Categoria: Geral

JUIZ DE MATO GROSSO RECEBEU MEIO MILHÃO DE SALÁRIO EM JULHO

images-cms-image-000556917

A notícia é do blog da jornalista Andreza Matais:

“O juiz Mirko Vincenzo Giannotte, da 6ª Vara de Sinop (MT), recebeu no mês de julho R$ 415.693,02 líquido de salário, segundo dados do portal da transparência do Tribunal de Justiça do Mato Grosso. O valor bruto pago foi de R$ 503.928,79. O rendimento inclui uma  indenização de R$ 137.522,61, mais R$ 40.342,96 de vantagens eventuais e R$ 25.779 de gratificações”.

POLÍCIA FEDERAL PRENDE SOCIALITE QUE INSINUOU QUE LULA ERA MARGINAL

images-cms-image-000555868

E o bloco dos “moralistas sem moral” cada vez aumenta mais. A notícia é do Brasil 247:

A socialite e empresária Isabel Christine de Mello Távora, proprietária da CVC Manaus, e foi presa pela Polícia Federal quando tentava embarcar para Miami (EUA) com uma grande quantia de dólares em uma mala no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, na zona Oeste de Manaus. Isabel que postou uma foto ao lado de uma placa de sinalização insinuando que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva era “marginal” foi presa por evasão de divisas.

Ela já havia sido presa na Operação Farol da Colina, deflagrada em 2007 para combater os crimes de sonegação, evasão de divisas, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro. Ela foi condenada pelo juiz federal da 2ª Vara da Seção Judiciária do Estado do Amazonas, Márcio Coelho de Freitas seis anos de prisão em regime semiaberto e ao pagamento de 140 dias-multa à razão diária de 5 (cinco) salários-mínimos.

MÔNICA IOZZI DIZ QUE VENDE APARTAMENTO, MAS NÃO FAZ ACORDO COM GILMAR MENDES

images-cms-image-000553044

Deu no Brasil 247:

A atriz Mônica Iozzi concedeu entrevista ao Uol, em que explicou por que jamais fará um acordo com o ministro Gilmar Mendes. Confira, abaixo, alguns trechos:

“Fui processada por um post. O ministro, não sei por que razão, deu habeas corpus por Roger Abdelmassih, que teve mais de 40 estupros comprovados e se aproveitava de pacientes sedadas. Como mulher, isso me indignou de uma maneira… era a mesma época de dois casos de estupros coletivos. As mulheres passando por tanta coisa, meninas sendo estupradas, o ministro vai e dá habeas corpus para esse cara? Eu sou leiga, mas não entendi. Ele então me processou por calúnia e difamação”, contextualizou para o público.

“Perdi o processo, R$ 30 mil, mais as custas, deu R$ 38 mil. Acho que a repercussão foi muito negativa, no meio do processo ele propôs alguns acordos. Ele queria que eu apagasse o post que eu fiz e fizesse um novo de retratação me desculpando com a mesma visibilidade, e doasse R$ 15 mil em cestas básicas para uma instituição de caridade de Brasília. Eu li aquilo e falei: ‘Não!’. Não sou rica, R$ 38 mil não é nem de longe pouco dinheiro para mim mas, se tem coisas que você tem certeza, vá até o fim. Eu lembro de ter uma sensação real de que não falei nada de errado”.

“Eu vendo meu apartamento, mas não faço acordo com esse homem. Não é justo o que ele fez. Eu tenho direito, como cidadã, de questionar sim a decisão de um ministro, que na época era presidente do Supremo”.

No vídeo abaixo, a opinião do Ricardo Boechat sobre o processo movido por Gilmar e a condenação de Mônica:

NOTÍCIA MENTIROSA DIZ QUE MORO SE DEBRUÇOU SOBRE A BÍBLIA APÓS CONDENAR LULA

sergio-moro-noticc81cia-falsa

Os coxinhas acreditam em tudo. A notícia falsa já atingiu a marca de mais de 400.000 compartilhamentos nas redes sociais e no WhatsApp. Curiosamente, é a bíblia dos coxinhas, a revista Veja, quem está desmentindo a lorota:

condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a nove anos e meio de prisão pelo juiz federal Sergio Moro, publicada ontem, é a nova sensação no submundo das notícias falsas da internet brasileira.

Apaixonado por Moro, o mentiroso notório e contumaz que administra o blog Sociedade Oculta não deixaria passar a tão aguardada sentença sem uma lorota à altura. Depois de inventar que o juiz, quando jovem, distribuía cobertores a moradores de rua durante o rigoroso inverno de Curitiba, o blog se superou ao publicar que Sergio Moro foi flagrado debruçado sobre uma Bíblia após condenar Lula.

A “cena muito linda” que ilustra e sustenta a mentira, suposto “flagrante” feito por repórteres da BBC Brasil, não tem nada a ver com bíblias ou a fé de Sergio Moro. Clicada pelo fotógrafo Lula Marques, da agência de fotos do PT, durante uma participação do juiz federal em um debate sobre o Código de Processo Penal na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara (CCJ), em março, a foto mostra o magistrado, possivelmente, em busca de uma tomada abaixo da bancada para abastecer um celular ou um computador.

JUÍZES ACUSAM MORO DE USAR ACORDOS DE DELAÇÃO PARA AMARRAR INSTÂNCIAS SUPERIORES

A notícia é do site especializado em assuntos jurídicos, o Consultor Jurídico:

moro6O juiz Sergio Moro tem tentado amarrar as instâncias superiores às suas decisões ao fazer acordos com delatores da operação “lava jato”. 

De acordo com os desembargadores da 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em pelo menos duas oportunidades Moro determinou como seria o cumprimento da pena de réus condenados com apelações pendentes de julgamento pela corte. Por unanimidade, os integrantes da turma decidiram oficiar Moro para que ele pare de oferecer benefícios em processos sobre os quais não tem competência.

A discussão aconteceu quando o colegiado julgava a apelação que resultou na absolvição de João Vaccari Neto, ex-tesoureiro do PT, e na manutenção de uma condenação a 20 anos de prisão a Renato Duque, ex-diretor da Petrobras. O relator da apelação, João Paulo Gebran Neto, levantou questão de ordem porque, no dia anterior, Moro havia concedido benefícios a Duque em outro processo, mas vinculando o cumprimento da pena que seria definida naquele caso.

“O juiz de primeiro grau julgou o processo dele, tomou deliberações acerca de outros processos, e vinculou não apenas o tribunal, mas o juiz da execução”, reclamou Gebran, durante o julgamento. “Ao bem de conceder um benefício a um réu aqui condenado por nós, o juiz de primeiro grau acabou por invadir a nossa competência.”

JAPONESES PERDEM ESPOSAS E ENCONTRAM O AMOR EM BONECAS DE SILICONE

BONECA DE SILICONE 2

As bonecas são equipadas com cabeça e vagina desmontáveis e custam 5,3 mil euros (algo em torno de R$ 20 mil). Esses japoneses… A notícia é do G1:

Quando o fogo da paixão se apagou definitivamente entre ele e sua esposa, Masayuki Ozaki tomou uma decisão curiosa para preencher seu vazio. Comprou uma boneca de silicone que se tornou – ele garante – o amor de sua vida.

BONECA DE SILICONECom tamanho natural e aparência muito realista, apesar do olhar perdido, Mayu divide sua cama na casa da família em Tóquio, onde também moram sua mulher e a filha adolescente do casal.

“Depois que a minha mulher deu à luz, deixamos de fazer amor e senti uma profunda solidão”, contou à AFP este fisioterapeuta de 45 anos.

“Li um artigo em uma revista sobre o tema destas bonecas e fui ver uma exposição. Foi amor à primeira vista”, suspira Ozaki, que leva Mayu para passear em cadeira de rodas, põe perucas nela, a veste e dá joias de presente.

“Quando minha filha entendeu que não era uma Barbie gigante, ficou com medo e achou nojento, mas agora já é suficientemente crescida para dividir a roupa com Mayu”, explica.

“As mulheres japonesas têm o coração duro”, reclama, enquanto passeia com a boneca por uma praia. “São muito egoístas. Sejam quais forem meus problemas, Mayu, ela, sempre está aqui. Sou louco por ela e quero estar sempre com ela, que me enterrem com ela. Quero levá-la ao paraíso”.

Assim como ele, muitos homens no Japão possuem este tipo de bonecas, chamadas “rabu doru” (boneca do amor), sobretudo viúvos e portadores de deficiência, e não as veem como meros objetos sexuais, mas como seres com alma.

“Meu coração bate a mil por hora quando volto para casa com Saori”, garante Senji Nakajima, de 62 anos, enquanto vai fazer piquenique com sua companheira de silicone.

“Nunca me passaria pela cabeça enganá-la, nem com uma prostituta, porque para mim ela é humana”, explica este empresário, casado e pai de dois filhos.

DEPOIS DE DIZER QUE TRABALHAVA EM SINDICATO, MULHER É AGREDIDA POR GINECOLOGISTA

A notícia é da revista Fórum:

brancaUma reportagem da rede TVT divulgada nesta sexta-feira (9) mostra um relato forte e absurdo: uma senhora foi agredida por um médico ginecologista durante um exame por conta de suas posições políticas. O caso aconteceu em maio deste ano, mas o vídeo com o depoimento emocionado da mulher veio à tona esta semana no especial da TVT sobre assédio no consultório médico.

A comerciante Branca Alves de Farias contou que foi agredida por um médico ginecologista quando foi fazer um exame de rotina em uma unidade da rede municipal de saúde de São Bernardo do Campo (SP). De acordo com Branca, o médico introduziu uma sonda em sua vagina para o ultrassom endovaginal. Ele, então, perguntou sua profissão.

Quando ela respondeu que tinha um restaurante no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, berço político do ex-presidente Lula, o ginecologista ficou “vermelho”, irritado e começou um discurso de ódio contra o ex-presidente. Segundo a comerciante, o médico dizia que ela tinha que colocar chumbinho na comida de Lula, que ele tinha que morrer, que era a pior pessoa da face da Terra, entre outros xingamentos.

O mais grave não foi apenas a reação do médico com relação à Lula. Irritado, o ginecologista, de acordo com a paciente, introduzia a sonda de maneira cada vez mais agressiva enquanto falava do petista.

“Calma, doutor. Por favor”, dizia a paciente, que estava com medo do que aquela agressividade poderia causar.

“O meu medo era, com o aparelho lá dentro, de ele machucar alguma coisa, meu útero. Ele se transformou em um bicho”, contou, aos prantos, para a reportagem da TVT. De acordo com a mulher, quando o exame acabou, o médico ainda retirou a sonda do interior de sua vagina de maneira bruta.

Branca registrou um boletim de ocorrência e descobriu que o médico já acumula 4 denúncias parecidas contra ele.

O ginecologista, apesar de atender na rede pública, era contratado de uma empresa que prestava serviços à prefeitura. Em nota, à época, a empresa afirmou que não houve nenhuma agressão.

DELEGADO QUE ABRIU INVESTIGAÇÃO SOBRE MORTE DE TEORI ZAVASCKI É ASSASSINADO EM FLORIANÓPOLIS

A notícia é do Estadão:

O delegado de Polícia Federal Adriano Antonio Soares, de 47 anos, foi morto a tiros na madrugada desta quarta-feira, 31, em uma casa noturna de Florianópolis. O crime ocorreu na chamada Portinha Azul, no bairro Estreito.

Segundo informações de alguns clientes que não quiseram se identificar, os delegados se desentenderam com um terceiro cliente, que é proprietário de uma barraca de cachorro-quente na região, o Milton Dogg. 

Soares chefiava a PF em Angra dos Reis, no Rio, que abriu as investigações sobre a morte do ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, em um acidente aéreo em Parati, em janeiro. A PF informou, em nota oficial, que o inquérito já não estava nas mãos de Soares. A apuração está sendo conduzida por outro delegado em Brasília.

DELINQUENTES PREMIADOS

O tema está sendo discutido com mais ênfase somente agora, mas outros bandidos – como o Paulo Roberto Costa e Alberto Youssef, por exemplo – também fizeram acordos que permitem a eles desfrutar tranquilamente de parte do dinheiro roubado. A opinião abaixo é do advogado Pedro Maciel:

Ticiane-e-Joesley-Arquivo-pessoalInegavelmente os fatos imputados a Aécio Neves e Michel Temer através de delação pelos donos da JBS são graves, especialmente porque, ao contrário de outras tantas delações, vêm acompanhadas com provas contundentes de culpabilidade, mas não tenho duvidas da ilegalidade e imoralidade dos termos do acordo de delação homolado pelo STF.

Apesar de reconhecer o valor do conteúdo das delações dos irmãos Batista, para esses larápios do dinheiro público o crime parece ter compensado.

Por quê? Bem, se é verdade que os irmãos Joesley e Wesley Batista confessaram à Procuradoria-Geral da República terem pago cerca de 600 milhões de reais como suborno a quase duas mil pessoas para facilitar os negócios de suas empresas, mas sair livre para passear pelo mundo e receber imunidade me parece que passou do ponto…

Será que o crime compensa? Parece que para os irmãos Batista a resposta é positiva, pois receberam da PGR a garantia de que não serão mais denunciados, seus crimes serão perdoados e ainda garantiram a permissão de morar fora do Brasil.

O ministro Fachin do STF não viu ilegalidades e nem inconstitucionalidades nos termos do acordo da delação e o acordo foi homologado, razão pela qual não haveria muitas saídas jurídicas para questionar seus termos segundo a jurisprudência do STF; a jurisprudência define que terceiros, ainda que acusados por delatores, não têm interesse processual para questionar cláusulas de acordos de delação. Eu penso que não é bem assim.

Vejam se não passou do ponto… De acordo com a cláusula 4ª do acordo, com a entrega de informações pelos irmãos, a PGR oferece a eles “o benefício legal do não oferecimento de denúncia”. E há ainda outra parte que prevê, “no caso de existirem investigação criminal e/ou denúncias já oferecidas” em outras instâncias, o benefício dado aos delatores será, “no caso das investigações, a imunidade”, e, no caso de denúncias já oferecidas, “o perdão judicial”.

Há ainda a cláusula 10 é que permite que eles morem fora do Brasil.

Um famoso narrador esportivo diria: “Que beleza!”.

1 2 3 171