PARINI E A HEGEMONIA TUCANA

O prefeito Parini parece ter acordado mau humorado nesta manhã chuvosa de quarta-feira. Em entrevista ao Antena Ligada, ele atacou o PSDB, usando palavras como engodo, estelionato eleitoral, fraude, etc. Se eu entendi bem, Parini chegou a chamar o ex-governador Alberto Goldman de mentiroso. Tudo por conta da duplicação da Euclides da Cunha, que o ex-governador  – durante a inauguração do Hospital de Câncer – teria prometido começar ainda em 2010.

Parini começou a entrevista atacando o ex-prefeito de Votuporanga, atualmente deputado estadual, Carlão Pignatari. Na opinião do nosso prefeito, Carlão teria experiência suficiente para não se deixar enganar por ninguém. Como se sabe, na sexta-feira passada, durante evento em Jales, Carlão disse que muita gente foi enganada pela antiga direção do DER nessa história da duplicação, inclusive o ex-governador Goldman.

Provavelmente, irritado porque Carlão classificou de BURRICE uma possível paralisação da rodovia, idéia concebida no gabinete de Parini, o nosso prefeito garantiu que os tucanos – Carlão à frente – ao atribuir culpas ao DER, estariam apenas procurando um culpado para a fraude eleitoral praticada pelo PSDB.

Depois, o nosso prefeito reclamou da hegemonia do PSDB em nossa região, e conclamou nossa população a acordar para a realidade. Segundo ele, os eleitores desta região do Estado – inclusive os de Jales, onde a votação  dos tucanos ficou bem acima da média estadual –  poderiam ter levado a eleição do ano passado ao segundo turno, se não tivessem votado em peso em Geraldo Alckmim prá governador.

Talvez fosse a hora de o próprio Parini acordar. Afinal de contas, ele mesmo pediu votos para o PSDB, conforme se pode ver na foto aí do lado, onde a residência do casal Parini aparece enfeitada com cartazes da candidata tucana Analice Fernandes. Que autoridade o nosso prefeito tem prá falar que o povo está sendo enganado, se ele próprio contribuiu prá isso? E que autoridade o nosso prefeito tem para criticar o PSDB, se as maiores conquistas da sua administração – Hospital de Câncer, Fatec, Estrada do Café – só foram possíveis graças aos recursos disponibilizados pelo governo estadual?

Talvez fosse a hora de o prefeito Parini fazer uma reflexão sobre os motivos que levaram a população de Jales – administrada pelo PT – a dar uma votação tão expressiva ao PSDB. Se fizesse uma análise sincera, o prefeito iria perceber que, muito menos do que as promessas de duplicação da Euclides da Cunha, o que influenciou o voto nos tucanos pode ter sido o descontentamento com sua administração. Mas, cá entre nós, pedir que o nosso prefeito faça uma autocrítica sincera, aí também já é querer demais.

“REVITALIZAÇÃO”: COM SEIS MESES DE ATRASO, PARINI TENTA RESCINDIR CONTRATO COM EMPRESA

Ontem, durante a primeira sessão ordinária da Câmara Municipal, o assunto mais debatido foi, é claro, os buracos que infestam as ruas da cidade. Mas, apesar da enorme quantidade de buracos, ainda houve tempo para se falar também da chamada “revitalização” do centro. E um dos vereadores, não me lembro qual deles, informou que o prefeito Humberto Parini estaria tomando providências para rescindir o contrato firmado com a Construtora Miranda & Alves Ltda.

Só pode ser mais uma brincadeira da administração Parini. Desde o início das obras da “revitalização”, vereadores, imprensa, comerciantes e cidadãos comuns vêm alertando sobre a má qualidade dos serviços, sem que a Prefeitura tomasse nenhuma providência. Muito pelo contrário! A administração municipal, que deveria ter interrompido aquela porcaria logo no primeiro quarteirão, preferiu insistir teimosamente, como quem quisesse dizer que “aqui quem manda somos nós”.

Pouco afeito ao diálogo, o prefeito Parini, um ex-paladino da transparência, ainda tentou convencer a opinião pública de que o resultado final daquela “obra” seria uma maravilha, distribuindo “fotos” aos montes, via internet, enquanto a realidade demonstrava o contrário. E agora, depois que a empresa – a pedido do prefeito – chegou ao último quarteirão, lá vem ele – com, no mínimo, uns seis meses de atraso – dizer que está providenciando a rescisão do contrato. Curiosamente, Parini só está tomando essa atitude depois que a empresa, por falta de pagamento, decidiu paralisar os serviços.

Resumindo, a falta de atitude e a teimosia do senhor prefeito conseguiram a inédita proeza de causar prejuízos a todas as partes: aos comerciantes, aos contribuintes comuns, ao município e à empresa. Coisas que só acontecem em Jales.

DANÇA DA SOLIDÃO

Marisa de Azevedo Monte, nasceu no Rio de Janeiro, no dia 01/07/67. Cantora, compositora, instrumentista e produtora musical, já vendeu mais de 10 milhões de discos. Ela é considerada pela revista Rolling Stone como a maior cantora do Brasil. Marisa Monte tem dois álbuns (MM e Verde, Anil, Amarelo, Cor-de-Rosa e Carvão) na lista dos cem maiores discos da música popular brasileira. Avessa a badalações, ela não aparece muito na TV, não se envolve em escândalos midiáticos, mas é o terceiro maior cachê do Brasil, perdendo apenas para Roberto Carlos e Ivete Sangalo. Portelense, Marisa produziu, em 2009, um filme sobre a Velha Guarda da Portela. Deve estar triste com o incêndio dessa semana, que destruiu 2.800 fantasias da Portela. No vídeo, ela canta “Dança da Solidão”, com Paulinho da Viola, outro portelense convicto.

You need to a flashplayer enabled browser to view this YouTube video

GEORGE ORWELL E A IMPRENSA

O escritor e jornalista inglês George Orwell viveu quase 47 anos, de 25 de junho de 1903  a  21 de janeiro de 1950, tempo suficiente para se transformar no melhor cronista de cultura inglesa do século XX. Seu nome verdadeiro era Eric Arthur Blair. Como escritor, foi autor do romance Nineteen Eigth-Four e da novela satírica Animal Farm, sucessos de crítica e de vendas.

Mas foi como jornalista que ele cunhou uma de suas frases mais famosas: “jornalismo é publicar aquilo que alguém não gostaria que fosse publicado; o resto é publicidade”. O papel da imprensa, na maioria das vezes, é mostrar o que está errado. É assim que ela ajuda a melhorar as coisas, colaborando com a sociedade e, muitas vezes, até com a própria administração.

Vejam o caso da Folha Noroeste, que, nesse final de semana publicou em seu blog algumas fotos da Avenida “Maria Jalles”. Uma das fotos está postada logo aí acima e mostra a situação de um trecho da calçada daquela avenida. Ao publicá-la, o jornal lembrou que centenas de pessoas, inclusive crianças, passam diariamente por aquela calçada e, num momento de distração, poderiam sofrer um acidente.

A publicação foi o suficiente para que a Prefeitura já tomasse algumas providências. Quem passou pela Avenida “Maria Jalles”, ontem à tarde, pode observar que o buraco da calçada já havia sido devidamente aterrado, faltando apenas a reposição das lajotas (foto ao lado). 

É possível que tenha havido uma ou outra pessoa da administração municipal que não gostou da iniciativa do jornal, mas a Folha Noroeste, enquanto órgão de imprensa, fez exatamente aquilo que George Orwell considerava jornalismo de verdade.

JUIZ QUE CHAMOU LEI MARIA DA PENHA DE ‘DIABÓLICA’, TENTA VOLTAR AO CARGO

Deu no Correio Braziliense, edição desta segunda-feira:

O juiz Edilson Rodrigues, afastado das funções pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) no ano passado por declarações preconceituosas contra a Lei da Maria da Penha, entrou com um mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar anular a decisão que o impede de trabalhar. O mandado de segurança também é assinada pela Associação dos Magistrados Mineiros (Amagis)

Rodrigues respondeu a processo administrativo que resultou no afastamento das funções por dois anos por ter feito “considerações de cunho preconceituoso e discriminatório” às mulheres em uma sentença proferida em 2007.

Na sentença que motivou a punição de afastamento pelo CNJ, o juiz Edilson Rodrigues afirmou: “A vingar esse conjunto de regras diabólicas [Lei Maria da Penha], a família estará em perigo. Ora, a desgraça humana começou no Éden: por causa da mulher. Todos nós sabemos, mas também em virtude da ingenuidade, da tolice e da fragilidade emocional do homem. O mundo é masculino e assim deve permanecer”.

De acordo com a defesa do juiz, o CNJ não poderia ter punido o juiz antes que a corregedoria do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) aplicasse as sanções cabíveis. A defesa também afirma que as críticas foram dirigidas à Lei Maria da Penha “em tese”. O ministro Marco Aurélio é o relator do caso.

JALES: BURACO PROVOCA DANOS EM VEÍCULO

Em entrevista ao Jornal do Povo, da Rádio Assunção, a moradora de Jales, Mara Rubi Toledo, contou como caiu com seu carro em um buraco na Rua João Cardoso da Silva, na Cohab JACB. Segundo a motorista, ao jogar seu carro – um Volkswagen Gol – para a direita, a fim de permitir a ultrapassagem de outro veículo, ela acabou caindo no buraco que estava semicoberto pela grama que invade aquele trecho da rua.

Mara registrou um Boletim de Ocorrências na Delegacia de Polícia e, segundo disse ao repórter Osmar Rezende, pretende acionar a Prefeitura para obter o ressarcimento dos prejuizos causados pelo buraco. “Eu sou uma pessoa pobre, trabalho como empregada doméstica, e não posso arcar com esse prejuízo“, disse ela. As fotos mostram o buraco, que fica bem ao lado da Unidade do Programa de Saúde da Família, o PSF do JACB. Segundo uma das pessoas que trabalham no Posto, o buraco já está ali há bastante tempo.

Durante o dia de hoje, a Antena 102 anunciou várias vezes que os ouvintes da rádio poderão saber dos detalhes do acidente, amanhã, no Antena Ligada.

DENGUE: EM JANEIRO, NENHUM CASO EM JALES

Deu no jornal A Tribuna, edição de domingo: 

Jales ainda não teve nenhum caso de dengue confirmado em 2011

Vanessa Luzia da Silva, responsável pela divulgação dos trabalhos da equipe de combate ao mosquito Aedes aegypti  informou que, em janeiro de 2011 não foi confirmado nenhum caso de dengue em Jales. Segundo ela, em janeiro foram feitas 21 notificações de casos suspeitos, mas não houve nenhuma confirmação até o momento. “Nós já recebemos os resultados de 14 exames e até agora todos eles deram negativo”, disse Vanessa.

Ela alertou, porém, que os agentes de controle de vetores têm encontrado um número razoável de larvas, e, por conta disso, é preciso manter a equipe vigilante. “O resultado de janeiro foi muito bom, já que não tivemos nenhum caso, mas nós não podemos nos descuidar, pois na região de Santa Fé do Sul está havendo uma grande incidência da doença e isso pode ter reflexos aqui em Jales”, afirmou Vanessa. 

Até o momento, já foram registrados 35 casos confirmados em Santa Fé do Sul, 15 em Três Fronteiras e 06 em Santa Clara D’Oeste. São José do Rio Preto, que registrou uma epidemia no ano passado, já teve 19 casos confirmados em janeiro de 2011, enquanto Votuporanga teve 05 casos.

DALUA É O NOVO SUPERINTENDENTE REGIONAL DA SABESP

O jornalista Deonel Rosa Júnior é mesmo um cara bem informado. Ontem, um pouco antes de o Brasil entrar em campo contra a Argentina, batemos um longo papo sentados à mesa da loja de conveniências do Auto Posto Brasil, onde a Vanessa atende a todos sempre com muita simpatia. Entre outras coisas, falamos de política e aí surgiu o nome do Dalua, também conhecido como Antonio Rodrigues da Grela Filho, que aparece aí na foto registrada durante o Congresso Internacional de Perdas de Água. E o Deonel me disse que o Dalua, provavelmente, seria o novo superintendente da Sabesp, o que o afastaria da disputa política em Jales.

Pois bem, e não é que eu acabo de receber um email do Paulo Aruca, também jornalista e igualmente bem informado, onde ele me reencaminha mensagem da Arlete Costa, assessora de imprensa da Sabesp. Vamos ao que diz o email:

A Sabesp tem novo superintendente na região

Antonio Rodrigues da Grela Filho é o novo superintendente da Sabesp na região do Baixo Tietê e Grande, com sede em Lins. A região abrange 83 municípios distribuídos nas gerências de Jales, Fernandópolis, Novo Horizonte, Monte Alto e Lins. Antonio Rodrigues tem 52 anos e 33 de Sabesp.  Trabalhou 15 anos em Jales gerenciando 27 municípios.

Antonio falou dos principais objetivos da Unidade de Negócio que são continuar prestando serviços de excelência ao cliente; manutenção dos índices de abastecimento de água; ampliação das ações de redução de perdas e do atendimento às comunidades rurais.

A substituição se deu pelo fato de que Luiz Paulo de Almeida Neto, o superintendente anterior, assumiu em São Paulo, a coordenação da Diretoria de Sistemas Regionais da Sabesp, responsável por 329 municípios do interior e litoral do Estado de São Paulo.

Luiz Paulo assume junto ao Governador do Estado, o desafio de promover a universalização da coleta de esgoto dessa diretoria, além da renovação de contratos com os poderes concedentes e investimentos na manutenção do abastecimento de água.

Luiz Paulo enfatiza “essa indicação ao cargo de diretor da Sabesp, deve-se muito aos resultados alcançados nesta região que hoje é uma das mais privilegiadas do Estado e do Brasil com 100% de abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto nas sedes dos municípios, além do atendimento em várias comunidades rurais.”

O atual diretor diz que a indicação de Antonio Rodrigues para gerenciar esta região deve-se aos resultados positivos frente aos 27 municípios, como a renovação de todos os contratos naquela região e o bom relacionamento com a comunidade e poder público.

O novo superintendente comenta: “se eu trabalhar corretamente, não terei nada a temer. Venho de uma família humilde e sei o que é enfrentar desafios na vida. Conto com o apoio dos nossos empregados e  estou à disposição da comunidade”.

Assessoria de Imprensa da Sabesp

Nome: Arlete Costa

CPI DAS PRAÇAS NA POLÍCIA

Hoje, segunda-feira, recebi uma intimação para estar na Delegacia Seccional de Polícia amanhã, às 09:30 horas. O gentil convite da polícia decorre do inquérito criminal em que se transformou a chamada CPI das Praças. Como já escrevi em um post anterior, a CPI das Praças foi instalada pela Câmara de Jales para apurar a realização de reformas em algumas praças da cidade, cujos gastos totais ficaram acima de R$ 27 mil.  Dois problemas levaram à abertura da CPI: o fato de as reformas terem sido realizadas sem o devido procedimento licitatório e o desleixo da Prefeitura, que não cuidou das praças reformadas e deixou boa parte do que foi plantado morrer de sede.

Na esfera cível, a Ação proposta pelo Ministério Público e aceita pela Justiça resultou na condenação por improbidade administrativa – em segunda instância – do prefeito Humberto Parini, do secretário de Finanças, Rubens Chaparim, da primeira-dama, Rosângela Parini, e deste aprendiz de blogueiro que, na época dos fatos, era o responsável pelo setor de Compras da Prefeitura. A reforma das praças ocorreu no início do governo Parini, em março de 2005, quando a primeira-dama era secretária de Promoção Social, mas, autorizada pelo marido-prefeito, interferiu em algo que seria de responsabilidade da secretaria de Planejamento.

Por sinal, antes de inspirar a abertura da CPI, as reformas já haviam motivado o pedido de demissão do então secretário de Planejamento, Marçal Rogério Rizzo, que não concordou com as iniciativas da primeira-dama.

Já o secretário de Finanças, Rubens Chaparim, acabou incluído no rol dos investigados em função do depoimento da proprietária da empresa responsável pelas reformas. Segundo ela, Chaparim teria autorizado o início dos serviços e prometido o pagamento para trinta dias depois, mas, chegado o prazo combinado, a promessa não foi cumprida.

PIB DE JALES FOI O MENOR DA REGIÃO

Na comparação com as vizinhas, a economia de Jales encolheu.

Uma das chamadas de capa do Jornal de Jales, edição desse domingo, diz que o “PIB de Jales cresce 85% em 10 anos“. Uma boa notícia, certo? Nem tanto!

Na verdade, entre as cidades mais importantes da região, Jales foi a que menos cresceu. Os números do PIB foram divulgados recentemente pela Fundação Seade e pelo IBGE. Na página 1-03 do Jornal de Jales, a coluna Contexto, escrita pelo jornalista Deonel Rosa Júnior, esmiuçou esses números. E eles realmente mostram que, entre 1999 e 2008, o PIB do nosso município cresceu 85%, enquanto a renda per capita dos jalesenses evoluiu 121,27%.

Em contrapartida, no mesmo período o PIB de Votuporanga aumentou 137,89%, o de Fernandópolis cresceu 114,49%, enquanto o de Santa Fé do Sul teve uma evolução de 155,73%. Estrela D’Oeste, pasmem, foi quem apresentou o maior aumento do PIB na região, com 425,44%.  A coluna Contexto mostra ainda que, na média, os 87 municípios da região Noroeste Paulista cresceram 126,74% em dez anos, isto é, mais que o dobro. O estudo demostra também que o crescimento da região Noroeste ficou abaixo do aumento do PIB registrado no Estado de São Paulo, que alcançou 161,71%.

O PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos no município e, como se vê, o crescimento econômico de Jales ficou bem abaixo da evolução verificada na região e no Estado. Registre-se, mais uma vez, que os números são relativos ao período 1999-2008, alcançando, portanto, dois anos da administração Rato, quatro anos da conturbada administração Guisso/Caparroz/Jediel/Hilário Pupim, e os primeiros quatro anos da administração Parini.

1 1.704 1.705 1.706 1.707 1.708 1.729