JALES GEROU SETE EMPREGOS FORMAIS EM SETEMBRO

O Ministério do Trabalho divulgou, hoje, os números do emprego formal relativos ao mês de setembro. Segundo os dados coletados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados-CAGED, em termos de Brasil, foi o pior setembro dos últimos cinco anos, com a criação de 209.078 empregos, ou 15,3% abaixo dos 246.875 empregos gerados em setembro do ano passado.

Jales – uma das cinco cidades que mais crescem no país, segundo aquele instituto que deu um prêmio ao nosso prefeito – obteve um resultado pífio, mas, ainda assim, foi melhor que algumas vizinhas. Em setembro, nossa economia gerou 7 empregos com carteira assinada, enquanto Fernandópolis (-31) e Votuporanga (- 23) obtiveram resultados negativos. Santa Fé do Sul saiu-se melhor, em setembro, com a criação de 29 empregos.

No entanto, se considerarmos os números dos nove primeiros meses de 2011, Santa Fé do Sul ocupa a lanterna, com saldo de 18 empregos criados em 2011. Votuporanga lidera o ranking regional com 1.507 novos empregos e Fernandópolis vem em seguida, com 1.297. Por seu lado, Jales criou, em 2011, apenas 444 empregos com carteira assinada, ou seja, 34% do empregos criados em Fernandópolis, por exemplo. 

TERRA DE NINGUÉM: MORADOR DA RUA SETE DÁ MAU EXEMPLO

É claro que esse tipo de comportamento é fruto da falta de educação de alguns cidadãos. Mas também é consequência da falta de fiscalização e de punição para os sujismundos. Tivessemos uma administração mais competente e certamente não teríamos tantos lixões espalhados pela cidade e tampouco maus exemplos como o da foto abaixo. 

A foto – a pedido de um amigo deste aprendiz de blogueiro – foi feita há uma semana, mas essas coisas todas já estavam no local – na Rua Sete, Jardim Micena – há mais de um mês. Algumas peças já foram levadas, provavelmente por catadores de lixo reciclável, mas o sofá ainda continua por lá.

 

MPF EM JALES PROCESSA EX-PREFEITO POR SUPERFATURAMENTO NA COMPRA DE VAN

A notícia é da assessoria de imprensa da Procuradoria da República:

O Ministério Público Federal em Jales ajuizou ação civil pública contra o ex-prefeito de Três Fronteiras, Deraldo Lupiano de Assis, por improbidade administrativa. Ele é acusado de descumprir um convênio com o Ministério da Saúde e comprar uma van com 16 lugares para transporte de pacientes com preço superfaturado, o que causou um prejuízo de 9,33% aos cofres públicos. 

Além do prefeito, a ação também responsabiliza três membros da comissão de licitação montada em 2006 para acompanhar a compra da van. “Eles fraudaram o procedimento licitatório através de superfaturamento e desvio do objeto da licitação”, aponta o procurador da República Thiago Lacerda Nobre, autor da ação. 

Pelo convênio, a Prefeitura de Três Fronteiras recebeu R$ 60 mil do Ministério da Saúde para a compra de uma van. Em contrapartida, a Prefeitura comprometeu-se a investir outros R$ 4.800,00 na aquisição. A compra, no entanto, foi feita pelo valor de R$ 79.400,00, o que representou um prejuízo de R$ 6.778,00, em valores da época. 

Na ação de improbidade, o MPF acusa os envolvidos de causar prejuízo ao erário, já que permitiram e facilitaram a aquisição de bem por preço superior ao de mercado, frustraram a licitude do processo licitatório e permitiram o enriquecimento ilícito de terceiros. Além disso, segundo Nobre, todos atentaram contra os princípios da administração publica. “Não observaram o dever de honestidade, legalidade e lealdade às instituições”, disse. 

O MPF pede que todos os réus sejam condenados ao ressarcimento integral dos danos, perda da função pública, suspensão dos direitos políticos por oito anos, pagamento de multa civil no valor de duas vezes os danos causados ou até 100 vezes o valor da remuneração recebida pelo agente público no exercício do cargo e a proibição de contratar com o poder público pelo prazo de até cinco anos. 

Além da ação de improbidade, os mesmos réus respondem a ação penal pelo crime previsto no artigo 90 da lei de licitações (8666/93), cuja pena é de 2 a 4 anos de prisão. Trata-se do crime de frustrar, mediante ajuste, combinação ou outro expediente o caráter competitivo de uma licitação.

ACIDENTE GRAVE EM PONTALINDA FAZ TRÊS VÍTIMAS

A notícia está no portal de A Tribuna:

Um acidente grave registrado pouco antes das 18 horas, na rodovia Elyezer Montenegro Magalhães, que liga Jales a Pontalinda, deixou três pessoas feridas. Um Fiat Doblô placas ETM-8252 de uma empresa de formaturas de Tupã fazia o sentido Pontalinda a Jales quando capotou a cerca de 13 km de Jales.

O veículo estava lotado de material de filmagem e projeção de vídeos, além de panfletos de divulgação da própria empresa. Boa parte ficou espalhada pela rodovia. Uma das pistas teve que ser interditada e a Polícia Rodoviária orientava os motoristas para evitar outros acidentes.

A notícia completa de A Tribuna e outras fotos do acidente podem ser vistas aqui.

Post Scriptum: Segundo noticiado pelo Diário da Região, agora à noite, o motorista do carro, Reginaldo Cavalcante de Souza, não resistiu aos ferimentos e morreu. Veja a notícia do Diarioweb aqui.

TCE DIZ QUE JALES PAGAVA PREÇO ACIMA DA MÉDIA PELA COLETA DE LIXO

A matéria completa está no jornal A Tribuna, desse domingo. Aqui vai um resumo: o Tribunal de Contas do Estado deu parecer favorável às contas de 2009 da Prefeitura de Jales, mas fez algumas ressalvas. Uma dessas ressalvas anota que a nossa Prefeitura pagava em 2009, um preço acima da média regional para a coleta do lixo.

E a diferença não era pequena: enquanto em Jales a Ecopav recebia R$ 85,27 por tonelada, as demais prefeituras, na média, pagavam R$ 63,63 pelo mesmo serviço. E o Tribunal deve ter alguma razão, pois, em 2010, aberta uma nova licitação, a própria Ecopav baixou o preço para R$ 73,39. E não foi só isso. A operação do aterro sanitário, que nos custava R$ 53,02 por tonelada, baixou para R$ 38,82.

Tudo somado, a economia mensal da nossa Prefeitura poderia – a partir de julho/2010 – chegar a R$ 30 mil, ou seja, R$ 180 mil por semestre. Poderia. Por algum misterioso motivo, em todo o segundo semestre do ano passado, a economia foi de apenas R$ 4 mil. E agora no primeiro semestre de 2011, economizou-se, em relação aos primeiros seis meses de 2010, algo em torno de R$ 80 mil.

É preciso esclarecer que os preços só baixaram porque – muito a contragosto do prefeito Parini e da Ecopav – a Prefeitura foi obrigada a realizar uma nova licitação, onde apareceu pelo menos uma empresa disposta a concorrer com a Ecopav. Esse foi, aliás, um dos motivos – teve outros, é claro! – do meu desgaste junto ao prefeito Parini. 

No início de 2009, depois de tentativas verbais,  protocolei um documento endereçado ao prefeito, solicitando providências para a realização de uma nova licitação para a coleta do lixo. Afinal, a licitação anterior e as prorrogações contratuais estavam sendo contestadas pelo Tribunal, pelo Ministério Público e até pelos advogados da própria Prefeitura, que, por duas vezes, já haviam recomendado a abertura de nova concorrência. Prefeito e Ecopav não gostaram da idéia, mas tiveram que aceitá-la.

Como eu já disse, a nova licitação e os novos preços deveriam estar proporcionando uma economia de, no mínimo, R$ 30 mil, por mês, à nossa Prefeitura. Infelizmente, em 2010 não houve nenhuma economia e, em 2011, ela está chegando a apenas R$ 13 mil mensais.     

SAIBA TUDO SOBRE VINHOS COM O ENÓLOGO WANDERLEY GARCIA

O amigo visitante do blog aceita um conselho? Pare tudo que você está fazendo a assista ao vídeo abaixo, onde o doutor Wanderley Garcia dá uma entrevista à repórter Luiza Elizabeth, da Mais Interativa. Antes, porém, de ver a entrevista, saiba as definições de enologia e enólogo:

Wikipédia:Enologia” é a ciência que estuda todos os aspectos relativos ao vinho, desde o plantio, escolha do solo, vindima, produção, envelhecimento, engarrafamento e venda.

Desciclopédia: Os “enólogos” são seres mágicos e fantásticos. A sociedade não poderia viver sem eles. Afinal, distinguir entre um Cabernet-Sauvignon safra 2006 e um Merlot safra 2007 é de interesse nacional.

You need to a flashplayer enabled browser to view this YouTube video

 

VEREADOR DESPACHA DE CUECAS NA CÂMARA DE BELO HORIZONTE

Quando a gente pensa que já viu de tudo, em se tratando de políticos, eis que sempre aparece alguma novidade escabrosa. Vejam a notícia do portal mineiro Hoje em Dia:

Um vídeo obtido com exclusividade pelo Hoje em Dia e que está em poder da Justiça de Minas Gerais dá mostras por que a Câmara Municipal de Belo Horizonte ganhou o apelido de “Casa do Espanto”. Com cerca de 14 minutos, o filme é estrelado pelo vereador Geraldo Ornelas Guimarães, o Gêra Ornelas (PSB), de 61 anos, um dos mais veteranos da Câmara, com quatro mandatos consecutivos. Em uma das cenas ele aparece sozinho, sem camisa e usando uma cueca samba-canção branca com detalhes em azul. Em outra imagem, o parlamentar é flagrado acariciando os cabelos de uma jovem portando documentos que se assemelham a boletos de contas de água.

A filmagem reproduzida nas fotos da reportagem tem como palco o gabinete do parlamentar na sede da Câmara. Não dá para saber quando o vídeo foi gravado. Além de ser o protagonista das cenas, Gêra é também o responsável pela produção e direção do filme num comportamento conhecido como exibicionismo compulsivo. Ou seja, é o próprio parlamentar socialista quem realiza as filmagens ocultas com uma câmera escondida numa caixeta de papelão.

Ao todo, o vídeo possui 45 minutos de duração sendo 14 minutos de imagens gravadas dentro da Câmara e o restante em tomadas externas recheadas de cenas proibidas para menores.

Para piorar a situação do vereador – que tem tudo para virar alvo de um processo por quebra de decoro –, o vídeo veio à tona em um contexto de corrupção. Gêra é acusado pelo Ministério Público Estadual (MPE) de ter montado um esquema de mensalinho no gabinete. Tanto que virou réu em uma ação de improbidade que corre no Tribunal de Justiça do Estado. Nela, o MPE pede o afastamento do cargo, o ressarcimento dos valores recebidos a título de propina e o sequestro de bens.

Em troca da manutenção do emprego no gabinete, ele extorquia, segundo o MPE, parte do salário de um assessor. Insatisfeito com os achaques, o ex-funcionário confiscou uma cópia do vídeo e entregou para um grupo de promotores de Justiça de Belo Horizonte.

Na denúncia, os promotores sustentam que o vereador amealhou R$ 690.182,23 pelo esquema de pagamento do mensalinho. Com autorização da Justiça, o MPE conseguiu a quebra do sigilo bancário e descobriu que o dinheiro foi depositado na conta corrente do parlamentar no período de 1997 a 2006. Convocado a prestar esclarecimentos, Gêra não conseguiu comprovar a origem do recurso.

A notícia do Hoje em Dia, completa, inclusive com o vídeo, pode ser vista aqui. Mas só veja o tal vídeo se vocês estiver com muito tempo disponível.  

ITAMAR BORGES DEIXA PARINI NA CARA DO GOL. E O ESTADISTA NÃO CONSEGUE EMPURRAR A BOLA PRÁ DENTRO

O meu amigo Edgar Colombo sempre dizia: “quando o sujeito não sabe trepar até as bolas atrapalham”. Há algum tempo, a imprensa local noticiou que – por iniciativa do deputado Itamar Borges – o governo estadual, através da CDHU, estava se dispondo a fornecer os recursos para construção de 200 casas populares aqui em Jales. Dizia a notícia que, ao prefeito Parini, caberia apenas e tão-somente disponibilizar um terreno para que as 200 moradias fossem construídas.

O próprio prefeito – esquecido de que não consegue terminar nem as 29 casas iniciadas há mais de um ano – foi ao rádio anunciar a novidade e, para mostrar que não era só o Itamar que estava trabalhando, aproveitou para  propagar que estava correndo atrás de mais 300 casas junto do programa Minha Casa Minha Vida.

Tudo indica, no entanto, que, tão cedo, nem as 200 casas conseguidas por Itamar vão virar realidade. Um papelucho assinado pelo chefe de gabinete Léo Huber nos informa que, depois de novas negociações, serão construídas apenas 100 moradias, “em terreno da Prefeitura, localizado no final da Avenida Salustiano Pupim, do lado esquerdo, pouco depois do Córrego Marimbondinho”. Perto do novo cemitério, prá quem não sabe.

Resta-nos torcer para que o prefeito consiga viabilizar pelo menos essas 100 casas. Coisa que, em se tratando de governo Parini, já seria um grande feito.  

1 1.297 1.298 1.299 1.300 1.301 1.459