ÁRBITRO “INIMIGO DA ITÁLIA” PODE FICAR PRESO CINCO ANOS

Deu no Blog do Mário Marcos:

Os italianos nunca mais esqueceram de dele. O equatoriano Byron Moreno, 41 anos, virou até personagem de piadas na publicidade italiana (veja o vídeo logo abaixo) por causa de sua desastrosa atuação na partida decisiva contra a Coreia do Sul na Copa de 2002. Inverteu faltas, não deu pênaltis, prejudicou seriamente a seleção da Itália, que acabaria eliminada com a derrota de 2 a 1.

Pois bem, agora Moreno está envolvido em um escândalo muito mais grave do que seus erros naquela partida. Ele pode ser condenado nos Estados Unidos a mais de cinco anos de prisão pela acusação de tráfico de heroína, de acordo com o promotor-geral americano.

Ele está detido desde setembro do ano passado, sem direito a fiança, quando desembarcou no Aeroporto John F. Kennedy, de Nova York. Moreno mostrou-se visivelmente nervoso, segundo relatório dos inspetores, na hora da inspeção e acabou provocando suspeitas. Descobriram, então, os pacotes da droga, que estava em pequenas bolsas presas ao corpo.

Falta só marcar a data do julgamento.

Veja um dos vídeos em que os italianos brincam com os desastres de Moreno:

You need to a flashplayer enabled browser to view this YouTube video

ENTIDADE SUGERE MÁRLON REIS PARA O STF

O juiz maranhense Márlon Jacinto Reis está sendo indicado pela Associação Brasileira dos Magistrados, Procuradores e Promotores Eleitorais (Abramppe), para ocupar a 11ª cadeira de ministro do Supremo Tribunal Federal, que está vaga desde a aposentadoria do ex-ministro Eros Grau. Márlon Reis é coordenador do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral e um dos criadores e redatores do projeto que deu origem à Lei da Ficha Limpa.

A indicação de ministro do Supremo Tribunal Federal cabe exclusivamente ao presidente da República. Depois da indicação pelo presidente, o candidato a ministro precisa passar por uma sabatina do Senado Federal, antes da aprovação final. Ao indicar Márlon, a Abramppe tenta difundir a idéia de fazer com que as escolhas para o STF passem a levar em conta as posições da sociedade civil.

Márlon Reis esteve em Jales, em 2004, durante a campanha eleitoral daquele ano. Naquela época, Márlon já era famoso pela iniciativa de criar o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral, ligado à Transparência Brasil. Ele esteve em Jales, a convite do bispo dom Demétrio Valentini, para uma palestra aos candidatos a prefeitos e a vereadores das cidades vinculadas à Diocese de Jales, sobre os perigos da corrupção eleitoral.

O encontro foi na Escola Vocacional e, na ocasião, os cinco candidatos a prefeito de Jales – Parini, Flávio Prandi, Hilário Pupim, Nice Mistilides e Rato – estiveram presentes à palestra. Este aprendiz de blogueiro, que à época cuidava da campanha de rádio do candidato Parini, também participou da palestra, por sinal, muito interessante.

Posteriormente, algumas entidades locais lançaram, com apoio da Igreja Católica, um panfleto contra a corrupção eleitoral e, principalmente, estimulando denúncias contra a prática da compra de votos. O panfleto, na avaliação de alguns observadores da cena política local, teria facilitado a vitória de Humberto Parini. E teria deixado alguns adversários do petista magoados com os autores da iniciativa.

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MANTÉM DECISÃO CONTRA EX-PREFEITO DE LIMEIRA

Deu no site Ethos on Line, nesta quarta-feira:

A 6ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) negou, pedido de improcedência de ação civil pública por ato de improbidade administrativa

A 6ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) negou pedido de improcedência de ação civil pública por ato de improbidade administrativa contra Silvio Felix da Silva.

Felix da Silva, época dos fatos era prefeito de Limeira, foi acusado de adquirir alimentos superfaturados destinados à merenda escolar. Em decisão de 1ª instância, foi condenado a ressarcir integralmente o dano aos cofres públicos. (R$ 1 milhão)Ele entrou com recurso para que a ação fosse julgada improcedente, alegando que o pregão, modalidade licitatória adotada, foi muito mais vantajoso e acarretou em economia, comparada à gestão passada.

Para o relator do processo, desembargador José Habice, “os prejuízos ao erário foram comprovados, a sanção foi bem imposta e a sentença deve ser integralmente cumprida”. Por isso, negou provimento ao recurso. A decisão, unânime, teve a participação dos desembargadores Evaristo dos Santos e Sidney Romano dos Reis.

RUA ITÁLIA

A foto abaixo é de um pequeno trecho da Rua Itália, entre as ruas Elizabeth e Nova Iorque, na Vila Santa Inês. Aliás, sempre é bom lembrar que a Vila Santa Inês e a Vila Inês são bairros próximos, porém distintos, separados pela Rua Nova Iorque. Num desses bairros – não me lembro exatamente qual deles, se na Vila Inês ou na Vila Santa Inês – os proprietários dos imóveis estão obrigados ao pagamento do laudêmio, aquele imposto que se paga à nossa família imperial (família Jalles), toda vez que se faz alguma transação imobiliária. Além de uma dessas vilas e do chamado perímetro central da cidade, apenas um outro bairro é atingido pelo laudêmio. Trata-se do Bairro Santo Expedito, um dos primeiros bairros de Jales. 

Voltando à Rua Itália, a situação mostrada pela foto não é nova. Já faz, no mínimo, uns quinze anos que a rua vem sendo remendada. Recape, que é bom, nenhum.

SANTA CASA DE JALES INAUGURA NOVA UTI

Com investimento de R$ 1 milhão do governo estadual, nova UTI tem 10 leitos e aparelhos médicos de última geração.

(sobre release de Vivian Curitiba) 

Num momento histórico desde sua fundação, a Santa Casa de Jales inaugurou no último dia 15, as instalações da nova UTI – Unidade de Terapia Intensiva “Dr. Aloysio Nunes Ferreira” – com investimentos de R$1 milhão do governo do estado. O recurso, conquistado através do ex-secretário da Casa Civil, Dr. Aloysio Nunes Ferreira Filho, foi investido na compra de equipamentos médicos.

 A solenidade de inauguração contou com a presença do secretário estadual de Gestão Pública, Julio Semeghini (PSDB), do prefeito de Jales, Humberto Parini, dos vereadores Luis Henrique Viotto (Macetão) e Rivelino Rodrigues, do juiz da Infância e Juventude, Dr. José Pedro Geraldo Curitiba, de Itamar Borges, Osvaldo Soler Júnior, representando o Dr.Aloysio Nunes Ferreira Filho, Dr.Valdecir Carlos Tadei, diretor do Diretório Regional de Saúde XV, Doniseth Santos de Oliveira, secretário municipal de Saúde de Jales, entre outras autoridades presentes.

 Na ocasião, o provedor do hospital, José Devanir Rodrigues, o Garça, lembrou que o projeto para aquisição de equipamentos da nova UTI Geral começou com a visita do ex-secretário estadual de Saúde, Luiz Roberto Barradas Barata, que em visita a Santa Casa de Jales, conheceu a situação da antiga UTI e ajudou a viabilizar o repasse. “Não podemos nos esquecer do secretário Barradas, que conheceu nossa antiga UTI e assim como o Dr.Aloysio, foi fundamental na liberação do repasse”, disse o provedor. Garça ressalta que o deputado federal Rodrigo Garcia (DEM) e a deputada estadual, Analice Fernandes (PSDB), também colaboraram na intermediação para liberação dos recursos.

 Estrutura física da nova UTI Geral

 Com 400 m² de área construída (mais que o dobro do tamanho da antiga UTI, com 150 m²), a nova UTI Geral possui 10 leitos com acessos individuais para visitantes, ou seja, cada paciente tem uma porta individual por onde recebe seus visitantes, evitando assim qualquer constrangimento com outros pacientes internados.

 Além disso, a estrutura conta com área de apoio com apartamento para plantonistas, copa, vestiários e sanitários femininos e masculinos, rouparia, expurgo, Departamento de Manutenção e Limpeza, sala de utilidades e bancada de monitoramento e preparo.

AS PARTICIPAÇÕES DA DEMOP

Li no blog do amigo Murilo Pohl, uma notícia que não é recente, mas que é interessante e, por isso mesmo, ele deve ter postado. Afinal, é importante que as pessoas saibam o que anda acontecendo por aí. Diz a notícia que a Procuradoria Geral de Justiça do Estado de São Paulo (PGE), instaurou inquérito civil para apurar possível improbidade administrativa e enriquecimento ilícito contra a empresa Demop Participações Ltda., por conta do contrato firmado com a prefeitura de Olímpia, no valor de R$ 8 milhões. O inquérito foi aberto em setembro do ano passado e, de lá para cá, não se tem mais notícias das investigações. Pode ser que tenham dado em nada, mas pode ser também que ainda não tenham terminado.

A Demop Participações é uma empreiteira de Votuporanga, com ótimos contatos em gabinetes de Brasília. No ano passado, além de Olímpia, a empresa venceu outras licitações para execução de serviços de recapeamento asfático em cidades como Votuporanga, Icém, Bastos e, é claro, Jales, onde a Prefeitura e a Demop firmaram uma Ata de Registro de Preços em torno de R$ 5,9 milhões. Foi a primeira licitação desse tipo – Registro de Preços – realizada pela Prefeitura de Jales. E, por coincidência, foi também, se não me falha a memória, a primeira licitação vencida pela Demop na administração Parini. O edital da licitação, segundo fiquei sabendo, é muito parecido com o de Olímpia, o que pode ter sido apenas outra agradável coincidência, embora não seja recomendável acreditar em coincidências quando o assunto é licitação.

Mas o atento leitor deve estar se perguntando o que seria uma Ata de Registro de Preços. Ela é uma espécie de pré-contrato firmado entre a Prefeitura e a empresa, válido por doze meses.  À medida em que a Prefeitura vai obtendo os recursos, aí então é assinado um contrato no valor da verba ou do convênio obtido e executados os serviços. Em Jales, se a minha pesquisa ao Diário Oficial estiver correta, foram assinados quatro contratos entre a Prefeitura e a Demop, totalizando R$ 2,7 milhões, ou seja, quase a metade do valor ajustado na Ata de Registro de Preços.

Um dos amigos que deixei na Prefeitura – conhecido por suas profecias nem sempre otimistas – me disse, há algum tempo, que, se tudo corresse bem, esse pré-contrato de quase R$ 6 milhões seria a redenção da administração municipal no quesito asfalto, uma vez que, segundo ele, iriam sobrar pouquíssimos buracos nas ruas de Jales. Pois é, como se pode ver, quase metade dos recursos já foram contratados e, provavelmente, executados pela Demop. E a cidade parece cada vez mais esburacada. Ou não?

REGIONAL CARIOCA

Domingo, logo pela manhã, recebi a visita de um velho amigo, o Luiz Carlos Seixas, filho do “seu” Bernardino e da dona Teresa, que, já faz alguns anos, mora em Ourinhos. Foi uma visita rápida, como tem que ser as visitas nos domingos de manhã. Mas foi o suficiente para ele me falar sobre o CD do grupo Regional Carioca, e, o que é melhor, para deixar um exemplar do CD, onde o filho dele, o Glauber Seixas é um dos destaques.

O Regional Carioca é um grupo de samba e choro, formado por jovens músicos e compositores com faixa etária de vinte e poucos anos. Mas, apesar de jovens, já são músicos reconhecidos. O próprio Glauber participou da gravação do último CD da Maria Bethânia, o que não é pouco. Ele e outro violonista do grupo, Rafael Maumith, são hoje, segundo os especialistas, grandes esperanças do violão brasileiro.

Os outros componentes, Thiago Souza, Ana Rabello e Julião Pinheiro são nascidos em familia de músicos de choro. Thiago é filho do também bandolinista Ronaldo Souza (ex integrante do conjunto Época de Ouro). Ana e Julião são filhos de Luciana Rabello e sobrinhos de Raphael Rabello. Ana já é apontada por Luciana como sua verdadeira herdeira no cavaquinho. Julião, como não poderia deixar de ser, é discípulo de mestre Dino e do tio Raphael Rabello – os maiores mestres na arte de tocar violão de 7 cordas! Além deles, tem também o pandeirista Marcus Thadeu, que aprendeu a tocar o instrumento com Celsinho Silva e Jorginho Silva, mestres do pandeiro do Brasil. 

O meu amigo Seixas deve estar orgulhoso do rebento que tem. Quando éramos meninos, jogávamos bola e cometíamos pequenas subversões – como distribuir, na madrugada, jornais contra o regime militar – mas o grande sonho do Bochecha, como o chamávamos, era ser músico e compositor. Ele ganhou festivais de música e chegou a compor umas duas ou três canções com o Toquinho, mas depois achou melhor fazer um concurso público e – ironia do destino – foi trabalhar na polícia. Abaixo, a faixa número um do CD do Regional Carioca, “Alumiando”, uma composição do Maurício Carrilo. Vale a pena ouvir!

01-Alumiando

DIRCE REIS: SUSPEITA DE FRAUDE EM CONCURSO PÚBLICO AFASTA FUNCIONÁRIOS

Deu no noticiário Tem Mais, da TV Tem, edição de ontem:

A justiça de Jales determinou o afastamento de 16 funcionários da prefeitura de Dirce Reis. O motivo seria uma possível fraude em um concurso público. Segundo o Ministério Público, o concurso teve irregularidades que indicam uma possível fraude e favorecimento de candidatos. O documento afirma que as provas, realizadas em dois diferentes horários, tinham conteúdos idênticos. O concurso foi realizado pela Instituição Soler de Jales, que reconhece o erro na aplicação de uma das provas, mas nega o favorecimento aos candidatos.

O vídeo com a notícia completa você vê aqui.

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL ESTÁ DE OLHO NO “BIG BROTHER” E SEUS EXCESSOS

Deu no Escrevinhador, o Blog do Rodrigo Vianna, nesta terça-feira: 

por Juliana Sada

No dia 20 de dezembro, a Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão do Ministério Público Federal (PFDC/MPF) enviou um documento à Rede Globo pedindo atenção aos direitos constitucionais e da pessoa humana na 11ª edição do reality show “Big Brother Brasil” – BBB11.

A ação foi motivada pelo alto número de denúncias que a última edição do programa recebeu. De acordo com a campanha “Ética na TV – Quem financia a Baixaria é Contra a Cidadania”, o BBB10 foi o campeão de reclamações no período entre agosto de 2009 e abril de 2010. Foram 227 denúncias que relatavam desrespeito à dignidade humana, nudez, exposição de pessoas ao ridículo e apelo sexual. De acordo com a PFDC ainda há problemas de homofobia, incitação à violência e inadequação no horário de exibição.

A Recomendação enviada à Rede Globo também adverte à emissora que observe a sua própria autorregulamentação, na qual o grupo assumiu “a missão de exibir conteúdos de qualidade que atendam às finalidades artística, cultural, informativa, educativa e que contribuam para o desenvolvimento da sociedade”. A emissora deve também tomar as medidas necessárias para evitar as violações de direitos humanos, além de veicular o programa no horário adequado, atentando para as diferenças de fusos horários e também para o horário de verão.

Apesar da Recomendação enviada pelo Ministério Público, a Rede Globo não deu indícios de mudança no comportamento. Aliás, fez o contrário. Recentemente, o diretor do programa, José Bonifácio de Oliveira, conhecido como Boninho, declarou que decidiu “liberar a porrada” nesta edição de “Big Brother”.

A charge é do Humberto, publicada no Jornal do Commercio (PE).

1 1.315 1.316 1.317 1.318 1.319 1.326