Arquivos do autor: cardosinho

POLÍCIA DE RIO PRETO INVESTIGA SUPOSTA PROPINA A PREFEITO DE BÁLSAMO. CHEQUES FORAM DEPOSITADOS NA CONTA DE EMPRESÁRIO DE JALES

A notícia foi publicada pelo Diário da Região, edição de quarta-feira, 1º de julho. A matéria não cita o nome do empresário de Jales, em cuja conta foram depositados os cheques da suposta propina. Eis a notícia:

O Tribunal de Justiça (TJ-SP) acatou o pedido do Ministério Público (MP) e encaminhou para a Polícia Civil as investigações envolvendo o prefeito de Bálsamo, Carlos Eduardo Carmona Lourenço (MDB), o Du Lourenço (foto).

Ele foi denunciado pelo vereador Bruno Xavier (DEM) por um suposto pagamento de propina na doação de um terreno no Distrito Industrial “João Soares Geraldes”. A decisão é do desembargador Luiz Augusto Siqueira.

A investigação passa agora para o Setor de Combate ao Crime Organizado e Lavagem de Dinheiro (Seccold) da unidade de Rio Preto do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic). A suspeita é que o prefeito de Bálsamo teria recebido R$ 50 mil por uma área de 1,9 mil metros quadrados doada a um comerciante de Rio Preto.

O empresário do ramo de carnes teria feito o pagamento em cinco cheques de R$ 10 mil, compensados na conta de um empresário de Jales. A denúncia feita pelo vereador apresentou um cópia do que seria a declaração do contrato de doação.

Segundo o MP, a situação do terreno também gera dúvidas. A área não estaria regularizada no Cartório de Imóveis, sem ter sido formalmente loteada e não haver projeto para tanto. Além das pendências judiciais, o loteamento é falho.

Por telefone, o prefeito Carlos Eduardo disse que não ia comentar o assunto. “Já disse tudo o que tinha pra falar”, afirmou. Anteriormente, o prefeito falou ao Diário da Região que a denúncia tinha cunho político e que iria processar o comerciante.

MPF E PF INVESTIGAM RECEBIMENTO INDEVIDO DO AUXÍLIO EMERGENCIAL NA REGIÃO DE JALES

Após pedido do Ministério Público Federal (MPF), a Polícia Federal está investigando se o auxílio emergencial concedido pelo governo federal foi pago a moradores da região de Jales, que não têm direito ao benefício. As averiguações têm como objetivo identificar tentativas de fraude, que caracterizam crime de estelionato majorado, previsto no Código Penal (artigo 171, §3º).

Para evitar problemas, até mesmo no âmbito judicial, a orientação é que os cidadãos façam a devolução espontânea do montante que eventualmente tenham recebido de forma indevida. O governo federal disponibilizou um endereço eletrônico para esse tipo de devolução, cujo formulário está disponível aqui.

TAXA DE OCUPAÇÃO DA UTI-COVID DA SANTA CASA ATINGE 100% NESTA QUINTA-FEIRA

Lembrando que, há alguns dias, foi noticiado que a Santa Casa recebeu mais 04 respiradores para a UTI Adulto, mas, pelo jeito, ainda não estão disponíveis. Ressalte-se, também, que foram anunciados mais 04 leitos na Enfermaria, o que elevaria o total para 14, mas, como se vê na tabela acima, o setor continua com 10 leitos. 

A notícia é do site do Matheuzinho, o FocoNews:

A UTI – Unidade de Terapia Intensiva, da ala de síndromes gripais da Santa Casa de Jales, atingiu na manhã desta quinta-feira, 02 de julho, 100% de ocupação. A ala é dedicada aos pacientes suspeitos ou positivos para Covid-19. No momento, são 02 pacientes de Jales, 02 de Urânia, 01 de Palmeira d’Oeste e 01 de Santa Salete que ocupam os 06 leitos de UTI.

Os leitos clínicos da mesma ala possuem 90% de ocupação. Isso representa 9 leitos ocupados de 10 disponíveis, segundo as informações disponibilizadas pela Santa Casa de Jales nesta manhã. Dos pacientes da enfermaria, 04 são de Jales, 01 de Aparecida d’Oeste, 01 de Pontalinda, 01 de Santa Albertina, 01 de São Francisco e 01 de “outra cidade que não teve o nome divulgado”.

BOLSONARO CLONA PROGRAMA DE HUGO CHAVEZ E FALA COM PESSOAS QUE NÃO EXISTEM

Nesse desgoverno Bolsonaro, quase tudo é falso. Deu no portal Metrópoles:

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) postou em suas redes sociais na quarta-feira (1º/07) o vídeo de uma campanha intitulada “Alô, presidente”. Na peça, Bolsonaro conversa com supostos moradores da Região Nordeste sobre a transposição do Rio São Francisco no Ceará e sobre a ampliação dos serviços ferroviários no Rio Grande do Norte.

As fotos dos personagens usadas no vídeo, no entanto, foram compradas de bancos de imagens e usadas para representar as pessoas com quem Bolsonaro estaria conversando.

A primeira ligação do vídeo seria com “Dona Maria Eulina”. A foto que ilustra a pessoa com quem o presidente interage custa R$ 45 no banco de imagem iStock.

O homem que se identifica como Francisco Valmar também é um modelo. A foto dele já havia sido utilizada na campanha “O Brasil não Pode Parar”, idealizada pela Secretaria de Comunicação da presidência (Secom), mas que não chegou a ser lançada oficialmente.

Dessa maneira, as pessoas não existem, ou, no mínimo, as fotografias usadas não pertencem a elas. Quanto ao título do programa – “Alô, presidente” – ele existiu em 1999, com o ex-presidente da Venezuela, Hugo Chavez.

Metrópoles questionou a Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República sobre o uso de fotos de pessoas de bancos de imagens no vídeo que simula conversas com Bolsonaro. Até a publicação deste texto, a Secom ainda não havia se manifestado.

IRMÃ DE PAULO GUEDES DIZ QUE FGV “FOI COVARDE COM DECOTELLI”

Da jornalista Camila Mattoso, na coluna Painel, da Folha de S.Paulo:

Presidente da Associação Nacional das Universidades Particulares (Anup), Elizabeth Guedes (foto) diz que o ex-ministro da Educação Carlos Decotelli passou por achincalhe “absurdo”. Ele pediu demissão do cargo nesta terça-feira (30).

Irmã do ministro Paulo Guedes (Economia), Elizabeth conhece Decotelli há 30 anos, quando o contratou para dar aulas no Ibmec-SP, do qual foi uma das fundadoras. Ela refuta a nota da FGV que diz que Decotelli não foi professor da instituição. “A FGV foi covarde. Ele coordena MBA e é professor lá, sim”.

Após deixar o cargo, Decotelli disse que a nota da instituição foi a pá de cal sobre sua permanência no ministério. “A FGV fazer diferença entre professores efetivos e professores colaboradores é uma piada. Se ela for ver quais são os efetivos vai dar 1/5 dos professores que ela tem lá. Todo mundo é PJ”, diz Elizabeth.

Ela diz que Decotelli errou ao mentir no currículo, atitude que a surpreendeu, mas classifica a reação pública como fora de proporção. “Houve um aproveitamento político e foi esquecida a dimensão profissional dele”, afirma, chamando-o de professor exemplar e pessoa íntegra.

Ela disse que os cursos ministrados por Decotelli no Ibmec, em São Paulo, sempre foram tidos como um sucesso.

BOLSONARISTAS FALSIFICAM ATÉ FOTOS DE OBRAS PÚBLICAS

Deu no Brasil 247:

Fotos de obras supostamente realizadas pelo governo Bolsonaro têm inundado as redes sociais nas últimas semanas, impulsionadas por bolsonaristas. Todas elas têm a mesma característica: são falsas.

As fotos que mostram as obras são todas tiradas no período dos governos do PT. As que mostram situações de obras abandonadas, equipamentos estragados e outras do gênero e que foram divulgadas como referidas “aos 14 anos do PT” são todas anteriores ao governo Lula.   

Uma das fotos mais disseminadas pela rede de fake news bolsonarista mostra soldados do Exército trabalhando em um dos trechos da transposição do rio São Francisco e afirma que seria um fato recente, durante o governo Bolsonaro.  No entanto, uma checagem realizada pela agência AFP constatou que a foto é de 2012, quando a presidente era Dilma Roussef,: “a foto em questão aparece na página do Exército brasileiro no Flickr com data de 12 de maio de 2014″.

O mesmo acontece com uma série de outras fotos distribuídas nas redes bolsonaristas nas últimas semanas. 

Em outra delas, aparecem locomotivas sucateadas, numa comparação entre os “14 anos de PT” e os “18 meses de Bolsonaro”. A checagem da AFP mostrou, a partir de uma busca reversa no Google, que a imagem é de 2002, portanto, anterior ao governo Lula -no governo FHC- e foi feita pelo chargista Carlos Latuff, colaborador do Brasil 247.

À agência, Latuff esclareceu que as fotos foram feitas em 2002 na oficina da companhia ferroviária MRS Logística no Horto Florestal, em Belo Horizonte, Minas Gerais. “São sucatas de locomotivas da antiga Rede Ferroviária Federal”, afirmou.

A mesma falsificação apresenta-se em uma série de montagens bolsonaristas.

POLÍCIA FEDERAL CONFIRMA TRANSFERÊNCIA DE DELEGADO DE JALES PARA SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

O Diário Oficial da União desta quarta-feira, 01/07, está publicando portaria de segunda-feira, 29/06, assinada pelo diretor-geral substituto da Polícia Federal, Carlos Henrique Oliveira de Souza, que confirma a transferência do delegado Cristiano Pádua da Silva para a Delegacia de Polícia Federal em São José do Rio Preto.

A publicação confirma matéria publicada pelo jornal A Tribuna, em abril, sobre o convite recebido por Cristiano para substituir o então delegado chefe da Polícia Federal em Rio Preto, André Luiz Previato Kodjaoglanian.

A matéria dizia que André Luiz estava deixando o cargo para disputar uma vaga de vice-prefeito em Lins-SP. Ele será candidato pelo PSD a vice-prefeito na chapa do também delegado, mas da Polícia Civil de Lins, João Pandolfi (PP).

Mineiro de Belo Horizonte, Cristiano Pádua foi nomeado para a chefia da Polícia Federal em Jales em fevereiro de 2013 e assumiu o cargo definitivamente em setembro daquele ano quando substituiu o delegado Vinícius Faria Zangirolami, que tinha sido transferido para Londrina-PR.

Antes de assumir o cargo definitivamente, ele já vinha atuando em Jales como delegado chefe substituto e, nessa condição, chefiou a chamada “Operação Fratelli”, desencadeada em abril de 2013, que desbaratou a conhecida “Máfia do Asfalto”, comandada pelos irmãos Scamatti, de Votuporanga.

ARTIGO – “A NATURALIZAÇÃO DO ABSURDO”

Reproduzo, por concordar até com as vírgulas, o artigo da professora Ayne Regina Gonçalves Salviano publicado no domingo passado pelo Jornal de Jales:

O escritor brasileiro Augusto Branco afirmou, certa vez: “Quando eu perder a capacidade de indignar-me ante a hipocrisia e as injustiças deste mundo, enterre-me: por certo que já estou morto.” O jornalista Vladimir Herzog já havia se pronunciado com um pensamento parecido: “Quando perdemos a capacidade de nos indignarmos com as atrocidades praticadas contra outros, perdemos também o direito de nos considerarmos seres humanos civilizados.”

O advogado José Eduardo Cardozo declarou recentemente: “Aquele que perde a capacidade de se indignar diante da injustiça, perdeu sua humanidade.” Bem antes dele, o antropólogo Darcy Ribeiro ensinou: “Só há duas opções nesta vida: se resignar ou se indignar. E eu não vou me resignar nunca.”

Quatro pessoas diferentes, nascidas e criadas em locais diferentes, em épocas diferentes, com profissões diferentes, mas todas com o mesmo pensamento de muitos: o ser humano não pode perder a capacidade de se indignar diante do absurdo.

Entretanto e infelizmente, o que mais se vê atualmente é a naturalização da hipocrisia, das injustiças e das atrocidades. A ponto de, durante uma pandemia, quando mais de 1.000 brasileiros morrem por dia só de Covid-19 (lembrando que este número é subnotificado porque não há testes para todas as vítimas), parte da população só está preocupada em politizar o problema, desconstruir dados científicos e destruir a honra de profissionais competentes.

O discurso de ódio impera. Não há razão, há vociferação. Ganha-se, por enquanto, no grito, no “cala a boca”. O absurdo é tanto que leigo receita remédio – como se fosse médico – que não foi aprovado pelos órgãos competentes; eleitor, no exercício mais pleno de cidadania falha e não escolhe candidatos, só rejeita partidos; e a ditadura brasileira, seus torturados e centenas de mortos são banalizados em rede nacional por quem deveria preservar o conhecimento e a cultura.

Já não se trata mais de uma questão de desinformação ou ignorância, é uma opção de comportamento, talvez explicado apenas na Teoria da Personalidade Autoritária, de Adorno. O que importa se a grilagem, a extração ilegal de madeira e os garimpos colocam em risco a Amazônia? O que importa se dezenas de agrotóxicos (proibidos no mundo porque são comprovadamente danosos às pessoas e à natureza) estão sendo autorizados aqui? O que importa se milhares de estudantes sem aulas nas escolas públicas terão de fazer vestibular assim mesmo, sem chances? O que importa se um ser humano está no chão agonizando de fome? Então, caro leitor, você ainda está vivo ou já está morto? 

(Ayne Regina Gonçalves Salviano)

POLÍCIA MILITAR DE JALES PRENDE HOMEM COM DROGAS E APREENDE BMW

A notícia é do FocoNews:

Na manhã do dia 26 de junho (sexta-feira), por volta das 09h00, policiais militares de Jales faziam o patrulhamento ostensivo e preventivo na Av. Maestro Erlon Chaves, quando avistaram um veículo BMW X1 ocupado por dois indivíduos, sendo o condutor (M.R.S.) alvo de denúncias da prática de tráfico de drogas.

Ao iniciarem a abordagem os militares notaram que M.R.S. pediu ao passageiro que jogasse algo para fora do carro. Nada de ilícito foi encontrado com os dois ocupantes, mas, ao verificar o que havia sido jogado, os policiais constataram tratar-se de quatro cigarros de maconha. No carro havia R$ 605,00 em dinheiro.

De pronto M.R.S. assumiu a propriedade da droga alegando ser usuário de drogas. Indagado, confessou que em sua casa havia algumas porções de skank e haxixe, indicando o local onde estavam guardadas.Em seu quarto foi encontrado um pote contendo skank, haxixe e sementes de maconha.

O veículo BMW X1 foi apreendido. M.R.S. foi preso em flagrante pelo crime de tráfico de drogas e encaminhado à Cadeia Pública de Santa Fé do Sul.

1 2 3 1.442