Categoria: Cidade

MPF E PF INVESTIGAM RECEBIMENTO INDEVIDO DO AUXÍLIO EMERGENCIAL NA REGIÃO DE JALES

Após pedido do Ministério Público Federal (MPF), a Polícia Federal está investigando se o auxílio emergencial concedido pelo governo federal foi pago a moradores da região de Jales, que não têm direito ao benefício. As averiguações têm como objetivo identificar tentativas de fraude, que caracterizam crime de estelionato majorado, previsto no Código Penal (artigo 171, §3º).

Para evitar problemas, até mesmo no âmbito judicial, a orientação é que os cidadãos façam a devolução espontânea do montante que eventualmente tenham recebido de forma indevida. O governo federal disponibilizou um endereço eletrônico para esse tipo de devolução, cujo formulário está disponível aqui.

TAXA DE OCUPAÇÃO DA UTI-COVID DA SANTA CASA ATINGE 100% NESTA QUINTA-FEIRA

Lembrando que, há alguns dias, foi noticiado que a Santa Casa recebeu mais 04 respiradores para a UTI Adulto, mas, pelo jeito, ainda não estão disponíveis. Ressalte-se, também, que foram anunciados mais 04 leitos na Enfermaria, o que elevaria o total para 14, mas, como se vê na tabela acima, o setor continua com 10 leitos. 

A notícia é do site do Matheuzinho, o FocoNews:

A UTI – Unidade de Terapia Intensiva, da ala de síndromes gripais da Santa Casa de Jales, atingiu na manhã desta quinta-feira, 02 de julho, 100% de ocupação. A ala é dedicada aos pacientes suspeitos ou positivos para Covid-19. No momento, são 02 pacientes de Jales, 02 de Urânia, 01 de Palmeira d’Oeste e 01 de Santa Salete que ocupam os 06 leitos de UTI.

Os leitos clínicos da mesma ala possuem 90% de ocupação. Isso representa 9 leitos ocupados de 10 disponíveis, segundo as informações disponibilizadas pela Santa Casa de Jales nesta manhã. Dos pacientes da enfermaria, 04 são de Jales, 01 de Aparecida d’Oeste, 01 de Pontalinda, 01 de Santa Albertina, 01 de São Francisco e 01 de “outra cidade que não teve o nome divulgado”.

POLÍCIA FEDERAL CONFIRMA TRANSFERÊNCIA DE DELEGADO DE JALES PARA SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

O Diário Oficial da União desta quarta-feira, 01/07, está publicando portaria de segunda-feira, 29/06, assinada pelo diretor-geral substituto da Polícia Federal, Carlos Henrique Oliveira de Souza, que confirma a transferência do delegado Cristiano Pádua da Silva para a Delegacia de Polícia Federal em São José do Rio Preto.

A publicação confirma matéria publicada pelo jornal A Tribuna, em abril, sobre o convite recebido por Cristiano para substituir o então delegado chefe da Polícia Federal em Rio Preto, André Luiz Previato Kodjaoglanian.

A matéria dizia que André Luiz estava deixando o cargo para disputar uma vaga de vice-prefeito em Lins-SP. Ele será candidato pelo PSD a vice-prefeito na chapa do também delegado, mas da Polícia Civil de Lins, João Pandolfi (PP).

Mineiro de Belo Horizonte, Cristiano Pádua foi nomeado para a chefia da Polícia Federal em Jales em fevereiro de 2013 e assumiu o cargo definitivamente em setembro daquele ano quando substituiu o delegado Vinícius Faria Zangirolami, que tinha sido transferido para Londrina-PR.

Antes de assumir o cargo definitivamente, ele já vinha atuando em Jales como delegado chefe substituto e, nessa condição, chefiou a chamada “Operação Fratelli”, desencadeada em abril de 2013, que desbaratou a conhecida “Máfia do Asfalto”, comandada pelos irmãos Scamatti, de Votuporanga.

ARTIGO – “A NATURALIZAÇÃO DO ABSURDO”

Reproduzo, por concordar até com as vírgulas, o artigo da professora Ayne Regina Gonçalves Salviano publicado no domingo passado pelo Jornal de Jales:

O escritor brasileiro Augusto Branco afirmou, certa vez: “Quando eu perder a capacidade de indignar-me ante a hipocrisia e as injustiças deste mundo, enterre-me: por certo que já estou morto.” O jornalista Vladimir Herzog já havia se pronunciado com um pensamento parecido: “Quando perdemos a capacidade de nos indignarmos com as atrocidades praticadas contra outros, perdemos também o direito de nos considerarmos seres humanos civilizados.”

O advogado José Eduardo Cardozo declarou recentemente: “Aquele que perde a capacidade de se indignar diante da injustiça, perdeu sua humanidade.” Bem antes dele, o antropólogo Darcy Ribeiro ensinou: “Só há duas opções nesta vida: se resignar ou se indignar. E eu não vou me resignar nunca.”

Quatro pessoas diferentes, nascidas e criadas em locais diferentes, em épocas diferentes, com profissões diferentes, mas todas com o mesmo pensamento de muitos: o ser humano não pode perder a capacidade de se indignar diante do absurdo.

Entretanto e infelizmente, o que mais se vê atualmente é a naturalização da hipocrisia, das injustiças e das atrocidades. A ponto de, durante uma pandemia, quando mais de 1.000 brasileiros morrem por dia só de Covid-19 (lembrando que este número é subnotificado porque não há testes para todas as vítimas), parte da população só está preocupada em politizar o problema, desconstruir dados científicos e destruir a honra de profissionais competentes.

O discurso de ódio impera. Não há razão, há vociferação. Ganha-se, por enquanto, no grito, no “cala a boca”. O absurdo é tanto que leigo receita remédio – como se fosse médico – que não foi aprovado pelos órgãos competentes; eleitor, no exercício mais pleno de cidadania falha e não escolhe candidatos, só rejeita partidos; e a ditadura brasileira, seus torturados e centenas de mortos são banalizados em rede nacional por quem deveria preservar o conhecimento e a cultura.

Já não se trata mais de uma questão de desinformação ou ignorância, é uma opção de comportamento, talvez explicado apenas na Teoria da Personalidade Autoritária, de Adorno. O que importa se a grilagem, a extração ilegal de madeira e os garimpos colocam em risco a Amazônia? O que importa se dezenas de agrotóxicos (proibidos no mundo porque são comprovadamente danosos às pessoas e à natureza) estão sendo autorizados aqui? O que importa se milhares de estudantes sem aulas nas escolas públicas terão de fazer vestibular assim mesmo, sem chances? O que importa se um ser humano está no chão agonizando de fome? Então, caro leitor, você ainda está vivo ou já está morto? 

(Ayne Regina Gonçalves Salviano)

POLÍCIA MILITAR DE JALES PRENDE HOMEM COM DROGAS E APREENDE BMW

A notícia é do FocoNews:

Na manhã do dia 26 de junho (sexta-feira), por volta das 09h00, policiais militares de Jales faziam o patrulhamento ostensivo e preventivo na Av. Maestro Erlon Chaves, quando avistaram um veículo BMW X1 ocupado por dois indivíduos, sendo o condutor (M.R.S.) alvo de denúncias da prática de tráfico de drogas.

Ao iniciarem a abordagem os militares notaram que M.R.S. pediu ao passageiro que jogasse algo para fora do carro. Nada de ilícito foi encontrado com os dois ocupantes, mas, ao verificar o que havia sido jogado, os policiais constataram tratar-se de quatro cigarros de maconha. No carro havia R$ 605,00 em dinheiro.

De pronto M.R.S. assumiu a propriedade da droga alegando ser usuário de drogas. Indagado, confessou que em sua casa havia algumas porções de skank e haxixe, indicando o local onde estavam guardadas.Em seu quarto foi encontrado um pote contendo skank, haxixe e sementes de maconha.

O veículo BMW X1 foi apreendido. M.R.S. foi preso em flagrante pelo crime de tráfico de drogas e encaminhado à Cadeia Pública de Santa Fé do Sul.

PINTINHO QUESTIONA PREFEITURA SOBRE REDUTOR DE VELOCIDADE EM FRENTE DE ESCOLA

A notícia é da assessoria de imprensa da Câmara Municipal:

O vereador Vagner Selis- Pintinho, em Sessão Ordinária (22), apresentou um requerimento questionando por que a Prefeitura não instalou redutores de velocidade na Rua Otávio Graziani, em frente à Escola Estadual “Juvenal Geraldeli”, no Jardim Oiti.

Pintinho justificou que o diretor da escola solicitou o redutor por meio do ofício 49/2019. No local não há faixas elevadas de pedestres nem quebra-molas. A falta de redutor de velocidade põe em risco os alunos, pois o horário de entrada e saída das aulas coincide com os horários de maior trânsito de veículos.

O vereador Vanderley Vieira – Deley comentou o requerimento: “Vai ser construída uma faixa elevada lá, já foi feita a licitação, em mais ou menos um mês vai iniciar a construção do quebra-molas”.

O vereador João Zanetoni falou sobre a propositura: “Solicitamos outros quebra-molas para trechos bem perigosos, inclusive em frente à Santa Casa. A população nos cobra porque tem riscos de graves acidentes. Acredito que não só eu, mas outros vereadores solicitaram redutores de velocidade e sinalização para outros locais”.

Pintinho indagou por que ainda não foi instalado o redutor de velocidade na rua mencionada, o que será feito com urgência para atender ao pedido e, caso não pretenda atender ao pedido, por qual motivo seria.

O requerimento foi aprovado por unanimidade e encaminhado ao Poder Executivo, que tem até 15 dias úteis para enviar resposta ao Legislativo. Todos os requerimentos e suas respostas ficam disponíveis ao público no site da Câmara Municipal (www.jales.sp.leg.br).

JALES CONFIRMOU MAIS 09 CASOS POSITIVOS DE COVID NESTE DOMINGO

Posso estar enganado, mas acho que a calculadora do pessoal que produz o boletim diário do coronavírus, aqui em Jales, está com algum problema.

Senão vejamos: na sexta-feira, o boletim divulgado dizia que tínhamos 184 casos positivos da covid. No sábado, o boletim informou mais 08 casos positivos, o que elevaria o número de infectados para 192, certo?

Errado! O boletim de ontem dizia que tínhamos 191 casos, um a menos do que a boa matemática nos ensina. Pois bem, neste domingo foram registrados mais 09 casos que, somados aos 191 do boletim anterior resultaria em 200, certo?

Errado novamente! Nas contas do pessoal da Prefeitura, deu 199 casos, como se pode ver no boletim acima. Nas contas deste aprendiz de blogueiro, estamos com 201 casos, mas isso não tem muita importância.

O que realmente importa é que, como já se disse, tivemos 09 novos casos positivos neste domingo, o que mantém quase a mesma média da semana passada, quando tivemos 70 casos em sete dias, ou, na média, 10 casos por dia. Dos 09 casos das últimas 24 horas, 05 são mulheres e 04 são homens. Entre os 09 novos contaminados, 03 tem mais de 60 anos de idade.

JORNAL DE JALES: EDUCAÇÃO MUNICIPAL DE JALES É A CAMPEÃ DA REGIÃO SUDESTE DO BRASIL

Eis a capa do Jornal de Jales deste domingo, que está destacando a Educação municipal de Jales, a única da região Sudeste do Brasil (São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo), a receber o “Selo Excelência” no projeto “Educação que Faz a Diferença”. Em nível nacional, apenas mais uma cidade – Sobral(CE), reduto dos ex-governadores Ciro e Cid Gomes – recebeu o selo em pesquisa realizada pelo do Instituto Rui Barbosa (IRB), em parceria com os tribunais de contas estaduais. A matéria diz que, não obstante o coronavírus, o primeiro semestre está terminando de forma consagradora para a rede municipal de ensino de Jales, que, na prática, tornou-se a campeã da região Sudeste.

O jornal destaca, também, a confirmação da segunda morte provocada pela covid no município de Jales – uma senhora de 59 anos, da família Rossafa – e traz entrevista com um empresário chinês que conta como o governo da China enfrentou o coronavírus. Ao invés de minimizar o problema, como fizeram alguns países, o governo chinês, logo no início da contaminação, em janeiro, tratou de divulgar a situação e convocar vários médicos para ajudar a cidade de Wuhan, origem do vírus. Além disso, o governo sugeriu que as pessoas usassem máscaras e reduzissem viagens desnecessárias, mesmo durante o Ano Novo Chinês, e paralisou o transporte interurbano. 

O recital on-line promovido pela escola musical EDEM, que já teve 04 edições e alcançou grande número de visualizações; o caso do assaltante trapalhão, que perdeu um documento durante um roubo; a criação de mais leitos na Santa Casa de Jales, destinados a pacientes com a covid; o “Concerto pela Vida”, uma live realizada pela igreja católica, que arrecadou R$ 14,9 mil, distribuídos entre as entidades de Jales; o teleatendimento criado pelo CAPS e o Ambulatório de Saúde Mental, que oferece consulta psicológica a profissionais da saúde; e a boa notícia sobre o curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas, da Fatec, que foi reconhecido pelo Conselho Estadual de Educação, são outros assuntos do JJ.

Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior comenta que a guerra fiscal entre alguns estados brasileiros continua em plena pandemia e citou o exemplo de uma grande empresa jalesense que está sendo convidada para transferir suas atividades para o Mato Grosso do Sul. Segundo o colunista, as facilidades oferecidas são de toda ordem, inclusive tributárias. Utilizando-se de linguagem futebolística, a coluna explicou que “foi oferecida à direção da empresa de Jales a oportunidade de bater um pênalti sem goleiro”. Deonel está informando, ainda, que a delegada da mulher em Formosa(GO), a jalesense Fernanda Lima, deverá disputar um cargo político naquela cidade, nas eleições deste ano. 

ARTIGO – “JUNHO VERMELHO: O SANGUE DE JALES”

O artigo do procurador da República em Jales, José Rubens Plates, e da dentista Adriana Dal’Acqua Plates, integrante do Conselho Municipal de Saúde, trata da falta de doadores de sangue e de um hemocentro em Jales.

Na data escolhida do mês pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como Dia Mundial do Doador de Sangue (14 de junho), infelizmente veio coincidir, neste ano, com a notícia do falecimento do primeiro jalesense confirmado para a COVID-19 (novo coronavírus).

Entretanto, apesar do contexto de guerra que vivenciamos contra a pandemia, que também poderia aludir ao sangue e à cor vermelha, nosso propósito é destacar o JUNHO VERMELHO como período de divulgação das campanhas em favor da doação de sangue. Dentre outras características do mês, coincide-se com a chegada do inverno e o aumento das infecções respiratórias, com sensível redução dos estoques nos bancos de sangue e hemocentros do país.

No Brasil, temos ainda outra data no calendário das campanhas em favor da vida: o 25 de novembro, escolhido como Dia Nacional do Doador de Sangue, para agradecer pelo ato da doação voluntária, bem como sensibilizar a população pela importância do gesto. Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), apenas 1,6% dos brasileiros doam sangue, quando o ideal seria o número de doadores girar entre 3% a 5% da população.

A doação de sangue é um gesto simples de altruísmo (expressão sublime de amor a um próximo que, muitas vezes, não se conhece), porém, de resultados incalculáveis na preservação da vida humana. Cada doação pode beneficiar até 4 pessoas, que necessitam de transfusão sanguínea. Na pandemia da COVID-19 que atravessamos, cada dia mais tem se destacado o estoque crítico de sangue nos centros de hematologia do país, por conta da abrupta redução de doações e o aumento da demanda.

Como mandamento mais importante do assunto, firmado na própria Constituição Federal (art. 199, §4º) tem-se a proibição de todo tipo de comercialização do sangue. Ainda na esfera jurídica, temos a Lei 10.205, de 2001, que institui a Política Nacional de Sangue, Componentes e Hemoderivados, que, dentre outras finalidades, visa garantir a autossuficiência do país neste setor.

O Município de Jales é um importante centro regional nos serviços de saúde, que abrange outros 15 Municípios, e congrega o Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região de Jales – CONSIRJ (com a Unidade de Pronto Atendimento – UPA, Ambulatório de Saúde Mental, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU e o Centro de Especialidades Odontológicas – CEO), Ambulatório Médico de Especialidades – AME, Santa Casa de Misericórdia e o Hospital do Amor, abrangendo os atendimentos a saúde de, no mínimo, 100 mil pessoas.

Apesar de todo esse conglomerado da saúde, Jales não conta ainda com uma unidade de coleta de sangue ou hemocentro, como ponto físico para doação, como encontramos em outras cidades da região, como o Hemocentro de Fernandópolis e a Unidade de Coleta de Sangue de Votuporanga. Assim, torna-se difícil ou mesmo inviável para a pessoa que pretende fazer a doação de sangue ter que se deslocar até estas ou outras cidades.

As dificuldades para quem pretende doar sangue se confirmaram quando o Ministério Público Federal (MPF) em Jales, por meio da Procuradoria da República, na edição do Mutirão Jales pela Cidadania em 2016, no Centro de Pastoral Paroquial da Catedral, apesar de ter congregado dezenas de instituições (públicas e privadas), e feito mais de 1.800 atendimentos em diversos serviços gratuitos à população, não conseguiu viabilizar os serviços de coleta de sangue para os jalesenses naquela semana.

Por fim, além do convite ao ato de doação de sangue, fica a reflexão para que possa ser facilitado o acesso a quem pretende doar um cadinho de vida em Jales. Para concluir, lembramos do provérbio chinês: “Um pouco de perfume sempre fica nas mãos de quem oferece flores”.

ADRIANA M. J. DAL’ACQUA PLATES

Cirurgiã Dentista, Especialista e Mestre em Implantodontia e Prótese Dentária
Pós-graduada em Gestão Pública em Saúde.

JOSÉ RUBENS PLATES

Doador de Sangue (Hemocentro de Marília)

Procurador da República em Jales

A TRIBUNA: VEREADORES QUEREM APURAR RESPONSABILIDADES POR PROBLEMAS NAS CASAS DO CONJUNTO ‘HONÓRIO AMADEU’

No jornal A Tribuna deste final de semana, a principal manchete destaca a abertura de uma terceira Comissão Especial de Inquérito (CEI) para investigar fatos relacionados à administração Flá Prandi(DEM). A matéria explica que os inúmeros e aparentemente insolúveis problemas das moradias do conjunto habitacional “Honório Amadeu” foram o mote para esta terceira CEI. As duas CEI’s anteriores, lembra a matéria, foram abertas para investigar o escândalo Farra no Tesouro. O requerimento para a abertura da investigação, que já está sendo chamada de “CEI das Casinhas”, foi assinado pelos vereadores Macetão, Tupete, Zanetoni e Tiago Abra. Lembrando que a construção das moradias foi iniciada na gestão Parini, teve sequência no governo Nice/Callado, e foi concluída na administração Flá.

Outro destaque do jornal diz respeito ao mesmo assunto, ou seja, às problemáticas moradias do conjunto “Honório Amadeu”, inaugurado em fevereiro de 2019. Um grupo de moradores do conjunto levou um abaixo assinado até à Câmara, pedindo providências para resolver os problemas de estrutura das casas, que começaram a aparecer antes do primeiro aniversário da nova cohab. Eles estão reclamando, também, do aumento abusivo nas prestações de algumas casas.

A campanha de vacinação contra a gripe Influenza, que termina na próxima terça-feira, 30/06; a enquete realizada junto aos pais de alunos matriculados nas escolas de Jales, que indica a rejeição à volta das aulas presenciais em setembro; os recursos destinados pela deputada Marta Costa(PSD) para o setor de saúde de Jales; a posição do Instituto Municipal de Previdência, segundo a qual uma eventual suspensão de pagamentos pela Prefeitura irá comprometer as finanças do órgão; e o destaque obtido pela Educação Municipal de Jales que, juntamente com a cearense Sobral, foram as únicas a receber o “selo de excelência” concedido pelo Instituto Rui Barbosa, são outros assuntos de A Tribuna

Na coluna Enfoque, informações sobre a arrecadação da Prefeitura de Jales com tributos e repasses, que, ao contrário do que afirmou o vereador Macetão, está em queda livre. Estudo feito pela coluna mostra que a situação só não é pior porque a arrecadação dos três primeiros meses do ano – antes da pandemia, portanto – foi muito boa. Em maio, no entanto, a queda chegou a R$ 1,6 milhão e, ao que tudo indica, o resultado de junho será pior ainda. E no caderno social, além da coluna do Douglas Zílio, destaque para os aniversariantes da semana e para a comemoração do aniversário dos gêmeos Miguel e Gael Rossafa.

1 2 3 502