Categoria: Cidade

TIAGO ABRA: ‘O DRAMA DA SACOLINHA’

Na semana passada, fui escalado pelo Paulo Aruca, editor de A Tribuna, para ouvir clientes dos nossos supermercados e escrever uma matéria sobre o fim da distribuição gratuita das sacolinhas de plástico. Nas minhas andanças, a imensa maioria das pessoas que ouvi, se disse favorável à medida, que – até prova em contrário – visa a preservação do meio ambiente.  

E hoje, um visitante do blog cobrou a opinião deste aprendiz de blogueiro sobre o assunto. Vejam aí:

Anônimo
30 janeiro 2012 às 8:48

Faz tempo que precisamos de um Prefeito… Cardosinho em relação a não distribuição de sacolas no mercado o que você pensa?  não li nada a respeito no seu blog… até mais!

A minha opinião sobre o fim da sacolinha gratuita não tem a menor importância, mas eu concordo com o que escreveu o Tiago Abra, em artigo publicado no jornal A Tribuna, neste final de semana, abaixo reproduzido:

Os supermercados pararam de distribuir gratuitamente as sacolinhas de plástico na quarta-feira. Grande parte da população de São Paulo ficou revoltada e encheu as redes sociais de reclamações.

O principal argumento é de que esta seria uma medida para os comerciantes ganhar ainda mais dinheiro e que a preservação do meio ambiente é uma desculpa. Na verdade, essa revolta é causada pelo comodismo, pelo fato de você poder ir ao supermercado, pegar quantas sacolas quiser, sem se preocupar com o que acontecerá depois.

Infelizmente, campanhas de conscientização não bastam para educar o povo. Desde criança escuto coisas do tipo “precisamos preservar o meio ambiente, recicle, não jogue lixo nas ruas”. Mas nada disso adianta. Infelizmente, o brasileiro só aprende quando mexem no seu bolso.

Na Europa, o cliente tem que pagar se quiser pegar sacola plástica. A esmagadora maioria leva sua própria sacola reciclável, sem reclamar. Ao contrário, é elegante colaborar com a preservação do meio ambiente, afinal um mero pedaço de plástico demora mais de 100 anos para se decompor.

Mas e se eu estiver de moto? Quando morei em Londres, ia ao trabalho de bicicleta todos os dias e sempre andava com uma mochila para o caso de ter que passar no supermercado ou em outro lugar. Ou seja, ao invés de ficar arrumando desculpas, é preciso que cada um arrume uma solução, o que é simples de se fazer neste caso. Sem drama.

Pequenas atitudes fazem a grande diferença, sim. E para que isso aconteça é necessário uma mudança de hábitos de todos. É preciso parar de olhar somente para o próprio umbigo e começar a pensar no bem coletivo.

A charge lá de cima é do talentoso Cazo e foi publicada originalmente no jornal Comércio do Jahu, de Jaú(SP). O Jornal de Jales também publica as charges do Cazo.  

CÂMARA SEDIA TRANSMISSÃO DE CARGO DA DELEGACIA DO SERVIÇO MILITAR DE JALES

O assessor de imprensa da Câmara, Douglas Zíllio, mandou release, do qual reproduzo alguns trechos:

A Câmara Municipal de Jales sediou na manhã da sexta-feira, dia 27 de janeiro, a solenidade de transmissão do cargo de Delegado da 20ª Delegacia de Serviço Militar de Jales e a inauguração do retrato em homenagem ao delegado sucedido Hilson Holenwinsky de Oliveira.

Na primeira parte do evento, o Major de Infantaria, José Nailson de Araújo Pereira, representando o chefe da 5ª Circunscrição de Serviço Militar, convidou a esposa do Tenente Holenwinsky, Sônia, a descerrar a bandeira insígnia, oficializando a inauguração do retrato na galeria de ex delegados.

Já na segunda parte do evento, o Delegado Luis Fernando Borella de Souza assumiu o cargo na 20ª Delegacia de Serviço Militar em Jales. Ele estava servindo no 17º Regime de Cavalaria Mecanizado, sediado em Amambaí – MS.

O tenente Luis Fernando Borella de Souza, que estava servindo no 17º Regimento da Cavalaria Mecanizado, em Amambaí MS, nasceu em 14 de maio de 1961, em Cruz Alta – RS. Incorporou-se às fileiras do Exército em 04 de fevereiro de 1980 e foi promovido ao posto atual em 1º de dezembro de 2009. 

Ao longo de sua carreira serviu em oito unidades diferentes. Luis Fernando é casado com a senhora Lisiane e tem dois filhos, Ana Luiza e Júnior.

JALES PERDE 110 EMPREGOS FORMAIS EM DEZEMBRO

Os números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados – CAGED, divulgados na semana passada, demonstram que, em dezembro, foram fechados 110 empregos com carteira assinada, em Jales. Com o resultado negativo de dezembro, Jales fechou o ano contabilizando a criação de 390 empregos formais em 2011.

Apenas à guisa de comparação, Fernandópolis gerou 1.022 empregos formais, em 2011, enquanto Votuporanga abriu 1.271 novos empregos. Em termos percentuais, nos últimos doze meses o emprego formal cresceu 4,61% em Jales,  6,25% em Fernandópolis e 7,80% em Votuporanga. Até Palmeira D’Oeste – com 6,33% – foi melhor que Jales. Já o crescimento da festejada Santa Fé do Sul foi ridículo: apenas, 2,03%.

Nos sete anos do governo Parini, o CAGED registrou a abertura de 2.812 empregos formais em Jales. No mesmo período, Fernandópolis abriu 5.825 vagas, enquanto Votuporanga contabilizou 7.642 novos empregos.  

ANTENA DESLIGADA

Quem sintonizou o Antena Ligada desta segunda-feira na expectativa de ouvir alguma informação sobre o falecimento do ex-prefeito Honório Amadeu não ouviu nada a respeito do assunto. Em compensação, teve que ouvir, mais uma vez, o dissimulado presidente da Câmara, Macetão. E teve que ouvir, novamente, as opiniões do “comentarista” João Luiz Garcia sobre a eleição da Câmara.

Por sinal, o “comentarista” demonstrou não ter conhecimento sobre o que se passou na eleição da Câmara, mas isso é o de menos. Ninguém está obrigado a saber o que se passa nos bastidores do Legislativo.

O detalhe curioso é que o “comentarista” costuma emendar “comentários” apenas em cima de entrevistas gravadas.  Da mesma forma, ele  costuma criticar – genericamente – os políticos, mas quando algum político vai ao Antena Ligada – ao vivo – o “comentarista” se cerca de todos os cuidados para não fazer perguntas incômodas.

Quando esse político é o prefeito Humberto Parini, aí então o “comentarista” se transforma em uma espécie de levantador da seleção brasileira de vôlei e passa o tempo todo “levantando” bolas para o prefeito chegar batendo. Não é para menos: durante o governo Parini, a Antena 102 recebeu mais de R$ 500 mil em dinheiro público para realizar o Arraial da Antena.

ACESSIBILIDADE POUCA É BOBAGEM

Jales é mesmo uma cidade cheia de coisas interessantes. Não se tem notícia, por exemplo, de outra cidade que tenha um poste bem no meio de uma rua, como é o caso registrado na Rua Bom Pastor, na Vila Talma, que pode ser visto na foto ao lado.

O poste já é quase uma atração turística e, há algum tempo, serviu até de inspiração para uma reportagem televisiva. 

Pois bem, agora dê uma espiada na foto abaixo, que mostra o estacionamento de um prédio da Rua Sete. Repare bem na vaga para pessoas portadoras de deficiência e me diga se existe alguma coisa errada com ela. Nada de anormal? Então, repare melhor…

  

DESTAQUES DOS JORNAIS

Estas foram as manchetes dos jornais locais, neste final de semana:

Folha Noroeste: “Estância Turística de Santa Fé do Sul recebe quase R$ 3 milhões para revitalização do CAT”

Folha Regional: “Parini se reúne com presidente do Instituto de Saúde e Meio Ambiente”

Jornal de Jales: “Contrabandista azarado recebe voz de prisão na Santa Casa”

A Tribuna: “Tatinha acusa Macetão de mentir e abrigar aliados”

Na Folha Noroeste, a informação de que o governo estadual anunciou a liberação de R$ 238,7 milhões para 64 estâncias turísticas do Estado de São Paulo. A fatia do bolo que caberá a Santa Fé do Sul é de R$ 3 milhões. Outras manchetes: Redução da criminalidade impediu mais de 61 mil mortes; Saracuza assina convênios de R$ 500 mil para recapeamento asfáltico. Na coluna Folhageral, o editor Roberto Carvalho informou que em todas as cidades da região, onde existe o Projeto Guri, as inscrições para o curso de música já estão abertas, exceto em Jales.

A Folha Regional destacou que o prefeito Humberto Parini esteve reunido, na terça-feira, com Francisco Carlos Bernal, presidente da Oscip ISAMA. Da reunião, participaram também autoridades da área da saúde. Outras manchetes: Prefeitura de Jales e MinC investirão 900 mil reais em cultura; Governo de São Paulo libera recursos para aquisição de retroescavadeira para a cidade de Dolcinópolis. Na coluna Ella, o jornal presenteou os leitores com as fotos da morena Evelin Aliana Rocha, que disse gostar de viajar e ficar com o namorado.

No Jornal de Jales, destaque para o contrabandista que capotou o carro com 20 mil maços de cigarros trazidos do Paraguai e foi conduzido para a Santa Casa de Jales, onde a Polícia Federal o apanhou. Outras manchetes: “Secretário de Saúde contesta deputado do PSDB por críticas ao governo federal“; “Custo de campanha pode afugentar pré-candidatos“. Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior informa que o professor universitário e advogado Alessandro Martins Prado está lançando seu quarto livro, dessa vez na área de Direitos Humanos.

O jornal A Tribuna destacou a crise no Legislativo jalesense em matéria onde a vereadora Tatinha acusa o presidente Macetão de praticar autoritarismo e dizer mentiras para encobrir suas intenções. Outras manchetes: “Jalesense aceita pagar por sacolas ecológicas“; “Prefeiturável Flá sobe o tom e critica governo Parini“. Na coluna Enfoque, o jornalista Paulo Reis Aruca comenta que o aumento no repasse feito pelo Consirj à Santa Casa de Jales somente não foi feito antes porque o prefeito Parini não queria ‘dar moral’ ao então provedor Garça.  

ESTAÇÃO SESI: MP INSTAURA INQUÉRITO PARA APURAR EVENTUAL DANO AMBIENTAL

O Ministério Público de Jales, através do promotor de Justiça, Eduardo Hiroshi Shintani, deferiu representação formulada por dois cidadãos e determinou diligências para apurar eventual prática de dano ambiental, por conta do provável corte de 50 árvores em área do Terminal Rodoviário. O terreno onde estão as árvores foi doado ao SESI, para construção da Estação Sesi de Cultura. 

A representação foi protocolada junto ao Ministério Público pela advogada Alzira Mara de Azevedo Novaes e pelo estudante Luís Henrique Vicente de Oliveira e está acompanhada por um abaixo-assinado com cerca de 2.000 assinaturas.

O MP resolveu coletar informações sobre o assunto e, entre outras coisas, está pedindo que a Prefeitura justifique a escolha do local e explique se tal escolha está de acordo com o Plano Diretor Ambiental, recentemente anunciado pela administração Parini. Além disso, o MP também quer saber se houve participação comunitária na escolha da área onde se pretende construir a Estação Sesi de Cultura.

Esta última indagação eu mesmo posso responder: na administração Parini – que sepultou o orçamento participativo – a participação comunitária nas decisões que dizem respeito à população é nenhuma. Quem decide o que  vai ser feito e onde será feito é o prefeito e a primeira-dama. O casal real imagina que os súditos estão aqui apenas para pagar impostos e age como se a cidade fosse o quintal da chácara deles. Felizmente, o reinado de ambos só dura mais 337 dias. Se o Joaquim Barbosa não nos der um presente antecipado!     

EX-PREFEITO HONÓRIO AMADEU FALECE EM JALES E SERÁ VELADO NA CÂMARA MUNICIPAL

Faleceu, há alguns instantes, na Santa Casa de Misericórdia de Jales, o nosso ex-prefeito HONÓRIO AMADEU, conforme comunicado da funerária Rosa Mística. Honório tinha 76 anos (20/09/1935). Ele foi prefeito de Jales por dois mandatos: o primeiro,  de 1965 a 1969, enquanto o segundo mandato foi de 1973 a 1977.

O corpo do ex-prefeito ainda está sendo preparado e, no máximo, por volta das 21 horas será levado para a Câmara Municipal, onde será velado até amanhã. O horário do sepultamento ainda não foi definido pela família.

PS: segundo informações do amigo Hilton Marques, o sepultamento do ex-prefeito Honório Amadeu ocorrerá às 15:00 hs de amanhã, domingo. Antes, haverá um culto fúnebre, que está previsto para as 14:00 hs.   

TV RECORD MOSTRA PETISTA JALESENSE DIZENDO QUE ‘PRECISAMOS DE UM PREFEITO’

Jales foi, novamente, destaque nas telinhas de TV, ontem. Dessa vez, foi o SP Record quem abriu espaço para nossa cidade de céu sempre azulado e amores sem pecado. E de muitos buracos também!

A repórter Thaís Luquesi visitou dois bairros – o Jardim do Bosque e o Jardim Pêgolo 2 – e ouviu muitos “elogios” ao nosso prefeito. Até um antigo filiado do PT – o folclórico companheiro Fidelcino Manoel Martins – se deu ao luxo de botar a boca no trombone: ele disse que contou 70 buracos em uma rua e ressaltou que ‘precisamos de um prefeito’. Vejam, aqui, a reportagem da Thaís. 

1 423 424 425 426 427 435