Arquivos do autor: cardosinho

DEU NA FOLHA NOROESTE DE HOJE

No jornal Folha Noroeste deste sábado, destaque para um assunto que andava meio esquecido. Em 2009, quando o estadista Humberto Parini negociou a municipalização do ensino, o governo estadual transferiu ao município o prédio da EE “Juvenal Giraldelli” e prometeu construir uma nova escola estadual para abrigar os alunos da região do Jardim Oiti. Na terça-feira, 16, o jornal enviou um questionamento à Secretaria de Estado de Educação a respeito da promessa ainda não cumprida e recebeu como resposta a informação de que a construção de uma nova escola estadual em Jales “só será possível caso a demanda de alunos venha a crescer”. Ou seja, a prometida escola “ficará para o futuro, caso seja necessário”. Ou para o Dia de São Nunca, se preferirem.

A matéria da Folha Noroeste diz ainda que, em abril de 2016, sob Callado, o município doou uma área ao governo do estado, para construção da escola. O terreno (campo de futebol do Clube do Ipê) fica à rua 10 esquina com a avenida Maria Jalles – com 9.448,87 m2 e valor venal de R$ 160.393,59 – onde o ex-prefeito Parini pretendia construir um prédio para abrigar a Secretaria Municipal de Educação. Segundo o projeto de lei que autorizou a doação, o estado teria o prazo de dois anos a contar da escritura pública de doação para construir e colocar a escola em funcionamento. Pelo jeito, o terreno terá que ser devolvido ao município.

Na coluna FolhaGeral, o irrequieto redator-chefe Roberto Carvalho está informando que o Ministério Público instaurou um inquérito para investigar câmaras e prefeituras da região de Santa Fé do Sul, depois que denúncias de moradores sobre cargos comissionados foram encaminhadas ao Tribunal de Contas. Santa Rita D’Oeste, por exemplo, possui pouco mais de 2.500 habitantes e só na Prefeitura são quase 150 cargos comissionados. O prefeito Alaor Pasian (PSB), diz que os cargos foram criados em administrações anteriores e que a maioria não foi preenchida. Segundo o nobre alcaide, cerca de 100 cargos serão extintos.

REINALDO: SE LULA FOR CONDENADO, JUDICIÁRIO VIRA HOSPÍCIO OU CIRCO

O que estaria acontecendo com o pessoal da direita? Até o ex-pitbull da Veja e ídolo dos coxinhas, Reinaldo Azevedo, o Tio Rei, anda escrevendo coisas sensatas. Deu no Brasil 247:

Embora siga criticando Lula, o colunista de direita Reinaldo Azevedo usou sua coluna desta sexta para chamar a atenção para o absurdo judicial em torno do julgamento do ex-presidente no caso do triplex da OAS. 

“Se a sentença de Moro for confirmada pelo TRF-4, o tribunal estará dizendo que Lula é o dono não declarado do tal tríplex de Guarujá, fruto de propina, mas, segundo o juiz, não oriunda da Petrobras, embora seja isso a constar da denúncia. Ocorre que a Justiça do Distrito Federal penhorou o imóvel como um bem da OAS. Vale dizer: um mesmo sistema judicial reconhece que o apartamento é e não é de Lula. Hospício ou circo?”, escreve.

Reinaldo chamou atenção ainda para o utilitarismo da oposição ao PT e ao ex-presidente Lula.

“A paúra da direita circense decorre do fato de que ela alimentou seus sectários com uma penca de estelionatos políticos, morais e existenciais. O antipetismo e o antilulismo se tornaram uma profissão de vigaristas. E das mais rentáveis. Se Lula vence a eleição, haverá uma horda em busca de emprego -em alguns casos, do primeiro emprego. A eventual vitória de um petista já lhes seria um desastre considerável”, completa.

JORNAL PARANAENSE DE DIREITA DIZ QUE SÉRGIO MORO DESTRUIU EMPREGOS E DEIXOU ESCOMBROS NO PAÍS

Reforçando: a conclusão não é de nenhum “blog sujo”. Deu no blog do Esmael:

Até a vetusta Gazeta do Povo, blog de extrema-direita, reconhece que o juiz Sérgio Moro e sua lava jato destruíram milhares de empregos e deixaram escombros em todo o país. O ex-jornalão curitibano conta a desgraceira que a operação do magistrado causou na indústria naval brasileira. Somente no município de Rio Grande, no Sudeste do Rio Grande do Sul, o “combate à corrupção” custou ao menos 24 mil empregos de pais de famílias.

A operação do juiz Sérgio Moro deixou uma destruição no município e hoje restam apenas 1,5 mil metalúrgicos trabalhando no estaleiro quase fantasma.

A Gazeta do Povo — que não é nenhum blog de esquerda, frise-se — teve um lampejo ao abrigar o bom jornalismo para denunciar que a lava jato gerou escombros e que plataformas de petróleo novinhas em folha foram vendidas como se fossem sucata.

“Escombros da Lava Jato: plataformas de petróleo novinhas são vendidas como sucata”, diz a manchete de um texto preciso de Lucio Vaz ao relatar a agonia do Estaleiro Rio Grande, vítima do ataque da operação de Sérgio Moro à indústria naval brasileira.

A reportagem de Vaz informa que as 152 mil toneladas de aço das plataformas P-71 e P-72 foram vendidas por R$ 70 milhões para a siderúrgica Gerdau.

“É uma lástima, um crime de lesa-pátria. Compraram o aço a preço de ouro e estão vendendo a preço de lixo”, afirmou o presidente do sindicato, Benito Gonçalves.

A empresa que estava responsável pela construção das plataformas era a Ecovix, braço naval da Engevix, que entrou em recuperação judicial após ser alvo da operação lava jato. Em virtude disso, a empresa não conseguiu entregar os cascos praticamente prontos que foram transformados em sucata.

Lucio Vaz explica que dois integrantes da cúpula da Engevix, Gerson Almada e Antunes Sobrinho, foram condenados pela Justiça Federal em primeira instância por envolvimento no escândalo do petrolão, que apurou o pagamento de propina a políticos a partir do superfaturamento de obras contratadas pela Petrobras.

Note o caro leitor que, além dos empregos perdidos, houve um prejuízo bilionário maior do que a lava jato diz ter recuperado em quase 4 anos de operação.

Enfim, a Gazeta do Povo reconhece que Sérgio Moro é responsável pelos milhares de desempregados e por destruir a economia do país.

DIVERGÊNCIA POLÍTICA FAZ PREFEITO DE ESTRELA D’OESTE RENUNCIAR

A notícia é do site Região Noroeste:

O prefeito de Estrela d´Oeste, na região de Fernandópolis, renunciou ao cargo durante uma entrevista ao repórter Jorge Pontes na manhã desta sexta-feira, dia 19. Antonio Valter dos Santos, mais conhecido como Antonio Escrivão (PHS), 47 anos, foi eleito com apoio da oposição contra o ex-prefeito Pedro Itiro (DEM) que disputava a reeleição.

Sem comunicar a própria família, companheiros mais chegados e assessores, tomou a posição de deixar a Prefeitura depois de um ano de mandato, alegando que era uma decisão pessoal e, desapontado com a burocracia, já que mencionou que poderia fazer muito mais para a população.

Espiritualista e voltado à caridade, a política foi um choque e um confronto de ideais, fator que ajudou no ato de renunciar ao cargo. “Eu também não estava em sintonia com o grupo político onde eu estava. Tomei algumas decisões que não era aquilo que o grupo queria e também não acatei alguns posicionamentos”, disse Antonio Escrivão à reportagem do regiaonoroeste.com.

“Entrei na política para favorecer a sociedade e encontrei várias dificuldades. Acabei entrando em choque com o grupo político porque eu gosto de fazer caridade e, quando você faz caridade, não espera nada em troca. Para fazer política é natural que você se promova e queira algo em troca e aí você acaba sendo desagregador para o grupo. Os companheiros querem fazer política, dão sugestões que eu não acatava”, declarou.

Ele ainda afirmou que não teve nenhum problema pessoal com a Câmara de vereadores, mesmo tendo sofrido uma mudança no orçamento que tirou o percentual de remanejamento de recursos. “Todos os projetos que mandamos, que era bom para a sociedade, a Câmara sempre nos apoiou.  Eles tinham sugestões que poderia melhorar a minha atuação como político e às vezes eu não contribuía e ainda dificultava. Às vezes eles queriam mostrar que nos tínhamos que caminhar juntos, mas às vezes, com esse meu perfil diferente, acabava dificultando com minhas atitudes não políticas”, concluiu Antonio Escrivão.

Antonio Escrivão disse que até na próxima segunda-feira oficializa a renúncia com o protocolo do pedido para deixar o cargo. 

EX-PREFEITO DE DOLCINÓPOLIS JÁ COLECIONA 11 NOVAS AÇÕES EM 2018

Este modesto blog já mencionou várias vezes que o ex-prefeito de Mesópolis, Otávio Cianci, é o recordista regional no quesito “processos na Justiça”. Tudo indica, porém, que, em breve, ele deverá perder esse honroso posto para o ex-prefeito de Dolcinópolis, José Luiz Reis Inácio de Azevedo, que foi preso pela PF no início de 2017 e continua trancafiado.

Dados do Tribunal de Justiça mostram que somente nos primeiros quinze dias de 2018, José Luiz já viu sua vasta coleção de processos acrescida de mais 11 (vou repetir por extenso: onze) novas ações, nas quais o ex-prefeito é acusado por “pagamentos indevidos” e de “enriquecimento sem causa”. Juntas, as 11 ações somam R$ 606,9 mil.

Os tais “pagamentos indevidos” referem-se, segundo informações extraoficiais, aos pagamentos que, em tese, teriam sido feitos a fornecedores ao final do mandato de José Luiz. O detalhe é que os fornecedores – incluindo um supermercado de Jales – garantem que não viram a cor desse dinheiro, que, tudo indica, teria tomado outros rumos.

A encrenca estaria só começando, uma vez que, segundo fontes, ainda restariam outros pagamentos sob suspeita. Por enquanto, além do ex-prefeito, estão igualmente encrencados o ex-procurador jurídico do município, Mizael Fábio Inácio Batista, e a ex-tesoureira Natália Manente Barrado Trindade.

Natália, por sinal, chegou a ser presa preventivamente pela Polícia Federal na operação “Catatau”, a mesma que foi buscar o ex-prefeito José Luiz em Porto Seguro(BA). Ela teria deixado a Prefeitura para se dedicar a atividades empresariais, como dona de um supermercado em Guarani D’Oeste.

CARTÓRIO DE JALES REGISTRA QUEDA DE 24% NOS CASAMENTOS EM 2017. NASCIMENTOS E FALECIMENTOS TAMBÉM CAÍRAM

Segundo dados fornecidos pelo Cartório do Registro Civil de Jales, a quantidade de casamentos de “papel passado” caiu significativamente no ano passado, na comparação com 2016. Naquele ano, pelo menos 378 casais foram ao Cartório para oficializar a união conjugal, enquanto no ano passado apenas 289 casais procuraram aquele órgão para o casamento civil, o que significa uma queda de quase 24% no número de casamentos. Nos últimos anos, o maior número de casamentos foi registrado em 2013, quando 399 casais oficializaram a união conjugal.

O Cartório de Jales registrou, ainda, apenas uma união homoafetiva em 2017. Já o número de casais que se separaram durante o ano passado não foi informado, uma vez que as separações são registradas nos dois cartórios de Notas – o 1° (do Adauto) e o 2° (do Garça) – de Jales.

O número de certidões de nascimento emitidas em 2017 pelo Cartório do Registro Civil de Jales, também registrou queda em relação a 2016. Em 2016, o Cartório emitiu 598 certidões de nascimento, número que caiu para 530 em 2017, uma queda superior a 11%. Desses 530 bebês registrados no Cartório, pelo menos 261 são do sexo masculino, enquanto os demais 269 são do sexo feminino.

Se as certidões de nascimento de 2017 diminuíram mais de 11% em relação ao ano anterior, a queda no número de certidões de óbito emitidas pelo Cartório de Jales não ficou atrás. De acordo com os dados obtidos pelo jornal, foram emitidas 659 certidões de óbito em 2017, número que representa uma redução de quase 12%, na comparação com 2016, quando foram emitidas 745 certidões de óbito pelo Cartório de Jales.

Os números mostram, ainda, que as mulheres jalesenses – apesar de maioria entre a população – estão morrendo menos que os homens. Das 659 certidões de óbito emitidas em 2017, pelo menos 355 registraram o falecimento de pessoas do sexo masculino, enquanto as outras 304 foram para pessoas do sexo feminino.

Como se pode ver, o número de certidões de óbito (659) é bem maior que os nascimentos (530). Isso não quer dizer, porém, que a população de Jales esteja diminuindo. Ocorre que, no caso dos falecimentos ocorridos em Jales, as certidões de óbito são obrigatoriamente emitidas pelo nosso Cartório.

Já no caso dos nascimentos, os pais têm a opção de registrar aqui em Jales ou nas cidades onde moram. Em 2016, por exemplo, 998 crianças nasceram na Santa Casa de Jales, mas apenas 594 delas foram registradas no Cartório local.

PELO MENOS 47 BENEFÍCIOS PAGOS PELO INSS EM JALES ESTARIAM IRREGULARES, DIZ CGU

Conforme informações do Diário da Região, a Controladoria Geral da União(CGU) e o Ministério da Transparência identificaram pelo menos 47 benefícios pagos mensalmente pelo Instituto Nacional de Seguridade Social(INSS) em Jales que estariam em situação irregular.

Segundo o que está sendo divulgado, os beneficiários do INSS estariam recebendo benefícios em duplicada, ou seja, acumulando dois benefícios de forma irregular. 45 pessoas estão recebendo duas pensões ao mesmo tempo, enquanto outra está recebendo aposentadoria e auxílio acidente e a última recebe auxílio doença e auxílio acidente.

O acúmulo indevido de benefícios em Jales estaria gerando um prejuízo mensal de R$ 47,3 mil aos cofres da previdência social.

No Brasil, foram encontrados 44.631 acúmulos indevidos, que representam um gasto anual de R$ 484 milhões. Cerca de 30% desses benefícios não poderão ser corrigidos, uma vez que estão sendo pagos há mais de dez anos e, de acordo com a legislação, não podem mais ser revisados.

No caso de Jales, no entanto, todos os 47 benefícios ainda podem ser corrigidos pelo INSS, pois fazem parte dos 70% que estão sendo pagos há menos de dez anos e ainda são passíveis de correção.

JUSTIÇA FEDERAL EM JALES CONDENA HOMEM POR FALSIFICAÇÃO DE MOEDA E CORRUPÇÃO DE MENOR

Deu no portal do SBT:

A Justiça Federal de Jales (SP) condenou Maicon da Costa Lino Martins a cinco anos e dois meses de prisão por falsificação de moeda e corrupção de menor.

O Ministério Público Federal denunciou o réu, após o mesmo ter sido preso em flagrante na cidade de Fernandópolis, em setembro de 2017, com mais de R$ 8 mil reais em cédulas falsas.

Maicon estava acompanhado da menor B. V. G. B., que tentou assumir o crime em seu lugar. No entanto, após busca na residência do réu, foram encontrados os equipamentos e matéria-prima usada na confecção das cédulas pelo casal. No local também foram apreendidas mais notas falsas.

O condenado, que era foragido da Justiça da Infância de Mato Grosso do Sul por ato infracional assimilado ao latrocínio e já está preso cautelarmente, deverá cumprir a pena em regime inicial fechado.

Contra esta decisão, a defesa poderá apresentar recurso. O MPF recorreu para aumentar a pena.

CBN PLANEJA ESTREAR NOS PRÓXIMOS MESES NOVA EMISSORA DE FM EM JALES

A rede “all-news” liderada pelas emissoras CBN FM 90.5 AM 780 de São Paulo e CBN FM 92.5 AM 860 do Rio de Janeiro passará por uma forte expansão neste início de 2018. Já estão confirmadas as estreias das futuras afiliadas CBN FM 97.5 de Teresina (PI), CBN FM 103.5 de Campina Grande (PB), além de duas emissoras de uma “minirrede estadual” que será trabalhada a partir da CBN FM 90.9 de São José do Rio Preto (SP), composta por três FMs.

A atual CBN FM 90.9 passará a contar com as operações das futuras afiliadas CBN FM 106.9 de Catanduva e CBN FM 99.3 de Jales. A operação conjunta será uma forma de ampliar a cobertura jornalística da CBN no noroeste do estado de São Paulo. As duas novas FMs não são migrantes AM-FM.

As duas estreias estão previstas para a segunda quinzena de fevereiro ou no mês de março, datas que ainda serão definidas. A emissora dedicada a Catanduva é uma concessão de Santa Adélia, inédita no interior paulista e de classe C de operação. Já a FM voltada à Jales será de classe B2 de operação, transmitindo a partir de Palmeira Doeste

Além das três emissoras (São José do Rio Preto, Catanduva e Jales) no Noroeste Paulista, a CBN também conta com as rádios de Campinas (CBN FM 99.1), Ribeirão Preto (CBN FM 90.5), além da matriz na capital, para cobrir o estado de São Paulo.

JORNAL DE JALES: NILTINHO SUETUGO FAZ BALANÇO DE 2017 E DIZ O QUE PODEMOS ESPERAR DE 2018

Eis a capa do Jornal de Jales deste domingo, cujo principal destaque é o balanço sobre o primeiro ano da administração Flá e as perspectivas do governo municipal para 2018, segundo avaliação do secretário de Planejamento, Niltinho Suetugo. No quesito asfalto, por exemplo, Niltinho diz que ainda falta muito para ser reparado, mas o recapeamento de 30% das ruas esburacadas é um dos saldos positivos de 2017. A geração de cerca de 600 empregos em plena crise econômica e a construção de casas pelo programa Minha Casa Minha Vida são, na opinião de Niltinho, outros destaques positivos do primeiro ano de Flá no comando da Prefeitura.

Destaque também para a Polícia Civil de Jales e Urânia que esclareceu em poucos dias o misterioso crime ocorrido em Urânia, onde dois primos atropelaram e mataram – com uma caminhonete – o ex-namorado da irmã de um deles. Os policiais chegaram até os dois suspeitos depois de receberem uma denúncia anônima e localizar a caminhonete utilizada no crime em uma oficina mecânica. Segundo o delegado Nílton Cangussu, os dois rapazes tentaram, em princípio, negar a autoria do crime, mas depois acabaram confessando e indicando o local onde tinham enterrado o corpo.

A apreensão de quase seis quilos de maconha em três operações da polícia em Jales e Iturama; o sorteio dos prêmios distribuídos pela promoção “Natal de Bolso Cheio”, da ACIJ; o projeto dos funcionários da Santa Casa que cuidam dos jardins em frente ao hospital; a abertura de inscrições para os cursos da Escola Livre de Teatro; e o projeto aprovado pela Fundação Rotária visando a aquisição de um arco cirúrgico para o Hospital de Câncer, são outros assuntos do JJ.

Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior está contando os bastidores da venda do recinto de exposições “Juvenal Giraldelli” em assembleia geral realizada pela Unimed na quarta-feira, 10. O colunista traça um perfil dos compradores, todos moradores de Santa Fé do Sul. Juninho Zocarato, dono da JR Pavimentação, que já foi candidato a prefeito de Santa Fé, Márcio Caldeira, dono de uma fábrica de capotas para veículos, e Fabrício Lalucci, dono da Pais & Filhos, uma fabricante de brinquedos e produtos infantis com sede em Aparecida do Taboado. Deonel diz, ainda, que o intermediário da negociação foi o advogado José Luiz Nunes, assessor da prefeita de Vitória Brasil, Ana Lúcia Olhier.  

1 2 3 1.116