Arquivos do autor: cardosinho

VENDA DE TERRENOS: PARINI PROMETE INVESTIR DINHEIRO EM MELHORIAS NOS DISTRITOS

Como já dissemos em um post anterior, o prefeito Humberto Parini está pedindo autorização à Câmara para vender alguns terrenos da Prefeitura – como esse da foto, que fica na Rua João Valente, no Jardim das Palmeiras – sob a alegação de que vai aplicar o dinheiro nos nossos Distritos Industriais, os quais, por sinal, só foram lembrados pelo atual prefeito durante suas campanhas eleitorais.

Se você é daquelas pessoas que não acredita em Papai Noel, já deve estar imaginando o que vai acontecer: quando o dinheiro – cerca de R$ 500 mil, se todos os terrenos forem vendidos – pintar nas contas da Prefeitura, o prefeito já terá esquecido de sua promessa e os Distritos Industriais vão continuar exatamente como estão. Mas isso é um problema que fica prá depois. E, caso o prezado leitor tenha algum dinheiro sobrando para investir, aí vai a relação dos lotes e o valor mínimo de cada um:  

Imóvel Área Localização Preço mínimo
Lote “B”  1.298,30m² Jardim das Palmeiras R$ 102.565,70
Lote “C”  1.231,47m² Jardim das Palmeiras R$   99.749,07
Chác.22 – parte A  1.719,17m² Chácara Alto Marimbondo R$   49.855,93
Lote 01 – quadra K     326,87m² Jardim Pires de Andrade R$   25.168,99
Lote “E”     647,78m² Jardim das Palmeiras R$   59.595,76
Lote “F”  1.154,99m² Jardim das Palmeiras R$   79.694,31
Lote 9 – quadra 10     390,31m² Jardim do Bosque R$   19.905,81
Sem denominação 17.386,32m² Parque das Flores R$   60.852,12

TUCANO JOTA ERRE CRITICA AUSÊNCIA DE PARINI NO EVENTO COM ALCKMIM, EM VOTUPORANGA

O vereador José Roberto Fávaro(PSDB) elogiou a atuação do presidente da Câmara, Claudir Aranda, que representou Jales no evento de sábado passado, em Votuporanga, quando o governador anunciou o início das obras de duplicação da rodovia Euclides da Cunha.

Em discurso, já no final da sessão desta segunda-feira, Jota Erre registrou a presença de Claudir no evento e, de outro lado, registrou também a ausência do prefeito Humberto Parini. Segundo o tucano, não havia nenhum representante do Executivo jalesense em Votuporanga, no sábado, o que, na opinião dele, foi algo lamentável.

Jota Erre é um brincalhão! Será que ele achava mesmo que o prefeito Parini iria dar o ar de sua graça em Votuporanga depois do “estelionato eleitoral”?

ESPECIATO NÃO GOSTOU DO ADIAMENTO DA VOTAÇÃO DE PROJETOS PARA VENDA DE IMÓVEIS

Na sessão da Câmara, desta segunda-feira, o vereador Luís Especiato manifestou algum descontentamento com o adiamento da votação dos projetos em que o prefeito Humberto Parini solicita autorização para vender oito terrenos da Prefeitura. Segundo o vereador, o pedido de adiamento feito pelo tucano José Roberto Fávaro é legítimo, mas eventuais novos adiamentos poderiam significar mera “frescura”.

Especiato justificou seu ponto de vista, alegando que o dinheiro arrecadado com a venda dos terrenos será investido na melhoria dos Distritos Industriais, conforme promessa feita pelo prefeito Parini na mensagem que acompanha os projetos. Caso todos os oito imóveis sejam vendidos, os cofres da Prefeitura serão reforçados em cerca de R$ 500 mil.

Não sei quais motivos teriam levado Jota Erre a pedir o adiamento, mas pode ser que o vereador tucano não tenha acreditado na promessa de Parini. E, caso tenha sido esse o motivo, ele fez muito bem. Afinal, apesar de prometer aplicar o dinheiro nos Distritos Industriais, Parini não incluiu nos projetos-de-lei nenhum artigo que garanta o cumprimento da promessa. E, conhecendo bem o prefeito, seria um pouco arriscado acreditar que o dinheiro vá ser mesmo investido nos Distritos Industriais.

SURTO DE CONJUNTIVITE CHEGA A JALES

O jornal A Tribuna deste domingo publicou matéria a respeito da chegada do surto de conjuntivite a Jales, com a explosão de casos verificada na semana passada. Segundo a matéria, foram registrados 25 casos em fevereiro, enquanto no mês de março, até o dia 24, já tínhamos 440 casos notificados, sendo que a maioria ocorreu de segunda(21) a quinta-feira(24) da semana passada.

Segundo a chefe de gabinete da Secretaria de Saúde, Patrícia Albarello, em Jales o surto de conjuntivite explodiu depois do carnaval e pode ter sido trazido por jalesenses que passaram o período carnavalesco em outras cidades, como Votuporanga e São José do Rio Preto, onde já havia uma grande incidência da doença.

A auxiliar de enfermagem Daniela Carvalho Marques, da equipe da Vigilância, esclareceu que, dos 298 casos verificados no período de 21 a 24 de março, quase a metade foi atendida no Pronto-Socorro Municipal. E no dia 25, sexta-feira, ainda no período da manhã o Pronto Socorro já havia atendido cerca de 20 pessoas com sintomas da conjuntivite viral, numa demonstração que os casos estão se multiplicando.

MÉDICO MORRE APÓS TRANSAR EM CLUBE GAY, NO RIO DE JANEIRO

A notícia está no portal eletrônico da Globo, o G1:

Um médico de 56 anos morreu por volta das 22h30 do último sábado (26), após fazer sexo com um garoto de programa, em um clube gay da Rua Benjamin Constant, na Glória, na Zona Sul do Rio. A informação foi divulgada pela assessoria de comunicação da Polícia Civil.

O caso está sendo investigado pelo delegado Pedro Paulo Pontes Pinho, titular da 9ª DP (Catete). Segundo a polícia, o rapaz contou, em depoimento, que após a relação sexual o médico passou mal, chegou a ser socorrido por funcionários e frequentadores do estabelecimento, entre eles um médico e uma equipe de socorro do Corpo de Bombeiros, que compareceu ao local. Mas ele não resistiu e morreu.

Após colher as primeiras informações, a polícia acredita que a vítima era cardiopata e descarta, inicialmente, a hipótese de homicídio. Segundo a polícia, também está descartada a prática do golpe conhecido como “boa noite, cinderela”, pois esse tipo de delito é normalmente praticado em circunstâncias e em local diferentes do ocorrido e, além disso, a vítima estava de posse de bens e dinheiro, os quais se encontravam no armário do clube.

O corpo já foi submetido a exame no Instituto Médico Legal (IML), para se detectar a presença de alguma substância que possa ter causado a morte. Os pertences do médico foram retirados do armário do estabelecimento e serão devolvidos à família.

RIVELINO QUER UMA REFORMA NA INCUBADORA DO JACB

Na sessão da Câmara, de hoje, o vereador Rivelino Rodrigues vai apresentar uma indicação ao prefeito Humberto Parini, solicitando que seja elaborado um orçamento para reforma e adequação do prédio público localizado no Conjunto Habitacional JACB, onde funcionava uma incubadora de pequenas empresas. Nas palavras do vereador, aliado do prefeito, o prédio, que foi praticamente desativado e abandonado pela administração Parini, poderia estar sendo utilizado para geração de empregos e renda.

Já escrevi sobre o caso da “incubadora” do JACB, de onde o prefeito Humberto Parini desalojou e continua desalojando empresas simplesmente para deixar as salas vazias, como essa da foto acima, que, segundo informações, estaria desocupada e abandonada há mais de dois anos. A política de geração de empregos do governo Parini consiste nisso: expulsar empresas de incubadoras, sem, no entanto, dar condições prá que novas empresas se instalem nas salas desocupadas. Foi assim no JACB, na Fepasa e no Centro de Economia Solidária “Fioravante Boldrin”.

O pedido de Rivelino vai ser apenas mais um que será jogado no cesto de lixo por Parini. Com certeza, o nosso prefeito-estudante vai ficar “estudando” a solicitação do vereador por, no mínimo, uns vinte meses, que é o tempo que lhe falta para descer a rampa.

PÓRTICO DEVE FICAR PRONTO EM TRINTA DIAS

Definitivamente, daqui a alguns dias não restará mais nada na antiga Praça do Jacaré que lembre o seu mais ilustre personagem, o jacaré da Praça. Como se sabe, no ano passado, só porque a Prefeitura estava alimentando o bichinho com uma dieta à base de repolho e outras verduras, a Polícia Ambiental de Jales, em evidente “retaliação” ao prefeito Humberto Parini, tratou de transferir o jacaré para Araçatuba, onde ele, alimentando-se de muita carne, já deve estar com uns quilinhos acima do peso ideal.

Para desespero dos saudosistas, como o Célio Soares, quando a empresa Sanecc, de Votuporanga, retirar os tapumes que cercam o local onde o nosso afamado jacaré – depois de empaturrar-se de repolho – atravessava suas noites em companhia de algumas pobres tartaruguinhas, já não haverá nem sombra do tanque ornamental que enfeitava a nossa Praça. No seu lugar, está sendo erguido um pórtico, que, por sinal, já está causando alguma polêmica: ontem, na Via Pães, dois conhecidos advogados discutiam se aquilo que está sendo construído é mesmo um pórtico ou um mero obelisco.

Como não sei o que é um pórtico, tratei de recorrer ao Wikipédia e fiquei sabendo que “em arquitetura, um pórtico é o local coberto à entrada de um edifício, de um templo ou de um palácio. Pode se estender ao longo de uma colunata, com uma estrutura cobrindo uma passarela elevada por colunas ou fechada por paredes. A ideia apareceu na Grécia antiga e influenciou diversas culturas, incluindo a maioria das ocidentais. O pórtico tem, geralmente, dimensões menores que um portal”.

Fiquei sabendo também que “a cidade de Bolonha, na Itália, é muito famosa por seus pórticos. No total, existem lá mais de 45 quilômetros de arcadas, 38 só no centro da cidade”. O jacaré que me desculpe, mas, em que pese a sua fama, acho que Jales, assim como Bolonha, poderá ficar muito mais famosa por seus pórticos. Está aí o Portal de Entrada que não me deixa mentir.

Na foto lá de cima, a Polícia Ambiental “retaliando” o nosso prefeito. E, nesta aqui do lado, o Pórtico da Praça “João Mariano de Freitas”, sendo construído.

ARTIGO: HIROSHIMA, NAGASAKI E JALES – CADA CIDADE CONTA A SUA HISTÓRIA

Desse jeito, a Marina ainda vai acabar convencendo o seo Genésio Mendes Seixas a se mudar de mala e cuia pra Tanabi. O seo Genésio, todos nós sabemos, é uma pessoa dedicada à preservação da história da nossa cidade. Como historiador, ele buscou resgatar, há algum tempo, a memória da Igreja Bom Jesus, que ficava localizada na quadra onde hoje estão o Fórum e o Sakashita Supermercados. Para tal, o seo Genésio construiu, à custa de muito trabalho, uma maquete da igreja, que fora demolida em 1972.

Pois bem, na semana passada, o seo Genésio esteve no Espaço Cultural “José Carlos Guisso”, onde funcionava o Museu de Jales, desativado pelo governo Parini, e – surpresa desagradável! – acabou constatando que a maquete, assim como a Igreja original, foi alvo do descaso para com a nossa história. A foto da maquete danificada está aí ao lado e o texto que o seo Genésio escreveu sobre o fato, vai reproduzido abaixo:    

Hiroshima, Nagasaki e Jales – Cada cidade com sua história

 I – Sobre Hiroshima e Nagasaki – Duas cidades do arquipélago do Japão cuja exposição fotográfica, hoje no Centro Cultural de Jales, revelam dois notáveis juízos: um acenando para a barbaridade dos autores do primeiro bombardeio atômico no mundo em 6 de agosto de 1945. Nesse dia, sobre Hiroshima, ocorreu a maior das tragédias executada por mãos humanas ceifando vidas de civis idosos, mulheres, estudantes, enfermos e crianças.
Como se não bastasse, três dias após, foi a vez de arrasar Nagasaki que nem possuía recursos bélicos significativos para uma suposta reação militar. O ato foi altamente desumano. Por que aconteceu? – “Matamos 100 mil japoneses (já foram contabilizados mais de 250 mil) para evitar a morte de outros 3,6 milhões se a guerra prosseguisse”. Essa foi a justificativa mais insensata e vergonhosa que o Sr. Henry Truman podia dar, e que nos leva a perguntar se realmente somos seres racionais.
O segundo juízo eleva a nobreza do bravo povo japonês que teve a capacidade ímpar de conformar, reagir e reedificar duas cidades tão conhecidas mundialmente como Sodoma e Gomorra. Sobre as cinzas da guerra entre forças desiguais ergueram suas cidades modelo.
Nada mais justo que mostrar à população até onde chegou o exagero pela sede de domínio conquistado com as duas bombas do inferno. Poder apoiar os orientais nessa divulgação é para nós motivo de orgulho e satisfação. Jales participa.
II – Sobre Jales – Cidadezinha relativamente nova, completando seus 70 anos de existência, com 50 mil habitantes, nascida no coração das selvas quase desconhecidas, graças à garra de gente simples que, com humildade, procurava uma vida mais promissora. Entrava também em jogo a vida do aventureiro e da própria família sem qualquer respaldo da civilização.
Apesar da escassez de fotografias antigas e objetos, que ajudam a lembrar nosso passado histórico, alguns jalesenses vêm há anos tentando compilar informes e coletar materiais para um museu a fim de resgatar a memória e ter o que apresentar para a atualidade e gerações que virão.
Uma das relíquias presentes era a maquete da igreja Bom Jesus entranhada nos corações jalesenses desde a sua demolição. Sempre que perquirimos, encontramos quem naquele minúsculo templo foi batizado, crismado, batizado, e nele adentrou para assistir à missas ou fazer orações. Outros dizem: – “meus pais se casaram nessa igreja”; aqueloutro: – “não sou religioso, mas lamento sua destruição em 1972”. Por isso, há 16 anos, juntamos fotos de diferentes ângulos e fizemos a réplica, 30 vezes menor do que a original, para que pudéssemos ter idéia da igreja em terceira dimensão.
Para compreender o tamanho da cooperação de Jales com os organizadores da exposição, basta visitarmos o local e dar pela falta de todo o acervo do museu provisoriamente desativado. Existem certas peças condicionadas em locais apropriados cuja remoção não é aconselhável. Deve-se ficar ali, inerte como se jazesse num túmulo. Infelizmente, na manobra de desocupar totalmente o espaço, a maquete foi danificada como se vê na foto. Seria o sobrecarregado Espaço Cultural o mais adequado para a exposição?
Em 1972, erramos por não termos recuperado a igreja Bom Jesus quando a desmoronamos (primeiro bombardeio), e agora num descuido quebramos a réplica (lançamos a segunda bomba). Para quem a construiu é como um pai vendo a filha sendo mutilada.
– Que fazer agora com a maquete? É a pergunta que se ouve.
– Reconstruí-la, e já. Isso é o que devemos aprender com os orientais.
 (Genésio M Seixas)

CRIME DE ILHA SOLTEIRA É ESCLARECIDO, MAS MOTIVOS SEGUEM “NEBULOSOS”

“Era chegar, esperar e matar”, diz a dentista sobre professor. A notícia é do jornal Impacto On Line:

ILHA SOLTEIRA – Há pouco mais de uma semana, a cidade de Ilha Solteira ganhou destaque no noticiário após uma aluna de mestrado da Universidade Estadual Paulista (Unesp) invadir a casa de seu professor determinada a matá-lo. Ela levava consigo uma pistola 380 e 12 balas, uma já engatilhada.

A espera do alvo, a acusada fez a empregada doméstica Maria de Lourdes, de 52 anos, refém por mais de 3h. Foi contida pela polícia e o caso acabou sem feridos. Contudo, não totalmente esclarecido. “O crime foi elucidado, mas os motivos ainda são nebulosos”, afirma o delegado Miguel Ângelo Micas, que deve encaminhar o inquérito à Justiça nesta terça-feira.

De um lado está Rosângela Conceição Mioti de Souza, a acusada. Cirurgiã-dentista de 33 anos, aluna de mestrado, casada, mãe de um garoto de 12 anos e de uma menina de 6, sem passagem pela polícia. Ela afirma que seu co-orientador a ameaçava e estuprava e, por isso, queria se vingar.

Do outro, Elerson Jardim Jr., professor de pós-graduação de uma das principais instituições do País, também casado, 41 anos, pai de uma menina de 2 anos e meio. Nega todas as acusações, está de licença da universidade e se diz “exposto e chocado”. Ainda custa a acreditar que há dias quiseram-lhe tirar a vida e ele escapou por pouco.

A notícia completa pode ser lida aqui.

ANTES DE MORRER, ATRIZ CIBELE DORSA POSTOU VÍDEO NO TWITTER EM HOMENAGEM AO NAMORADO

Deu no site de notícias Extra, do Rio de Janeiro:

O corpo da atriz e escritora Cibele Dorsa foi enterrado por volta das 11h40 deste domingo (27) no Cemitério do Araçá, em São Paulo. Cibele morreu na madrugada de sábado (26) após cair da janela do apartamento onde morava, no sétimo andar de um prédio na região do Morumbi, Zona Sul de São Paulo. O enterro foi acompanhado por cerca de 40 familiares e amigos próximos da atriz.

Horas antes de morrer a atriz postou, no Twitter, uma mensagem de despedida e também um vídeo com imagens dela e de seu noivo, Gilberto Scarpa, que morreu caindo da mesma janela, no dia 30 de janeiro. Em sua última mensagem no site de microblogs, Cibele escreve que não suportou a morte do namorado e lutou até onde pôde.

A atriz e escritora foi casada durante quatro anos com o cavaleiro brasileiro Álvaro Affonso de Miranda Neto, o Doda, atual marido da bilionária Athina Onassis. Cibele é mãe da filha do cavaleiro e também tem um menino, de outro casamento. As duas crianças moram com Doda na Europa e não vieram ao Brasil para o enterro da mãe.

Os últimos anos foram marcados por casos difíceis na vida de Cibele. Em 2008, ela sofreu um grave acidente de carro na Avenida Cidade Jardim, na Zona Sul de São Paulo. Um amigo que dirigia seu veículo morreu. A atriz ficou mais de 20 dias internada e precisou passar por duas cirurgias. Após o acidente, ela escreveu um livro relatando o ocorrido.

Já em janeiro de 2010, o noivo da atriz, o apresentador de TV Gilberto Scarpa, de 27 anos, morreu ao cair da mesma janela. Ele era sobrinho do empresário Chiquinho Scarpa e apresentava o programa de variedades “Brasil bites” no canal da TV paga E! Entertainment Television. Abaixo, o vídeo postado por Cibele no Twitter

You need to a flashplayer enabled browser to view this YouTube video

1 1.195 1.196 1.197 1.198 1.199 1.250