FILAS NA SAÚDE

Hoje eu madruguei e fui fazer uma visita a alguns dos Postos do Programa de Saúde da Família. Na terça-feira, uma usuária do sistema havia me procurado para reclamar de uma situação lá no Posto do São Jorge, de modo que comecei minha excursão por lá. Às 5:15 horas da manhã já tinha duas pessoas na fila, o José e o Tiago, que estão na foto da esquerda, aí embaixo. “Seu” José disse que, se chegar depois das 6:00 horas, fica difícil conseguir uma guia. Depois, fui ao PSF do Jardim Oiti, onde a primeira da fila, a Márcia, disse ter chegado às 5:00 hs. Dona Josefa, a quarta da fila confidenciou que aquela era a terceira vez, nesta semana, que ela tentava obter uma guia para consulta. Das outras duas vezes, ela chegou um pouco antes das 7:00 hs e as guias  já haviam se esgotado. A foto da direita mostra a fila no PSF do Jardim Oiti, por volta das 05:30 hs. Detalhe: apesar das dificuldades para conseguir as guias, em alguns PSFs (estive também no Paraíso e no Roque Viola) os usuários elogiaram o atendimento das médicas que, aparentemente, são recém-formadas. O jornal A Tribuna, do próximo domingo, contará um pouco dessa história.

SESSÕES DA CÂMARA SERÃO TRANSMITIDAS PELA RÁDIO ASSUNÇÃO

Quem sintonizou a Rádio Cultura de Jales na segunda-feira passada, com a intenção de ouvir a sessão da Câmara, caiu do cavalo. As sessões camarárias passaram a ser transmitidas pelas ondas da Rádio Assunção, que ganhou a licitação aberta pela presidência Câmara, no início do ano. O extrato de contrato foi publicado nesse final de semana e, segundo ele, a transmissão das três sessões mensais vão custar, no total, R$ 3.500,00, por mês.

E já que estamos falando do assunto, muita gente ainda não percebeu que as sessões da Câmara são gravadas e depois levadas ao ar pela rádio encarregada da transmisão. Faz três ou quatro anos que as sessões ordinárias são iniciadas às 18:30 horas, mas, no rádio elas começam somente depois das 20:00 horas.

DONO DA EMPRESA GENTE DIZ QUE FUNCIONÁRIOS E FORNECEDORES PODEM FICAR “TRANQUILOS”

Ontem à noite recebi uma ligação do senhor Dagoberto Cardilli, sócio-proprietário da empresa Gente Nutrição Ltda, responsável pelo fornecimento da merenda escolar em Jales, desde 2006. O senhor Cardilli disse estar muito chateado com o prefeito Parini e com a empresa Starbene Refeições Ltda. Segundo ele, os responsáveis da Starbene – que já estão em Jales, preparando-se para assumir os serviços da merenda escolar – estariam espalhando o boato de que a Gente Ltda teria “quebrado”, o que, nas palavras do senhor Cardilli, é uma inverdade.

Para Cardilli, a atitude da Starbene estaria provocando intranquilidade entre os funcionários e os fornecedores da Gente Ltda. “Nós vamos acertar com todo mundo. Os nossos funcionários e fornecedores podem ficar tranquilos. Aqueles funcionários que não forem assumidos pela Starbene, serão demitidos e receberão todos os seus direitos. A Prefeitura de Jales ainda está nos devendo, mas, se for o caso, eu transfiro dinheiro da minha outra empresa e acerto com todo mundo”, garantiu o senhor Cardilli. 

Com relação ao prefeito Parini ele disse que “eu ajudei muito o Parini e não esperava isso da parte dele. O preço que nós apresentamos é exequível, mas eu preferi não criar problemas para o Parini, já que ele, pelo jeito, fez um bom acordo lá com o Milan (dono da Starbene). Tenho outros negócios e pretendo inclusive investir aí em Jales, num projeto de citricultura, portanto, não vou me desgastar por causa de um contrato menor, até porque essa Prefeiturazinha é muito complicada. Agora eu acho bom eles pararem com essa história aí de que a nossa empresa está quebrada…

Foi uma conversa longa, onde eu ouvi bem mais do que falei. Ele falou também sobre a CEI aberta pela Câmara e reconheceu que houve problemas na merenda, mas argumentou que os funcionários responsáveis por esses problemas já haviam sido afastados. Por fim, perguntou pela vereadora Tatinha e disse que o deputado Zico Prado(PT) gosta muito dela. Mas aí eu acho que houve um certo exagero: faz muito tempo que a vereadora Tatinha e o deputado Zico Prado não tocam na mesma Banda.

ALUNOS DA UNIJALES PODEM FICAR SEM “ESCOLA DA FAMÍLIA”

O blog do companheiro Murilo Pohl, que você pode acessar no link aí do lado direito, publicou hoje uma notícia muito mais preocupante que aquelas relacionadas com a Facip. Segundo o Murilo, a Unijales teria deixado de renovar o convênio com o “Escola da Família”, do governo do estado de São Paulo. O assunto estaria provocando muitas reclamações, uma vez que dezenas – talvez centenas – de alunos dependem da bolsa concedida através do “Escola da Família”, para continuar seus estudos.

Além disso, Murilo também noticiou que a Unijales teria desativado o campus 2, localizado lá pros lados do Jardim Paulista, à beira da Marginal Ayrton Senna. A notícia diz que alguns cursos não tiveram o número suficiente de alunos para formação de novas turmas neste ano.

Há alguns dias, publicamos aqui no blog que Jales é uma das pouquíssimas cidades da região onde não há vagas para as bolsas do Prouni, uma vez que a Unijales, já há uns três ou quatro anos, não mantém o convênio com o governo federal. Enquanto Jales não tem nenhuma vaga no Prouni, as Faculdades de Fernandópolis disponibilizaram 174 vagas, neste primeiro semestre, e, em Votuporanga, os universitários puderam disputar uma das 325 vagas oferecidas.

RUA JÚLIA PEREIRA DE LIMA

A Rua Júlia Pereira de Lima é uma das principais vias do Jardim do Bosque, um dos bairros com mais problemas de buracos. Segundo ouvi, em uma entrevista do prefeito Humberto Parini, algumas ruas do Jardim do Bosque deverão ser recapeadas assim que os R$ 8 milhões, oriundos de convênios com o governo federal, forem devidamente liberados.

Os convênios foram assinados antes de a presidenta Dilma anunciar o corte de R$ 50 bilhões no orçamento 2011. Vamos torcer para que os R$ 8 milhões do Parini não estejam incluídos nesses cortes. E depois, vamos torcer também para que a Rua Júlia Pereira de Lima esteja incluída entre aquelas que serão recapeadas. As fotos abaixo mostram como anda a situação por lá:

O ESQUECIDO JARDIM AEROPORTO

Em um post anterior citamos a Rua Congonhas, onde a dona Aparecida foi surpreendida por um buraco durante um alegre passeio com sua “magrela”. Por um acaso, eu estive lá no Jardim Aeroporto, um dia desses. Na verdade, eu estava fotografando aquele barracão abandonado lá perto da Facip e um senhor, cujo nome me esqueci de perguntar, pediu prá que eu desse uma olhada na situação da Rua dos Aviadores, que, como o próprio nome sugere, só poderia ficar no Jardim Aeroporto. E como criatividade pouca é bobagem, o bairro também é entrecortado pelas ruas Viracopos,  14 Bis e, é claro, pela Rua Santos Dumont. 

Uma foto diz mais do que mil palavras, dizem os fotógrafos. Então vejam a situação da Rua dos Aviadores que, como mostra a foto acima, não tem asfalto. O “seu” João, um morador, me disse que nos dias de chuva fica quase impossível chegar em casa. Fazendo confluência com a Rua dos Aviadores, temos a Rua Congonhas, cheia de casas abandonadas e com um trecho por ser asfaltado, conforme se vê na foto do lado. O “seu” João não soube me dizer de quem são aquelas casas, mas, segundo ele, são mais de dez casas vazias, há muito tempo sem moradores.

O Jardim Aeroporto não está tão longe assim do centro da cidade. Ele está situado entre o nosso aeroporto e o Recinto de Exposições Juvenal Giraldelli, onde se realiza a festa mais tradicional da cidade. Com certeza, o Jardim Aeroporto merecia estar melhor cuidado.

SANTA CASA À PROCURA DE TÉCNICO EM ELETRÔNICA

A Santa Casa de Jales procura profissional técnico em eletrônica para contratação.

Os currículos podem ser entregues diretamente ao administrador do hospital, Carlos Henrique Merighe ou também no e-mail: carlos@santacasajales.com.br .

Para concorrer a vaga os candidatos devem ter concluído o curso de técnico em eletrônica.

Quem for selecionado terá benefícios como cesta básica, descontos em cursos do IEP – Instituto Educacional Profissionalizante, Unijales, Anglo e convênio médico cooperado.

A carga horária de trabalho é de 6 horas e contratação pela CLT. Mais informações pelo telefone: 17 36225000 – ramal 5003.

CRÔNICA DE UM B.O. ANUNCIADO

Pois é, como já estava escrito nas estrelas, hoje tivemos novidades com relação ao buraco localizado em frente à empresa SKM Refrigerações Ltda. O representante comercial Márcio José Neves Furtado, que é de Marília, achou de querer estacionar o seu Corolla Toyota, placas DZB 3987, bem ali pertinho do buraco. Resultado: um pneu “estourado” e danos na roda do seu veículo. E como ele não é daqui e, portanto, não precisa ter receio de represálias, resolveu chamar a polícia e fazer um Boletim de Ocorrências para preservação de direitos.

O senhor Márcio disse que pretende acionar a Prefeitura ou a quem de direito. E o Jean, lá da Almeida Pneus, para onde o carro foi levado, me confirmou que, em menos de uma semana, esse era o terceiro caso que ele atendia por conta daquele buraco. Brincando, o Jean – que é um comerciante de muita visão – disse que deveria haver mais buracos como aquele ali por perto.

BURACO NA CALÇADA: TRIBUNAL GAÚCHO CONDENA PREFEITURA

Eis a notícia que acabo de receber, via email:

O Município de São Leopoldo (RS) deverá pagar indenização por danos morais a homem que sofreu queda em decorrência da má conservação de via pública. A decisão é da 9ª Câmara Cível do TJ do Rio Grande do Sul, que reconheceu a responsabilidade na manutenção e fiscalização de ruas e calçadas de uso público.

O autor da ação teria sofrido uma queda por causa de um desnível na calçada, pela ausência de lajotas e pelo desgaste do piso, sofrendo fratura no tornozelo e afastamento de suas atividades, com redução nos seus ganhos.

A indenização será de R$ 3.570,00 por danos morais e R$ 315,80 por danos materiais. (Proc. n. 70039623707 – com informações do TJRS).

A Fernanda, uma amiga que sempre encontro nas caminhadas que faço pela Avenida Paulo Marcondes, ficou quase um mês sem poder caminhar. O motivo: torceu o tornozelo em um buraco no asfalto, quase em frente à casa dela.

E hoje, no Jornal do Povo, da Rádio Assunção, a dona Aparecida, uma moradora do Jardim Aeroporto, disse que fraturou um dos pés numa queda da bicicleta. O motivo da queda: um buraco no asfalto da Rua Congonhas.

Seria o caso de a Fernanda e a dona Aparecida exigirem uma indenização, mas, assim como a maioria das pessoas, elas nem foram atrás de reclamar na Prefeitura. E o problema dessas indenizações é que elas saem dos cofres das prefeituras e, por conta disso, os prefeitos não estão nem aí prá elas. Se saíssem dos bolsos dos prefeitos, talvez eles dessem mais atenção ao problema dos buracos.

FACIP 2011: FESTA DO ARROZ, SÓ PAGANDO.

E o pessoal do Nipo Jalesense teve uma surpresa agradabilíssima na semana passada, segundo informações que eu recebi ontem. Os responsáveis pelo clube dos nipônicos teriam sido comunicados pela BX Promotora de Eventos de que terão que desembolsar R$ 5 mil, caso queiram promover a tradicional Festa do Arroz durante a Facip deste ano.

Esse é o preço que a empresa do Bexiga, responsável pela organização da Facip 2011, estaria disposta a cobrar do Nipo pela utilização do Pavilhão “Massaharu Nagata”, onde a Festa do Arroz vem sendo realizada há muito tempo. Tudo bem que se queira cobrar, afinal a Feira foi terceirizada e, como todos nós sabemos, na iniciativa privada o grande objetivo é sempre o lucro.

O detalhe que estaria deixando o pessoal do Nipo injuriado é o fato de que o Pavilhão “Massaharu Nagata”, segundo eles, foi construído com a ajuda da colônia japonesa. Boa parte do material utilizado na construção do Pavilhão, alegam os dirigentes do clube, teria sido doada pelo Nipo sob a condição de que eles poderiam utilizar o espaço para a realização da Festa do Arroz, gratuitamente.

Particularmente, acho a Facip uma porcaria. Mas não dá prá imaginar aquela porcaria sem a Festa do Arroz. Só nos resta, então, torcer para que as informações estejam equivocadas.

1 1.155 1.156 1.157 1.158 1.159 1.185