Categoria: Cidade

JORNAL DE JALES: ESTELIONATÁRIOS DA INTERNET NÃO ESTÃO PERDOANDO NEM OS PADRES

Eis a capa do Jornal de Jales deste domingo, que está destacando o aumento das mortes no trânsito de Jales em 2019. De acordo com a matéria, o número de mortes no trânsito de Jales, incluindo as rodovias do entorno, foi o maior dos últimos cinco anos e sete vezes superior ao registrado em 2018. Durante o ano de 2019, foram registradas 14 mortes, das quais 09 nas rodovias que cortam o município e 05 nas vias municipais. Das 14 vítimas, pelo menos 08 eram motociclistas, enquanto 05 dirigiam automóveis e o último era um pedestre. A matéria informa, ainda, que em 2018 foram apenas 02 mortes, mas isso foi uma exceção, já que em anos anteriores o número de vítimas foi bem maior.

Destaque, igualmente, para a ação dos estelionatários que atuam via celular, dos quais nem mesmo os padres estão escapando. Foi o caso do padre Arnaldo Parminondi, aqui de Jales, que atendeu uma ligação de um golpista e acabou sendo lesado em cerca de R$ 15 mil. O padre teve que adiar uma viagem programada para o exterior, para tentar recuperar o dinheiro com ajuda da polícia e junto com as instituições financeiras que também foram vítimas. Ao jornal, o padre disse que “hoje em dia os golpistas não precisam da sua autorização e muito menos dos seus documentos para praticar golpes pela internet”.

O início do plantio de mudas visando a recuperação do bosque municipal, que teve 70% de sua vegetação destruída por um incêndio, no ano passado; o prazo para pagamento da 1ª parcela dos impostos municipais – ITU e IPTU – que, por conta de atraso na confecção dos carnês, foi estendido para o dia 20 de fevereiro; as revelações de um professor aposentado sobre o aeroporto de Jales; e o sucesso do primeiro ‘Sarau no Ponto’ do ano, realizado no domingo passado, são outros assuntos do JJ, que traz, ainda, uma entrevista com o professor Edson Resende, que aproveitou a Missão Univida Amazônia para ensinar artes marciais a indígenas.

Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior está informando que o Ministério Público Federal de Jales, através do procurador José Rubens Plates, e a OAB local, através do presidente Marlon Livramento, já tiveram uma conversa preliminar visando promover em Jales um simpósio sobre eleições municipais, reunindo também as comarcas de Urânia e Palmeira D’Oeste. O objetivo seria informar os pré-candidatos a prefeito, vice e vereadores dos municípios que integram as três comarcas, sobre as novas regras eleitorais. Segundo Deonel, se tudo der certo, uma das palestras será sobre fake News, ou seja, notícias falsas, a grande praga das redes sociais.

A TRIBUNA: MINISTRO DO STF CONFIRMA QUE EX-PREFEITA NICE TEM DIREITO A INDENIZAÇÃO POR FÉRIAS E DÉCIMO-TERCEIRO

No jornal A Tribuna deste final de semana, a principal manchete destaca que a arrecadação da Prefeitura de Jales com os repasses do governo federal (FPM) e do governo estadual (ICMS e IPVA) cresceu mais de 8% em 2019, ano em que o PIB deverá ficar em 1,2%. A matéria diz que, em dinheiro, esse crescimento significou um reforço de R$ 5,1 milhões nos cofres municipais. Os repasses relativos ao FPM, por exemplo, saltaram de R$ 27,8 milhões em 2018, para R$ 30,2 milhões em 2019. Com relação aos repasses do governo estadual, o maior crescimento foi do ICMS, que transferiu R$ 25 milhões para Jales em 2019, ou 8,94% acima dos R$ 23 milhões transferidos em 2018. Já o IPVA rendeu R$ 10,2 milhões em 2019, um crescimento de 6,7% em relação aos R$ 9,5 milhões de 2018.

Matéria do repórter Alexandre Ribeiro, o Carioca, chama a atenção para a preocupação dos moradores que possuem imóveis na avenida “Maria Jalles”. Segundo a reportagem, a erosão que atinge o local aumentou bastante com as chuvas dos últimos dias, trazendo de volta uma apreensão que os moradores das redondezas não experimentavam há vários anos. A avenida “Maria Jalles”, ressalta a matéria, possui muitas residências e diversos estabelecimentos comerciais com grande frequência de pessoas, além de ser “uma importante artéria de trânsito para moradores de diversos bairros”.

O início da recuperação do Bosque Municipal, com o plantio de mudas nas áreas atingidas pelo incêndio do ano passado; a chegada, com atraso, dos carnês do ITU e do IPTU, cujas primeiras parcelas tiveram o vencimento adiado para 20 de fevereiro; a decisão do Tribunal Regional do Trabalho, que obriga a Prefeitura de Jales a instituir o programa Jovem Aprendiz no município, visando combater o trabalho infantil; e os desencontros sobre quem é a responsável pela manutenção da iluminação pública – Elektro ou Prefeitura? – são outros assuntos de A Tribuna, que traz, ainda, uma entrevista com o delegado seccional Charles Wiston de Oliveira.

Na coluna Enfoque, escrita por este aprendiz de blogueiro, destaque para a decisão do ministro do STF, Celso de Mello, que confirmou sentença do juiz Fernando Antônio de Lima, da Vara Especial de Jales, determinando que a Prefeitura terá que pagar férias e décimo-terceiro à ex-prefeita Nice Mistilides, calculados, há mais de um ano, em quase R$ 90 mil. Na página de opinião, a crônica do talentoso blogueiro (e companheiro) Hélio Consolaro. E no caderno social, destaque, como sempre, para a colorida coluna do Douglas Zílio e para as bodas de ouro do casal Cidinha e Durval “Balim” Rossafa. 

DEU NA FOLHA NOROESTE DE HOJE

No jornal Folha Noroeste, edição digital deste sábado, a principal manchete destaca o adiamento do prazo para pagamento da primeira parcela dos impostos municipais (IPTU e ITU), que foi estendido para o dia 20 de fevereiro. As outras nove parcelas continuarão vencendo no dia 10 de cada mês. Os contribuintes que preferirem pagar os impostos em uma única parcela, com 10% de desconto, também poderão fazê-lo até o dia 20 de fevereiro. O adiamento visa dar mais tempo para que os carnês cheguem aos contribuintes através dos Correios. Neste ano foram confeccionados aproximadamente 4 mil carnês de ITU (lotes vagos) e 22 mil de IPTU (lotes com construções). O reajuste dos impostos foi de 2,92%, referente à inflação do período.

O jornal está destacando, também, o desempenho da Estância Turística de Olímpia na geração de empregos formais. Segundo a matéria, os dados do CAGED mostram que, nos últimos três anos, Olímpia apresentou um crescimento de 245% na criação de empregos com carteira assinada. Isso porque, diz a matéria, “em 2017, a cidade fechou o ano com um acumulado de 224 vagas, entre admissões e desligamentos, saltando, agora, em 2019, para 773 vagas no saldo do ano”. O saldo positivo coloca Olímpia entre os 40 municípios do Estado que mais geraram empregos em 2019 e entre os três melhores, quando a comparação se restringe a cidades do mesmo porte.

Na coluna FolhaGeral, o invocado redator-chefe Roberto Carvalho comenta que o pessoal apaixonado pelas redes sociais – onde numerosas notícias transitam rapidamente – acaba se deixando enganar por não conseguir filtrar os conteúdos. Segundo o colunista, em Jales muita gente fica trocando mensagens depreciativas sobre a administração municipal, nas redes sociais. Roberto garante que, na opinião dos analistas lá do botequim da vila, campanha disfarçada na internet – com intuito eleitoral – pode acabar rendendo dor de cabeça aos pretendentes. Não é todo mundo que se deixa enganar ingenuamente. “Há pessoas atentas, que não seguem a manada”, diz o colunista.

BRASIL FECHOU 307.311 EMPREGOS EM DEZEMBRO. E JALES FECHOU 104 EM UM ANO

O Ministério da Economia divulgou, nesta sexta-feira, 24, os números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, relativos a dezembro de 2019. O resultado, em termos de Brasil, não foi nada bom, mas, registre-se, dezembro é assim mesmo. Desde 2003, quando o CAGED começou a divulgar os números do emprego, dezembro nunca apresentou um saldo positivo.

Pois bem, no mês passado, o Brasil fechou 307.311 empregos com carteira assinada. Com isso, Bolsonaro fecha o seu primeiro ano de governo com 644.679 empregos formais criados. Não é lá grande coisa (sob Temer, o país produziu quase 530 mil empregos em 2018), mas o Alexandre Garcia irá dizer que foi uma maravilha.

Em termos de Jales, dezembro apresentou um modesto saldo negativo: 03 empregos formais fechados, um resultado bem melhor que todas as principais cidades da região, que tiveram saldos negativos bem maiores. Com os três empregos perdidos em dezembro, Jales chegou a 104 empregos fechados em 2019.

Fernandópolis fechou 529 empregos em dezembro, mas, mesmo assim, apresenta saldo positivo no ano, com 250 novos empregos abertos em 2019. Santa Fé do Sul fechou 41 empregos em dezembro, mas, no ano, produziu 64 novos empregos. Votuporanga, de seu lado, fechou 283 empregos em dezembro e terminou 2019 com saldo negativo de 41 postos de trabalho fechados.

Entre os 22 pequenos municípios da região de Jales, os piores desempenhos do ano ficaram por conta de Santa Albertina, que fechou 93 empregos em 2019, e Santa Salete, que fechou outros 29. Já os melhores resultados foram obtidos por São Francisco, que abriu 133 novos empregos em 2019, e Urânia, que gerou 64.

MESMO COM CHUVA, PRIMEIRO ‘SARAU NO PONTO’ DE 2020 ATRAIU GRANDE PÚBLICO

Da Secretaria Municipal de Comunicação:

Nem com chuva os simpatizantes do Sarau no Ponto deixaram de participar da primeira edição de 2020, que foi realizada na tarde do último domingo, dia 19 de janeiro, local de encontro de amigos e familiares. O evento cultural abriu as comemorações dos 30 anos de existência da Escola Livre de Teatro de Jales que, vai estar recheada de novidades nos próximos meses.

O Sarau contou com a participação especial da dupla jovem Natália Marques e Léo Ramos, como também manifestações de músicas, danças e poesias do próprio público. Além disso, os participantes puderam apreciar a exposição fotográfica “Mulher do Cabelo Crespo” e o lançamento do livro “Escola da Vida”, da professora de educação física e escritora Janeth Vitor. “Como professora eu notei as diferenças e habilidades de cada um. Este livro vem com a ideia de incentivo a leitura e ao mesmo tempo ser uma ocasião familiar”, explicou Janeth.

Os espaços disponibilizados como o “Pé de Poesia”, “Aqui se Faz”, “Pontinho de Cultura” e “Sabor & Prosa” foram bem aproveitados. Com a oficina de barangandão, as crianças do Pontinho de Cultura tiveram a oportunidade de confeccionar seus próprios brinquedos.

“A chuva, apesar de provocar certo atraso para iniciarmos, veio para mostrar que o Sarau no Ponto está consolidado. Foi lindo ver aquela multidão chegando e preenchendo os espaços do evento. Em tempos tão difíceis para a arte e a cultura este encontro é mais que um privilégio, é uma necessidade. E expressões culturais como do pequeno Felipe Baratela, de 11 anos, é o que nos anima para continuar. Ele participou do primeiro projeto do Sarau, quando estávamos pensando começar a realiza-lo publicamente, e até hoje ele está com a gente”, completou o diretor da Escola Livre de Teatro, Clayton Campos.

HOMEM QUE ADOTOU CACHORRO EM VOTUPORANGA E SOLTOU EM JALES É MULTADO E RESPONDERÁ POR MAUS TRATOS

Aqui em Jales, o “Meninão” ficou abrigado em uma farmácia. Deu no portal Votuporanga Tudo:

Um morador de Votuporanga que adotou um cachorro e, depois de alguns dias, abandonou o cão nas ruas de Jales foi identificado por protetores e multado em mais de R$ 5 mil.

A informação foi divulgada hoje (20) pelo vereador e protetor Chandelly em suas redes sociais. De acordo com ele, após ser identificado o homem alegou que familiares tiveram alergia dos pelos do animal, por isso o levou pra Jales.

O animal, ‘batizado’ de Meninão, foi reconhecido em fotos divulgadas nas redes sociais por uma mulher, que acolheu o animal, em uma farmácia.
De acordo com Chandelly, o mau cuidador foi multado em R$2,2 mil pelo Centro de Proteção a Vida Animal da Prefeitura e mais R$ 3 mil da Polícia Ambiental.

O caso também foi registrado na Polícia Civil como maus-tratos, o que pode motivar condenação criminal. Meninão voltou pra Votuporanga e está sob a guarda de uma voluntária.

ARTIGO – “JALES, 2030”

Abaixo, artigo do procurador da República em Jales, José Rubens Plates, com algumas reflexões sobre nossa cidade:

Com a virada de uma casa decimal no calendário dos anos (19/20), além das aspirações de renovação e de um 2020 próspero, tem-se ocasião bastante propícia para reflexões sobre o futuro da nossa querida Jales, que há mais de cinco anos muito bem me acolhe. Importante pensarmos sobre seus caminhos para a nova década que se aproxima (2021-2030).

Na vida individual ou comunitária, muitas das benfeitorias e amarguras do presente se devem a boas ou más escolhas que fizemos ou fizeram (por nós) no passado. Assim, é necessário semearmos bem, para colhermos ainda melhores condições, para todos, até 2030.

Se o Simpósio “O Combate à Corrupção nos Trinta anos da Constituição Federal”, realizado em 2018, procurou resgatar um pouco a história da cidade de Jales, com a homenagem ao Dr. Roberto Valle Rollemberg que aqui viveu, e teve destaque nos trabalhos da Constituinte, convém também discutirmos e, na medida do possível, planejarmos os anos do porvir.

Que Jales queremos? Qual cidade seremos capazes de construir nos anos vindouros? É viável um aeroporto com voos comerciais? É factível a vinda de uma universidade federal? Na saúde, lutaremos por um hospital regional, ou fortaleceremos as instituições já instaladas? Em quais serviços teremos excelência?

Conseguimos tornar o comércio mais atrativo e o parque industrial mais forte, com mais vagas de emprego e melhores condições aos trabalhadores? Conseguiremos avançar, respeitando às leis e praticando a honestidade no dia a dia?

Nesse período, se não houver alterações nas regras eleitorais, teremos três eleições municipais (Vereadores e Prefeito) e duas eleições gerais (Deputados, Senadores, Governadores e Presidente da República). Faremos um representante na Assembleia Legislativa? E na Câmara dos Deputados? Ou já estamos satisfeitos e bem representados nas casas legislativas?

Na arquitetura urbana, preservaremos os parques e os espaços verdes? Conseguimos organizar uma Cidade Administrativa (como Belo Horizonte/MG) ou uma Cidade Judiciária? Quais equipamentos de cultura e lazer teremos? Quais tecnologias podemos trazer e quais teremos condições de exportar a outras regiões? Tornaremos os governos digitais? Conseguimos uma cidade inteligente e sustentável (smart city)? As atividades agropecuárias continuarão atrativas e pujantes?

Enquanto radicados em Jales, quais sonhos podemos acalentar juntos? Além do sagrado pão de cada dia, atrás do que nós iremos? Conciliaremos tais avanços com o que se tem de mais rico na cultura, como a tradicional Cavalgada no aniversário da cidade, e na religião, como a Romaria Diocesana, dentre tantas genuínas manifestações comunitárias.

Respeitando na íntegra os seres humanos (de esquerda ou de direita, rico ou pobre, negro, branco ou índio, patrão ou empregado, bilionário ou indigente), tenhamos os pés e o trabalho em 2020, e a cabeça voltada no corredor até 2030. Sem ficar a reboque da vizinhança, faremos jus ao título de Jales, Centro de Região.

JOSÉ RUBENS PLATES

Natural de Marília, reside em Jales desde 2014.

 

JORNAL DE JALES: FLÁ AFIRMA QUE A CIDADE TERÁ R$ 25 MILHÕES INVESTIDOS EM OBRAS DURANTE ESTE ANO

Eis a capa do Jornal de Jales deste domingo, que destaca entrevista com o prefeito Flá Prandi, na qual o alcaide afirma que mais de R$ 25 milhões serão investidos na cidade neste último ano de seu primeiro mandato. “Jales será um canteiro de obras em 2020”, afirmou o prefeito, que garantiu, ainda, a continuidade do que chamou de “maior obra de asfalto da história da cidade”. Flá revelou ao jornal que sua maior preocupação é a dívida com a Previdência Social, que vai exigir aportes de R$ 8,7 milhões até dezembro deste ano, além do que a Prefeitura já repassa normalmente. Indagado se pretende se candidatar à reeleição, Flá teria desconversado, segundo o jornal: “no momento o foco é somente a administração”.

Destaque, igualmente, para a segunda Missão Univida Amazônia realizada neste início de ano, sob a coordenação do padre Eduardo Lima, de Urânia. Levando 93 pessoas, entre estudantes, professores e profissionais da saúde, a Missão prestou atendimento em aldeias indígenas e em uma comunidade quilombola. Segundo o padre, foram realizadas centenas de consultas médicas, odontológicas e atuações da enfermagem e da psicologia. O padre ressaltou, ainda, que os resultados superaram as expectativas iniciais.

As posições do presidente da Câmara, Tiquinho, e da secretária de Saúde, Maria Aparecida Moreira, diante da nota de repúdio emitida pelo Conselho Municipal de Saúde; o artigo “Jales, 2030”, do procurador da República em Jales, José Rubens Plates; o levantamento do Tribunal Regional do Trabalho que apontou a Vara do Trabalho de Jales como a primeira do Estado e uma das 7 melhores do país; o 49º Campeonato Aberto de Futsal de Jales, que reúne equipes de Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso do Sul e São Paulo; e a nomeação do delegado da DISE de Jales, Marcos Negrelli, como novo delegado seccional de Votuporanga, são outros assuntos do JJ.

Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior alerta que os prefeitos de municípios que mandam alunos para a APAE de Jales e que não têm por hábito honrar os compromissos assumidos com a instituição, terão que ficar espertos d’ora em diante. O colunista conta o caso do prefeito de Aspásia, o Calango, que passou por um sufoco depois de empurrar com a barriga, por três meses, o débito do município com a APAE. Segundo Deonel, o presidente da entidade, João Aparecido Papassídero, acionou uma mãe de aluno, que, de seu lado, alertou a Câmara Municipal de Aspásia sobre o que estava acontecendo e, diante do barulho dos vereadores, o prefeito tratou de se mexer e pagar a conta.  

A TRIBUNA: CONSELHEIRA REBATE AFIRMAÇÃO DE TIQUINHO SOBRE SUPOSTA ATUAÇÃO POLÍTICA DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE

No jornal A Tribuna deste final de semana, o principal destaque é um relatório preparado pela Secretaria Municipal de Educação sobre os efeitos que algumas mudanças na grade curricular da rede estadual de ensino irão causar às finanças municipais. Uma das mudanças é a implantação do programa Inova, que vai aumentar o período de permanência dos alunos nas escolas estaduais em uma hora por dia, o que irá aumentar o consumo de merenda. Segundo o relatório, os gastos com a merenda escolar poderão aumentar quase R$ 1 milhão. O relatório diz, ainda, que as mudanças causarão grandes transtornos no transporte escolar e poderão obrigar a Prefeitura a ter que contratar mais motoristas de ônibus.

Matéria do repórter Alexandre Ribeiro, o Carioca, lembra que, quatro meses depois do incêndio que devastou metade do Bosque Municipal “Aristóphano Brasileiro de Souza”, a recuperação do local ainda não é visível para quem passa pela Avenida “Paulo Marcondes”. Os trabalhos iniciados pela Prefeitura em dezembro andam a passos muito lentos. De outro lado, o inquérito que apura a autoria do incêndio ainda não foi concluído. Diversas testemunhas foram ouvidas, mas apenas uma delas declarou ter visto um homem saindo do local, sem no entanto, conseguir dar a descrição do indivíduo.

A revitalização ambiental do Distrito Industrial I; a intensificação do combate à dengue, que, em 2019, teve um crescimento de mais de 5.000% no número de casos confirmados; a declaração do presidente da Câmara, Tiquinho, que, em coletiva de imprensa, afirmou que o prefeito Flá não cumpriu compromisso de comprar ambulâncias; e a movimentação do deputado Itamar Borges, que, buscando mais eleitores, está trocando seu domicílio eleitoral de Santa Fé do Sul para São José do Rio Preto, são outros assuntos de A Tribuna

Na coluna Enfoque, destaque para o firme posicionamento da conselheira Adriana Dal Acqua Plates durante a reunião do Conselho Municipal de Saúde, realizada na quinta-feira, 16. Ela rebateu afirmação do vereador Tiquinho sobre uma suposta atuação política do Conselho e não concordou com a proposta de retirada da nota de repúdio endereçada à Câmara. Na página de opinião, artigo do procurador da República em Jales, José Rubens Plates, com reflexões sobre o futuro da cidade. E no caderno social, destaque para a coluna do Douglas Zílio e para a formatura da jovem Maria Eduarda Colombo.

DEPOIS DE REUNIÃO COM VEREADORES, CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE EMITE NOTA DE ESCLARECIMENTO

Como já adiantado pelo blog, o Conselho Municipal de Saúde reuniu-se na quinta-feira, 16, para discutir alguns assuntos de sua alçada. Quase todos os conselheiros – são 32 no total, entre titulares e suplentes – compareceram. A situação da frota de veículos da Secretaria de Saúde foi um dos assuntos discutidos, mas…

Mas o tema principal da reunião foi, sem dúvida, a nota de repúdio emitida na semana passada pelo Conselho, com críticas à Câmara Municipal por conta da reforma que está sendo realizada no prédio do Legislativo. O presidente Tiquinho e o vereador Deley – únicos representantes da Câmara presentes – argumentaram que o Conselho foi injusto com os vereadores.

Deley disse que a nota foi precipitada e que o Conselho deveria ter buscado informações na Câmara, antes de procurar a imprensa para anunciar o repúdio. Tiquinho, de seu lado, disse não concordar com o repúdio, uma vez que os membros do Conselho nunca procuraram a Câmara para reivindicar alguma coisa.

E como a melhor defesa é o ataque, Tiquinho tratou de jogar parte da responsabilidade para cima do prefeito Flá. Ele declarou que, em 2018, a Câmara devolveu dinheiro ao Executivo com o compromisso de que a grana seria utilizada na aquisição de uma ambulância. Segundo ele, o prefeito não teria honrado o compromisso. “Nós não falhamos com a saúde”, afirmou Tiquinho.

A secretária de Saúde, Maria Aparecida Moreira, deixou claro, no entanto, que o dinheiro devolvido em 2018 – coisa de R$ 90 mil – não era suficiente para a compra de uma ambulância, que custaria algo em torno de R$ 200 mil. “Nós optamos por utilizar o dinheiro na aquisição de um veículo para transporte de material biológico, já que estávamos correndo o risco de levar uma multa que poderia chegar a R$ 100 mil”, explicou Maria Aparecida.

Os dois vereadores tentaram, então, convencer os membros do Conselho a retirar a nota de repúdio. O pleito dos vereadores foi colocado em votação e, por 14 votos a 01, os conselheiros rejeitaram a proposta e decidiram manter o repúdio.

Ao fim e ao cabo, vereadores e conselheiros chegaram a um acordo pelo qual a Câmara se compromete em repassar parte das sobras deste ano, que estão estimadas em pouco mais de R$ 300 mil, para aquisição de uma ambulância. É esse o assunto da nova nota emitida pelo Conselho de Saúde na sexta-feira, 17, cujo teor reproduzo abaixo:

Nota de Esclarecimento

Jales, 17 de janeiro de 2020

O Conselho Municipal de Saúde de Jales, em sua 178ª Sessão Plenária Extraordinária datada de 16/01/2020, contando com quase totalidade de seus membros, acordou com o Presidente da Câmara de Jales, Sr. Nivaldo Batista de Oliveira, e o vereador Vanderley Vieira dos Santos (Deley), o repasse de sobra de orçamento referente a junho e dezembro de 2020 convencionado em Ata entre as partes.

Através do diálogo e cooperação entre ambos os órgãos, a saúde pública de Jales será contemplada com mais recursos no ano de 2020. 

ass.: José Célio Martini – presidente do Conselho

1 2 3 479