Categoria: Política

PROMOTORIA ABRE INQUÉRITO PARA APURAR VENDA DE EMENDAS NA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA

Essa notícia também é do portal Brasil Atual:

A Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e Social – órgão do Ministério Público de São Paulo – instaurou inquérito para apurar o caso de venda de emendas parlamentares na Assembleia Legislativa de São Paulo. O deputado estadual que trouxe o caso a público, Roque Barbiere (PTB), deverá ser chamado na próxima semana para explicar a ilegalidade denunciada por ele em uma entrevista.

Foi do parlamentar a afirmação, durante uma entrevista na internet, que 25% a 30% dos deputados “vendem” sua cota de emendas a que têm direito todos os anos em troca de parte dos recursos liberados. O atual secretário do Meio Ambiente do Estado de São Paulo e deputado estadual licenciado, Bruno Covas, em outra entrevista a um jornal, endossou o colega e sugeriu ter ouvido rumores a respeito.

O promotor que acompanha o caso, Carlos Cardoso, disse à Rede Brasil Atual que o Ministério Público está atento ao caso e pretende investigar as denúncias.

“Instalamos um inquérito civil para apurar o suposto desvio de recursos públicos que estaria havendo com a manipulação das emendas parlamentares na Assembleia Legislativa. Isso abarca todos os casos que nós eventualmente identificarmos”, afirmou o procurador, antes de dizer que o inquérito surgiu à partir da entrevista de Barbiere.

PRÁ ESTRAGAR O FINAL DE SEMANA DOS CAMARADAS

 Revirando meus arquivos, à procura de uma foto do velho Canuto, encontrei a foto aí de cima. Se não me falha a memória, ela foi registrada em 2004, no dia em que a Câmara se reuniu – extraordinariamente – para votar o parecer jurídico do então procurador do Legislativo, Lair Seixas Vieira, que impugnou a candidatura de José Devanir Rodrigues, o Garça, ao cargo de prefeito-tampão. Por sinal, o Garça aparece de pé, na entrada da Câmara, conversando com o Doacir Castelli, o famoso Garnizé.

Garça contava com cinco votos – Rivelino, Viola, Tatinha, Gilbertão e Cartucheira – para derrubar o parecer do doutor Lair. Bastaria que seus companheiros de partido – Jediel e Wilson Flumenal – também votassem contra o parecer e Garça seria candidato contra Hilário Pupim, com amplas chances de vitória. Mas ele foi traído pelos seus companheiros de PMDB, que tinham preferência por Hilário.

Mas isso não interessa muito! O que eu queria mesmo é que vocês reparassem no trio que está sentado na primeira fila. Não reconheceram? Então confiram abaixo, mais de perto:

Eles mesmos: os camaradas Murilo Pohl e Martini fazendo companhia ao então candidato a candidato a estadista. O aprendiz de blogueiro também aparece na foto, logo atrás da Ana Maria Saura Rodrigues.

PSDB FECHA SUAS PORTAS PARA SHIMOMURA

A nota publicada por este aprendiz de blogueiro sobre um suposto convite feito pelo presidente do Diretório Municipal do PSDB, Carlos Roberto Cardoso da Silva, para que o secretário municipal José Shimomura – que se desfiliou, recentemente, do PT – assinasse a ficha de filiação do partido, causou um certo frisson no ninho tucano. 

Tucanos de variadas plumagens manifestaram preocupação com o boato e cuidaram de desmentir a informação. “O Cardosão fez apenas uma brincadeira”, disse-me um emissário do presidente. Segundo o emissário, um enlace entre o PSDB e o ex-petista José Shimomura estaria totalmente fora de cogitação.   

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA MANDA MENSAGEM SOBRE DENÚNCIA DE “VENDA” DE EMENDAS

Este aprendiz de blogueiro recebeu mensagem da Assembléia Legislativa de São Paulo, a respeito das denúncias do deputado Roque Barbieri(PTB), que apontam a suposta prática de venda de emendas parlamentares. Eis a íntegra da mensagem:

ALESP
29 setembro 2011 às 12:43

Caro blogueiro, através desta mensagem informamos que a Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo pronunciou-se oficialmente ontem sobre este assunto através de uma nota oficial e de um vídeo, que podem ser acessados AQUI (http://bit.ly/notaALESP) e AQUI (http://bit.ly/videoALESP), respectivamente. Além de ouvir o deputado Roque Barbiere, a ALESP instaurará um inquérito em seu conselho de ética e decoro para averiguar essa denúncia de forma imediata e severa. A ALESP é a principal interessada em esclarecer este caso, pois sempre primou pelo respeito ao povo e às leis, prova disso é que acontece hoje a primeira reunião do conselho de ética da Assembléia para discutir o assunto.

O que o povo espera é que o assunto seja discutido de forma séria, consequente e esclarecedora. Infelizmente, no entanto, a experiência mostra que esses conselhos de ética não funcionam como deveriam funcionar.  

PMDB SAI EM BUSCA DE REFORÇOS

O PMDB está mesmo disposto a reforçar seu plantel para as eleições de 2012. O principal reforço, espera-se, seria o vereador Rivelino Rodrigues, mas a contratação ainda está no terreno das negociações. Enquanto seo Riva não vem, o PMDB vai dando seus pulos.

Nestes últimos dias, o partido conseguiu convencer pelo menos três pré-candidatos a apor suas assinaturas na fichinha de filiação. São eles: o taxista Jair Pirulito, o representante comercial José Ribeiro da Cruz, conhecido nas lides como Zé do Picolé, e o dirigente da Aderj, Anísio Martins Ferreira Filho, o Anisinho.

Pirulito e Picolé foram candidatos nas eleições de 2008, ambos concorrendo pelo PCdoB. Juntos, somaram 181 votos. Já o Anisinho nunca foi candidato, mas sempre teve um pé no PMDB, já que ele é irmão do ex-vereador Ari Dalton Martins Moreira, um antigo manda-brasa.  

PROJETO DE RESOLUÇÃO TENTA AUMENTAR NÚMERO DE VEREADORES DE JALES PARA ONZE

Corre à boca pequena que um grupo de parlamentares de Jales estaria colhendo assinaturas em um projeto de resolução que aumenta o número de vereadores da nossa Câmara, passando de 10 para 11. Inicialmente, estariam favoráveis à alteração os vereadores Macetão, Nishimoto, Jota Erre, Especiato e Pérola. 

É bom que se registre que o vereador Luís Especiato, por exemplo, estaria apenas sendo coerente com aquilo que ele já vem dizendo desde o surgimento desse assunto. Há muito tempo, Especiato, que deverá ser candidato a prefeito, vem dizendo que a Câmara deveria ter um número ímpar de vereadores, de preferência 11.

Há um porém: alguns entendidos garantem que não haveria mais tempo hábil para que a Câmara possa mexer no número de vereadores. Segundo eles, qualquer alteração na Lei Orgânica do Município tem que ser votada em dois turnos, com um intervalo de 10 dias entre uma votação e outra.

Assim, caso a alteração fosse votada amanhã, por exemplo, a segunda votação somente aconteceria no dia 09/10, e, como se sabe, para ter validade já nas eleições 2012, qualquer alteração teria que ser feita até um ano antes da data da eleição, ou seja, até o dia 07/10/2011. 

JUSTIÇA CASSA MANDATO DE PREFEITO DE OUROESTE

A notícia é do Tem Mais:

A Justiça cassou o mandato do prefeito de Ouroeste nesta terça-feira (27). Segundo o processo, Nelson Pinhel recebeu dinheiro de uma construtora que prestou serviço ao município. A propina teria sido paga em 1997 (vejam só, quanta coincidência!), em um outro mandato dele. 

Pinhel também foi condenado a devolver mais de R$ 3,5 mil, com correção monetária, e a perda dos direitos políticos por 8 anos. A Câmara foi notificada e o cargo deve ser assumido pelo vice-prefeito Sebastião Geraldo. Nelson Pinhel não foi encontrado para comentar o assunto.

MAURINHO ENFERMEIRO VAI PARA O PT

Notícias extra-oficiais dão conta de que o ex-vereador Mauro Hélio Lopes, o Maurinho Enfermeiro, que já foi do PSDB e, ultimamente, jogava no time do PTB, estaria se mudando de mala e cuia para o PT. A mudança de Maurinho para o PT atende a um pedido do premiado estadista, Humberto Parini.

As boas relações entre Maurinho e Parini já vem de longo tempo e ficaram mais estreitas quando, no final de 2008, o então vereador pelo PSDB, não tendo sido reeleito, aproveitou seus últimos momentos na Câmara para votar a favor do aumento do IPTU, reajustado logo após a reeleição de Parini.

Para o prefeito, o reajuste do IPTU – ou a alteração na Planta Genérica da cidade, como queiram – proporcionou um incremento de mais de R$ 2 milhões anuais, na arrecadação do imposto. Para Maurinho, o voto favorável proporcionou um emprego no Pronto-Socorro, através do Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região de Jales – Consirj, do qual Parini é o presidente.

CLÓVIS VIOLA GARANTE QUE É CANDIDATO À SUCESSÃO DE PARINI

Ontem, pela manhã, encontrei o vice-prefeito Clóvis Viola em uma padaria da cidade. Ele me garantiu que será, sim senhor, candidato à sucessão do prefeito Humberto Parini. “Apesar de algumas pessoas andar falando por aí que eu não serei candidato, posso afiançar que vou prá disputa com a certeza de que sou o candidato natural à sucessão do Parini”, disse o vice.

Segundo Clóvis, nos próximos dias o PPS deverá fazer uma reunião para definir algumas posições. O vice-prefeito já está consciente, no entanto, de que não terá o apoio do PT  e do premiado estadista, o que, de certa forma, conta pontos em favor dele.

E, por falar em Clóvis, nos tempos em que eu trabalhava na Prefeitura o pessoal da assessoria de imprensa me dizia que o setor recebia ordens – via primeira-ministra Marli Mastelari – para não citar o nome do vice-prefeito nas matérias enviadas aos jornais locais. O tempo passou, mudou o pessoal da assessoria, mas o boicote continua: na semana passada, duas matérias da assessoria de imprensa onde Clóvis aparecia na foto – uma delas a respeito da dengue – não citavam o nome do vice-prefeito. Não demora e vão começar a apagá-lo das fotos. 

JOSÉ SHIMOMURA QUER SER CANDIDATO A VEREADOR

O indefectível José Shimomura, o secretário preferido da primeira-dama, estaria prestes a assinar sua ficha de filiação ao PMDB para, segundo os bem informados, disputar uma vaga na Câmara Municipal. Há, porém, um problema: parece que os peemedebistas até estariam dispostos a aceitar a filiação de Shimomura, mas a candidatura dele à vereança é outra história e já teria sido vetada pela cúpula do PMDB local. “Filiação, vá lá; legenda, nem pensar”, teriam gritado alguns manda-brasas.

Mas, como em política nada é definitivo, não está totalmente descartada a possibilidade de Shimomura ser candidato. Principalmente, depois da festa de aniversário que ele ofereceu na sexta-feira passada, 16, na sede da Associação dos Servidores Públicos Municipais. Algumas pessoas que estiveram por lá ficaram agradavelmente surpreendidas com a quantidade de comensais e o tamanho da fila de cumprimentos. Segundo  um amigo deste aprendiz de blogueiro, era tanta gente querendo cumprimentar Shimomura, que os organizadores do regabofes tiveram até que distribuir senhas.

Caso consiga ser candidato a vereador, não será a primeira vez que Shimomura estará concorrendo a uma das cadeiras da Câmara. Em 1992, quando Esmarlei Melfi foi candidata a prefeita, Shimomura era o principal nome do PT entre os candidatos a vereador. Ligado à Igreja Católica, ele já era dado como eleito, mas sua quase eleição foi para o vinagre depois que um outro candidato a vereador do PCdoB, parceiro do PT naquela campanha, deu uma entrevista à Rádio Assunção.

A entrevista, realizada pelo repórter Artur Filho, foi ao ar a uma semana das eleições e teve Shimomura como principal alvo do entrevistado maluco. O sujeito queria receber um aparelho telefônico que ele havia ganhado em uma rifa do PT. E, como a Rádio Assunção era ouvida por muitos católicos, adivinhem o que aconteceu…

Além disso, um outro fator atrapalhou Shimomura, naquela ocasião. Ele era funcionário do Banco do Brasil e alguns colegas de trabalho – ainda acostumados aos resquícios maléficos da ditadura – fizeram campanha contra sua candidatura. Naquele época, não era fácil ser funcionário do Banco do Brasil e petista. O próprio Shimomura chegou a sofrer algumas perseguições e a sua candidatura, em 1992, não se pode negar, foi um ato de coragem.    

1 317 318 319 320 321 352