Categoria: Política

FALCÃO, NA PRESIDÊNCIA DO PT, LIDERA OFENSIVA FINAL CONTRA A DIREITA

Deu no jornal Correio do Brasil, edição deste sábado:

Ex-presidente do PT, José Eduardo Dutra comunicou oficialmente sua renúncia ao comando do partido com um discurso no Diretório Nacional do PT, na manhã de ontem, sexta-feira. Muito aplaudido, Dutra lembrou que alguns companheiros gostariam que ele renovasse a licença, mas acreditava que “não seria justo” nem com ele, nem com o próprio partido. A saída de Dutra e a escolha do deputado estadual paulista Rui Falcão (foto) para o lugar dele significa na realidade, segundo alta fonte no partido, o início da maior ofensiva do PT já realizada contra os partidos da direita em São Paulo, último reduto do PSDB, DEM e PPS.

Ainda na tarde de ontem, o nome de Falcão foi aprovado, por unanimidade, pelo Diretório Nacional, composto por 81 membros mais os líderes do partido no Congresso. Apoiado pelo ex-ministro José Dirceu, Falcão deverá permanecer no cargo por dois anos. Sua escolha, caso se concretize, devolve o controle da sigla para São Paulo no momento em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva volta ao Estado, no momento em que os petistas lançam uma ofensiva contra o PSDB num dos últimos redutos da oposição.

Observadores políticos acreditam que o objetivo do ex-presidente Lula é fortalecer na legenda no Estado, em um momento de confusão generalizada nos partidos da direita, após o lançamento da dissidência do prefeito Gilberto Kassab na formação do novo partido, o PSD. Fontes no PT acrescentam que Falcão, que também ocupa a primeira-secretaria da Assembleia Paulista, deverá comandar o PT com um colegiado, integrado por nomes como o do secretário nacional de Organização da sigla, Paulo Frateschi, e José Dirceu, que defendeu junto aos seus pares a candidatura de Falcão desde março.

CÂMARA DE FERNANDÓPOLIS RETIRA PROJETO QUE AUMENTAVA NÚMERO DE VEREADORES

Nada como uma boa pressãozinha prá fazer os políticos mudarem de idéia. Bastou meia-dúzia de gatos pingados da chamada sociedade civil organizada comparecer à Câmara de Fernandópolis, em protesto contra o projeto que aumenta o número de vereadores, para que os nobres representantes do povo fernandopolense promovessem um recuo estratégico.

Segundo o site de notícias Região Noroeste, os nobres edis da Câmara de Fernandópolis decidiram retirar o polêmico projeto, que, por sinal, já havia sido aprovado na primeira votação. O site garante, ainda, que alguns dos vereadores, os quais eram favoráveis ao aumento agora se declaram contra o projeto desde criancinhas. E mais: já tem até vereador defendendo a idéia de, ao invés de aumentar, promover um pequeno corte no número de vagas na Câmara, diminuindo das atuais dez cadeiras para nove. 

Um dos vereadores que mudaram de posição, André Pessuto, justificou a mudança com uma rara demonstração de erudição. Segundo ele, “Ruy Barbosa estava errado quando afirmou que só as pedras não mudam” . Confesso que não entendi! Se o vereador mudou de opinião, é sinal que o famoso ‘Águia de Haia’ estava certo.

CÂMARA DE FERNANDÓPOLIS DISCUTE AUMENTO DO NÚMERO DE VEREADORES

A Câmara Municipal de Fernandópolis reuniu-se ontem, em audiência pública, com segmentos da chamada “sociedade civil organizada”, para discutir o projeto que prevê o aumento no número de vereadores a serem eleitos em 2012, passando de 10 para 15, conforme faculta a lei eleitoral, já que aquela cidade possui mais de 50 mil habitantes.

O assunto já vem sendo discutido há algum tempo lá em Fernandópolis e, ao que parece, a pressão popular já serviu para alguma coisa. A maioria dos atuais vereadores já abandonou a idéia de aumentar para 15 as cadeiras no Legislativo e agora concentra-se em discutir a possibilidade de aumentar para apenas 11 ou até para 13.

E em Jales, o que pode acontecer? Com quase 47 mil habitantes, a cidade poderá ter, no máximo 13 vereadores, mas será a atual Câmara quem definirá o número de vagas que estará em disputa nas eleições de 2012. Há quem diga que o número atual – 10 – já é exagerado. Mas há também  quem defenda o aumento para 11 e outros até concordam com o número de 13 vereadores. E você, o que acha? Se ainda não votou, então vote na enquete aí do lado direito.

MUNICÍPIOS ESTIMAM QUE VÃO PERDER R$ 27,8 BILHÕES A PARTIR DO DIA 30

Como é sabido, o prefeito Humberto Parini anunciou, no início do ano, convênios no valor de R$ 7 milhões para recapeamento asfáltico. Até agora, no entanto, não consta a liberação desse dinheiro pelo governo federal. E, pelo jeito, não vai ser fácil arrancar dinheiro de dona Dilma, em 2011. Vejam a notícia o EPTV:

Estimativas da Confederação Nacional dos Municípios (CNM) apontam que o governo federal tem R$ 27,8 bilhões pendentes em transferências ainda não efetivadas às prefeituras, os chamados “restos a pagar”. A partir do dia 30, a transferência desses recursos fica suspensa devido à entrada em vigor do decreto 7.418, que suspende a quitação dessas dívidas, algumas referentes a obras iniciadas em 2007.

Desse valor, segundo a Confederação, pelo menos R$ 6,8 bilhões são de obras que já estão em andamento e podem ter a continuidade prejudicada pelo decreto. O Ministério do Planejamento informou que não há previsão de mudança da data de entrada em vigor do decreto, conforme reivindicam as prefeituras. 

“Os prefeitos estão ficando enlouquecidos. Há obras graves, que precisavam ser feitas, e que tiveram a garantia de pagamento federal. Agora, os prefeitos não estão recebendo e nem sabem se vão receber. A situação dos municípios é grave. Os prefeitos não têm para onde correr”, diz o presidente da CNM, Paulo Ziulkoski.

“Temos casos de prefeituras que já estão sendo processadas pelas empresas por falta de pagamentos, outras que não sabem se seguem as obras que já começaram. Há uma insegurança total”, afirma Ziulkoski.

O restante dos pagamentos pendentes aos municípios – R$ 21 bilhões -, são referentes a empenhos de obras ainda não iniciadas, segundo a CMN. Nesses valores, estão incluídas emendas parlamentares (como é o caso dos R$ 7 milhões do Parini), que segundo o governo também devem ser atingidas pela contenção de despesas. Projetos já aprovados pelo governo para a liberação de recursos também devem ser atingidos.

“Os prefeitos não têm dinheiro para fechar as contas. Na próxima eleição, se esses cortes se mantiverem, teremos muitos deles criminalizados por conta desta medida”, diz o presidente da CNM.

Bem, é claro que o tal do Ziulkoski está dramatizando um pouco. Afinal, essa CNM fatura uma mensalidade das prefeituras (Jales paga R$ 700,00 por mês) e precisa justificar o que ganha. Mas que a presidenta Dilma não parece muito disposta a abrir o cofre, isso lá é verdade, para desespero das empreiteiras e de alguns prefeitos, que estão esperando essas verbas prá, digamos assim, “morder” um pouquinho.

ENQUETE

A Câmara Municipal de Fernandópolis que, assim como Jales, possui, atualmente, 10 vereadores já está discutindo um projeto do Legislativo que altera o número de vereadores daquela cidade para 15, conforme permite a Lei Eleitoral. No caso de Jales, a Câmara poderá chegar a, no máximo, 13 vereadores, uma vez que a população da cidade ainda está abaixo dos 50.000 habitantes.

É possível que, dentro de alguns dias, o assunto comece a ser discutido em nossa Câmara, uma vez que a alteração precisa ser aprovada ainda em 2011, a fim de que possa estar valendo nas eleições de 2012. E o que o prezado leitor deste modesto blog pensa a respeito? Dê a sua opinião, votando na enquete que aparece aí do lado direito.

KASSAB REJEITA NÚMERO 51 PARA O PSD POR CAUSA DA MARCA DE PINGA

Kassab não achou uma “boa idéia” adotar o número 51 para o seu novo partido. Será que o 24 ainda está disponível? A notícia saiu em vários sites, inclusive no Conexão Penedo, nesta quinta-feira:

Fundador do PSD (Partido Social Democrático), o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, disse nesta quinta-feira que não vai adotar o número 51 para a legenda por estar “muito associado” a conhecida marca de aguardente.

O número é um dos poucos ainda disponíveis para novos partidos e chegou a ser cogitado por entusiastas da legenda por ser de fácil memorização. “51 é uma marca muito famosa”, disse.

O prefeito disse ainda que não tem um número de sua preferência. Um dos discutidos é o 30. “Existem alguns disponíveis. O 30 é um desses números, mas o momento da escolha do número é o momento quando concluir esse processo. O número 41 também não está disponível”, disse.

Kassab evitou comentar a debandada de seis vereadores tucanos de São Paulo. A maioria deles deve seguir para a nova sigla. “Eu não participo desse movimento. É questão interna do PSDB”, afirmou.

“Estamos representados em quase todos os Estados. Aqui na Bahia, por exemplo, temos sete deputados federais, vice-governador, dez estaduais e dezenas de prefeitos”, disse.

Kassab ainda minimizou o cancelamento da participação da presidente Dilma Rousseff no fórum de empresários de Comandatuba (BA). Dilma havia confirmado presença, mas depois teria sido aconselhada a evitar um contato com empresários considerados hostis ao governo. “Se ela viesse seria muito bem recebida. Não veio por um motivo de foro pessoal. Não é fácil a vida de presidente da República”, concluiu.

LULA DIZ QUE PT GOVERNARÁ POR 20 ANOS

Ex-presidente ironiza profecia tucana, diz que PSDB vive crise de identidade e prevê domínio petista até 2022. A notícia está na Folha.Uol:

O ex-presidente Lula afirmou ontem que o PSDB passa por uma “crise de identidade” e que o PT governará o país durante 20 anos. Para que a previsão se confirme, a sigla teria que vencer as disputas presidenciais de 2014 e 2018, acumulando cinco vitórias seguidas desde a sua eleição, em 2002.  A afirmação foi feita em entrevista à TVT (TV do Trabalhador), que pertence ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, onde Lula começou sua carreira política.

“Quando o Fernando Henrique [Cardoso] ganhou as eleições em 1994, eles projetaram 20 anos de governança do PSDB, e o que vai acontecer é que teremos 20 anos de governança do PT”, disse. “Eles não se conformam é que o PT vai ter o tempo necessário para mudar definitivamente a cara do Brasil”, emendou o ex-presidente.

Lula ironizou a profecia do tucano Sérgio Motta, ministro das Comunicações de FHC, que disse, em 1995, que o PSDB tinha “um projeto de poder para 20 anos”. O ex-presidente disse que o PSDB sofre de “fragilidade ideológica” e não tem “perfil ideológico definido”. Para ele, “disputas internas” entre o ex-governador José Serra, o senador Aécio Neves (MG) e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, agravam o quadro.

“A crise do PSDB é uma crise de identidade. Primeiro, tem a disputa interna: Serra, Alckmin e Aécio. Depois, tem as brigas nos Estados. Pessoas estão desconfortáveis”, avaliou.

Lula disse que “está chegando o momento” de o PT vencer na capital paulista. “Precisamos apenas montar a chapa perfeita.” Ele voltou a defender a escolha de um candidato a vice-prefeito à direita do PT, com perfil conservador. “O PT não precisa encontrar um vice à esquerda do PT”, disse. “O PT vai ganhar em São Paulo quando encontrar seu José Alencar.”

PSDB NAMORA CLAUDIR ARANDA

O ex-vereador e empresário José Pedro Venturini, uma das lideranças tucanas desta cidade de céu sempre azulado, esteve reunido, na terça-feira, com o vereador do PDT, Claudir Aranda, atual presidente da Câmara. Na pauta da reunião, o principal assunto foi o convite feito por Venturini para que Claudir deixe o partido do saudoso caudilho Leonel Brizola e voe de mala e cuia para o PSDB.

Ao que parece, o PSDB de Jales, agora presidido pelo ex-vereador Carlos Roberto Cardoso da Silva, está mesmo disposto a recuperar o tempo perdido. Depois de cooptar o juiz aposentado, Pedro Manoel Callado, o partido já deu sinais de que estaria mantendo contatos imediatos de primeiro e segundo graus com o vice-prefeito, Clovis Viola, e com o provedor da Santa Casa, José Devanir Rodrigues, o Garça. A idéia, conforme confidenciou um tucano de razoável plumagem, é ter candidatos com grande densidade eleitoral, tanto para o Executivo, quanto para o Legislativo. 

Segundo fontes, o bate-bola entre Venturini e Claudir tem grandes possibilidades de dar em samba. Resta saber se, depois de tucanar, Claudir vai continuar na base de apoio do prefeito Humberto Parini. Nesta cidade, tudo é possível.

INFERNO ASTRAL

Durante a semana, o clima entre os assessores do prefeito Humberto Parini, principalmente aqueles que trabalham no Paço Municipal, não era dos mais alegres, em virtude das notícias preocupantes sobre o processo do prefeito. Parini, de seu lado, também demonstra estar muito abatido. Um de seus mais diretos auxiliares me confidenciou, um dia desses, que o prefeito está completamente desanimado. E não são apenas os problemas da Prefeitura que o estariam atormentando, segundo a fonte.

Há algum tempo que o prefeito anda evitando dar expediente normal e despachar do prédio da Prefeitura. A informação é de que ele está preferindo despachar de sua casa ou de uma sala do Fundo Social de Solidariedade, onde só atende assuntos urgentes. A foto acima, registrada pela secretaria de Comunicação na terça-feira(05), durante o lançamento de um selo comemorativo aos 70 anos da cidade, mostra o baixo-astral do prefeito e da primeira-dama.

Falando em primeira-dama, ontem à tarde me informaram que ela não participaria do arrastão da campanha do agasalho, que aconteceria à noite.

DOMINGO, NA TRIBUNA

O jornalista Paulo Reis Aruca teve acesso, no final da tarde dessa sexta-feira, ao famoso processo da Facip 1997, que envolve o prefeito Humberto Parini, seu cunhado Ronaldo José Alves de Souza, o ex-prefeito Rato, o empresário João Luiz Tressi e mais duas pessoas. A devolução do processo, que estava no Tribunal de Justiça-SP, à 4a. Vara de Justiça de Jales causou uma série de boatos durante a semana e um festival de informações desencontradas.  

Na edição de domingo, de A Tribuna, a reportagem de Paulo Aruca vai contar tudo sobre o pedido de cumprimento da sentença, feito pelo Ministério Público, o que inclui a cassação do prefeito Humberto Parini, a devolução de mais ou menos R$ 300 mil, e outras punições. Aruca vai contar também qual foi a decisão tomada pela juíza Renata Vilalba Nunes, com direito a fotos de partes interessantes do processo. A matéria vai esclarecer se o mandato de Parini depende ou não do ministro Joaquim Barboza (foto), do Supremo Tribunal Federal.

Além do caso Parini, a Tribuna vai estar falando da Facip 2011, que começa na quarta-feira; dos R$ 9,5 milhões conseguidos pelo Hospital de Câncer, inclusive com o nome da senhora que doou R$ 5 milhões ao hospital; do atraso na entrega dos uniformes escolares na rede municipal de ensino; dos graves problemas das estradas rurais do município; da intenção do prefeito Parini de doar uma parte do terreno da Rodoviária para o Sesi; e muitas outras matérias interessantes.

1 276 277 278 279 280 290