Categoria: Cidade

JORNAL DE JALES: COM EXPOSIÇÃO DE PRODUTOS, FESTA DO PEÃO DE URÂNIA É EXEMPLO PARA ‘FAKE FACIP’ DE JALES

Eis a capa do Jornal de Jales deste domingo, cuja principal manchete destaca a conquista de R$ 730 mil para investimentos na educação municipal. Segundo a matéria, o trabalho desenvolvido pela administração Flá-Garça está resultando na liberação de recursos para o município, através do FNDE. O anúncio da liberação de verbas para o setor da educação foi feito pelo diretor de Gestão e Projetos do FNDE, Leandro José Franco Damy, que esteve em Jales na sexta-feira, 15, para a inauguração da EMEI “Professor Antônio Di Bernardo Perez”.

No editorial, o JJ – que, em abril, classificou a Facip Rodeio Show de “fake Facip” – comenta que a 28ª Festa do Peão de Urânia, realizada há alguns dias, poderia servir de exemplo para Jales. Paralelamente à Festa do Peão, Urânia realizou também a 15ª Feira Industrial, Comercial e Agrícola (FICAU), que contou com nada menos que 26 expositores de produtos. A participação de expositores, que aproveitam a festa para mostrar o que é produzido na cidade e região, é uma tradição que, em Jales, foi abandonada pelas últimas Facip’s. O jornal diz que os realizadores da próxima Facip deveriam ficar atentos à tradição, pois o povo não é bobo.

A festa junina universitária da Unijales; o projeto aprovado pela Câmara Municipal, que cria o Dia de Prevenção de Queda do Idoso; o provável aquecimento da venda de camisas amarelas provocado pela primeira vitória do Brasil na Copa do Mundo; a recuperação das estradas rurais de Jales; a prisão dos meliantes que vinham furtando propriedades rurais na região; e o 2º Torneio de Vôlei Feminino Entre Amigas, que acontece hoje no Ginásio Municipal de Esportes, reunindo atletas de seis cidades da região, são outros assuntos do JJ.

Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior está informando que o obstinado Luiz Henrique Vicente de Oliveira, o Henrique do CAJ, pré-candidato a deputado federal, esteve em São Paulo no sábado, 16, onde participou da convenção estadual do seu partido, o “Patriotas”. Segundo o colunista, Henrique viajou de ônibus até São Paulo e já avisou que, se lhe for dada a oportunidade de assumir uma cadeira em Brasília, só vai viajar de avião de carreira e não vai usar aeronaves da FAB.  

O BRASIL QUE NÃO PARA

Ontem, no horário do jogo do Brasil, dei uns bordejos pela cidade e encontrei muita gente trabalhando. É o caso dos dois pedreiros da foto acima, o Milton e o Osvaldo. Enquanto trabalhavam, eles acompanhavam o jogo em um radinho de pilha.

Osvaldo explicou porque não parou para ver o jogo na TV: “temos que trabalhar, pois o Neymar não vai pagar as nossas contas”. Abaixo, mais alguns jalesenses que não tiveram folga no meio feriado:

Os frentistas do Posto Paraíso disseram que “nós também gostaríamos de estar em casa vendo o jogo, mas acho que em primeiro lugar vem o ganha-pão”.

Na Rua Rubião Meira, a empresa de lubrificantes era um dos poucos estabelecimentos com as portas abertas. O proprietário explicou que, “eu preferi vir trabalhar e, embora o movimento seja pequeno em um dia como esse, já atendi alguns clientes”.

No SBR, um dos poucos supermercados que funcionaram na hora do jogo, uma das três caixas afirmou que “eu gosto de futebol, principalmente da Copa do Mundo, mas não posso reclamar por estar trabalhando, ao contrário tenho que agradecer por ter este emprego, que é bem mais importante pra mim do que a seleção brasileira”.

Na esquina da Rua Inglaterra com a Francisco Jalles, o pintor de paredes Júlio era outro que estava trabalhando. “Se eu não trabalhar, não ganho dinheiro e aí não vou conseguir sustentar minha família”.

Na Padaria Avenida, a sócio-proprietária Valéria explicou que nesse tipo de comércio não tem como fechar em dia de jogo. “De qualquer forma, nós deixamos os funcionários à vontade para, se quisessem, assistir ao jogo, mas eles preferiram trabalhar”.

Na farmácia do Terminal Rodoviário, as funcionárias Taline e a Janaína estavam de plantão, mas acompanhavam o jogo em uma pequena TV. Já o motorista da Viação Jauense, José Domingos, explicou que “eu não tenho como parar de trabalhar e além disso não estou botando fé nessa seleção”.

No restaurante Tempero Caseiro, cerca de cinco cozinheiras cuidavam de preparar o almoço. “Nós estamos trabalhando aqui na cozinha, mas podemos ouvir o som da TV e, se sair algum gol, vamos comemorar também”. Luiza, a funcionária da foto, explicou que “daqui a pouco o jogo acaba e as pessoas vão querer almoçar; por isso, temos que estar com tudo preparado”.

A TRIBUNA: JUSTIÇA DE JALES DECIDE QUE SERVIDORES NÃO PODEM TER DOIS TIPOS DE PROMOÇÃO

No jornal A Tribuna deste final de semana, a principal manchete destaca que a reforma da Catedral poderá ser harmonizada com a repaginação da Praça “Euphly Jalles”. O assunto foi discutido em reunião realizada na Prefeitura, com a presença, entre outros, do bispo diocesano dom Reginaldo Andrietta e do secretário de Planejamento, Niltinho Suetugo. A ideia, segundo a matéria, é coordenar, pelo menos no formato arquitetônico, as duas reformas, mantendo o que seria a proposta de um conjunto de praças e não apenas de espaços independentes. A reforma da praça depende, porém, de recursos federais.

Destaque, também, para decisão da Justiça local que impede promoções horizontais de alguns servidores municipais. A 3ª Turma do Colégio Recursal acatou recurso interposto pela Procuradoria Geral da Prefeitura, sepultando as pretensões de servidores que pleiteavam o direito a mais uma promoção horizontal a cada cinco anos, além da promoção por merecimento a cada três anos. A decisão unânime da 3ª Turma teve como base o voto da relatora Maria Paula Branquinho Pini, para quem o acúmulo de promoções  seria ilegal.

O arquivamento, pelo Ministério Público, da representação do vereador Tiago Abra(PP) contra a lei que reajustou o IPTU em 22,07%; as explicações de alguns jalesenses que trabalharam normalmente na sexta-feira, durante o jogo do Brasil; o rompimento de contrato que vai impedir as lotéricas de continuar recebendo contas de energia elétrica; a geração de empregos em Jales e região, durante o mês de maio; a posição do delegado Sebastião Biazi, que defendeu a flexibilização do Estatuto do Desarmamento durante palestra a estudantes; e o Simpósio de Combate à Corrupção, são outros assuntos de A Tribuna.

Na coluna Enfoque, informações sobre a visita que o pré-candidato Delegado Sakashita(PHS) fez ao governador Márcio França(PSB). Na página de opinião, Marco Poletto escreve sobre os medos do pré-candidato Jair Bolsonaro, que alardeia valentia mas foge de debates por saber da mediocridade de suas ideias. No caderno social, o destaque ficou por conta do coquetel de inauguração das novas instalações da loja Fazendo Arte. E na coluna do Douglas Zílio, alguns flashes da festa junina da Unijales.   

DEU NA FOLHA NOROESTE DE HOJE

Na edição digital do jornal Folha Noroeste deste sábado, o principal destaque é a inauguração da EMEI “Prof. Antonio Di Bernardo Perez”, no Jardim Maria Silveira. A construção da creche, iniciada em abril de 2012, foi paralisada ainda em dezembro daquele ano e só foi retomada em julho de 2017, após várias tentativas feitas pela Prefeitura para contratar uma empresa visando a conclusão da obra. A inauguração contou com a presença de várias autoridades, entre elas o prefeito Flá, a secretária Lurdinha Marcondes, o procurador da República, José Rubens Plates, e o diretor de projetos do FNDE, Leandro José Franco Damy.

Destaque, igualmente, para a atuação do prefeito de Santa Fé do Sul, Ademir Maschio, que conquistou verba de R$ 600 mil para aplicação na área da saúde. Parte da verba foi utilizada na aquisição de três veículos, duas ambulâncias, equipamentos e mobiliários para todas as ESF’s. Outra parte, destinada pelo deputado Ricardo Izar, foi utilizada na compra de uma Clínica Veterinária Móvel (Castramóvel), que vai percorrer os bairros da cidade levando atendimento in loco aos animais.

Na coluna FolhaGeral, o descontraído redator chefe Roberto Carvalho está informando que o Ministério Público Estadual remeteu ao arquivo morto a representação protocolada no ano passado pelo vereador Tiago Abra(PP), na qual o nobre edil pedia que fosse declarada inconstitucional a lei complementar que reajustou o IPTU de Jales em 22,07%. Abra alegava que a votação da lei não seguiu o que estabelece o Regimento Interno da Câmara, mas, para o procurador geral de Justiça, Gianpaolo Poggio Smanio, não cabe ao Poder Judiciário se meter nesses assuntos.

A PARTIR DE JULHO CONTAS DE ENERGIA NÃO PODERÃO SER PAGAS NAS LOTÉRICAS

Deu no portal da Rádio Assunção:

A partir de segunda-feira, 2 de julho, as casas lotéricas localizadas nas 228 cidades atendidas pela Elektro, distribuidora de energia elétrica em parte dos estados de São Paulo (inclusive o noroeste paulista) e do Mato Grosso do Sul, deixarão de aceitar o pagamento das contas de energia da companhia. 

A Elektro acusa a Caixa Econômica Federal, que é administradora das casas lotéricas no Brasil, de inviabilizar a continuidade do convênio de arrecadação, depois de elevar em quase 48% o valor da tarifa por fatura arrecadada. O contrato que permitia as lotéricas receber o pagamento das contas de energia foi extinto.

A companhia garante que os clientes não serão prejudicados e continuarão contando com várias opções de pontos para quitação das contas. Mais de 1.100 novos pontos serão oferecidos aos clientes e informados nas contas de energia dos meses de julho e agosto, mas a lista completa já está disponível no site da concessionária: www.elektro.com.br. São correspondentes bancários, agências dos Correios e outros estabelecimentos credenciados para o pagamento das faturas de energia como farmácias, mercados, padarias e papelarias.

A empresa também disponibiliza a possibilidade de quitação das faturas on line, ou por meio de débito automático, sem a necessidade de deslocamento do cliente.

Em Jales, os pontos de pagamento são:

Correios – Rua Oito, 2339, Residencial Maria Silveira

Correios – Avenida Alfonso Rossafa Molina, 2865, Jardim Samambaia

Drogaria Paraíso – Rua Professor Rubião Meira, 3645,    Jardim Paraíso

L & E Presentes (Correspondente Bradesco) – Rua Prof. Rubião Meira, 4389, Jd. Paulista

Drogaria Empório Da Saúde (Correspondente Bradesco) – Rua  Um, S/N, Terminal Rodoviário José Antônio Caparroz, Box 12, Vila Inês

Prado Material P/ Construção (Correspondente Bradesco) – Rua Nossa Senhora Das Graças, 3686, Vila Nossa Senhora Aparecida 

Sakashita Supermercados (Correspondente Itaú) – Rua Oito, 2322, Centro

Papelaria Gaivota (Correspondente CEF) – Rua Cinco, 2251, Centro

Correspondente CEF – Rua Nova York, 1397, Vila Inês

Correspondente Banco do Brasil – Rua Professor Rubião Meira, 3382, Jardim América

Bazar e Papelaria (Correspondente Banco do Brasil) – Rua Joaquim da Veiga Pimentel Nihil, Conjunto Habitacional

(Correspondente Banco do Brasil) – Rua Dez, 2240, Centro – 103

Marcato & Canobras L (Correspondente Banco do Brasil) – Rua Nossa Senhora Das Graças, 3826, Jardim Paulista

GREVE DOS CAMINHONEIROS: DIESEL COMPRADO PELA PREFEITURA CAI R$ 0,34 POR LITRO. MAS A GASOLINA SOBE R$ 0,41

Não é só o contribuinte comum que está pagando mais caro pela gasolina e o etanol, em consequência da greve dos caminhoneiros.

A greve está refletindo, também, nos contratos firmados pela Prefeitura de Jales com duas empresas locais para aquisição de gasolina, etanol e diesel. Na semana passada, a Prefeitura publicou os novos preços dos combustíveis utilizados pela frota municipal.

A queda no preço do óleo diesel está bem abaixo dos R$ 0,46 prometida aos caminhoneiros. De acordo com o aditivo assinado pela Prefeitura, o preço do diesel comum caiu de R$ 3,55 para R$ 3,24, ou seja, queda de R$ 0,31. Já o diesel S10 caiu de R$ 3,68 para R$ 3,34, o que significa R$ 0,34 a menos, por litro.

Em compensação, a gasolina adquirida pela municipalidade custará R$ 0,41/litro a mais, passando de R$ 4,04 para R$ 4,45. E o preço do etanol subiu mais ainda: R$ 0,45 por litro. Antes da greve, a Prefeitura pagava R$ 2,25 no etanol. Agora, o combustível está custando R$ 2,70. 

PREÇO MÉDIO DA GASOLINA SOBE R$ 0,43 EM JALES, DEPOIS DA GREVE DOS CAMINHONEIROS

A Agência Nacional do Petróleo (ANP) divulgou, ontem, a pesquisa nacional dos preços dos combustíveis, realizada entre os dias 10 e 16 de junho. No caso de Jales, a pesquisa mostra que, depois da greve dos caminhoneiros, o preço médio da gasolina subiu R$ 0,43 por litro, passando de R$ 4,03 para R$ 4,46.

Nove postos foram pesquisados em Jales. A gasolina mais barata foi encontrada no Auto Posto Bernardo: R$ 4,299, por litro. Já o preço mais alto estava sendo cobrado no Posto Modelinho: R$ 4,690.

O preço médio da gasolina em Jales, os prezados leitores devem estar lembrados, era o menor do estado antes da greve dos caminhoneiros. Agora, nossa gasolina já não é a mais barata do estado.

Das 108 cidades pesquisadas pela ANP no estado, em pelo menos 82 delas o preço médio do combustível é menor que o valor encontrado em Jales.  

ACIDENTE NA RUA 15 COM A 6 DEIXA OCUPANTES DE CARRO FERIDOS

Deu no portal A Voz das Cidades, do Betto Mariano:

Um acidente impressionante ontem por volta das 20:30 minutos chamou atenção de quem passava pelo local.

Segundo informações uma saveiro não teria respeitado o sinal de PARE e colidido com outro veículo.

O impacto foi tão forte que a saveiro ficou com as rodas para cima, os ocupantes foram socorridos pelo SAMU com ferimentos leves.

JORNAL DE JALES: EM 15 DIAS, POLÍCIA APREENDEU 97 KG DE COCAÍNA E 3.900 KG DE MACONHA EM CIDADES DO NOROESTE PAULISTA

Eis a capa do Jornal de Jales deste domingo, cujo principal destaque é o combate às drogas. O jornal diz que a polícia está apertando o cerco contra a rota caipira do tráfico que vem de Mato Grosso do Sul e passa por Jales e região. Em Jales, por exemplo, a polícia apreendeu, nos últimos dias, 80 quilos de maconha e prendeu diversos traficantes. A matéria ressalta, ainda, que somente neste mês de junho – que ainda está pela metade – a polícia apreendeu 97 quilos de cocaína e quase 4.000 quilos de maconha em cidades do noroeste paulista, como Ilha Solteira, Ruilândia e Buritama.

O JJ está destacando, também, que a jalesense Carla Ayres(PT) assumiu por trinta dias o cargo de vereadora na Câmara de Florianópolis(SC) e estreou na tribuna defendendo homossexuais em seu primeiro e contundente pronunciamento. Carla disse, por exemplo, que o desemprego subiu 153% nos últimos dois anos em Floripa, atingindo principalmente jovens, negros, mulheres e gays. Segundo ela, Florianópolis – que recebeu esse nome em homenagem a um nordestino machão, o marechal Floriano Peixoto – é a capital que nega todos os dias emprego às pessoas LGBT, especialmente as transexuais.

As lembranças da professora Dejanira Belo Rugai, a Deja, que vai torcer para o Brasil nesta Copa usando a camisa que ganhou de seu sobrinho, o zagueiro Juninho, reserva de uma das nossas melhores seleções de todos os tempos, a da Copa de 1982; as movimentações do pré-candidato a deputado estadual Luiz Henrique Moreira; o manifesto de professores universitários contra a onda conservadora e reacionária que assola o país; e o discurso anticorrupção do jurista e pré-candidato Luiz Flávio Gomes, são outros assuntos do JJ.

Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior está informando que, se depender da opinião da assessoria técnica da unidade de Fernandópolis do Tribunal de Contas do Estado(TCE), as contas do ex-prefeito Pedro Callado, relativas ao exercício de 2016, serão aprovadas por aquele órgão. Pelo menos é o que está recomendando a técnica Giselle de Souza Lotti e Silva, que, em seu relatório, destacou que o ex-prefeito não cometeu pecados capitais na aplicação do dinheiro público. Segundo Deonel, além de Callado, o ex-secretário de Fazenda, José Magalhães Rocha, também ficou feliz com a novidade.   

A TRIBUNA: VEREADOR DELEY DIZ QUE CASAS DO ‘NOVA JALES II’ SÃO MUITO PEQUENAS E DE MÁ QUALIDADE

No jornal A Tribuna deste final de semana, a principal manchete diz que a Prefeitura de Jales se esqueceu de fornecer dados relativos ao saneamento e, por conta disso, ficou de fora do Ranking da Universalização do Saneamento, divulgado pela Associação Brasileira de Engenharia Ambiental (ABES). Segundo a matéria, o esquecimento demonstra o pouco caso que a municipalidade tem dedicado à questão do meio ambiente. Enquanto isso, nossas vizinhas Votuporanga, Fernandópolis e Santa Fé do Sul obtiveram posições de destaque no ranking.

Destaque, também, para a inauguração da nova EMEI “Antônio Di Bernardo Perez”, localizada no Jardim “Maria Silveira”, que ocorre com pelo menos quatro anos de atraso. As obras, iniciadas em abril de 2012, ficaram paralisadas por quase cinco anos e só foram retomadas em julho de 2017. Estimada inicialmente em R$ 655 mil, a nova creche acabou custando quase R$ 1 milhão, dos quais R$ 620 mil vieram do Ministério da Educação. Segundo a secretária de Educação, Lurdinha Rezende, a nova creche vai atender 100 crianças que estão na fila de espera.

As pesadíssimas críticas do vereador Deley(PPS) à qualidade e ao tamanho das moradias populares que estão sendo construídas no conjunto Nova Jalles II; a condenação do ex-prefeito Humberto Parini e dois funcionários comissionados do Consirj; os reflexos da greve dos caminhoneiros no preço da gasolina em Jales; o projeto do vereador Macetão, que prevê desconto no IPTU para quem instalar câmeras de segurança na frente de seus imóveis; e os horários do comércio nos dias de jogos do Brasil na Copa do Mundo, são outros assuntos de A Tribuna.

Na coluna Enfoque, informações sobre a nova licitação aberta pela Prefeitura, que prevê o recapeamento de 35 mil metros quadrados de asfalto em ruas dos bairros Paraíso e Oiti. Na página de opinião, o manifesto dos professores universitários de Jales e região contra a onda conservadora e reacionária que atinge o Brasil e pode trazer de volta “um tempo sombrio e execrável”. No caderno social, destaque para a confraternização do grupo União por Jales e para a coluna do Douglas Zílio, que traz os melhores cliques da festa do peão de Urânia.  

1 2 3 408