dos insistentes pedidos, os Jalles vem se negando a dar a autorização. A Prefeitura foi à Justiça e, na segunda-feira, 26, a juíza Maria Paula Branquinho Pini deferiu liminar em favor da municipalidade, que poderá utilizar-se de reforço policial e arrombamento para entrar nas duas fazendas.

A autorização da Câmara para que o Instituto Municipal de Previdência possa vender 06 terrenos de sua propriedade; o acordo de cooperação assinado pelo prefeito Flá Prandi para instalação do INSS digital no Ganha Tempo; as eleições realizadas pela OAB para escolher os advogados que dirigirão a entidade, em nível local e estadual, durante o triênio 2019-2021; a disputa pela presidência da Câmara para o biênio 2019-2020, que já tem como concorrentes os vereadores Tiquinho(PSD) e Kazutinho(PSB), com ligeiro favoritismo para o primeiro; e as últimas novidades sobre a CEI da Farra no Tesouro, são outros assuntos de A Tribuna.

Na coluna Enfoque, informações sobre o recém-aprovado curso de Direito da Unijales, que teve 232 candidatos inscritos para as 100 vagas oferecidas. O vestibular foi realizado no sábado, 24, e as matrículas já estão sendo feitas. Na página de opinião, Valmor Bolan comenta o ministério que está sendo escalado por Bolsonaro, enquanto o blogueiro Hélio Consolaro comenta o livro que está lendo sobre vida e morte. No caderno social, os destaques são a festa de confraternização da Polícia Civil, a reinauguração da Ilda Pastelaria, nas proximidades do Fórum, e a colorida coluna do Douglas Zílio.

JUSTIÇA GARANTE DÉCIMO-TERCEIRO E FÉRIAS A 10 VEREADORES DE NHANDEARA

A notícia é do Diário de Região:

A Prefeitura de Nhandeara será obrigada a pagar R$ 208 mil de 13º salário e férias a dez vereadores e ex-vereadores que entraram na Justiça para reivindicar o pagamento referente ao mandato de 2013 a 2016. O prefeito José Adalto Borini (SD), o Zé do Carneiro, disse que já pagou R$ 48 mil do total por determinação judicial.

O atual presidente da Câmara, vereador Antônio Zocal (MDB), conhecido como Corró, é um dos beneficiados pela decisão, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), que rejeitou apelação da Prefeitura contra o pedido. Responsável pelo Juizado Especial Cível de Nhandeara, o juiz Renato dos Santos já havia julgado procedente o pedido dos vereadores.

As decisões de Justiça em Nhandeara e no TJ têm como base posição do Supremo Tribunal Federal (STF) de fevereiro de 2017, que reconheceu a constitucionalidade do pagamento de férias e 13º salário a prefeitos e vice-prefeitos.

A maioria dos ministros do Supremo entendeu que os benefícios são direitos de todos os trabalhadores, inclusive dos agentes políticos. Com base nesse entendimento, desembargadores do TJ-SP afirmam que vereadores e outros agentes políticos, assim como os prefeitos e vices, têm direito a 13º salário e a pagamento do abono de férias.

Mesmo com a legalidade dos pagamentos, o prefeito de Nhandeara considerou “imorais” as ações propostas pelos vereadores. Ele disse que a população está revoltada nas ruas da cidade com a decisão do Judiciário. “Sou ex-vereador, mas não pretendo entrar na Justiça contra a minha cidade para pedir férias e 13º salário”, disse Zé do Carneiro. “Agora, é uma situação que cabe a cada vereador fazer a sua reflexão”.

Após a apelação do prefeito ser rejeitada no TJ, o advogados dos vereadores ingressaram com execução da sentença para determinar o pagamento imediato dos benefícios. Os valores variam de R$ 9 mil a R$ 37 mil a cada um dos dez beneficiados.

O atual presidente do Legislativo, que também era vereador na legislatura passada, receberá aproximadamente R$ 26 mil. De acordo com o advogado dos vereadores e ex-vereadores, não cabe mais recurso contra a decisão.

Pelo WhatsApp

O assunto foi divulgado nas redes sociais e virou corrente no WhatsApp. “Não entendo. Vereador é eleito pelo voto e não é funcionário público. Isso, na minha opinião, é uma vergonha. É imoral”, afirmou o prefeito de Nhandeara. “As pessoas ficaram sabendo em grupos de WhatsApp”.

Com orçamento de R$ 33 milhões no ano, o prefeito avalia que terá dificuldades para efetuar o pagamento. “Veja só, já pagamos R$ 48 mil referentes a apenas dois vereadores”, disse.

Advogado dos vereadores e ex-vereadores, Edmilson Dourado de Matos afirmou que representantes do Executivo pediram para efetuar o parcelamento do valor do débito. “É melhor receber um pouco cada mês do que não receber”, disse.

Para o advogado, a decisão do tribunal “foi correta”. Ele rebateu o posicionamento contrário do prefeito ao pagamento dos benefícios. “O entendimento do Judiciário é outro. O embasamento das ações é o previsto na própria Constituição Federal e em decisão do STF”, afirmou Matos. “O palco correto desse debate é na Justiça, onde foi travada a discussão jurídica”.

O presidente da Câmara, Antônio Zocal, foi procurado pelo Diário nesta sexta-feira, 30, mas disse que só comentaria o assunto pessoalmente para que pudesse gravar a entrevista em vídeo. Em seguida, desligou o telefone celular.

DEU NA FOLHA NOROESTE DE HOJE

O jornal Folha Noroeste deste sábado traz como principal destaque a audiência de instrução e julgamento – realizada na quinta-feira, 29 – sobre o caso da ex-diretora financeira da Prefeitura de Jales, suspeita de ter desviado mais de R$ 5 milhões dos cofres do município. Segundo a matéria, Érica Cristina Carpi, a irmã Simone Carpi Brandt e o cunhado Marlon Brandt chegaram ao fórum acompanhados dos seus advogados. O ex-marido de Érica, Roberto Santos Oliveira, já estava no local quando os outros três réus chegaram. O advogado Carlos Mello disse que “vou pleitear a absolvição da Simone e do Marlon porque não tinha ciência dos fatos. A Érica confessa o peculato e vamos pleitear a absolvição dela nos crimes de lavagem de dinheiro, organização criminosa e falsidade ideológica”. Já o advogado de Betto não falou sobre o assunto.

Destaque, igualmente, para o rasante que o assessor do deputado Rodrigo Garcia(DEM) e deputado federal eleito, Geninho Zuliani, deu em Jales na sexta-feira, 30. Geninho veio à cidade para anunciar a liberação de R$ 220 mil para a Santa Casa de Jales, oriundos de uma emenda parlamentar do futuro vice-governador Rodrigo Garcia. O prefeito Flá Prandi(DEM),  os vereadores Deley, Zanetoni e Kazuto, além de outras autoridades e funcionários do hospital, participaram do anúncio em evento realizado no auditório da Santa Casa.

Na coluna FolhaGeral, o trepidante e eclético redator-chefe Roberto “Pestinha” Carvalho faz uma análise do ministério que está sendo montado pelo presidente eleito Jair Bolsonaro e conclui que “pelo jeito, seu governo vai ter muitas polêmicas e vai deixar muitos brasileiros a ver navios”. No plano local, o engajado colunista informa que até a sexta-feira, 30, os cofres municipais já tinham sido reforçados com R$ 8,9 milhões provenientes do Imposto Sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). Segundo Roberto, o prefeito e os vereadores deveriam ter o cuidado de informar aos contribuintes – principalmente os donos de veículos – sobre como e onde está sendo aplicado o dinheiro do IPVA.

1 8 9 10