JUIZ QUE CHAMOU LEI MARIA DA PENHA DE ‘DIABÓLICA’, TENTA VOLTAR AO CARGO

Deu no Correio Braziliense, edição desta segunda-feira:

O juiz Edilson Rodrigues, afastado das funções pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) no ano passado por declarações preconceituosas contra a Lei da Maria da Penha, entrou com um mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar anular a decisão que o impede de trabalhar. O mandado de segurança também é assinada pela Associação dos Magistrados Mineiros (Amagis)

Rodrigues respondeu a processo administrativo que resultou no afastamento das funções por dois anos por ter feito “considerações de cunho preconceituoso e discriminatório” às mulheres em uma sentença proferida em 2007.

Na sentença que motivou a punição de afastamento pelo CNJ, o juiz Edilson Rodrigues afirmou: “A vingar esse conjunto de regras diabólicas [Lei Maria da Penha], a família estará em perigo. Ora, a desgraça humana começou no Éden: por causa da mulher. Todos nós sabemos, mas também em virtude da ingenuidade, da tolice e da fragilidade emocional do homem. O mundo é masculino e assim deve permanecer”.

De acordo com a defesa do juiz, o CNJ não poderia ter punido o juiz antes que a corregedoria do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) aplicasse as sanções cabíveis. A defesa também afirma que as críticas foram dirigidas à Lei Maria da Penha “em tese”. O ministro Marco Aurélio é o relator do caso.

JALES: BURACO PROVOCA DANOS EM VEÍCULO

Em entrevista ao Jornal do Povo, da Rádio Assunção, a moradora de Jales, Mara Rubi Toledo, contou como caiu com seu carro em um buraco na Rua João Cardoso da Silva, na Cohab JACB. Segundo a motorista, ao jogar seu carro – um Volkswagen Gol – para a direita, a fim de permitir a ultrapassagem de outro veículo, ela acabou caindo no buraco que estava semicoberto pela grama que invade aquele trecho da rua.

Mara registrou um Boletim de Ocorrências na Delegacia de Polícia e, segundo disse ao repórter Osmar Rezende, pretende acionar a Prefeitura para obter o ressarcimento dos prejuizos causados pelo buraco. “Eu sou uma pessoa pobre, trabalho como empregada doméstica, e não posso arcar com esse prejuízo“, disse ela. As fotos mostram o buraco, que fica bem ao lado da Unidade do Programa de Saúde da Família, o PSF do JACB. Segundo uma das pessoas que trabalham no Posto, o buraco já está ali há bastante tempo.

Durante o dia de hoje, a Antena 102 anunciou várias vezes que os ouvintes da rádio poderão saber dos detalhes do acidente, amanhã, no Antena Ligada.

DENGUE: EM JANEIRO, NENHUM CASO EM JALES

Deu no jornal A Tribuna, edição de domingo: 

Jales ainda não teve nenhum caso de dengue confirmado em 2011

Vanessa Luzia da Silva, responsável pela divulgação dos trabalhos da equipe de combate ao mosquito Aedes aegypti  informou que, em janeiro de 2011 não foi confirmado nenhum caso de dengue em Jales. Segundo ela, em janeiro foram feitas 21 notificações de casos suspeitos, mas não houve nenhuma confirmação até o momento. “Nós já recebemos os resultados de 14 exames e até agora todos eles deram negativo”, disse Vanessa.

Ela alertou, porém, que os agentes de controle de vetores têm encontrado um número razoável de larvas, e, por conta disso, é preciso manter a equipe vigilante. “O resultado de janeiro foi muito bom, já que não tivemos nenhum caso, mas nós não podemos nos descuidar, pois na região de Santa Fé do Sul está havendo uma grande incidência da doença e isso pode ter reflexos aqui em Jales”, afirmou Vanessa. 

Até o momento, já foram registrados 35 casos confirmados em Santa Fé do Sul, 15 em Três Fronteiras e 06 em Santa Clara D’Oeste. São José do Rio Preto, que registrou uma epidemia no ano passado, já teve 19 casos confirmados em janeiro de 2011, enquanto Votuporanga teve 05 casos.

DALUA É O NOVO SUPERINTENDENTE REGIONAL DA SABESP

O jornalista Deonel Rosa Júnior é mesmo um cara bem informado. Ontem, um pouco antes de o Brasil entrar em campo contra a Argentina, batemos um longo papo sentados à mesa da loja de conveniências do Auto Posto Brasil, onde a Vanessa atende a todos sempre com muita simpatia. Entre outras coisas, falamos de política e aí surgiu o nome do Dalua, também conhecido como Antonio Rodrigues da Grela Filho, que aparece aí na foto registrada durante o Congresso Internacional de Perdas de Água. E o Deonel me disse que o Dalua, provavelmente, seria o novo superintendente da Sabesp, o que o afastaria da disputa política em Jales.

Pois bem, e não é que eu acabo de receber um email do Paulo Aruca, também jornalista e igualmente bem informado, onde ele me reencaminha mensagem da Arlete Costa, assessora de imprensa da Sabesp. Vamos ao que diz o email:

A Sabesp tem novo superintendente na região

Antonio Rodrigues da Grela Filho é o novo superintendente da Sabesp na região do Baixo Tietê e Grande, com sede em Lins. A região abrange 83 municípios distribuídos nas gerências de Jales, Fernandópolis, Novo Horizonte, Monte Alto e Lins. Antonio Rodrigues tem 52 anos e 33 de Sabesp.  Trabalhou 15 anos em Jales gerenciando 27 municípios.

Antonio falou dos principais objetivos da Unidade de Negócio que são continuar prestando serviços de excelência ao cliente; manutenção dos índices de abastecimento de água; ampliação das ações de redução de perdas e do atendimento às comunidades rurais.

A substituição se deu pelo fato de que Luiz Paulo de Almeida Neto, o superintendente anterior, assumiu em São Paulo, a coordenação da Diretoria de Sistemas Regionais da Sabesp, responsável por 329 municípios do interior e litoral do Estado de São Paulo.

Luiz Paulo assume junto ao Governador do Estado, o desafio de promover a universalização da coleta de esgoto dessa diretoria, além da renovação de contratos com os poderes concedentes e investimentos na manutenção do abastecimento de água.

Luiz Paulo enfatiza “essa indicação ao cargo de diretor da Sabesp, deve-se muito aos resultados alcançados nesta região que hoje é uma das mais privilegiadas do Estado e do Brasil com 100% de abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto nas sedes dos municípios, além do atendimento em várias comunidades rurais.”

O atual diretor diz que a indicação de Antonio Rodrigues para gerenciar esta região deve-se aos resultados positivos frente aos 27 municípios, como a renovação de todos os contratos naquela região e o bom relacionamento com a comunidade e poder público.

O novo superintendente comenta: “se eu trabalhar corretamente, não terei nada a temer. Venho de uma família humilde e sei o que é enfrentar desafios na vida. Conto com o apoio dos nossos empregados e  estou à disposição da comunidade”.

Assessoria de Imprensa da Sabesp

Nome: Arlete Costa

CPI DAS PRAÇAS NA POLÍCIA

Hoje, segunda-feira, recebi uma intimação para estar na Delegacia Seccional de Polícia amanhã, às 09:30 horas. O gentil convite da polícia decorre do inquérito criminal em que se transformou a chamada CPI das Praças. Como já escrevi em um post anterior, a CPI das Praças foi instalada pela Câmara de Jales para apurar a realização de reformas em algumas praças da cidade, cujos gastos totais ficaram acima de R$ 27 mil.  Dois problemas levaram à abertura da CPI: o fato de as reformas terem sido realizadas sem o devido procedimento licitatório e o desleixo da Prefeitura, que não cuidou das praças reformadas e deixou boa parte do que foi plantado morrer de sede.

Na esfera cível, a Ação proposta pelo Ministério Público e aceita pela Justiça resultou na condenação por improbidade administrativa – em segunda instância – do prefeito Humberto Parini, do secretário de Finanças, Rubens Chaparim, da primeira-dama, Rosângela Parini, e deste aprendiz de blogueiro que, na época dos fatos, era o responsável pelo setor de Compras da Prefeitura. A reforma das praças ocorreu no início do governo Parini, em março de 2005, quando a primeira-dama era secretária de Promoção Social, mas, autorizada pelo marido-prefeito, interferiu em algo que seria de responsabilidade da secretaria de Planejamento.

Por sinal, antes de inspirar a abertura da CPI, as reformas já haviam motivado o pedido de demissão do então secretário de Planejamento, Marçal Rogério Rizzo, que não concordou com as iniciativas da primeira-dama.

Já o secretário de Finanças, Rubens Chaparim, acabou incluído no rol dos investigados em função do depoimento da proprietária da empresa responsável pelas reformas. Segundo ela, Chaparim teria autorizado o início dos serviços e prometido o pagamento para trinta dias depois, mas, chegado o prazo combinado, a promessa não foi cumprida.

PIB DE JALES FOI O MENOR DA REGIÃO

Na comparação com as vizinhas, a economia de Jales encolheu.

Uma das chamadas de capa do Jornal de Jales, edição desse domingo, diz que o “PIB de Jales cresce 85% em 10 anos“. Uma boa notícia, certo? Nem tanto!

Na verdade, entre as cidades mais importantes da região, Jales foi a que menos cresceu. Os números do PIB foram divulgados recentemente pela Fundação Seade e pelo IBGE. Na página 1-03 do Jornal de Jales, a coluna Contexto, escrita pelo jornalista Deonel Rosa Júnior, esmiuçou esses números. E eles realmente mostram que, entre 1999 e 2008, o PIB do nosso município cresceu 85%, enquanto a renda per capita dos jalesenses evoluiu 121,27%.

Em contrapartida, no mesmo período o PIB de Votuporanga aumentou 137,89%, o de Fernandópolis cresceu 114,49%, enquanto o de Santa Fé do Sul teve uma evolução de 155,73%. Estrela D’Oeste, pasmem, foi quem apresentou o maior aumento do PIB na região, com 425,44%.  A coluna Contexto mostra ainda que, na média, os 87 municípios da região Noroeste Paulista cresceram 126,74% em dez anos, isto é, mais que o dobro. O estudo demostra também que o crescimento da região Noroeste ficou abaixo do aumento do PIB registrado no Estado de São Paulo, que alcançou 161,71%.

O PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos no município e, como se vê, o crescimento econômico de Jales ficou bem abaixo da evolução verificada na região e no Estado. Registre-se, mais uma vez, que os números são relativos ao período 1999-2008, alcançando, portanto, dois anos da administração Rato, quatro anos da conturbada administração Guisso/Caparroz/Jediel/Hilário Pupim, e os primeiros quatro anos da administração Parini.

CARLÃO, SEM MEIAS PALAVRAS

O ex-prefeito de Votuporanga e deputado estadual, Carlão Pignatari, deu interessante entrevista ao repórter Claudiney Antonio, do Antena Ligada, sobre a novela “duplicação da Euclides da Cunha”. Entre outras coisas, ele disse ter ficado sabendo por um jornal de Votuporanga sobre a reunião promovida no gabinete do prefeito Humberto Parini, onde ficou marcada uma paralisação na Euclides da Cunha, para o dia 1º de março.

Sem meias palavras, Carlão classificou como uma “BURRICE” a idéia da paralisação. “Coisa de gente que quer aparecer politicamente”, disse ele. Se todos os políticos usassem as palavras certas, como Carlão fez, talvez a classe política não estivesse tão mal avaliada pela opinião pública. Deve ser por coisas assim, que ele foi reeleito prefeito de Votuporanga, em 2004, com mais de 80% dos votos, e, em 2008, fez o seu sucessor, Júnior Marão, também com mais de 80% dos votos.  

Como já noticiamos em um post anterior, a tal reunião citada por Carlão foi realizada no gabinete do Parini, na sexta-feira à tarde, e além do nosso prefeito, contou com as ilustres presenças do ex-prefeito de Valentim Gentil, Liberato Rocha Caldeira, do prefeito de Álvares Florence, Alberto César Caires, e do presidente de um Sindicato de Caminhoneiros, senhor Sérgio Barsalobre. Aparentemente, nem a imprensa de Jales ficou sabendo dessa reunião, já que ela só foi noticiada pelo Diário de Votuporanga.

Curiosamente, na mesma sexta-feira, só que no período da manhã, o Forum da Cidadania e mais um punhado de entidades e autoridades, inclusive o Carlão, também se reuniram na Associação Comercial de Jales, para tratar do desencontro de informações que envolve a duplicação da “Euclides da Cunha”. O prefeito Humberto Parini, como era de se esperar, não compareceu,  preferindo encarregar o vice Clóvis Viola de representá-lo. Provavelmente, o nosso prefeito estava muito ocupado em preparar o ambiente para a reunião da tarde, ou então, deve ter utilizado o período da manhã para visitar alguma obra social da primeira-dama.

Voltando à entrevista do Carlão, ele garantiu que a duplicação vai ser feita. E, como ele não parece ser um homem de meias palavras, acho que já dá prá gente começar a acreditar. E aí abaixo, um vídeo onde o governador Alckmin garante que não haverá pedágio na “Euclides da Cunha”:

You need to a flashplayer enabled browser to view this YouTube video

DEPUTADO É ESPANCADO POR POLICIAIS

De nada valeram os 62.310 votos recebidos por Antonio de Sousa Ramalho, o Ramalho da Construção, que o elegeram deputado estadual pelo PSDB na última eleição. Na madrugada de ontem, ele apanhou como qualquer cidadão que denuncia abuso policial em São Paulo. A agressão ocorreu após um investigador cortejar a mulher do parlamentar. 

“Em meus 62 anos de vida, nunca havia passado por isso”, disse. Dois investigadores e um comerciante teriam participado da agressão depois que o deputado pegou a mulher pela mão para ajudá-la a sair de perto do grupo. Acabou espancado. Seu desmaio não impediu os três a continuar a agressão, desferindo chutes em seu corpo.

O deputado, que toma posse em 15 de março, estava com a mulher na casa noturna Vila Country, na zona oeste, quando ela foi assediada. Eram 3h30. Loira, 1,65 metro de altura, magra e bela, Viviane de Brito, a mulher do deputado, tem 26 anos.

A noite de anteontem havia começado para o deputado com duas reuniões políticas – uma do PSDB e outra da base do parlamentar. Pouco depois da meia-noite, o deputado chegou à casa noturna. “Fui ao Vila Country porque minha mulher queria ver o show do Victor & Leo.”

TUCANO SUSPEITO DE PROPINA CONSTRÓI IMPÉRIO

Com informações do DiarioWeb, edição deste domingo

Investigado pelo Ministério Público por suspeita de ter recebido propina da empresa francesa Alstom em troca de contratos públicos do governo paulista, o engenheiro Jorge Fagali Neto, de José Bonifácio, construiu e mantém um império que inclui uma fazenda avaliada em R$ 10 milhões, um apartamento em bairro nobre de São Paulo, uma empresa de consultoria agrícola e uma conta bancária na Suíça com saldo de US$ 7,5 milhões (R$ 12,5 milhões, no câmbio de sexta-feira).

Por conta das investigações, a Justiça brasileira e suíça bloquearam a conta de Fagali no país europeu, e em dezembro a 13ª Vara da Fazenda Pública quebrou os sigilos bancário e fiscal dele e de mais 10 pessoas, incluindo o conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE) Robson Marinho, chefe da Casa Civil no governo Mario Covas entre 1995 e 1997.

O patrimônio de Jorge contrasta com as origens humildes da família Fagali. Ele é o mais velho dos 12 filhos de Assaf Jorge Fagali, libanês que chegou a José Bonifácio nos anos 30, onde virou comerciante de tecidos. “Era uma família de classe média, sem ostentação”, diz uma pessoa próxima, que não quis se identificar. A casa onde a família morava, uma residência simples, permanece intacta no Centro do município.

A notícia completa do DiarioWeb pode ser lida aqui.

SABORAKI INAUGURA NOVA FÁBRICA EM CASSILÂNDIA

Deu no site de notícias Ethosonline, neste domingo:

Com a nova fábrica, serão gerados mais de 100 empregos diretos, com investimentos de R$ 5 milhões, atingindo a população de uma área de 400 quilômetros quadrados.

Os empresários Francisco Florencio de Athayde Neto e José Pedro Venturini realizam no dia 17 de fevereiro a inauguração da unidade II da Indústria de Refrigerantes Saboraki em Cassilândia/MS. O governador do Estado de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli, confirmou presença por meio de sua assessoria. Os investimentos da empresa de Jales são de R$ 5 milhões , com a fomentação de 100 empregos diretos.

A logística da fábrica é abarcar uma população em uma área de 400 quillômetros quadrados. A escolha de Cassilândia para a instalação da fábrica é decorrente da água mineral, a fonte naturalis, localizada dentro do parque fabril da Saboraki, que possui propriedades únicas e jorra em abundância, o que garante, segundo a direção, qualidade aos produtos fabricados e envasados no local. O processo de instalação da fábrica começou em meados de 2009.

Nesse período foram realizadas consideráveis investimentos nas adaptações no prédio, novas construções, adequações para o parque fabril, instalação das máquinas e a capacitação de funcionários, tudo para garantir a máxima qualidade para o início oficial de seu funcionamento. “Procuramos trazer para Cassilândia a melhor tecnologia, equipamentos de ponta e capacitação para nossa equipe”, conta o sócio-proprietário da fábrica José Pedro Venturini. Segundo o diretor comercial da indústria, a meta dos empresários é a rápida expansão da marca Saboraki nos estados de Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás e Minas Gerais.

Na Unidade II, em Cassilândia, serão fabricados toda a linha de sabores de refrigerantes, água mineral, sucos e energéticos.A fábrica começou a operar em 1984, em Estrela D’Oeste. Em 1989, transferiu-se para Jales.

1 1.705 1.706 1.707 1.708 1.709 1.729