Categoria: Cidade

IMAGENS DA ROMARIA DIOCESANA

A 34ª Romaria Diocesana foi realizada neste domingo, com um novo trajeto. A concentração aconteceu na Igreja de Santo Expedito, que homenageia o padroeiro da cidade, na Avenida Nações Unidas, onde os fiéis foram saudados pelo bispo dom Reginaldo Andrietta.

De lá, os romeiros partiram em caminhada até a Catedral Nossa Senhora da Assunção, a padroeira da Diocese. Abaixo, algumas imagens do evento religioso:

MP DENUNCIA EX-TESOUREIRA DA PREFEITURA DE JALES POR QUATRO CRIMES

A notícia é do G1:

O Ministério Público denunciou no sábado (18) a ex-diretora financeira da prefeitura de Jales, presa no mês passado durante a operação Farra do Tesouro da Polícia Federal. Segundo a denúncia, Érica Cristina Carpi Oliveira desviou dos cofres públicos quase R$ 1,7 milhão só nos últimos dois anos.

As investigações apontam que Érica usava cheques da prefeitura para pagar contas pessoais. Ela foi denunciada pelo MP por formação de organização criminosa, falsidade ideológica, peculato – quando funcionário público pratica crime contra a administração – e lavagem de dinheiro.

O MP também denunciou o marido dela, Roberto Santos Oliveira, a irmã Simone Paula Carpi Brandt e o cunhado Marlon Fernando Brandt Santos, todos pelos mesmos crimes de Érica.

A ex-secretária de saúde, Patrícia Albarelo Ribeiro Oliveira, que segundo a denúncia assinou folhas de cheques em branco para Érica, vai responder por peculato.

A secretária de Saúde Maria Aparecida Martins, que foi exonerada depois da operação, chegou a ser presa, teve a prisão revogada e não foi denunciada.

Desde terça-feira (14), Érica cumpre pena domiciliar, autorizada pelo Tribunal de Justiça, pelo fato de ter filho menor de 12 anos. O marido dela, a irmã e o cunhado continuam presos.

O advogado a irmã e do cunhado, que também representa Érica, disse que não foi informado sobre a denúncia e por enquanto não vai se pronunciar sobre a denúncia. O advogado do marido de Érica disse que também não foi comunicado e reforçou que o cliente é inocente.

JORNAL DE JALES: LANÇAMENTO DA CAMPANHA DE LUIZ HENRIQUE A DEPUTADO, NESTE DOMINGO, CONTARÁ COM PRESIDENCIÁVEL

Eis a capa do Jornal de Jales deste domingo, que traz como principal destaque o Simpósio sobre Combate à Corrupção realizado na sexta-feira, 17, aqui em Jales, com a presença do ex-procurador geral da República, Rodrigo Janot. Segundo Janot – que foi o quarto palestrante a falar – a receita para melhor combater a corrupção é tentar entender como ela funciona. Antes, o primeiro palestrante, o advogado Guilherme Batochio, fez pesadas críticas ao Ministério Público Federal(MPF), questionando vários posicionamentos dos procuradores contra envolvidos em processos de corrupção. O segundo palestrante, Douglas Fischer, do MPF, disse que as instituições não podem ser desqualificadas, como ocorrera na primeira palestra.

O jornal está destacando, também, a visita que nos está fazendo o senador Álvaro Dias, candidato a presidente pelo Podemos. Dias está sendo esperado hoje, domingo, em Jales – juntamente com a presidente do seu partido, a deputada federal Renata Abreu – para prestigiar o lançamento da campanha do candidato a deputado estadual Luiz Henrique Moreira. O jornal lembra que, há alguns dias, o senador andou dizendo que, se eleito for, convidará o juiz Sérgio Moro, da Lava Jato, para ocupar o posto de ministro da Justiça. Moro, de seu lado, não disse que aceita nem que não aceita.

A inauguração da Pastelaria Suzuki, na Rua Dois; a conclusão do Edifício Murano, que já está pronto para receber moradores; a indignação dos revoltosos de teclado nas redes sociais, por conta da prisão domiciliar da ex-tesoureira Érica; o Simpósio de Tecnologia da Fatec, que reuniu estudantes de toda a região; a audiência pública que discutirá o Plano Diretor e o crescimento da cidade; e o caso da Prefeitura de Fernandópolis, que gastou R$ 2,6 mil para que a secretária de Educação da cidade pudesse receber o mesmo prêmio que foi concedido a um jumento, são outros assuntos do JJ.

Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior destacou que o auditor fiscal do município, Ricardo Junqueira, esteve na redação do JJ, na terça-feira, 14, para entregar cópia da representação protocolada Câmara, onde ele acusa o vereador Tiago Abra de violar o Código de Ética e Decoro Parlamentar. Ricardo – que, segundo o colunista, estava calmo como nunca – aproveitou para informar que, além de se exonerar da função de controlador interno, vai usar as férias e a licença-prêmio a que tem direito “para melhor calibrar sua atuação em todos os episódios decorrentes da Operação Farra no Tesouro”.   

A TRIBUNA: TJ-SP NEGA LIMINAR PARA SOLTAR IRMÃ E CUNHADO DE ÉRICA

No jornal A Tribuna deste final de semana, o principal destaque é para o Simpósio sobre Combate à Corrupção realizado em Jales na sexta-feira, 17. O evento promovido pelo MPF de Jales e pela OAB local contou com a participação de juristas renomados nacionalmente, como os membros do MPF Rodrigo Janot e Douglas Fischer e os advogados Guilherme Batochio e Gustavo Badaró. A palestra mais aguardada foi a do ex-procurador geral Rodrigo Janot, que tratou das “Marchas e contramarchas no combate à corrupção”. O evento contou, ainda, com uma homenagem a falecido deputado constituinte Roberto Vale Rollemberg.

Destaque, também, para a decisão do Tribunal de Justiça que concedeu o benefício da prisão domiciliar à ex-tesoureira Érica Cristina, principal envolvida no escândalo de desvio de dinheiro público ocorrido na Prefeitura de Jales. A decisão causou indignação e protestos nas redes sociais, onde pessoas consideraram absurdo o benefício da prisão domiciliar. Houve, porém, quem defendesse a decisão da Justiça. “A mulher do Sérgio Cabral foi solta sobe o mesmo argumento. Não podemos ter dois pesos e duas medidas… Mesmo que errada, a lei tem que ser igual para todos“.

A decisão do TJ-SP, que negou liminar para soltar a irmã e o cunhado da ex-tesoureira Érica; o desmentido do provedor da Santa Casa, Júnior Ferreira, sobre suposta demora para conseguir internações no hospital; a denúncia do auditor fiscal Ricardo Junqueira, que acusa o vereador Tiago Abra de ter contribuído para que desvios na Prefeitura de Jales não fossem descobertos; o perfil do eleitorado de Jales que cresceu apenas 0,72% em quatro anos e já tem quase 2.000 mulheres a mais que os homens; e o mutirão de limpeza da Prefeitura, que começará a percorrer os bairros da cidade a partir de segunda-feira, 20, são outros assuntos de A Tribuna.

Na coluna Enfoque, a informação de que, até a sexta-feira, apenas dois vereadores – Deley e Kazuto – já tinham sido escolhidos para integrar a CEI da Farra; o terceiro integrante deverá ser o pepista Macetão. Na coluna de opinião, o artigo do bispo dom Reginaldo Andrietta explica que a Romaria Diocesana programada para esse domingo terá como tema a defesa da democracia, enquanto a crônica da Taísa Selis trata da “realidade que vira sonho”. No caderno social, destaque para a coluna do Douglas Zílio e os flashes da festa promovida pelo Anglo para comemorar o Dia dos Pais.     

DEU NA FOLHA NOROESTE DE HOJE

Na edição digital da Folha Noroeste deste sábado, destaque para o vereador Chico do Cartório(MDB), que, na sessão da Câmara de segunda-feira, 13, encaminhou um requerimento ao prefeito Flávio Prandi(DEM), solicitando informações sobre quais teriam sido os valores repassados pela Prefeitura à Cooperativa Regional Solidária de Catadores de Resíduos Sólidos de Jales (Coopersol), entre os meses de maio e julho deste ano. Pelo visto, Chico está desconfiado de que os repasses não foram feitos. Em discurso na Câmara, ele lembrou que a Coopersol necessita do apoio do poder público, pois é um empreendimento coletivo que gera emprego e renda para cerca de 20 pessoas e contribui para a preservação do meio ambiente.

Destaque, também, para a quizília envolvendo o auditor fiscal Ricardo Junqueira e o vereador Tiago Abra(PP). Tiago já anunciou que pretende abrir uma CEI para investigar a nomeação supostamente ilegal de Ricardo para o cargo de controlador interno. De seu lado, Ricardo levou à Câmara, nesta semana, uma representação ao Conselho de Ética do Legislativo, contra o vereador Abra. Ricardo está acusando o vereador de ter defendido os interesses da ex-tesoureira Érica ao impedir que o prefeito Flá Prandi, logo no início de seu mandato, promovesse algumas mudanças na Secretaria de Fazenda.

Na coluna FolhaGeral, o combativo redator-chefe Roberto Carvalho está informando que a Polícia Federal já teria concluído na terça-feira, 14, o inquérito que apura o desvio de R$ 5 milhões ou mais dos cofres municipais de Jales, o qual seria enviado ao Ministério Público Estadual. De acordo com o colunista, o Ministério Público terá cinco dias, após receber o relatório do inquérito, para definir a denúncia contra a ex-diretora financeira Érica Cristina, o marido, a irmã e o cunhado dela. Roberto alerta, no entanto, que, não obstante a conclusão do inquérito, a PF vai continuar com as investigações.

ÉRICA NÃO CITOU ENVOLVIMENTO DE NICE NOS MALFEITOS PRATICADOS POR ELA

Uma notícia veiculada pelo jornal Diário da Região, de São José do Rio Preto, e repercutida em redes sociais, aqui em Jales, está causando uma certa confusão. Ao contrário do que estão dando a entender os comentários nas redes sociais, a ex-tesoureira Érica Carpi não citou a ex-prefeita Nice e sua nora Angélica como envolvidas nos malfeitos praticados por ela.

Eis o trecho da notícia do Diário da Região:

ÉRICA APONTA OUTRAS FRAUDES

No segundo depoimento que prestou ao delegado Cristiano Pádua da Silva, na última quinta-feira, 9, a ex-tesoureira Érica Cristina Carpi disse que, entre os anos de 2013 a 2014, “é possível” a existência de irregularidades na devolução e prestação de contas relacionadas a viagens. Ela cita duas servidoras que trabalhavam no setor e o número de uma conta bancária.

A citação ao nome da ex-prefeita foi feita “en passant”, quando Érica respondeu a uma pergunta do delegado Cristiano Pádua. Eis o trecho do depoimento:

“Que ao ser questionada se tem conhecimento de alguma irregularidade praticada por outros servidores da Prefeitura, a depoente afirma que é possível que, entre 2013 e 2014, na época em que Nice era prefeita, tenha havido alguma irregularidade na devolução e prestação de contas relacionadas a viagens”.

Reparem que, em momento algum, ela afirma que Nice participou dos desvios praticados por ela. Érica disse, ainda, ao delegado, que nessa época, os responsáveis pelo setor era uma servidora de carreira, já aposentada, e a nora da então prefeita, Angélica Colombo Boleta.

A servidora de carreira é Sirlene Pacheco, que assumiu a Secretaria de Fazenda depois que o Ministério Público exigiu de Nice a demissão de sua nora, sob pena de ser processada por nepotismo. Quando Sirlene – uma servidora de ficha limpíssima – assumiu a Secretaria, em julho de 2014, os adiantamentos para as viagens da ex-prefeita já vinham sendo alvo de investigações.

Dois meses antes, em maio daquele mesmo ano, o juiz da Vara Especial Cível e Criminal de Jales, Fernando Antônio de Lima, ao determinar que Nice desse um jeito de arranjar vagas para as crianças que estavam fora de nossas creches, recomendou ao Tribunal de Contas que fizesse uma auditoria nos gastos com viagens da prefeita.

Por sinal, a ação do juiz e do TCE surtiu efeito, pois, depois da auditoria, os gastos de Nice com viagens diminuíram substancialmente. Antes da auditora, ela gastava, em média, R$ 15,1 mil por mês. Depois da visita do TCE, os gastos caíram para menos de R$ 5 mil mensais.

Portanto, esse assunto das viagens de Nice não é novo. Registre-se que, no tempo em que esteve prefeita, ela pegou adiantamentos num total de R$ 198 mil para gastos com viagens. Ou seja, quase nada diante do que a ex-tesoureira desviou.   

“FARRA DO TESOURO”: TRIBUNAL DE JUSTIÇA ATENDE PEDIDO DE ADVOGADOS E CONCEDE PRISÃO DOMICILIAR PARA ÉRICA

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) publicou, agora a pouco, decisão do desembargador Diniz Fernando Ferreira da Cruz, que deferiu pedido de liminar em habeas corpus impetrado pelos advogados da ex-tesoureira Érica Cristina Carpi. Na decisão o desembargador determinou a substituição da prisão preventiva pela prisão domiciliar.

Segundo o desembargador, embora Érica esteja respondendo por crimes graves, ela tem direito à prisão domiciliar. O entendimento do desembargador está baseado em decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que estabeleceu parâmetros para viabilizar a substituição da prisão preventiva por prisão domiciliar às mulheres gestantes e com filhos até 12 anos incompletos.

O desembargador ponderou, no caso de Érica, que ela: (I) possui uma filha menor, que conta, atualmente, com 04 anos de idade; (II) não teria cometido os crimes mediante violência ou grave ameaça; e (III) é primária.

O desembargador determinou, ainda, que Érica deverá permanecer recolhida em sua residência, até finalização da ação penal, só podendo se ausentar dela mediante autorização judicial.

Ela terá, também, que comparecer a todos os atos processuais e não poderá manter contato com qualquer pessoa envolvida nos fatos, quer pessoalmente, quer por telefone ou qualquer outro meio, sob pena da revogação da prisão domiciliar.

HOMEM QUE ALEGAVA TER SIDO PRESO POR FALHA DA PREFEITURA DESISTE DE PEDIDO DE INDENIZAÇÃO

E.N.S., o morador do Jardim Primavera que foi à Justiça com o objetivo de obrigar a Prefeitura a lhe pagar uma indenização de R$ 85 mil, está desistindo da ação

Denunciado em maio de 2016 por violação ao artigo 65 da Lei de Crimes Ambientais (pichação de edificação ou monumento urbano) ele foi condenado a quatro meses de detenção em regime semiaberto, pena que foi substituída pela prestação de serviços voluntários à comunidade.

O homem alegava ter cumprido a pena prestando serviços na recuperação da decoração natalina do município, mas, por uma falha da Prefeitura – que não teria informado à Justiça os serviços prestados por ele – acabou ficando preso por 17 dias.

Segundo o que corre, a Prefeitura obteve documentos mostrando que ele, realmente, prestou serviços ao município. Mas, de acordo com esses documentos, os serviços não tiveram nada de voluntários. Ele teria trabalhado para o município através de uma empresa terceirizada, ganhando um salário para isso.

De seu lado, o morador do Jardim Primavera teria argumentado que trabalhava duas horas diárias para a municipalidade, gratuitamente, e, já que estava lá, trabalhava mais algumas horas para a empresa.

Se ele tem ou não tem razão, não se sabe. O que se sabe é que, por via das dúvidas, ele pediu a desistência da ação. Antes, porém, de deferir o pedido, a Justiça quer ouvir a opinião da Prefeitura sobre a desistência.

JORNAL DE JALES: OS BASTIDORES DA OPERAÇÃO ‘FARRA NO TESOURO’, REVELADOS POR DELEGADO DA PF

Eis a capa do Jornal de Jales deste domingo, cuja principal manchete destaca que a Polícia Federal está apurando se a ex-tesoureira da Prefeitura, Érica Cristina Carpi, agiu sozinha (ela jura que sim!) ao desfalcar os cofres municipais de alguns milhões de reais. Segundo o delegado Cristiano Pádua, é muito difícil que os crimes perpetrados por Érica durante praticamente uma década tenham sido cometidos sem a participação de outras pessoas. A matéria diz, ainda, que, embora o caso esteja sendo investigado pela PF há sete meses e apesar de o prefeito ter aberto uma sindicância interna, os vereadores resolveram instaurar uma CEI.

Destaque, igualmente, para a doação de um “arco cirúrgico” feita pelo Rotary Internacional ao Hospital de Amor, unidade de Jales. O equipamento custou 185 mil dólares e, segundo a ex-governadora de um distrito do Rotary em Buenos Aires, Maria Tereza Neira, essa foi uma das maiores doações já feitas por aquele clube de serviços. A campanha envolveu três distritos do Rotary no Brasil e cinco no exterior, com a participação de 26 clubes, além de outros parceiros, com destaque para a AVCC de Jales. A entrega do arco ao hospital foi realizada no sábado, 04.

Os bastidores da operação “Farra no Tesouro”, contados pelo delegado da PF; o simpósio sobre cuidados com a Internet, promovido pela ACIJ e realizado na quinta-feira, 07, com a participação de quatro especialistas no assunto; a inauguração do Ginásio de Esportes da EM “Iracema Pinheiro Candeo”, no JACB; a blitz do CREA-SP, que escalou sete fiscais para dar uma geral na região de Jales; e o simpósio sobre combate à corrupção, marcado para a próxima sexta-feira, 17, com a presença do ex-procurador geral da República, Rodrigo Janot, são outros assuntos do JJ.

Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior comenta que o esforço do vereador Tiago Abra em instalar uma CEI no caso do desvio de recursos da Prefeitura não é fruto apenas da vontade de exercer seu papel de fiscalizador do Executivo. Segundo o colunista, o furor fiscalizatório de Abra tem a ver com seu projeto político de, num futuro próximo, sentar-se na cadeira de prefeito. O vereador, conta Deonel, não esconde de ninguém que pretende disputar a Prefeitura em 2020, possivelmente contra o atual prefeito Flá Prandi, caso este seja candidato à reeleição.   

1 2 3 415