Categoria: Geral

MÉDICO QUE ABUSAVA SEXUALMENTE DE PACIENTES SEDADAS É PRESO

Mais um cidadão de bem que pregava mudanças para o país foi parar na cadeia. É de perguntar: será que um cara desses queria mesmo alguma mudança? Deu no Vale do Itajaí Notícias:

O médico Neandro Schiefler, de 39 anos, foi preso numa ação da Polícia Civil de Itajaí (SC) denominada “Jaleco Branco” no sábado (16) no bairro Cordeiros. Ele aparece em vídeo abusando sexualmente de pacientes sedadas.

As cenas são muito chocantes e sugerem o estupro de pacientes, inclusive imobilizadas e desacordadas, disse o delegado Alexandre Carvalho de Oliveira, responsável pelo caso.

Schiefler atende na rede pública de saúde em Itajaí, onde é clínico geral, porém os casos de abuso ocorreram em 2017, envolvem pelo menos dez mulheres e podem ter ocorridos em várias cidades do litoral do Estado, onde o médico passou.

Ele foi encaminhado ao Complexo Prisional de Canhanduba.

O mandado de prisão da justiça determina detenção por 30 dias para apuração do inquérito.

PADRE SERTANEJO ACUSADO DE OSTENTAÇÃO COBRA ENTRADA DE FIÉIS PARA ASSISTIR PROGRAMA NA REDE TV!

Alguns padres não são nada diferentes dos pastores evangélicos que exploram a fé de seus rebanhos, como os waldemiros e malafaias da vida. A novidade é do portal Notícias da TV:

Uma prática nada convencional em programas de auditório da TV aberta foi adotada pela RedeTV! com seu recém-contratado Alessandro Campos, o “padre sertanejo”: para participar da plateia da atração matinal, cada pessoa precisa desembolsar o valor de R$ 35. E a emissora diz que é alta a procura por um assento no estúdio do religioso.

O curioso nessa história é que o programa do padre é o único em toda a RedeTV! que cobra uma taxa de participação de seus convidados.

Para participar dos programas de auditório das grandes emissoras do país, como Globo, SBT e Record, os convidados não precisam desembolsar um centavo sequer.

A reportagem procurou o padre sertanejo para saber qual o destino de todo esse dinheiro arrecadado com a “bilheteria” de seu programa, mas sua assessoria de imprensa não respondeu até a conclusão deste texto.

Na Rede Vida, emissora em que ele apresenta outro programa, o religioso faz a mesma cobrança da taxa para participar da plateia. E o destino do dinheiro que ganha com esse público também é um mistério.

No site Reclame Aqui, há inúmeras reclamações de senhoras de idade que pagaram pelo ingresso na esperança de ter algum tipo de contato com o padre sertanejo, mas alegam que não puderam se aproximar do artista para tirar uma selfie. Algumas relatam até da falta de atenção e do descaso da equipe de produção da atração.

O colunista Ricardo Feltrin, do UOL, chegou a dizer que o religioso foi acusado de ostentar uma vida de luxo. Em sua defesa, ele alegou não ter feito nenhum voto de pobreza perante a Igreja Católica.

BOLSOMINIONS EXPLORAM A TRAGÉDIA DE BRUMADINHO COM FAKE NEWS

A notícia é do portal Brasil Atual:

Em meio à tragédia do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, grupos de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PSL) divulgam mentiras, boatos e notícias falsas – fake news – implicando desde a ex-presidenta Dilma Rousseff, a “agentes bolivarianos com explosivos”, passando pelo envio de veterinários, a pedido da primeira-dama, Michelle Bolsonaro, para cuidar de animais atingidos pela lama, o que também não ocorreu. 

O primeiro boato que começou a circular no submundo das redes sociais desde a última sexta feira (25), quando ocorreu a tragédia, acusa a ex-presidenta Dilma de ter reestatizado a Vale, e que “petistas indicados” comandariam os negócios da empresa. 

Em nota, o PT afirma que o atual presidente da empresa, Fabio Schvartsman, não tem qualquer ligação com o partido, e lembra que a estatal, criada por Getulio Vargas, em 1942, foi privatizada em 1997, durante o governo de Fernando Henrique Cardoso (PSDB), pelo valor de R$ 3,3 bilhões, e que não foi reestatizada durante as gestões petistas.

Para efeito de comparação, a ex-estatal teve R$ 11 bilhões do seu caixa bloqueados temporariamente pela Justiça para eventual pagamento de indenizações aos atingidos em Brumadinho. 

O partido também lembra que, durante as mais de cinco décadas em que a mineradora permaneceu sob controle do Estado brasileiro, “nunca houve desastre ambiental que chegasse perto dos de Mariana e Brumadinho.”

Decreto

Outra fake news ressuscitada após o ocorrido em Brumadinho é que Dilma, em 2015, teria “transformado” a tragédia de Mariana, quando o rompimento da barragem da mineradora Samarco – controlada pela Vale e pelo grupo BHP Billiton – matou 19 pessoas, em “desastre natural”, supostamente suavizando os impactos da tragédia. O decreto, editado 10 dias depois da lama da mineração devastar o distrito de Bento Rodrigues, serviu na verdade para que as famílias dos atingidos pudessem ter acesso a recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).

“A má-fé dos que espalham fake news continua a mil, mesmo diante da tragédia de Brumadinho. Em 2015, assinei decreto que considera natural desastres como rompimento de barragens. Isso foi para permitir àqueles atingidos sacar o FGTS para reconstruir suas vidas”, respondeu a ex-presidenta. O boato surgiu naquele ano, sendo desmentido à época pelo site E-Farsas

Atentado

Mas talvez a mais fantasiosa versão sobre o episódio em Brumadinho envolve dois supostos agentes estrangeiros – um cubano e um venezuelano – que teriam causado o rompimento da barragem da Vale com a detonação de explosivos. Os suspeitos teriam sido detidos pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), em Minas Gerais, após troca de tiros que teria deixado um morto. 

Atribuídas à Agência Brasileira de Inteligência (Abin), e à própria PRF, as informações teriam sido divulgadas pelo Observatório Direita Brasileira. Os nomes dos supostos perpetradores do atentado, assim como o do observatório, foram inventados, e não constam de nenhuma outra publicação ou documento, senão no texto que circula pelo WhatsApp. 

“Não há qualquer confirmação da Abin das pessoas presas”, afirma o site Boatos.org. O texto lembra que uma notícia impactante como essa renderia manifestação oficial do governo brasileiro e da própria Abin. “E não há nada. Nadinha.”

A Abin divulgou nesta segunda-feira (28), três dias após a circulação da mentira, uma nota em que afirma a informação é “totalmente inverídica“. 

Veterinários

Um perfil falso da primeira-dama, Michelle Bolsonaro, diz que, a pedido dela, “com olhos cheios de lágrima”, “o ministro da Agricultura” teria enviado a Minas Gerais 100 médicos veterinários para auxiliar no tratamento de animais atingidos pela lama da Vale.

Segundo a Agência de Notícias de Direitos Animais (Anda), são apenas sete veterinários e outros seis bombeiros civis que também são auxiliares veterinários, prestando atendimento aos animais no momento. Cabe lembrar também que é uma ministra, Tereza Cristina, e não um ministro, que ocupa a pasta da Agricultura no atual governo. 

RAPAZ AUTISTA QUE MOROU EM JALES FORMA-SE EM MEDICINA EM CUIABÁ

O rapaz da foto acima, Enã Rezende, é um raríssimo caso de superação. Tão raro, que chamou a atenção até da BBC News, que veiculou reportagem sobre a luta dele para vencer preconceitos e formar-se em Medicina. O canudo, que ele exibe na foto acima, foi-lhe entregue há menos de duas semanas.

Enã nasceu em Umuarama(PR) e morou em Jales, mas se mudou daqui com apenas sete anos, em 2000, depois da morte do pai, Joel, em um acidente de carro. Ele, o irmão – à época com apenas seis meses – e a mãe, a psicóloga Érika Rezende Barbieri (ao lado), se mudaram para Rondonópolis, terra natal dela.

Quando Enã tinha pouco mais de um ano de vida, os pais começaram a perceber que o garoto possuía características diferentes das demais crianças de sua idade. Ele não articulava bem as palavras e, além disso,  também tinha dificuldades de compreensão e não conseguia olhar nos olhos das outras pessoas.

Ainda criança, aqui em Jales, ele foi diagnosticado erroneamente com “psicose infantil” e uma professora chegou a dizer para sua mãe que ele não conseguiria se alfabetizar. O diagnóstico correto – autismo – só veio quando Enã já tinha 19 anos.

Enã não é o único autista da família. Sua irmã mais nova, de 12 anos – fruto do segundo casamento de sua mãe – também foi diagnosticada com autismo, mas em um grau mais severo. A história dessa família, incluindo a iniciativa da mãe para que outras crianças com autismo não sofram com preconceito e bullying, estará no jornal A Tribuna, nesse final de semana.

MÃE E MULHER DE SUSPEITO DE ENVOLVIMENTO NA MORTE DE MARIELLE FRANCO TRABALHARAM NO GABINETE DE FLÁVIO BOLSONARO

Deu no G1:

A mãe de um dos denunciados na operação contra milicianos deflagrada nesta terça-feira (22) foi lotada no gabinete de Flávio Bolsonaro quando ele era deputado estadual.

Raimunda Veras Magalhães, mãe do ex-capitão Adriano Magalhães da Nóbrega – que ainda é procurado -, aparece em relatório do Coaf como uma das remetentes de depósitos para Fabrício Queiroz, ex-motorista de Flávio.

Raimunda, de acordo com o relatório do Coaf, depositou R$ 4,6 mil na conta de Fabrício Queiroz. Ela aparece na folha da Alerj com salário líquido de R$ 5.124,62.

Mulher de Adriano, Danielle Mendonça da Costa da Nóbrega também foi lotada no gabinete de Flávio na Alerj, com o mesmo salário da sogra.

O filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro também homenageou o filho dela, Adriano Magalhães da Nóbrega, o Capitão Adriano, que está foragido. Em 2003, o então deputado propôs moção de louvor e congratulações a Adriano por prestar “serviços à sociedade com absoluta presteza e excepcional comportamento nas suas atividades”.

Ex-capitão do Bope, Adriano foi preso duas vezes, suspeito de ligações com a máfia de caça-níqueis. Em 2011, Adriano foi capturado na Operação Tempestade no Deserto, que mirou o jogo do bicho. Segundo o MP, o capitão era o responsável pela segurança da chefe da quadrilha, Shanna Harrouche Garcia, filha do bicheiro Waldomir Paes Garcia, o “Maninho”, morto em 2004.

Três anos depois, Adriano e o primeiro-tenente João André Ferreira Martins foram demitidos da PM, considerados culpados nas acusações de associação com a contravenção.

Adriano não foi o único alvo da operação do MP hoje agraciado com uma moção na Alerj. Flávio Bolsonaro fez a mesma homenagem ao major Ronald Paulo Alves Pereira, quando era lotado no 16º BPM.

A condecoração aconteceu meses depois de ele ser apontado como um dos autores da Chacina da Via Show, que deixou cinco jovens mortos após a saída de uma casa de festas em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Até hoje o major – agora apontado como chefe da milícia da Favela da Muzema – não foi julgado pelo crime.

OS SUPERSALÁRIOS DAS FORÇAS ARMADAS

A notícia completa do portal Agência Pública pode ser lida aqui. Abaixo, um aperitivo:

Grande parte dos funcionários públicos do governo federal é militar: no Executivo, a cada três servidores, um é vinculado às Forças Armadas. Além disso, entre todos os ministérios, o da Defesa é o que mais emprega: são 395.667 servidores, o que o coloca à frente da pasta da Educação, com 302.938; e bastante acima da Saúde, com 33.476.

A quantidade de militares reflete no orçamento. Em 2017, foram gastos R$ 22,6 bilhões com remuneração de funcionários públicos militares, do total de 63,1 bilhões que o país empregou em Defesa.

Em levantamento inédito com base em dados do Portal da Transparência, a Pública desmembrou mais de 4,4 milhões de registros de pagamentos a militares e descobriu que vários deles ultrapassaram o teto constitucional do funcionalismo, de R$ 33,7 mil mensais.

No ano passado, 713 remunerações mensais de membros das Forças Armadas ficaram acima desse teto. O cálculo já considera descontos de impostos como o de Renda, pagamentos para o fundo de pensão militar e o de saúde, além da aplicação do abate-teto, que, em teoria, deveria limitar rendimentos acima do limite constitucional.

Procurado pela reportagem, o Ministério da Defesa não respondeu até a publicação por que essas remunerações ultrapassam o teto constitucional.

O maior pagamento único feito pelas Forças Armadas em 2017 foi ao tenente-coronel do Exército Erivam Paulo da Silva, que embolsou no mês de outubro mais de R$ 226 mil. Os dados do Portal da Transparência especificam apenas que se trata de pagamentos atrasados. O militar havia sido denunciado em 2010 por participação em uma quadrilha que desviou bens apreendidos pela Receita Federal durante a operação Pilantropia.

PADRE É FLAGRADO DIRIGINDO EMBRIAGADO EM SÃO CARLOS

A notícia está pendurada no portal MSN:

Um padre foi preso na noite de quarta-feira, 2, após ser flagrado dirigindo sob o efeito de álcool em São Carlos (SP). O religioso, Edson Maurício, de 51 anos, já estava afastado de suas funções por envolvimento em um caso de extorsão que resultou na morte de um policial militar em fevereiro do ano passado.

O flagrante de embriaguez ao volante ocorreu durante blitz na região do Kartódromo e o teste do bafômetro constatou 1,17 mg de álcool por litro de sangue. Foi arbitrada fiança de R$ 5 mil, mas, como o padre não tinha o dinheiro, acabou autuado em flagrante e encaminhado ao Centro de Triagem.

Ele respondia pela Paróquia de Santo Expedito, em Matão (SP), até se envolver no caso de extorsão. Na ocasião, teria pedido ajuda a policiais militares, o que resultou na morte do sargento Paulo Sérgio de Arruda, baleado por um dos homens que estariam extorquindo o religioso.

A Diocese de São Carlos esclareceu que é “contrária à embriaguez ao volante” e que o padre continua suspenso das atividades na igreja. Já a defesa do religioso informou que, na manhã desta quinta-feira, 3, ele foi liberado após audiência de custódia.

A soltura, no entanto, não o livra da multa de quase R$ 3 mil por dirigir embriagado, do processo a ser aberto sobre o caso e da suspensão da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) pelo período de um ano.

AS AVENTURAS DE UM TÍPICO CIDADÃO DE BEM EM UMA RUA DO RECIFE

Deu no DCM:

O vídeo acima, postado nas redes sociais na manhã de sábado, dia 29, deixou a população pernambucana revoltada.

Câmeras de segurança de prédios da Rua Amazonas, no bairro do Pina, no Recife, registraram o momento em que o flanelinha William José de Souza, de 61 anos, foi espancado por Bruno Nunes Elihimas.

A vítima perdeu dentes e foi encaminhada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Imbiribeira, mas, devido à gravidade das lesões, seguiu para o Hospital da Restauração (HR).

Bruno, de 35 anos, já foi preso por receptação de carro roubado e venda de anabolizantes, chegando a ser conduzido ao Centro de Observação e Triagem Everardo Luna, COTEL, em Abreu e Lima, mas teve alvará de soltura por liberdade provisória.

Segundo o advogado Marcelo Soares, o idoso teria agredido a namorada de seu cliente (Bruno) um dia antes. Ela estava grávida e teria perdido o bebê.

Não há nenhuma prova disso.

Em nota, a Polícia Civil de Pernambuco informou que não há registro de queixa por parte de Bruno contra William.

Soares contou que Bruno está escondido na casa de familiares e “no momento propício” vai se apresentar às autoridades, possivelmente no próximo dia 1º de janeiro.

Nas redes sociais, Bruno fez campanha para Bolsonaro e aparece sendo batizado por um pastor evangélico numa praia.

Um típico cidadão de bem.

O Brasil dormirá tranquilo sabendo que Bruno pode ter uma arma amanhã.

MULHER É CONDENADA POR ACESSAR FACEBOOK DE EX-COMPANHEIRO E PUBLICAR TEXTO AUTODEPRECIATIVO

A mulher cometeu um erro, mas tinha lá suas razões. A notícia é do Conjur:

Acessar o perfil de ex-cônjuge em rede social, publicando mensagem como se fosse o titular da conta, viola direitos de personalidade assegurados no inciso X do artigo 5º da Constituição. Caracterizado o ato ilícito, há a obrigação de reparar a parte ofendida, como dispõe o artigo 927 do Código Civil.

Por isso, a 9ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul acolheu apelação de um homem que teve a sua conta no Facebook invadida pela ex-companheira, revoltada por não receber a pensão alimentícia da filha.

Fazendo-se passar pelo ex-cônjuge, a ré postou na página dele uma mensagem em tom autodepreciativo: “eu sou pessoa sem caráter, vagabundo” e “deixei minha filha passar fome e estou me divertindo’’. O homem então ajuizou ação indenizatória contra a ex-companheira, já que a postagem atraiu vários comentários questionando o seu caráter. Pediu 20 salários mínimos pelos danos morais causados.

À 2ª Vara Cível da Comarca de Santa Cruz do Sul, a ré admitiu ter utilizado a senha do ex-companheiro para publicar a mensagem. Disse que estava em ‘‘estado de desespero’’, pois este não pagava a pensão alimentícia para a filha, mesmo sendo cobrado há vários meses.

Afirmou ter acessado a conta para descobrir no que ele gastava o salário. Admitiu que foi acometida de ‘‘um surto de descontrole’’ ao descobrir que o salário do autor era gasto todo em festas, enquanto ela passava dificuldades. Por fim, sustentou que ‘‘estava no direito’’ de extravasar suas angústias e preocupações.

Em primeira instância, a ação movida pelo ex-companheiro foi julgada improcedente, mas o TJ-RS reformou a sentença, determinando que a mulher pagasse uma indenização ao ex. O Tribunal, no entanto, arbitrou a indenização por danos morais em módicos R$ 300, considerando as razões da ré e o pouco caso do autor com a segurança de sua senha.

1 2 3 189