Categoria: Geral

APOSTA DA LIDERANÇA DO PT LEVA OS R$ 120 MILHÕES DA MEGA-SENA

E já tem gente dizendo que se trata de uma conspiração do PT para pagar a fiança do Lula e tirá-lo da prisão. Haja criatividade! Do portal MSN:

A aposta vencedora da Mega-Sena desta quarta-feira saiu para o PT. Um bolão feito na liderança do partido ganhou, sozinho cerca de R$ 120 milhões. Os números sorteados foram:  04 – 11 – 16 – 22 – 29 – 33.

O grupo tem 49 pessoas de deputados, assessores a funcionários da Câmara. De acordo com dois vencedores, que pediram anonimato, confirmaram ao Estado, cada um apostou R$ 10. Cada um vai ganhar cerca de R$ 2,5 milhões. 

Assim que saiu o resultado, o grupo saiu comemorando pelo corredor chamando a atenção de quem passava. De acordo com um dos vencedores, há mais de dez anos, em todos os sorteios, eles apostam.

Além do grupo, 406 apostas acertaram a quina (cinco números) e vão levar R$ 19.407,24 cada uma. Na quadra (quatro acertos) foram 24.366 apostas ganhadoras, que receberão R$ 461,96 cada uma.

O prêmio dos petistas é o terceiro maior prêmio acumulado neste ano e um dos 20 maiores da história. O maior foi sorteado em maio, para um sortudo que apostou pela internet e levou R$ 289 milhões.

SANTANDER É CONDENADO POR METAS ABUSIVAS E ADOECIMENTO MENTAL DE BANCÁRIOS

Deu no UOL:

A Justiça do Trabalho condenou o Banco Santander S.A. a pagar uma indenização de R$ 274 milhões por estabelecer metas abusivas aos trabalhadores, além de provocar o adoecimento mental deles. O processo foi movido pelo procurador Paulo Neto após constatar, em investigação, o alto índice de estresse a que os bancários eram submetidos.

Em nota publicada hoje, o Ministério Público do Trabalho afirma que, em 2014, a empresa registrou média de dois afastamentos por acidente e doença mental por dia. Além disso, 26% dos bancários afastados por esse motivo no Brasil entre 2012 e 2016 eram contratados do Santander.

O juiz do Trabalho responsável pela decisão, Gustavo Carvalho Chehab, da 3ª Vara do Trabalho de Brasília, disse que “se o réu fosse posicionado na relação de maiores incidências de transtornos mentais ocupacionais, estaria ocupando a sétima posição, a frente de atividades econômicas como hipermercados e telemarketing”.

Além de pagar a indenização por danos morais coletivos, a decisão judicial exige que a empresa proíba a submissão de trabalhadores a metas abusivas e que estabeleça essas metas em negociação coletiva com a entidade representativa da categoria.

Para o procurador Paulo Neto, “a conduta do banco é absolutamente grave e ilícita” e, ao exigir dos funcionários objetivos inalcançáveis, comete “grave violação aos preceitos constitucionais que asseguram o trabalho decente, a saúde, a vida digna e a redução dos riscos inerentes ao trabalho”.

PROCURADOR DE MG COM SALÁRIO DE R$ 35 MIL RECLAMA QUE ESTÁ GANHANDO POUCO: “É UM MISERÊ…”

Se o prezado leitor ganha menos de três salários mínimos, melhor não ler. Deu no iG:

Um procurador do Ministério Público de Minas Gerais (MP-MG) foi gravado durante um desabafo sobre a possibilidade de não haver reajustes para a categoria na hipótese do estado assinar um acordo de recuperação fiscal com o governo federal. No áudio revelado pela Rádio Itatiaia , Leonardo Azeredo dos Santos, que recebe R$ 35 mil de vencimentos brutos, reclama com o chefe da procuradoria, Antônio Sérgio Tonet, que está “deixando de gastar R$ 20 mil em cartão de crédito” por conta do salário. Ao todo, ele recebe R$ 24 mil após os descontos.

“Como é que o cara vai viver com R$ 24 mil? O que de fato nós vamos fazer para melhorar a nossa remuneração? Ou nós vamos ficar quietos?”, questiona o procurador na gravação. “Estou deixando de gastar R$ 20 mil de cartão de crédito e estou gastando R$ 8 mil para poder viver com os R$ 24 mil. Eu e vários outros já estamos vivendo à base de comprimido, à base de antidepressivo”, acrescenta.

Em outro trecho do áudio obtido pelo G1 , o procurador chama seus rendimentos de “miserê”. Ele questiona o procurador-geral, ainda, sobre perspectivas de incrementar o salário através de vantagens.

“Vamos passar no ano que vem a receber nosso salário verdadeiro, que todo mundo já verificou que é relativamente baixo, sobretudo para quem tem mulher e filho”, pondera Azeredo, diante de uma concordância de outra pessoa na conversa, presumivelmente de Tonet. “Já estou baixando o meu padrão de vida bruscamente, mas eu vou sobreviver. E não é porque sou perdulário. É para manter o meu patrimônio, que conquistei ao longo de 28 anos de carreira”, completa.

Para o procurador do MP-MG , a dificuldade em viver com o que considera pouco vem de sua origem familiar.

“Sou perdulário porque pago R$ 4.500 de condomínio e IPTU por mês. Eu, ao longo da carreira, quis ter mais condição. Infelizmente não tenho origem humilde, não sou acostumado com tanta limitação. Talvez seja até mau visto. Aqui tá cheio de gente que diz que nós somos perdulários, que ganhamos muito, que nós é que temos que economizar. Gente que não gasta um centavo. Só vive economizando. Não é um, não é dois nem três”, afirma.

Segundo o G1 Minas , Azeredo não foi encontrado para comentar as declarações. De acordo com o Portal da Transparência, o procurador chegou a receber R$ 78.617,66 no mês de junho, somados a remuneração líquida, indenização e outras verbas remunatórias. O MP-MG respondeu ao portal, em nota, que não tem nenhum projeto em andamento para complementar a renda de servidores, procuradores e promotores com benefícios pecuniários.

PF FAZ NOVA APREENSÃO DE DOCUMENTOS NA UNIVERSIDADE BRASIL

A notícia é do Diário da Região:

A Polícia Federal de Jales voltou a fazer nova apreensão de documentos de alunos do curso de medicina na Universidade Brasil, na tarde desta segunda-feira, 9. A faculdade é investigada por suposto esquema de R$ 500 milhões em venda de vagas de curso, fraude na prova do Revalida, Prouni e Fies.

Segundo a PF, os policiais foram atrás de prontuários dos alunos, que estariam guardados em uma sala, que não tinha sido vistoriada na semana passada.

Os documentos apreendidos foram levados para a sede da PF em Jales onde vão passar por análise pericial. 

BANDIDOS QUE ASSALTARAM FAZENDEIRO EM NAVIRAÍ(MS) SÃO PRESOS EM JALES

A notícia está pendurada no portal Midiamax:

Sete suspeitos foram presos após renderem e manterem refém a família de um fazendeiro na madrugada deste sábado (7) em Naviraí, 360 km de Campo Grande. Os bandidos deixaram quase R$ 500 mil de prejuízo para a vítima e três dos integrantes vieram do Ceará para cometer o crime. Eles foram presos em Jales (SP).

Conforme informações da Polícia Civil, a família foi rendida por volta das 4h30 e um dos bandidos estava armado com revólver. A vítima, um fazendeiro que não teve a idade informada, chegou a entrar em luta corporal com um dos suspeitos e acabou sendo ferido com coronhadas na cabeça.

Os suspeitos foram carregando joias, dinheiro, cheques e uma caminhonete SW4, que usaram para fugir. Após a fuga da quadrilha, a família conseguiu comunicar a polícia.

O SIG (Setor de Investigações Gerais) da 1ª DP de Naviraí identificaram inicialmente quatro envolvidos no crime. Dois tinham a função de cuidar da polícia durante o roubo, enquanto os outros dois “estudaram” a rotina da família para fazer os levantamentos.

As investigações também apontaram que três dos suspeitos eram do Ceará e haviam alugado um táxi para ir para o Nordeste. Em parceria com a polícia de São Paulo, o trio foi preso em Jales, interior de SP. Parte dos bens roubados foram recuperados pelo polícia.

PF PRENDE DONOS DE UNIVERSIDADE E OUTRAS 20 PESSOAS POR FRAUDES NO FIES E VENDA DE VAGAS NA MEDICINA EM FERNANDÓPOLIS

O ano não está sendo bom para a Universidade Brasil, campus de Fernandópolis. Em março – sob o argumento de que a instituição tinha ultrapassado o limite de vagas permitido pelo Ministério da Educação – o MPF de Jales recomendou o cancelamento de cerca de 300 matrículas no curso de medicina.

No início de maio, diante da recusa da Universidade em cancelar as matrículas, o MPF ajuizou uma ação civil pública, processando a instituição por excesso de alunos. A ação pedia, entre outras coisas, que a Universidade fosse condenada a pagar R$ 40 milhões, por danos morais coletivos.

No final de maio, atendendo pedido da Universidade, o Tribunal Regional Federal(TRF) concedeu liminar mantendo o número de vagas no curso de medicina, afirmando que a instituição não estaria cometendo nenhuma violação legal. Na mesma decisão, o TRF alegou que a iniciativa do MPF poderia causar “inequívocos danos à imagem da Universidade, com reflexos diretos em sua saúde financeira”.

Pelo visto, depois da operação de hoje, não haverá liminar que mantenha a imagem da Universidade sem arranhões. A notícia é da assessoria de Comunicação da PF:

Estimativas iniciais da PF indicam que, nos últimos cinco anos, aproximadamente R$ 500 milhões do FIES e PROUNI foram concedidos fraudulentamente. Cursos relacionados ao exame REVALIDA e transferências do exterior para cursos de medicina no Brasil também estão sob investigação

A Polícia Federal deflagrou em Jales/SP, na manhã desta terça-feira (03), a Operação Vagatomia, que investiga um grande esquema de fraudes na concessão do Financiamento Estudantil do Governo Federal (FIES) e na comercialização de vagas e transferências de alunos do exterior (principalmente Paraguai e Bolívia) para o curso de medicina em Fernandópolis/SP. Bolsas do PROUNI e fraudes relacionadas a cursos de complementação do exame REVALIDA também estão sob investigação da PF.

Aproximadamente 250 policiais federais estão cumprindo 77 mandados judiciais expedidos pela Justiça Federal de Jales/SP nas cidades paulistas de Fernandópolis, São Paulo, São José do Rio Preto, Santos, Presidente Prudente, São Bernardo do Campo, Porto Feliz, Meridiano, Murutinga do Sul, São João das Duas Pontes e Água Boa no Mato Grosso. Entre os mandados judiciais expedidos estão 11 prisões preventivas, 11 prisões temporárias, 45 ordens de busca e apreensão e 10 medidas cautelares (alternativas à prisão). A Justiça Federal também determinou o bloqueio de bens e valores dos investigados até o valor de R$ 250 milhões.

No início do ano, a PF recebeu informações que relatavam crimes e irregularidades que estariam ocorrendo no campus de um curso de medicina em Fernandópolis/SP. Vagas para ingresso, transferência e financiamentos FIES para o curso de medicina estariam sendo negociados por até R$ 120 mil por aluno.

Durante oito meses de investigações, a PF apurou as informações recebidas e concluiu que o líder da organização criminosa é o próprio dono da universidade, que também ocupa o cargo de reitor. O empresário J.F.P.C., engenheiro, 63 anos, e seu filho, S.B.P.C, que também é sócio do grupo educacional, não só tinham conhecimento, mas também participavam dos crimes em investigação. Uma estrutura formada por funcionários e pessoas ligadas à universidade dava condições para que as fraudes fossem realizadas.

“Assessorias educacionais”, com o apoio dos donos e toda a estrutura administrativa da universidade negociaram centenas de vagas para alunos (muitos deles já identificados) que aceitaram pagar pelas fraudes a fim de serem matriculados no curso de medicina.

Entre estes alunos, que compraram suas vagas e financiamentos, existem filhos de fazendeiros, servidores públicos, políticos, empresários e amigos dos donos da universidade, todos com alto poder aquisitivo, que mesmo sem perfil de beneficiário do FIES, mediante fraude, tiveram acesso aos recursos do Governo Federal. Com a sistemática atual de inclusão de dados e aprovação do FIES pelas próprias universidades privadas (beneficiárias dos recursos que aprovam) a PF estima que milhares de alunos carentes por todo o Brasil podem ter sido prejudicados em razão destas fraudes.

Com o incremento desordenado de alunos de medicina no campus em Fernandópolis/SP, a qualidade dos estudos foi prejudicada e alunos que ingressaram de forma regular procuraram o MPF para denunciar as fraudes. No decorrer das investigações, a PF identificou ameaças proferidas pelo dono da universidade aos alunos que fizeram as denúncias, além de tentativas de influenciar e intimidar autoridades, destruição e ocultação de provas, dentre outras ilegalidades. 

De acordo com as investigações, os empresários estariam investindo os recursos obtidos com as fraudes em imóveis urbanos e rurais no Brasil e no exterior, além da compra de aeronaves (helicóptero, jatinho e avião) e dezenas de veículos de luxo, que estão sendo bloqueados nesta data. Por outro lado, o campus de Fernandópolis/SP sofre com a falta de recursos financeiros, que estão sendo desviados para empresas do grupo investigado.

J.F.P.C e seu filho S.B.P.C. tiveram suas prisões decretadas, assim como alguns diretores e funcionários das unidades onde as fraudes foram identificadas (São Paulo, São José do Rio Preto e Fernandópolis/SP).  Integrantes das “assessorias”, que vendiam vagas no curso de medicina, financiamentos FIES e PROUNI, além de fraudes em cursos relacionados ao Exame REVALIDA também estão entre os presos. 

Os alunos e pais, que aceitaram pagar pela vaga e/ou financiamentos públicos, também responderão pelos crimes em investigação na medida de suas culpabilidades. Nova investigação será iniciada imediatamente pela PF objetivando identificar todos os pais e alunos que concordaram em pagar pelas fraudes praticadas pela organização criminosa e, portanto, também praticaram crimes.

O nome da operação Vagatomia foi utilizado em alusão ao termo “tomia” que significa “corte”, comumente utilizado em palavras que denominam procedimentos cirúrgicos. Como os investigados reduziam as vagas do curso de medicina e FIES, na medida em que as vendiam, candidatos que teriam direito ao financiamento do Governo Federal sofriam com o corte das vagas disponíveis.

Todo o material apreendido será encaminhado para a PF em Jales/SP para a realização de análise no interesse das investigações em curso. Os presos foram indiciados pelos crimes de organização criminosa, falsidade ideológica, inserção de dados falsos em sistemas de informações e estelionato majorado, cujas penas somadas podem chegar a 30 anos de reclusão. Eles serão ouvidos e posteriormente conduzidos para cadeias da região de cumprimento da prisão onde permanecerão presos à disposição da Justiça Federal.

BOLSOMINION TENTA AGREDIR NANDO REIS APÓS CRÍTICAS A BOLSONARO EM SHOW

Deu na revista Fórum:

Em show realizado na cidade de Mossoró (RN), o cantor Nando Reis foi surpreendido por um bolsonarista que tentou agredi-lo no palco por não gostar de ouvir críticas sobre o aumento das queimadas na Amazônia e sobre a indicação do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente, como embaixador do Brasil nos EUA.

Segundo relatos das redes sociais e do jornalista Bruno Barreto, do Blog do Barreto, o homem tentou atacar Nando Reis logo após ele criticar indiretamente Jair Bolsonaro, mesmo as críticas não sendo tão contundentes. Ele comentou sobre a devastação da Amazônia e fez uma ironia com Eduardo Bolsonaro.

O artista, ao apresentar seu guitarrista, comentou que ele era nascido nos EUA, mas muito “abrasileirado” e “não fritava hambúrguer”. A habilidade de fritar hambúrguer foi usada por Eduardo Bolsonaro para se credenciar como embaixador nos EUA, mesmo não tendo trajetória diplomática.

O bolsonarista foi contido por quatro seguranças (veja aqui) e o show transcorreu na normalidade.

O episódio aconteceu um dia antes de um grupo de bolsonaristas tentar censurar o humorista Gustavo Mendes, que se apresentava em Teófilo Otoni (MG) e trazia críticas ao presidente Jair Bolsonaro. O comediante não abaixou a cabeça e expulsou o grupo do seu show, garantindo a devolução do dinheiro.

EX-PREFEITO É ASSASSINADO POR FUNCIONÁRIO DA PREFEITURA, EM LARANJAL(PR)

Quando comecei a ler, já imaginei que o crime tinha a ver com algum rabo-de-saia. E tudo leva a crer que tinha. Laranjal tem 6.300 habitantes e a vítima já tinha sido prefeito da cidade por dois mandatos. A notícia é do MSN:

O ex-prefeito de Laranjal, no Paraná, Riolando Caetano de Freitas (PDT), foi assassinado a tiros no centro da cidade, no final da noite da última quarta-feira, 28. Conforme a Polícia Civil, o autor dos disparos é um funcionário da secretaria municipal de saúde que estava de plantão e usava um carro oficial. O criminoso fugiu após o crime e está sendo procurado.

Conforme o registro policial, o ex-prefeito conversava com o acusado em frente a uma panificadora, quando este sacou uma arma e deu dois tiros em Riolando. O político se refugiou no interior da padaria e foi perseguido pelo atirador, que fez outros quatro disparos. O ex-prefeito morreu no local.

Um funcionário da padaria tentou intervir e foi atingido por um tiro no braço esquerdo. Acionada, uma equipe do serviço municipal de saúde constatou que o ex-prefeito já estava morto. O servidor foi socorrido.

A polícia deu buscas na casa e em um lavador de carros do atirador, que trabalhava como motorista no serviço municipal de saúde e não teve o nome divulgado. A ex-mulher dele contou aos policiais que o suspeito havia feito ameaças a ela pelo aplicativo WhatsApp, logo após o crime.

Conforme a Polícia Civil, a investigação preliminar dá conta de que o crime teria sido motivado por ciúmes do atirador em relação à ex-esposa. O corpo do ex-prefeito passou por perícia no Instituto Médico Legal (IML) de Guarapuava e foi sepultado na tarde de quinta-feira, 29.

SOB PRETEXTO DE COMBATER A CORRUPÇÃO, LAVA JATO DEIXA ENORME RASTRO DE DESTRUIÇÃO NA ECONOMIA

Alguns comentaristas do blog não gostam quando se fala que a Lava Jato ajudou a destruir a economia do país, quebrando grandes empresas e causando desemprego em vários setores. Ontem, o jornal Valor Econômico publicou um artigo esclarecedor, escrito por dois estudiosos, a respeito dos danos que a Lava Jato – sob o pretexto de combater a corrupção – causou à economia do país.

Segundo o artigo, a Odebrecht é o caso mais emblemático: a maior construtora nacional tinha, em 2014, um faturamento bruto de R$ 107 bilhões, com 168 mil funcionários e operações em 27 países. Já em 2017 – quase quatro anos após a eclosão do escândalo e seu presidente/herdeiro preso – seu faturamento era de R$ 82 bilhões, com 58 mil funcionários e atividades apenas em 14 países.

O artigo cita, ainda, que, num intervalo de quatro anos, a cadeia produtiva direta do Sistema Petrobras teve uma perda de quase 260 mil postos de trabalho formais e informais. Isso sem se falar nos empregos indiretos. Enquanto isso, muita gente que perdeu o emprego continua batendo palmas a turma da foto acima.

A matéria abaixo, do portal Brasil Atual, está baseada no citado artigo:

O valor acima de R$ 2 bilhões recuperado pela Operação Lava Jato é um dado comum no dia a dia dos noticiários da imprensa comercial. Defensores da força-tarefa que deixou de ser um mecanismo de combate à corrupção para se tornar um instrumento de poder e influência política usam esse resultado como troféu, muitas vezes para justificar, inclusive, ilegalidades cometidas na operação, tais como as evidenciadas pelo escândalo conhecido como Vaza Jato.

Agora, qual o prejuízo para a economia do país que a Lava Jato já provocou? Todo o processo da operação, que foi tratado de forma espetacular pela mídia, levou à difamação de empresas, estancou setores produtivos e ajudou a impor na política nacional uma lógica privatista liberalizante. Os custos foram altos. Para recuperar os R$ 2,5 bilhões desde 2015 até hoje, foi necessária uma perda de aproximadamente R$ 142 bilhões, apenas em 2015. Isso significou uma retração no PIB de 2,5%. Isso, é importante reforçar, em apenas um ano.

Os dados foram divulgados pelo jornal Valor Econômico, em artigo assinado pelos pesquisadores Luiz Fernando de Paula,  professor do Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IE/UFRJ), e Rafael Moura, doutorando de Ciências Políticas do Instituto de Estudos Sociais e Políticos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Iesp/UERJ) a partir de estudo da consultoria GO Associados e Tendências.

Tal valor representa o impacto estimado da operação em setores como metal-mecânico, naval, construção civil e engenharia pesada. Os resultados são catastróficos. Além do amplo prejuízo, o Valor ainda expõe um dado que impacta diretamente na vida das famílias brasileiras: de 2014 a 2017, o setor da construção civil viu extinguir 991.734 vagas de emprego. 

DONO DE ESCOLA DE AVIAÇÃO APLICA GOLPE EM 15 PILOTOS EM CAMPO GRANDE E FOGE PARA JALES

A notícia completa, onde se pode ler os relatos de algumas das vítimas, é do G1:

O dono de uma escola de aviação, de 40 anos, foi indiciado por estelionato nesta terça-feira (27) em Campo Grande, após dar golpe em ao menos 15 pilotos. Segundo a polícia, o prejuízo das vítimas é de ao menos R$ 100 mil, entre elas uma pessoa de Recife que pagou R$ 30 mil por 35 horas de voo.

A reportagem tentou contato com a defesa, porém, não conseguiu falar com o advogado do suspeito.

As denúncias na Delegacia Especializada em Repressão ao Crime Organizado (Deco) começaram em maio deste ano. No entanto, a escola funcionaria há 3 anos. Os pilotos alegaram que procuraram a escola de aviação do suspeito, que funcionava no Aeroporto Teruel, na região norte da cidade.

“Ele oferecia um preço abaixo do mercado, com pacotes de horas de voo para pilotos. Com o alto número de denúncias, no qual as pessoas contratavam dezenas de horas e voo e faziam de 1 a 2 horas somente, constatamos que se tratava do dono o golpista. Ele inclusive contratou instrutores e fugiu para o município de Jales, porém, o localizamos e ele está sendo indiciado aqui na delegacia”, afirmou ao G1 a delegada titular da Deco, Ana Cláudia Medina.

No interior de São Paulo, ainda conforme a investigação, ele teria fundado outra escola e novas vítimas podem aparecer. “Estamos levantando os valores neste momento. Ele, por enquanto, vai responder pelo crime de estelionato, com pena que pode chegar a 5 anos de reclusão”, comentou o investigador.

Outro golpe apurado pela polícia é que o dono da escola também tenha aplicado golpes em revendedores de combustíveis de aviação. “Ele abastecia as aeronaves para dar aula e não pagava estes revendedores, inclusive o próprio hangar onde estavam os aviões ele também não teria pago o aluguel. São 3 vertentes que estão sendo apuradas em desfavor dele”, ressaltou a delegada.

1 2 3 196