Categoria: Política

BOLSONARO ESNOBA HOMENAGEM EM RIO PRETO

Eu só espero que nenhum vereador de Jales siga o exemplo. A notícia é do Diário da Região:

O vereador Anderson Branco (PR) foi até Brasília nesta quarta-feira, 27, para convidar o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) para receber título honorário de cidadão rio-pretense. Bolsonaro, no entanto, adiantou que não poderia vir a Rio Preto. “Tem de buscar no oitavo dia da semana ou 32º dia do mês. Não tenho tempo. Estou com a agenda completa”, afirmou.

Bolsonaro, que é pré-candidato a presidente da República em 2018, ainda acrescentou para Branco. “Não posso. Só (tenho o) domingo. Aí o Ricardão dá cartão vermelho para mim.”

O parlamentar se disse “muito feliz” com a homenagem, mas afirmou que não assumiria o compromisso de estar em Rio Preto para receber a homenagem oferecida por Branco, que queria a todo custo marcar uma data para entregar a homenagem. O vereador, que disse defender a família, uma das bandeiras de Bolsonaro, pediu para tirar uma fotografia com o deputado com óculos escuros após ter o convite recusado.

“Vamos tirar uma foto de óculos aí”, afirmou Branco, que se autodenomina “Branconaro”. O uso de óculos escuros é uma brincadeira entre adolescentes fãs de Bolsonaro para chamá-lo de “mito”.

TCE APLICA PRIMEIRA MULTA AO PREFEITO FLÁ PRANDI

O prefeito Flá Prandi(DEM) ainda não completou nove meses de administração, mas, em pelo menos um quesito já está se revelando tão precoce quanto a ex-prefeita Nice Mistilides: o das multas aplicadas pelo TCE. Nice, a ex-prefeita, ganhou sua primeira multa em setembro de 2013, quando também não tinha completado nove meses de administração.

O ex-prefeito Humberto Parini, por exemplo, recebeu a primeira multa do TCE em 2010, quando já estava no segundo ano de seu segundo mandato. É certo que, de lá para cá, o ex-prefeito petista já foi penalizado com outras 13 multas, num total de R$ 100 mil.

No caso de Flá, a multa aplicada nesta semana pelo Tribunal de Contas do Estado é de 160 Ufesp’s (R$ 4 mil). E ele nem teve tanta culpa assim.

O problema começou no mandato da ex-prefeita Nice, quando ela era, também, a presidente do Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região de Jales – Consirj. Em 2014, Nice autorizou a realização de um concurso público para preenchimento de diversos cargos no Consirj, entre eles o de Segurança.

Ocorre que, segundo o TCE, o cargo de Segurança não foi criado por lei aprovada na Câmara e, portanto, foi preenchido irregularmente. Nice argumentou que o cargo fora criado pelo Conselho de Prefeitos do Consirj, mas o TCE não aceitou essa alegação.

O pecado de Flá? Como atual presidente do Consirj, ele teria sido notificado pelo TCE, em julho deste ano, a tomar providências para regularizar a situação, mas, segundo o conselheiro que julgou o caso, não fez nada para cumprir o que fora determinado pelo TCE. Flá, evidentemente, poderá recorrer da decisão.  

PARA REVISTA FORBES, LULA AINDA É O MELHOR

Uma das principais publicações de economia do mundo, a revista americana Forbes mostra que já vê Luiz Inácio Lula da Silva como o próximo presidente do Brasil. 

Em um artigo assinado por Keneth Rapoza, intitulado “No Brasil todos são maus, exceto Lula”, a publicação destaca as conquistas sociais e econômicas dos dois mandatos de Lula.

“O homem que um dia foi o presidente mais popular das Américas é feito de Teflon. Apesar das acusações e alegações feitas contra ele e seu antigo gabinete dia após dia, nada ‘cola’. Lula permanece o homem mais popular do Brasil. (…) as pessoas o escolheriam para liderar o País de novo, por uma terceira vez, ao invés de qualquer outro candidato”, sugerem as pesquisas. 

O texto fala ainda da possível parcialidade do juiz federal Sérgio Moro em relação a Lula.

O artigo ainda é bastante ácido quanto a Jair Bolsonaro:

“Um democrata cristão que é muito parecido com um republicano do chamado Cinturão da Bíblia [área conservadora dos EUA]. Adora Jesus, não gosta de gays. Está cansado de quem recebe de programas de assistência social, maconheiros e traficantes. Bolsonaro não se importaria se os brasileiros tivessem permissão para transportar armas. Bolsonaro tem uma taxa de desaprovação de 63%, acima de 47% do ano anterior”.

LULA MOSTRA A MORO RECIBOS DE PAGAMENTO DE ALUGUEL

Os mais céticos dirão, certamente, que os recibos são falsos. E o juiz imparcial de Curitiba vai, provavelmente, devolver os recibos, alegando que eles somente poderão ser considerados como prova se forem entregues pela própria dona Marisa. A notícia é do Brasil 247:

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva protocolou nessa segunda-feira, 25, documento na Justiça Federal de Curitiba com cópias do contrato de locação firmado entre Glaucos da Costamarques e a ex-primeira-dama Marisa Letícia, bem como os recibos do pagamento de aluguel relativos ao apartamento 121 do residencial Hill House, bloco 1, localizado na Avenida Francisco Prestes Maia, nº 1501, em São Bernardo/SP.

Segundo a denúncia do Ministério Público Federal contra Lula, o imóvel pertenceria ao ex-presidente como suposto pagamento de propina oriunda de contratos da Petrobras com a Odebrecht. 

“Os documentos hoje apresentados comprovam que o imóvel não pertence a Lula e que o valor do aluguel previsto no contrato de locação firmado por sua falecida esposa foi pago e por isso foram emitidos recibos pelo locador”, diz o advogado Cristiano Zanin Martins em nota. 

PESQUISA IPSOS: REJEIÇÃO DE SÉRGIO MORO DISPARA E A DE LULA CAI

Os campeões da rejeição são Temer(94%) e Aécio Neves(89%). E as rejeições de Alckmin (75%) e Bolsonaro (66%), entre outros, já superam o índice de Lula(59%). A notícia é do Brasil 247, com informações do Estadão:

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Ipsos traz dados surpreendentes.

Realizada depois da condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e também após o depoimento do ex-ministro Antonio Palocci, ela mostra que a rejeição ao juiz Sergio Moro, que conduz a Lava Jato, disparou. O índice dos que desaprovam seus métodos chega a 45%, contra apenas 48% que o aprovam, numa situação de empate técnico.

Ao mesmo tempo, a rejeição a Lula, condenado a nove anos e meio de prisão, caiu e é uma das menores entre todos os presidenciáveis. “O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve seu índice de desaprovação reduzido e sua taxa de aprovação ampliada em setembro na comparação com o mês anterior, segundo o mais recente Barômetro Político, pesquisa mensal de credibilidade realizada pelo instituto Ipsos. O porcentual da população que não concorda com a atuação de Lula caiu de 66% para 59%, enquanto a parcela da sociedade que o aprova subiu de 32% para 40%, a maior em dois anos de levantamento – apenas 1% não soube opinar”, aponta reportagem de Adriana Ferraz e Gilberto Amendola, publicada no Estado de S. Paulo.

“Ao mesmo tempo, o juiz federal Sérgio Moro, que condenou Lula e é símbolo da Lava Jato, alcançou uma taxa de desaprovação de 45%, recorde desde setembro de 2015. As impressões da população sobre Lula, Moro e demais personalidades foram colhidas entre os dias 1.º e 14 deste mês, ou seja, antes e depois do depoimento de Antonio Palocci, ex-ministro da Fazenda de Lula e da Casa Civil de Dilma Rousseff”, apontam ainda os jornalistas.

Ou seja: cresce, na sociedade brasileira, a percepção de que ele é alvo de perseguição judicial, com objetivos políticos.

Segundo o também cientista político Cláudio Couto, da FGV-SP, o embate entre Lula e Moro parece estar criando uma vitimização do ex-presidente. “Além disso, a aprovação de Lula surfa na desaprovação do governo Temer”, afirmou Couto. A desaprovação a Temer alcançou 94%.

PRESIDENTE DA CÂMARA ASSUME PREFEITURA DE TURMALINA

Aconteceu neste sábado, 23, a posse do presidente da Câmara Municipal de Turmalina, Aparecido de Souza Viana(PSDB), o Tutão, no cargo de prefeito do município. Ele vai substituir – não se sabe até quando – a prefeita Fernanda de Menezes Andrea, a Fernanda Massoni, que foi afastada do cargo pela Justiça Eleitoral, em função de uma condenação por compra de votos.

Segundo informações do ex-prefeito José Carlos Massoni, marido de Fernanda, a defesa da prefeita protocolou ontem no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), uma Ação Cautelar com Pedido de Tutela Antecipada de Urgência, ou seja, um pedido de liminar para voltar ao cargo. A Ação foi distribuída para a ministra Rosa Weber.

Fernanda está sendo defendida pelo advogado Tito Costa, de 94 anos, que, segundo Massoni, deverá fazer uma sustentação oral de sua tese. O advogado está alegando, em sua peça de defesa, que a gravação utilizada na acusação do Ministério Público Eleitoral não poderia ser considerada como prova válida, uma vez não ter sido feita com autorização judicial.

A cerimônia de posse do presidente Tutão, realizada às 10 horas da manhã, transcorreu tranquila. Em princípio, Fernanda cogitava comparecer ao ato, já que o tucano Tutão – o rapaz de cavanhaque, na foto acima com Massoni, Fernanda e a deputada Analice Fernandes – é aliado da sua administração, mas, para evitar problemas, ela acabou não comparecendo.

Fernanda e o vice, Alcir Antônio de Aquino, foram acusados de “captação ilícita de sufrágios” durante a campanha eleitoral de 2016. Em novembro – ainda de 2016 – eles tiveram o diploma eleitoral cassado pela Justiça de Estrela D’Oeste, que julgou procedente a denúncia do Ministério Público.

Em julho de 2017, o TRE-SP confirmou a cassação. E na quarta-feira, 20, o mesmo TRE-SP negou seguimento a um Recurso Especial interposto pela defesa da prefeita. Na quinta-feira, 21, o Ministério Público de Estrela D’Oeste pediu o afastamento da prefeita e seu vice, que foi aceito pelo juiz Mateus Lucatto de Campos.

A prefeita Fernanda – que foi reeleita com 920 votos, ou 59 a mais que o adversário – não aparece na gravação apresentada como prova da compra de votos. Quem aparece é o vice, Alcir, que teria oferecido R$ 3 mil em troca dos votos de um eleitor e de sua família.    

EM ÁUDIO, VEREADOR DELEY REFERE-SE A GILBERTÃO COMO “VAGABUNDO” E “VELHO GAGÁ”

O tempo está esquentando entre o vereador Deley(PPS) e o ex-vereador Gilbertão, por conta do projeto que aumenta o IPTU. Antes de descer aos detalhes, convém lembrar que, durante a campanha eleitoral de 2016, Gilbertão pediu a amigos para que votassem em Deley.

Pois bem, hoje, sexta-feira, viralizou na internet um aúdio onde Deley – a pretexto de explicar o reajuste do IPTU a um eleitor – classifica o ex-vereador Gilbertão de “velho gagá” e “vagabundo”. E mais: segundo Deley, Gilbertão é um dos responsáveis pelo atraso vivenciado por nossa cidade nos últimos 10 ou 20 anos.

O interlocutor de Deley – que gravou a conversa – diz que não foi o responsável por divulgar o áudio na internet. Ele alega que passou o áudio apenas para dois amigos. De todo modo, Gilbertão já está preparando uma resposta e estudando medidas judiciais.

O áudio completo pode ser ouvido no portal A Voz das Cidades, do Betto Mariano, clicando aqui.  

DELEY RECONHECE ERRO E PEDE PERDÃO POR VOTAÇÃO QUE AUMENTOU O IPTU

Pessoalmente, acho que essa estória de os vereadores dizerem que foram pressionados ou que estão arrependidos não pega bem. Seria mais coerente, da parte deles, continuar defendendo o reajuste que, certo ou errado, já está sacramentado.  Deu no portal de notícias da Rádio Assunção:

“Foi um erro votar o projeto de resolução que aumentou o IPTU dos imóveis de Jales sem discussão com a sociedade e os vereadores vão pagar caro por esse erro”.

A afirmação é do vereador Deley Vieira, líder do prefeito na Câmara Municipal, e foi dada durante entrevista ao Jornal do Povo da Rádio Assunção FM. “Tínhamos que discutir amplamente esse projeto e era necessário fazer uma audiência pública. Só que tínhamos prazo de 90 dias e achamos que não daria tempo. O erro foi esse e acabamos votando rápido”. 

A entrevista foi veiculada no começo da tarde desta segunda-feira, poucas horas antes da realização de uma Sessão Extraordinária que criaria dois cargos de procurador jurídico para o município. A reunião acabou cancelada poucos minutos antes do início, provavelmente diante da iminência de rejeição do projeto.

Se de um lado os vereadores foram pressionados politicamente a engolir um projeto notoriamente impopular, de outro, estão sendo pressionados nas ruas e nas redes sociais a se posicionar com mais transparência e a ouvir a população nos próximos temas delicados.   

Cresce nos bastidores a insatisfação de alguns vereadores aliados do prefeito que sofreram um enorme desgaste causado pela quase unânime rejeição da população no caso do aumento do IPTU. Eleitores das mais diversas correntes políticas, inclusive de apoio ao prefeito, se manifestaram insatisfeitos com a falta de transparência na aprovação do aumento. Houve inúmeras manifestações nas redes sociais digitais e pessoalmente. 

PARINI CHEGA À DÉCIMA-QUARTA MULTA NO TCE

Meses atrás, o ex-prefeito Humberto Parini declarou em uma emissora que as pessoas interessadas em ser prefeito deveriam, antes de mais nada, passar por um exame de sanidade mental. O nosso premiado estadista – que, antes de assumir o cargo, ostentava um bigode mais negro que a asa da graúna – deve ter bons motivos para achar que administrar uma cidade, nos dias atuais, passou a ser uma loucura.

Um desses motivos são as multas que ele vem sofrendo nos últimos anos, aplicadas pelo TCU, pela Justiça, e, principalmente, pelo TCE. Até a semana passada, o Tribunal de Contas do Estado já tinha aplicado 13 multas ao ex-prefeito, num total de 4.000 Ufesp’s (R$ 100 mil, em valores atuais).

E nesta semana, ele chegou, finalmente, à décima-quarta multa. Nada, porém, que vá causar grande abalo ao estadista: a nova punição é coisa de R$ 2,5 mil (100 Ufesp’s).

O crime? Parini teria descumprido um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta),  assinado em 2007, que previa a regularização de algumas situações na área da saúde. Entre elas, a situação de um médico que tinha dois cargos públicos em Jales e outro em Palmeira d’Oeste, algo proibido pela Constituição.

Além de não cumprir o TAC, Parini não deu a menor pelota para os alertas do TCE. Eis um trecho da decisão publicada no Diário Oficial de ontem: “aplico ao responsável, Senhor Humberto Parini, multa no valor de 100 (cem) UFESPs, em razão do descaso às notificações deste Tribunal para trazer aos autos os esclarecimentos da matéria”.

Ou seja, o estadista – que deve andar ocupado com problemas bem maiores – nem se defendeu. Ou, como diria um famoso advogado local, desafeto deste aprendiz de blogueiro, nosso ex-prefeito “se quedou silente”. Ele ainda poderá, no entanto, recorrer da multa.

EM TEMPO: além das multas do TCE, Parini já foi multado também pelo Tribunal de Contas da União (R$ 50 mil) e duas vezes pela Justiça de Jales (R$ 88 mil), com confirmação do TJ-SP.

TUPETE DESMENTE AMEAÇAS. NILTINHO DESMENTE RADARES. RICARDO JUNQUEIRA E BETTO MARIANO SE ESTRANHAM

O vereador Tupete(DEM) desmentiu ontem, em entrevista ao Jornal do Povo, da Rádio Assunção, que tivesse sofrido qualquer tipo de pressão ou ameaça para votar a favor do projeto que aumentou o IPTU.

Como os prezados leitores e as estimadas leitoras sabem, o ex-vereador Gilbertão deu entrevista ao mesmo noticioso, na semana passada, onde revelou que em conversa com Tupete, este teria confessado que foi ameaçado de expulsão do partido, caso votasse contra o projeto.

Quem conhece Gilbertão, sabe que ele, às vezes, não é muito sutil ao fazer suas revelações, mas também não é de inventar histórias. Portanto, se ele disse que ouviu isso do Tupete, é porque ouviu mesmo.

Ainda na seara dos desmentidos, o comunicativo secretário de Planejamento e Trânsito, Niltinho Suetugo, negou em entrevista que a Prefeitura tenha instalado radares nos semáforos. A história está sendo divulgada nas redes sociais, o paraíso das mentiras. E teve gente que acreditou.

E o destemido auditor fiscal Ricardo Junqueira – depois de um período sabático, sem arrumar encrencas – já tem um novo desafeto para chamar de seu. Trata-se do combativo Betto Mariano, que, na semana passada, andou divulgando os salários dos auditores fiscais da nossa Prefeitura.

Junqueira, que coleciona polêmicas – as mais famosas delas com o ex-fogueteiro Matogrosso e o ex-vereador Gilbertão – anda se desentendendo com Betto nas redes sociais e, ao que tudo indica, o caso vai dar em processo na Justiça. A encrenca é por conta do aumento do IPTU, de quem Junqueira é defensor e Betto Mariano é crítico.

Para entender melhor a desavença entre os dois, veja (e ouça) aqui.   

1 2 3 4 290