Categoria: Cidade

JORNAL DE JALES: TRIBUNAL DE JUSTIÇA CONFIRMA QUE “DÍVIDA DA MINERVA” ESTÁ PAGA

Eis a capa do Jornal de Jales deste domingo, cuja principal manchete trata da decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo, confirmando que o débito com o Espólio de Euphly Jalles – também conhecido como “a dívida da Minerva” – já foi totalmente pago. Os advogados da família do fundador pleiteava uma mudança no cálculo da correção da dívida, que resultaria em um novo débito de quase R$ 8 milhões para a Prefeitura pagar. A decisão do TJ-SP foi dada a conhecer na quinta-feira, 13, e confirmou sentença o juiz da 2ª Vara de Jales, Alexandre  Kiataqui, que, em março deste ano, já tinha dito que a dívida estava liquidada,  rejeitando a pretensão dos advogados dos Jalles.

Destaque, igualmente, para entrevista do advogado jalesense Aislan Queiroga Trigo, que já foi presidente da subseção da OAB-Jales e agora foi eleito para o cargo de secretário-geral da OAB-SP. Na entrevista, Aislan diz que o fortalecimento das subseções da Ordem em todo o estado, bem como a implantação de um Portal da Transparência no órgão são algumas das prioridades da nova diretoria, que será comandada pelo presidente Caio Augusto Santos da Silva. Aislan disse, também, que a valorização da advocacia é o principal instrumento para aperfeiçoá-la em todo o país, o que, segundo ele, beneficiará não somente a classe dos advogados, mas toda a cidadania.

A final do campeonato municipal de futebol, que agitou o campo da Fepasa no domingo passado; a consolidação do Comboio como o melhor local para realização dos leilões do Hospital de Amor; o sucesso da jalesense Mariana Saad, influencer digital e empresária de beleza que conquistou o Brasil e o mundo; as atrações programadas pela Prefeitura e pela ACIJ para o comércio jalesense, que funcionará em horário especial a partir dessa segunda-feira; a volta do vereador Tiquinho à presidência da Câmara e a homenagem ao comerciante Pedro Laert Pupim, aprovada pelos vereadores, são outros assuntos do JJ.

Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior comenta os 50 anos do Ato Institucional nº 5 (AI-5), completados na quinta-feira. Editado em 13 de dezembro de 1968, o AI-5 implicou em prisões indiscriminadas, torturas, cassações de mandatos, suspensão de direitos políticos, censura à imprensa, atentados com morte, fechamento do Congresso, etc.  Cerca de 500 filmes, 450 peças teatrais, 200 livros, 100 revistas, mais de 500 letras de música e até novelas foram censuradas pelo regime militar.  Deonel lembra que, em Jales o facão do AI-5 alcançou o ex-prefeito e deputado estadual Roberto Rollemberg, que foi cassado em 1969. Apesar de ter sido eleito pela Arena – o partido do regime – Rollemberg tinha fama de comunista.

MIGUEL, O PEQUENO JALESENSE QUE GANHOU UM CORAÇÃO NOVO, TEM ALTA HOSPITALAR

A notícia é do Diário da Região:

Miguel Augusto Fernandes Chavier, que foi submetido a um transplante do coração no dia 16 de novembro, no Hospital da Criança e Maternidade (HCM) de Rio Preto, recebeu alta hospitalar na tarde deste sábado, 15. O pequeno morador de Jales, de apenas um ano, tinha miocardiopatia dilatada, que faz com que o coração cresça mais que o normal dentro do corpo sem nenhuma explicação.

Antes da cirurgia, a criança estava há 50 dias na Unidade de Terapia Intensiva do HCM recebendo diversos medicamentos para garantir que o órgão continuasse a bater. De acordo com Ulisses Croti, cirurgião-chefe do Serviço de Cardiologia e Cirurgia Cardiovascular Pediátrica do HCM, Miguel foi a menor criança a receber um transplante até hoje em Rio Preto.

A criança recebeu o órgão do garoto Lucca Miguel, de seis anos, filho de Elissom, ex-goleiro do Cruzeiro. O menino morreu no Hospital Público Regional de Betim no dia 15 de novembro, após ficar internado durante uma semana devido a um acidente doméstico.

A TRIBUNA: EX-PREFEITO DE DOLCINÓPOLIS RESPONSABILIZADO PELO SUMIÇO DE R$ 149 MIL DESTINADOS À AQUISIÇÃO DE ÔNIBUS

No jornal A Tribuna deste final de semana, a principal manchete destaca que, de acordo com o TJ-SP, a nossa Prefeitura já não deve mais nada à família Jalles, por conta da desapropriação do Distrito Industrial. A matéria diz que a 9ª Câmara de Direito Público do TJ-SP negou provimento a um recurso dos herdeiros do fundador Euphly Jalles e confirmou sentença do juiz Alexandre Yuri Kiataqui, da 2ª Vara de Jales, dando por finda a famosa “dívida da Minerva” que nos acompanha desde 1986. Os advogados dos herdeiros alegavam que, de acordo com os cálculos deles, o município ainda estava devendo R$ 7,6 milhões em 2015, mas, nem a Justiça de Jales nem o TJ-SP concordaram com esses cálculos.

Se a dívida com dona Minerva está liquidada, de outro lado, parece que a Prefeitura terá que desembolsar um bom dinheiro para pagar dívidas com as duas empresas que foram responsáveis pela limpeza urbana e a coleta de lixo em Jales. A Ecopav, que prestou serviços de 2007 ao final de 2013, e a Proposta Ambiental, que cuidou da limpeza do início de 2014 até maio de 2015, foram à Justiça para cobrar o município. A Ecopav está cobrando R$ 226,2 mil e já ganhou a ação de cobrança em Jales e no TJ-SP. E a Proposta ajuizou duas ações, nas quais diz que a Prefeitura está devendo R$ 580 mil a ela. No caso da Proposta, as ações ainda não foram julgadas pela Justiça local.

A polêmica envolvendo a entrega das 99 casas do conjunto habitacional “Honório Amadeu”, que, segundo o presidente da CDHU, estaria sendo retardada pelo prefeito Flá por motivos políticos; a condenação da ex-prefeita Nice Mistilides e da empresa Proposta Ambiental Ltda, que, depois de muito barulho, terão de devolver – pasmem! – apenas R$ 8,8 mil à Prefeitura; o mutirão da Sabesp para renegociar dívidas de clientes; a assinatura do convênio com o governo estadual, através do MIT, que vai proporcionar R$ 600 mil para a reforma do Teatro Municipal; e os shows da programação de Natal da Associação Comercial, são outros assuntos de A Tribuna.

Na coluna Enfoque, destaque para o encrencado ex-prefeito de Dolcinópolis, José Luiz Reis Inácio de Azevedo, que está sendo responsabilizado pelo sumiço dos R$ 149 mil enviados em 2014 pelo governo federal para aquisição de um ônibus escolar; na página de opinião, o padre Eduardo Ramos escreve sobre Papai Noel e Jesus Cristo, enquanto o presidente eleito da OAB-SP, Caio Augusto, fala do trabalho indispensável dos advogados. No caderno social, destaque para a colorida coluna do Douglas Zílio e para o “Prêmio Destaques do Ano”, promovido pela agência Tribo Propaganda.    

CARRETA DE PREVENÇÃO AO CÂNCER VOLTA A JALES NA PRÓXIMA SEGUNDA-FEIRA

A notícia é da assessoria de imprensa do Hospital de Amor:

O Hospital de Amor Jales vai receber novamente, nas suas dependências, a unidade móvel de prevenção do câncer de mama. Desta vez, ela ficará disponível de 17 a 21 de dezembro. A ação é uma parceria entre a instituição e a Secretaria Municipal de Saúde.

A carreta ficará estacionada no pátio do estacionamento do Hospital, que fica localizado na Av. Francisco Jales, 3737 – Vila Maria. Segundo a enfermeira responsável pela unidade móvel, Ariane Muniz, serão oferecidos exames para todas as mulheres que se encaixem no perfil de risco. O atendimento será realizado por ordem de chegada, no entanto, as vagas são limitadas para o dia.

Mulheres de 40 a 49 anos, que fizeram seu último exame a mais de um ano, e de 50 a 69 anos, que fizeram a mais de dois anos, poderão se submeter ao exame de mamografia. Para participar, as interessadas deverão comparecer no Hospital de Câncer – agora Hospital de Amor, das 8h às 17h. É necessária a apresentação de xerox do CPF e RG, comprovante de residência e cartão SUS.

Mais informações podem ser obtidas na unidade de Prevenção em Fernandópolis, pelo telefone (17) 3465–5560.

DEU NA FOLHA NOROESTE DE HOJE

Na edição digital do jornal Folha Noroeste deste sábado, o principal destaque é a notícia sobre a atuação do ex-candidato a deputado estadual – e, pelo jeito, pré-candidato a prefeito – Luiz Henrique Moreira, que, segundo a matéria, teria viabilizado junto ao deputado federal Guilherme Mussi(PP) a liberação de uma verba de R$ 300 mil para o Hospital de Amor – Unidade de Jales. A notícia diz, ainda, que o autor da liberação do recurso (Mussi), deputado federal reeleito e presidente estadual do PP, esteve em Jales na noite do dia 03 de setembro, na sede da ACIJ, para apoiar o então candidato Luiz Henrique Moreira, ocasião em que fortaleceu ainda mais os laços políticos com o empresário jalesense.

Destaque, igualmente, para uma nota, acompanhada de duas fotos, em que o jornal critica a administração municipal. Segundo a nota, não obstante os pedidos feitos ao governo municipal – diretamente ou através das redes sociais – o prefeito e seus assessores não estariam nem um pouco preocupados em atender as reivindicações da população. O jornal relata que, depois de muitas reclamações, a administração tomou providências para, em junho de 2017, desobstruir um valetão e recolher os entulhos acumulados. A solução encontrada pela Prefeitura, no entanto, foi paliativa e, no momento, a situação do valetão é a mesma de 2017, com água empoçada e mau cheiro permanente.

Na coluna FolhaGeral, o impetuoso redator-chefe Roberto Carvalho comenta a eleição para a presidência da Câmara que resultou na escolha do vereador Tiquinho(PSD) para comandar o Legislativo no biênio 2019-2020. O colunista diz que, em princípio, o candidato a presidente seria o vereador Fábio Kazuto(PSB), mas, sem que ninguém entendesse os motivos, o representante da colônia japonesa acabou desistindo. Roberto conta, também, que o vereador Tiago Abra(PP), ao ser indagado por que não disputaria a presidência da Câmara, teria explicado que não tinha como enfrentar a tropa de choque do prefeito Flávio Prandi. Segundo Abra, os aliados do prefeito tinham sido orientados a não votar nele em hipótese nenhuma.

TRIBUNAL DO JÚRI CONDENA RAPAZ QUE ATIROU EM DESAFETO NA AVENIDA ‘JOÃO AMADEU’

O Tribunal do Júri de Jales reuniu-se na quinta-feira, 13, sob a presidência da juíza Maria Paula Branquinho Pini, para julgar Thiago Pinheiro Correia, o “Pipoca”, acusado tentativa de homicídio.

O crime aconteceu em uma madrugada de outubro do ano passado, em plena avenida “João Amadeu”, quando o acusado atirou três vezes contra um rapaz que, supostamente, estaria namorando sua ex-companheira. Dois disparos atingiram o veículo da vítima, enquanto o terceiro tiro provocou-lhe ferimentos no ombro. Mesmo ferida a vítima conseguiu dirigir seu carro até a UPA, onde foi socorrido.

Ao final do julgamento de quinta-feira, “Pipoca” – que está preso preventivamente desde o início do processo – foi considerado culpado pelos jurados e condenado a seis anos de reclusão, em regime inicial fechado. A pena poderia ter sido maior, mas os jurados consideraram que o réu praticou o crime sob violenta emoção. Ele teria sido provocado pela vítima, que o estaria ameaçando de morte.

De seu lado, o advogado de defesa do réu, Fernando Neto Castelo, sustentou que seu cliente não tinha a intenção de matar e pediu que o crime de tentativa de homicídio fosse desclassificado para lesão corporal, uma vez que a vítima foi atingida por um único disparo em região não vital do corpo, sem maiores complicações de saúde.

Os jurados entenderam, no entanto, que o caso era mesmo de tentativa de homicídio, já que “Pipoca” teria agido com a intenção de matar. O fato de o réu ter efetuado disparos em plena avenida, utilizando-se de meio que causou perigo às pessoas que passavam pelo local, também foi levado em consideração..

A sessão de quinta-feira, 13, foi a quarta deste ano. Na primeira sessão, realizada em julho, um homem foi condenado a 15 anos de prisão por conta da tentativa de homicídio perpetrada contra sua companheira, atingida por diversas facadas, em Vitória Brasil.

A segunda sessão do ano ocorreu em agosto, quando os jurados condenaram um casal a 18 anos e 08 meses de reclusão. O casal foi acusado pelo assassinato de Marcos Antonio Espósito Farinelli, em crime cometido no dia 21 de março de 2016, na Rua “Rubião Meira”, no Jardim Paraíso.

Já na terceira sessão, realizada no mês passado, os jurados julgaram o caso de “Marcinho Tatto”, que, no dia 1° de outubro de 2017, tentou tirar a vida de outro homem. Marcinho foi condenado 03 anos e meio de reclusão.

HOSPITAL DE AMOR JALES RECEBE DOAÇÃO DE DOIS APARELHOS DA AVCC

A notícia é da assessoria de imprensa do Hospital de Amor:

Com objetivo de atualizar o parque tecnológico, facilitar o processo cirúrgico e garantir mais conforto para os pacientes e profissionais, o Hospital de Amor Jales recebeu no último dia 13 de dezembro, dois aparelhos doados pela Associação de Voluntária de Combate ao Câncer (AVCC) de Jales: uma mesa cirúrgica e um criostato.

No total, as doações somam R$ 231.500,00 em recursos para a unidade. Segundo a gerente administrativa, Camila Venturini, o apoio que AVCC presta a instituição é essencial. “Eu costumo dizer que a AVCC é como um anjo para esta unidade. Com o esforço dessas pessoas, muitas outras vidas têm a oportunidade de serem salvas. Em nome dos nossos colaboradores e pacientes, agradeço imensamente por essa conquista”, disse emocionada.

Na solenidade, a presidente da AVCC, Cidinha Iglesias, acompanhada por sua vice, Roseli Pupim, agradeceu a participação de todos os voluntários e amigos da entidade, que arduamente trabalham todos os dias para angariar recursos para a Hospital de Amor. “Todo o empenho vem dos nossos projetos, desenvolvidos diariamente para atender a demanda do Hospital. Nós temos o bazar, as rifas, a venda dos artesanatos, os eventos solidários e a arrecadação dos lacres. Tudo revertido em dinheiro para compra de equipamentos como estes. Estamos felizes e realizados com mais esta importante doação entregue”, contou Cidinha.

O evento também foi marcado por muita música e emoção. Os participantes cantaram a Oração do Pai Nosso como forma de agradecimento pela conquista.

Coral de Natal EDEM e AVCC

Pelo segundo ano consecutivo, a AVCC e a escola musical EDEM realizam a apresentações do Coral de Natal na unidade, para pacientes e acompanhantes. O projeto é uma fusão dos alunos da escola, coordenado pela professora Stela Rodrigues, e dos voluntários da AVCC, que participam do projeto Cantar Alegra o Coração, coordenado pela professora Dercione Assis de Matos.

Segundo Cidinha Iglesias, este é um projeto que envolve muito amor e dedicação. “É uma forma que encontramos de transmitir uma mensagem de paz, amor e fé a todos os nossos pacientes, acompanhantes e colaboradores do Hospital de Amor”, afirmou.

NO SÁBADO TEM CONCERTO “DEMERARA EM CASA”, NO TEATRO MUNICIPAL

Eis aí uma boa opção para quem gosta de música. Da Secretaria Municipal de Comunicação:

Com apoio da Prefeitura de Jales, por meio da Secretaria de Esportes, Cultura e Turismo de Jales (SMECT), a Escola Livre de Teatro, vai apresentar o “Concerto Demerara em Casa”, dos músicos Felipe Delatorre e Neto Ferreira. A apresentação será no sábado, dia 15 de dezembro, a partir das 21 horas no Centro Cultural Dr. Edílio Ridolfo, o Teatro Municipal.

A noite especial promete muita música de excelente qualidade e interação com a plateia. Os cantores revelaram que estão ansiosos para se apresentar em Jales, cidade onde nasceram e ainda possuem diversos familiares.

 “Já era grande a nossa vontade de levar uma apresentação do Demerara para Jales, nossa cidade natal. Muitas vezes a saudade e a distância são matéria-prima da nossa arte, e pela primeira vez, temos a oportunidade de matar essa saudade no palco do Teatro Municipal, fazendo reverberar ‘em casa’ tudo aquilo que construímos como dupla nessa estrada”, disse Felipe.

Neto Ferreira aproveitou para convidar o público de Jales e região para o evento. “Queremos convidar a todos de Jales e das cidades de nossa região para celebrar conosco o Demerara Em Casa, uma noite única, de muito amor à música, com participações especiais de pessoas queridas que estiveram conosco nessa caminhada”.

E por falar em participações, Thiago Juliani e Laura Moraes estarão presentes, agregando ainda mais talento à apresentação que promete ser memorável.

Os ingressos já estão sendo vendidos na Escola Livre de Teatro, na Rua 7, nº 2261, na esquina com a Rua 6, anexo ao Teatro Municipal e na Dominus Centro Musical, na Av. Francisco Jalles, nº 1464. O valor é de R$ 40,00 (inteira) e de R$ 20,00 (meia entrada para estudantes). Quem quiser um bom desconto pode doar um litro de leite e pagar o valor de R$ 20,00, chamado de meia entrada solidária.

TRIBUNAL DE JUSTIÇA CONFIRMA: JALES NÃO DEVE MAIS NADA À FAMÍLIA JALLES POR CONTA DA CERCA DERRUBADA POR VIOLA

Parece que o fantasma da nossa famosa dívida com a família Jalles – por conta da desapropriação do Distrito Industrial II, quando o então prefeito Valentim Paulo Viola “derrubou a cerca” – vai, definitivamente, deixar de nos assombrar.

Ontem, a 9ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), negou provimento a um recurso dos advogados dos Jalles – Polotto pai e Polloto filho – e confirmou sentença do juiz da 2ª Vara de Jales, Alexandre Yuri Kiataqui, que, em março deste ano, havia rejeitado um pedido dos mesmos advogados.

Em breve resumo, os advogados dos Jalles alegavam que as contas feitas pelo Departamento de Precatórios do TJ-SP estavam erradas e que a Prefeitura de Jales ainda estaria devendo quase R$ 8 milhões aos herdeiros do fundador Euphly Jalles.

Em Jales, o juiz Kiataqui disse que, na realidade, quem estavam erradas eram as contas dos representantes dos herdeiros. E no TJ-SP, ao julgar o recurso dos Jalles, o relator Oswaldo Luiz Palu confirmou que o magistrado jalesense estava correto. E como diria aquele personagem da Escolinha do Professor Raimundo, tudo indica que agora é c’est fini!.

O prefeito Flá Prandi e o procurador geral Pedro Callado comemoraram a boa notícia. Não apenas pela confirmação do fim da dívida, mas, também, porque a Prefeitura poderá, finalmente, outorgar as escrituras aos proprietários dos terrenos do Distrito Industrial II.

Para quem não se lembra, uma parte dos proprietários teve suas escrituras outorgadas na administração Callado, mas outra parte continuava “enrolada” por conta da insistência da família Jalles em não concordar que a dívida estava completamente paga. 

LUIZ HENRIQUE MOREIRA VIABILIZA R$ 300 MIL PARA HOSPITAL DE AMOR DE JALES

Da assessoria de imprensa:

O empresário Luis Henrique Moreira, proprietário da LHBorr, candidato a deputado estadual mais votado em Jales na última eleição, não conseguiu uma cadeira na Assembleia Legislativa, porém, desde o encerramento do período eleitoral, tem se dedicado a trabalhar para o benefício da população de Jales e de toda a região.

No dia 05 de dezembro, viabilizou junto ao deputado federal Guilherme Mussi, um recurso extra de R$ 300 mil para o Hospital de Amor de Jales, cujo valor já está disponível para o uso da entidade.

“É com muita satisfação que anuncio a destinação de R$300 mil para o Hospital de Amor de Jales, que é referência em saúde para a população do município e de toda a região. O propósito é ajudar os pacientes a ter um atendimento digno em seus momentos de maior dificuldade”, destacou Luis Henrique.

O autor da liberação do recurso, Guilherme Mussi, deputado federal reeleito na última eleição e presidente estadual do PP, esteve em Jales na noite do dia 03 de setembro, na sede da Associação Comercial e Industrial de Jales, na campanha de Luis Henrique Moreira, ocasião em que fortaleceu ainda mais os laços políticos com o empresário jalesense.

1 2 3 432