Arquivos do autor: cardosinho

MUSA GANHA COROA E PERDE O MARIDO

Que coisa! Os jornais anunciaram ontem que a mulher do atacante Vagner Love, atualmente no CSKA, da Rússia, a estilista Marta Love, seria coroada durante o Fla-Flu, de hoje, a musa da torcida Raça Rubro Negra. E não é que, neste domingo, ainda antes da coroação, o ciumento Vagner Love já cuidou de anunciar a separação. A notícia está no Exta on Line:

No mesmo dia em que ficou sabendo que a mulher seria coroada musa de uma torcida organizada do Flamengo no clássico deste domingo contra o Fluminense, pela semifinal da Taça Rio, o atacante Vagner Love comunicou que deu fim ao seu casamento com Marta Love.

O jogador ficou incomodado não só com a exposição da mulher, mas também pela pressão que seria exercida para o seu retorno ao clube da Gávea em agosto.

Segundo a assessoria de Vagner Love, o processo de divórcio já está em andamento e deve ser concretizado em breve.

DESTAQUES DOS JORNAIS

Estas são as manchetes dos jornais locais, neste final de semana:

Folha Noroeste: “Cinturão fiscal é tema da audiência de Itamar Borges com Guilherme Afif”

Folha Regional: “Jogos Regionais deve injetar cerca de R$ 1 milhão no comércio jalesense”

Jornal de Jales: “Exposição de gado ranqueado resgata prestígio da Facip”

A Tribuna: “Servidores Municipais terão apenas 0,1% de aumento”

Na Folha Noroeste, o principal destaque foi a reunião entre o deputado estadual Itamar Borges(PMDB) e o vice-governador Guilherme Afif Domingos, que teve como tema a questão do “cinturão fiscal”. Destaque também para Mesópolis, onde os alunos da rede municipal de Ensino fizeram passeata de conscientização contra a dengue. Na coluna FolhaGeral, críticas à Facip 2011. Segundo o redator da coluna, o povo de Jales não se lembra de uma festa onde os frequentadores tenham sido tão explorados em termos de preços dos produtos vendidos no recinto da festa.

Além da manchete principal, que destacou a expectativa de injeção dinheiro no comércio jalesense, durante os Jogos Regionais, a Folha Regional também deu manchete para Santa Albertina, que foi contemplada com a construção de 100 casas populares. Paranapuã, que recebeu o certificado Município Verde Azul, também foi destaque na capa do jornal. Na página 8A, matéria especial sobre a primeira edição do Air Show Feast, organizado pelo Walter Barreto, com apresentações de paraquedismo, acrobacias aéreas e vôos panorâmicos. Na coluna Ella, o destaque é a bela Tamires Molina Pupim.

Para o Jornal de Jales, a Facip 2011 passou pelo teste, inclusive surpreendendo com uma exposição de gado ranqueado. O jornal destacou também o “Desafio do Bem”, que arrecadou R$ 43 mil para o Hospital de Câncer. Igualmente, mereceu manchete o anúncio feito pela deputada Analice Fernandes de que estaria reservando R$ 300 mil no orçamento do governo estadual para recapeamento em Jales. E na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior destacou os prefeituráveis José Devanir Rodrigues, o Garça, Pedro Manoel Callado, e Flávio Prandi Franco, o Flá.

O reajuste salarial dos servidores públicos municipais, que deixou muita gente descontente, foi o principal destaque da edição de A Tribuna. Outras manchetes do jornal: “Analice chama Parini de grande estadista”; “Peões de Pompéia e Colina levam o título do rodeio”; “Jales tem resultado negativo e segue na rabeira” (sobre os números do emprego); e “Ex-amigos rechaçam declarações de Parini”. Na coluna Enfoque, o jornalista Paulo Reis Aruca trata dos bastidores da política jalesense e contesta a afirmação da deputada Analice Fernandes, que classificou o prefeito de Jales como “um grande estadista”.

A CRÔNICA DO PASCHOALINO – “JUSTIÇA SEJA FEITA”

Hoje é Domingo de Páscoa. Nada mais apropriado, então, do que começarmos o dia com a crônica do Paschoalino S. Azords. Vamos a ela:

Justiça seja feita

O ser humano, de uma forma geral, se considera muito melhor do que na verdade é. Mais importante, mais bonito, mais inteligente, e muito mais correto do que realmente é. E vai assim até cair na malha fina para, quem sabe um dia, se enxergar com mais nitidez.

Eu poderia preencher o espaço que me resta nesta página enumerando as qualidades que, modéstia à parte, nos atribuímos a nós mesmos, de costas para o espelho e, de preferência, quando por perto não há ninguém que nos conheça um pouco.

Para ser mais exato, somos (individualmente, claro) descendentes de uma espécie em extinção: a dos homens de bem. O seio da nossa família exala honestidade, sinceridade e, em certos casos, beira a santidade. Somos bem intencionados de berço, puros de berço… Sabe o “mocinho” dos filmes da matine? Somos nós!

Mas, quando ocorre a malha fina, acuado, o homem bom passa a jogar na defesa. Como não está acostumado, principia dizendo “se eu não estou enganado…”, esse chavão de cinco palavras que revela o nosso RG, o nosso CPF e o DNA.  Sim, porque, o homem bom não está acostumado a se enganar. Pode até acontecer um dia, mas é raro, muito raro.

“O inferno são os outros”, disse Sartre, em bom francês. (Em francês tudo parece solene e inteligente, até a mais simples receita do pão francês. A justificativa para mais uma explosão atômica no indefeso Atol de Mururoa, em francês, parece poesia parnasiana. Mas a frase “o inferno são os outros” é o caso, independente do perfume rançoso tão necessitado de banho do idioma francês.

E quando o inferno não são os outros (os “bandidos” do filme da matine), a gente bota a culpa no que estiver por perto: animais de estimação, plantas (orquídeas, por exemplo, atraem falências) e até coisas inanimadas, como um eletrodoméstico. Ainda que para dizer para o que se serve, um eletrodoméstico deva, antes de mais nada, ser ligado à tomada.

A televisão e a internet são dois vilões do nosso tempo. Atribui-se à televisão, o mais familiar dos eletrodomésticos, o fim de uma instituição milenar tida como o alicerce da espécie humana: a família.   

Quando a indústria americana correu atrás de financiamento para possibilitar ao homem enxergar à distância através da eletricidade, o experiente banqueiro negou crédito para a fabricação em massa de televisores com uma resposta lúcida: “Essa máquina não tem futuro. Quem – em sã consciência – há de querer passar o tempo dentro de casa olhando para o interior de uma caixa?”.

Mas, em pouco tempo, a TV converteu a todos e entrou para a família, pela porta da frente, para corroê-la a partir das entranhas. Senhora absoluta do metro quadrado mais valorizado da casa, a TV manda na sala, manda na cozinha, manda nos quartos e na senzala minúscula aonde dorme a empregada.                       

A internet é um neto esperto da TV, o neto que deu certo. No princípio, era o verbo e, compreensivelmente, as pessoas relutavam em cair naquela conversa de se proteger atrás de uma senha de seis dígitos. Mas, hoje em dia, a vida parece impossível quando cai o sinal.

Depois do advento da Web, a vida ficou muito mais fácil e ligeira. Ficou mais fácil até para as crianças compreenderem física, Deus e o Anjo da Guarda. Aquele que sabe tudo e aquele que te segue, passo a passo, até por estradas de terra, adivinhando as curvas do caminho, calculando distâncias, refazendo a rota… (Deve ser isso que faltou nas minhas aulas de catecismo: o Google e o GPS).

No entanto, atribui-se à internet, ou à possibilidade de um relacionamento elétrico à distância, o fim de uma outra instituição milenar que, até ontem, se pensava ser o baldrame da espécie humana: o casamento.

Eletricidade nunca foi o meu forte. Por causa de um choque doméstico, acabei gago dos 2 aos 4 anos de idade, e, ainda hoje, apresento seqüelas se converso por mais de 20 minutos com alguém do ramo. Desde então, no máximo me arrisco a trocar uma lâmpada – se o dia não estiver chuvoso.

Mas sobre família e casamento é possível especular nessas noites de Lua Cheia. Não se trata de concordar ou discordar da vilania desses nossos eletrodomésticos tão próximos, mas de dimensionar o tamanho do buraco negro. Se esse buraco, sendo grande, é ruim como uma fazenda em Goiás; ou, sendo pequeno, é bom como um bicho-de-pé.   

Se não estou enganado, salvo melhor juízo, tanto a TV como sua neta, a internet, não acabaram sozinhas com a família e o casamento. Ninguém faz nada sozinho: nem a mãe solteira, nem o GPS. O maior pecado da televisão e da internet me parece ter sido nos apresentar a quem, verdadeiramente, nós somos: os depositários da solidão de que são feitas as grandes cidades; os legítimos hospedeiros daquela promiscuidade que cai tão bem aos bonobos, no Congo.

Televisão e internet vêm, simplesmente, ajudando o homem a encontrar o seu verdadeiro destino. Inclusive quando sintonizamos os piores programas. Se essa não fosse a nossa vocação, a nossa mais ardente vontade, bastaria um gesto simples: desligar da tomada. Como um chipanzé ou um papagaio desligariam – se quisessem. 

 

ENQUETE

A Câmara Municipal de Fernandópolis que, assim como Jales, possui, atualmente, 10 vereadores já está discutindo um projeto do Legislativo que altera o número de vereadores daquela cidade para 15, conforme permite a Lei Eleitoral. No caso de Jales, a Câmara poderá chegar a, no máximo, 13 vereadores, uma vez que a população da cidade ainda está abaixo dos 50.000 habitantes.

É possível que, dentro de alguns dias, o assunto comece a ser discutido em nossa Câmara, uma vez que a alteração precisa ser aprovada ainda em 2011, a fim de que possa estar valendo nas eleições de 2012. E o que o prezado leitor deste modesto blog pensa a respeito? Dê a sua opinião, votando na enquete que aparece aí do lado direito.

DOMINGO, NA ‘TRIBUNA’

A edição desse domingo, de A Tribuna, trará matérias sobre o reajuste salarial concedido pelo prefeito Humberto Parini aos servidores municipais. Os detalhes sobre a Facip 2011 e a Cavalgada realizada no domingo passado também vão estar nas páginas do jornal, que trará, também, uma reportagem do Alexandre Ribeiro sobre a declaração da deputada Analice Fernandes, segundo a qual, o prefeito Humberto Parini seria um “grande estadista”. Ainda na seara das declarações engraçadas, a Tribuna traz matéria sobre a reação de alguns petistas a um trecho da entrevista que o prefeito concedeu à revista Interativa. Tudo isso e muito mais na edição de amanhã, de A Tribuna.

SANTA FÉ DO SUL: PREFEITURA PREPARA PROFESSORES COM CURSO DE MUSICALIZAÇÃO

E em Jales, como será que estão os preparativos para se adequar à Lei? A notícia está no Correio Santa Fé

O Governo Municipal por meio da secretaria de Educação de Santa Fé do Sul (SP) iniciou neste sábado, o curso de musicalização infantil “Uma linguagem ao alcance de todos” para os professores da Rede Municipal de Ensino ministrado pela Profª Maria Nanci Panes Brunholi da cidade de Dracena. A capacitação foi dividida em quatro módulos, inicialmente foram capacitados os professores do Ciclo I.

O projeto tem como objetivo instrumentalizar professores não especialistas na prática musical, bem como fornecer aos especialistas ferramentas para trabalhar com seus alunos as práticas musicais de uma maneira lúdica e prazerosa, tendo como principal objetivo fazer da linguagem musical uma grande aliada na aprendizagem, através de estímulos nas percepções visual, auditiva e rítmica. Conhecendo técnicas simples os professores aumentarão a sua prática, inserindo a musicalização infantil como recurso pedagógico e como estímulo ao desenvolvimento emocional e cognitivo de seus alunos.

Segundo a secretária de Educação, Marilza de Almeida Marques, desde o ano de 2010 o Governo vem se preparando para desenvolver esse projeto na rede municipal, pois de acordo com a Lei nº 11.769 de 18 de agosto de 2008, que inclui na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira a música como componente curricular obrigatório; as escolas públicas e municipais do país terão até agosto deste ano (2011) para se adaptar às exigências, e inserir no currículo da Educação Básica o ensino da música. “A aprovação da Lei foi sem dúvida uma grande conquista para a área de educação musical no País”, disse Marilza.

Foram adquiridos 24 kits musicais, que serão distribuídos para as escolas de Ensino Fundamental. “A rede Municipal vem capacitando seus professores em todas as áreas, além da formação continuada, estamos capacitando nas áreas de música, ética, motivação e alfabetização”, disse o prefeito Toninho Favaleça.

EMBAIXADORES JALESENSES EM CUBA JÁ ESTÃO DE VOLTA

A delegação de jalesenses – Luiz Carlos Cervantes, Gatão, Norton, Chico Melfi e Martini – que viajou para Cuba na semana passada, onde o grupo participou do VI Congresso do Partido Comunista Cubano – PCC, já está de volta a Jales. Hoje, por volta do meio-dia, acionei o celular do Martini, que, por sinal, não funcionou em Cuba, e ele me disse que o quinteto de jalesenses já estava em Araraquara.

Martini, que já foi a Cuba várias vezes, me disse que o Chico Melfi ficou maravilhado com a viagem, apesar de a internet não funcionar nada bem na terra de Fidel Castro. Segundo o Martini, eles só conseguiram acessar este blog uma única vez, em solo cubano. Quem sabe o seo Chico não resolve instalar uma filial da Melfinet lá na ilha. Com a volta do grupo, o Senadinho – que permaneceu em recesso durante dois sábados – volta a efervescer na próxima semana.

HOMEM QUE ENCENAVA ‘PAIXÃO DE CRISTO’ CAI DA CRUZ EM BELO HORIZONTE

Já não se fazem cruzes como antigamente. Ou, então, está faltando um pouquinho mais de fé. A notícia está no G1-MG:

Um homem de 24 anos caiu de uma cruz, enquanto encenava a Paixão de Cristo na noite dessa sexta-feira, em frente à Igreja São José Operário, no bairro Aarão Reis, Região Norte de Belo Horizonte.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, a cruz era carregada pelos personagens quando quebrou e a vítima caiu de uma altura de aproximadamente três metros.

Segundo a assessoria de imprensa do Hospital de Pronto-Socorro Risoleta Neves, em Venda Nova, ele sofreu ferimentos leves, um hematoma na cabeça e chegou ao hospital consciente e estável por volta das 21h.

O rapaz passou por uma tomografia que não acusou trauma ou fratura no crânio. Ele foi medicado e teve alta às 23h30m.

PREFEITURA CONTRATA OUTRA EMPRESA PARA CONSTRUÇÃO DE DOIS CAMPOS DE FUTEBOL

O Diário Oficial publicou, na quinta-feira, o resumo do contrato firmado entre a Prefeitura de Jales e a empresa Sanecc – Saneamento e Construção Civil Votuporanga Ltda, para a construção dos campos de futebol do Jardim Aeroporto e do bairro Big Plaza. Valor da obra: R$ 202 mil, exatamente o valor do convênio 707554, assinado pelo prefeito Humberto Parini em dezembro de 2009, com o Ministério do Esporte.

A Sanecc Ltda é a mesma empresa que está repaginando a Praça “João Mariano de Freitas” (Praça do Jacaré) e, pelo que ouvi dizer, é a mais nova parceira do prefeito Parini.

Essa será a segunda tentativa de construir os dois campos de futebol, que deveriam estar prontos para os Jogos Regionais, mas não vão estar. A primeira tentativa foi feita em julho do ano passado, quando a Prefeitura, depois de um processo licitatório, contratou – por R$ 175 mil – a empresa W.S. Matos Construções Ltda. Mas a empresa – a mesma que iniciou a repaginação do Bosque Municipal e deixou os serviços pela metade – desistiu, aparentemente, de executar a obra, fato que obrigou a Prefeitura a rescindir o contrato e abrir nova licitação.

Na verdade, no caso do campo de futebol do Jardim Aeroporto, que será construído naquele espaço que serve de estacionamento durante as Facips, entre a EMEI do Jardim Municipal e o Recinto de Exposições(foto), essa será a terceira tentativa. Em 2008, durante a campanha para sua reeleição, o prefeito Parini contratou uma máquina do DAEE e a colocou para trabalhar no local, prometendo fazer o campo com recursos da própria Prefeitura.

Aparecido Dutra da Silva, o Fião, dirigente de uma equipe amadora daquela região da cidade, foi uma das pessoas que acreditaram na promessa do prefeito e, por conta disso, até deu um depoimento no horário eleitoral do rádio, declarando seu apoio à reeleição de Parini. Passadas as eleições, a máquina do DAEE desapareceu e, segundo dizem, o Fião não quer nem ouvir falar em Parini.

1 1.056 1.057 1.058 1.059 1.060 1.126