Categoria: Política

PARINI E A HEGEMONIA TUCANA

O prefeito Parini parece ter acordado mau humorado nesta manhã chuvosa de quarta-feira. Em entrevista ao Antena Ligada, ele atacou o PSDB, usando palavras como engodo, estelionato eleitoral, fraude, etc. Se eu entendi bem, Parini chegou a chamar o ex-governador Alberto Goldman de mentiroso. Tudo por conta da duplicação da Euclides da Cunha, que o ex-governador  – durante a inauguração do Hospital de Câncer – teria prometido começar ainda em 2010.

Parini começou a entrevista atacando o ex-prefeito de Votuporanga, atualmente deputado estadual, Carlão Pignatari. Na opinião do nosso prefeito, Carlão teria experiência suficiente para não se deixar enganar por ninguém. Como se sabe, na sexta-feira passada, durante evento em Jales, Carlão disse que muita gente foi enganada pela antiga direção do DER nessa história da duplicação, inclusive o ex-governador Goldman.

Provavelmente, irritado porque Carlão classificou de BURRICE uma possível paralisação da rodovia, idéia concebida no gabinete de Parini, o nosso prefeito garantiu que os tucanos – Carlão à frente – ao atribuir culpas ao DER, estariam apenas procurando um culpado para a fraude eleitoral praticada pelo PSDB.

Depois, o nosso prefeito reclamou da hegemonia do PSDB em nossa região, e conclamou nossa população a acordar para a realidade. Segundo ele, os eleitores desta região do Estado – inclusive os de Jales, onde a votação  dos tucanos ficou bem acima da média estadual –  poderiam ter levado a eleição do ano passado ao segundo turno, se não tivessem votado em peso em Geraldo Alckmim prá governador.

Talvez fosse a hora de o próprio Parini acordar. Afinal de contas, ele mesmo pediu votos para o PSDB, conforme se pode ver na foto aí do lado, onde a residência do casal Parini aparece enfeitada com cartazes da candidata tucana Analice Fernandes. Que autoridade o nosso prefeito tem prá falar que o povo está sendo enganado, se ele próprio contribuiu prá isso? E que autoridade o nosso prefeito tem para criticar o PSDB, se as maiores conquistas da sua administração – Hospital de Câncer, Fatec, Estrada do Café – só foram possíveis graças aos recursos disponibilizados pelo governo estadual?

Talvez fosse a hora de o prefeito Parini fazer uma reflexão sobre os motivos que levaram a população de Jales – administrada pelo PT – a dar uma votação tão expressiva ao PSDB. Se fizesse uma análise sincera, o prefeito iria perceber que, muito menos do que as promessas de duplicação da Euclides da Cunha, o que influenciou o voto nos tucanos pode ter sido o descontentamento com sua administração. Mas, cá entre nós, pedir que o nosso prefeito faça uma autocrítica sincera, aí também já é querer demais.

CARLÃO, SEM MEIAS PALAVRAS

O ex-prefeito de Votuporanga e deputado estadual, Carlão Pignatari, deu interessante entrevista ao repórter Claudiney Antonio, do Antena Ligada, sobre a novela “duplicação da Euclides da Cunha”. Entre outras coisas, ele disse ter ficado sabendo por um jornal de Votuporanga sobre a reunião promovida no gabinete do prefeito Humberto Parini, onde ficou marcada uma paralisação na Euclides da Cunha, para o dia 1º de março.

Sem meias palavras, Carlão classificou como uma “BURRICE” a idéia da paralisação. “Coisa de gente que quer aparecer politicamente”, disse ele. Se todos os políticos usassem as palavras certas, como Carlão fez, talvez a classe política não estivesse tão mal avaliada pela opinião pública. Deve ser por coisas assim, que ele foi reeleito prefeito de Votuporanga, em 2004, com mais de 80% dos votos, e, em 2008, fez o seu sucessor, Júnior Marão, também com mais de 80% dos votos.  

Como já noticiamos em um post anterior, a tal reunião citada por Carlão foi realizada no gabinete do Parini, na sexta-feira à tarde, e além do nosso prefeito, contou com as ilustres presenças do ex-prefeito de Valentim Gentil, Liberato Rocha Caldeira, do prefeito de Álvares Florence, Alberto César Caires, e do presidente de um Sindicato de Caminhoneiros, senhor Sérgio Barsalobre. Aparentemente, nem a imprensa de Jales ficou sabendo dessa reunião, já que ela só foi noticiada pelo Diário de Votuporanga.

Curiosamente, na mesma sexta-feira, só que no período da manhã, o Forum da Cidadania e mais um punhado de entidades e autoridades, inclusive o Carlão, também se reuniram na Associação Comercial de Jales, para tratar do desencontro de informações que envolve a duplicação da “Euclides da Cunha”. O prefeito Humberto Parini, como era de se esperar, não compareceu,  preferindo encarregar o vice Clóvis Viola de representá-lo. Provavelmente, o nosso prefeito estava muito ocupado em preparar o ambiente para a reunião da tarde, ou então, deve ter utilizado o período da manhã para visitar alguma obra social da primeira-dama.

Voltando à entrevista do Carlão, ele garantiu que a duplicação vai ser feita. E, como ele não parece ser um homem de meias palavras, acho que já dá prá gente começar a acreditar. E aí abaixo, um vídeo onde o governador Alckmin garante que não haverá pedágio na “Euclides da Cunha”:

You need to a flashplayer enabled browser to view this YouTube video

A ONDA É PROTESTAR: DEPOIS DA TIA, ATÉ O PREFEITO ADERE A UM PROTESTO

É prá acabar com o pequi do Goiás! Acabo de ler no jornal Diário de Votuporanga que, na sexta-feira, o gabinete do prefeito Humberto Parini foi palco de uma reunião conspiratória. E a conspiração já tem local, data e horário marcados: será no km 580 da Euclides da Cunha (próximo ao trevo da Água Vermelha), dia 01 de março, a partir das 09 horas e sem horário prá terminar.

 Segundo a notícia, estiveram reunidos o nosso proativo prefeito Parini, também presidente da falecida AMOP, mais um senhor chamado Alberto César de Caires, prefeito de Alvares Florence e presidente da AMA, e o ex-prefeito de Valentim Gentil, Liberato Rocha Caldeira, que, atualmente, ocupa a presidência de uma tal de Frente Nacional de Produção. Além das mencionadas entidades “fantasmas”, a reunião teve também a participação do Sindicato dos Caminhoneiros da Região Noroeste, representado por seu presidente, senhor Sérgio Barsalobre. Como se vê, só ficou faltando a Sula Miranda.

E o que decidiram os quatro mosqueteiros? Se a notícia estiver correta, eles decidiram fazer um protesto com o pomposo nome de “Mobilização Regional Em Favor do Imediato Início das Obras de Duplicação da Rodovia Euclides da Cunha“, que inclui a paralisação da rodovia no trecho acima mencionado. É isso mesmo! Enquanto alguns prefeitos e entidades da região, buscam informações e tentam o diálogo, o quarteto fantástico planeja uma sublevação. Com certeza, o Alckmin já deve estar perdendo o sono!  

De qualquer forma, pelo menos agora a Tia não vai poder reclamar do Parini: se a tal paralisação realmente acontecer, o restaurante Fogão de Lenha e também o Sucos Coutinho vão faturar alto no dia primeiro de março.

Em Tempo: O amigo José Luiz mandou comentário, que pode ser lido aí embaixo, corrigindo o nome da entidade presidida pelo ex-prefeito de Valentim Gentil, Liberato Rocha Caldeira. O nome correto é Frente Nacional de Prefeitos, e não Frente Nacional de Produção, conforme foi grafado na matéria do Diário de Votuporanga e estupidamente “engolido” por este aprendiz de blogueiro. Se não me falha a memória, essa FNP é uma entidade que, em 2009, queria receber uma verbazinha mensal da Prefeitura de Jales, mas teve suas intenções abortadas pela Câmara.

ROMÁRIO TROCOU PRIMEIRA SESSÃO LEGISLATIVA POR FUTEVÔLEI NA PRAIA

Entre o carpete da Câmara dos Deputados e a areia da praia, o recém-empossado deputado federal Romário (PSB) deu mostras de que prefere sempre a segunda opção. Nesta quinta-feira, por volta de 17h, enquanto transcorria a primeira sessão legislativa no Parlamento neste ano, o ex-atleta participava de um outro tipo de sessão: uma animada pelada de futevôlei na praia da Barra da Tijuca, acompanhado de amigos inseparáveis da bola. 

Romário — a exemplo de muitos parlamentares — até chegou a pisar no Congresso, recebeu presença e, logo depois, pegou o avião e voltou ao seu reduto eleitoral. No caso, o Estado do Rio de Janeiro, em mais um dia de sol escaldante e muita praia.

ALCKIMIM CONGELA R$ 3,6 BILHÕES EM OBRAS

Deu no Estadão de hoje. A duplicação da “Euclides da Cunha” não foi citada, mas…

Depois de adiar os planos para a Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô), o governo do Estado colocou obras viárias importantes na “geladeira“. Estão congeladas a conclusão da Avenida Jacu-Pêssego e até obras prometidas na campanha eleitoral pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB), como a ponte entre Santos e Guarujá e a duplicação da Rodovia dos Tamoios. E o pior: não há mais prazo para entrega.

A justificativa é a reavaliação de contratos e prioridades. Com custo estimado em R$ 3,6 bilhões, as promessas são repetidas há décadas e foram resgatadas na gestão anterior do governo estadual. Além das cifras bilionárias, são intervenções importantes para milhões de paulistas.

A mais cara delas é a duplicação da Rodovia dos Tamoios, prometida desde os anos 1990. O início das obras chegou a ser anunciado para o segundo semestre de 2009, com custo estimado em R$ 2,7 bilhões, o que não ocorreu. Alckmin afirmou durante campanha que seria a primeira de seu governo, com início programado para o mês passado. O licenciamento ambiental está preparado, mas ainda não há prazo para licitação. A obra, assim como a da ponte, permanece em “fase de estudos técnicos”, segundo a Secretaria de Transportes. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

EUCLIDES DA CUNHA: SEMEGHINI PREVÊ INÍCIO DAS OBRAS AINDA EM FEVEREIRO

Secretário de Gestão Pública critica movimento pela duplicação

O desencontro de informações é total. Enquanto o Forum da Cidadania e a Associação Comercial de Jales organizam reunião para iniciar movimento pela duplicação da Euclides da Cunha, vejam o que saiu no Diário da Região de ontem:

O secretário estadual de Gestão Pública, Júlio Semeghini (PSDB) reagiu contra a iniciativa do ex-prefeito de Valentim Gentil, Liberato Caldeira, de organizar o fechamento da rodovia no dia 15 de fevereiro. “Ele (Liberato) não pode apenas ficar aparecendo”, afirmou Semeghini.

O ex-parlamentar afirmou que o início das obras depende de licenças ambientais que deverão ser concedidas ainda neste mês. “A previsão é que o início da duplicação seja fevereiro. Vou trabalhar para isso”, disse Semeghini.

Explicação do blogueiro: há uns dois ou três dias, Caldeira andou falando em convocar os prefeitos ligados à falecida Amop e à AMA-Associação dos Municípios da Araraquarense, para um movimento que incluía o fechamento da Euclides da Cunha, no trevo com a Péricles Benini. O Semeghini tem razão. Agora que as coisas estão prestes a acontecer, tem muita gente querendo aparecer.

DESAPROPRIAÇÕES VÃO CUSTAR R$ 26 MILHÕES

O Departamento de Estradas de Rodagem (DER) deve gastar cerca de R$ 26 milhões com a desapropriação de áreas particulares para o início da obra de duplicação de 191,4 quilômetros da rodovia Euclides da Cunha – SP-320 – entre Mirassol  e  Rubinéia. A obra vai custar ao governo do Estado R$ 687,9 milhões.

Na última quarta-feira ocorreu reunião que contou com a participação de técnicos do DER envolvidos no projeto. Eles debateram estratégias para reduzir o impacto ambiental nas propriedades que serão cortadas pela duplicação. A procuradoria jurídica do departamento já elabora minuta do texto de decreto de desapropriação das áreas.

Se for preciso, o órgão estadual vai recorrer à Justiça para garantir o início da obra ainda neste mês. Uma das medidas adotadas foi a redução de 100 quilômetros por hora para 80 em trechos da rodovia. A empresa Constroeste, que ganhou dois dos oito lotes da obra, já iniciou a montagem do seu canteiro de obras.

MOBILIZAÇÃO PELA DUPLICAÇÃO DA EUCLIDES DA CUNHA

O Forum da Cidadania e a Associação Comercial e Empresarial acabam de divulgar comunicado convidando autoridades e entidades para uma reunião às 09:00 hs, na sexta-feira, no auditório da ACE Jales. Carlos Alberto Expedito de Britto e Wayner Pedrosa, os presidentes das duas entidades, estão preocupados com as notícias desencontradas a respeito da duplicação da rodovia Euclides da Cunha, anunciada no ano passado pelo então governador Alberto Goldman e agora, segundo as últimas informações, correndo o risco de ser novamente adiada. Por conta disso, o Forum e a ACE pretendem iniciar uma mobilização pelo início da obra.

Ontem, em Fernandópolis, presidentes de Câmaras e vereadores da região estiveram reunidos para também iniciar um movimento regional pela duplicação da rodovia. No encontro (foto acima/site Região Noroeste), ficou acertado que os presidentes de Câmaras solicitariam o agendamento de uma reunião com o secretário estadual de Transportes, Saulo de Castro, a fim de obter informações oficiais sobre o andamento da obra.

O presidente da Câmara de Jales, Claudir Aranda, não compareceu à reunião de Fernandópolis, em virtude de compromissos anteriormente agendados. No entanto, Claudir, que já participara de reuniões preparatórias do encontro, manifestou total apoio à iniciativa. Ainda ontem, no período da manhã, ele esteve em Santa Fé do Sul, para uma visita ao canteiro de obras que está sendo montado pela empresa Bandeirantes, nas proximidades da Funec. Segundo Claudir, a Construtora Bandeirantes, que será responsável pelos serviços de duplicação de 30 quilômetros da rodovia, já contratou cerca de 40 trabalhadores e  iniciou os trabalhos de limpeza à beira da Euclides da Cunha, conforme mostram as fotos abaixo.

EUCLIDES DA CUNHA: PRESIDENTES DE 15 CÂMARAS SE REÚNEM EM FERNANDÓPOLIS, NESTA TERÇA

Deu no site de notícias CidadãoNet, de Fernandópolis

A presidente da Câmara de Fernandópolis, vereadora Creusa Nossa, deverá receber amanhã, 1º de fevereiro, no Palácio 22 de Maio, às 16horas, 14 presidentes de Câmaras da região. Entre eles, os chefes do legislativo Mehde Meidão Kanso e Claudir Aranda, das cidades de Votuporanga e Jales, respectivamente.

A reunião é para dar continuidade ao movimento regional pelas obras da Euclides da Cunha, lançado dia 20 de janeiro, na cidade de Votuporanga, pelo Poder Legislativo daquela cidade, juntamente com Fernandópolis e Jales.

Estão sendo aguardados para a reunião os representantes das Câmaras das seguintes cidades: Meridiano, Pedranópolis, Macedônia, Mira Estrela, Indiaporã, São João das Duas Pontes, São João do Iracema, Ouroeste, Guarani D´Oeste, Populina, Turmalina e Estrela D´Oeste, além de Votuporanga e Jales.

Pergunta do blogueiro: e aquela entidade criada para defender os interesses dos municípios do oeste paulista – a AMOP, atualmente “presidida” pelo prefeito Humberto Parini – por onde é que ela anda mesmo?

A FALECIDA AMOP

Diante da celeuma que se instalou sobre a duplicação da Euclides da Cunha, um amigo me ligou perguntando por onde anda a AMOP – Associação dos Municípios do Oeste Paulista. Bom, prá dizer a verdade, a última notícia que li sobre a AMOP foi em janeiro de 2009, quando a imprensa divulgou a posse do novo presidente da entidade, o prefeito de Jales, Humberto Parini(PT). De lá prá cá, não me lembro de ter visto mais uma notinha sequer sobre a AMOP.

Quando entregou o cargo de presidente para o petista Parini, o ex-presidente da AMOP e também ex-prefeito de Valentim Gentil, Liberato Caldeira, proferiu um inflamado discurso na Câmara de Jales, destacando a importância da entidade em várias conquistas para os municípios do oeste paulista.

A AMOP realmente teve, em outros tempos, os seus dias de glória, mas àquela altura do campeonato, janeiro de 2009,  já era apenas um cadáver insepulto, à espera de um buraco ou de um improvável milagre da ressurreição. Perdera, por falta de lideranças, o bonde da história e a importância que tivera outrora. Ao passar o bastão para Parini, o ex-presidente Caldeira imaginava que, sendo o nosso prefeito o único petista eleito para um cargo executivo por estas plagas, era ele o sujeito ideal para liderar a entidade e operar o tal milagre da ressuscitação.

Ledo e Ivo engano! Ao entregar a AMOP à “liderança” de Parini, Caldeira praticamente entregou um cadáver insepulto aos cuidados do coveiro. Resultado: a AMOP, hoje, está morta e enterrada. E sem direito a missa de sétimo dia. 

A foto lá de cima é da posse de Parini. Desafio os leitores deste blog a encontrarem alguma outra notícia sobre a atuação do nosso prefeito à frente da AMOP, nestes dois anos de presidência. Uma reuniãozinha que seja!

ITAMAR BORGES CONTINUA DE FORA

Em dezembro do ano passado, o ex-prefeito de Santa Fé do Sul, Itamar Borges, estava escalado para entrar em campo como titular de uma cadeira da Assembléia Legislativa, mas uma jogada no tapetão o encaminhou para o banco de reservas. Um dia antes da diplomação, o TRE de São Paulo resolveu, com base na Lei da Ficha Limpa, anular os votos que haviam sido dados ao ex-prefeito de Barretos, Uebe Rezek, que também havia sido candidato a deputado estadual pelo PMDB, o mesmo partido de Itamar. Por conta disso, o coeficiente do PMDB diminuiu e lá se foi a vaga do beijoqueiro Itamar.

Uma das esperanças do ex-prefeito de Santa Fé do Sul, para voltar ao time titular, era o julgamento de uma liminar que Uebe Rezek havia apresentado ao Supremo Tribunal Federal, pedindo a suspensão da Ação por Improbidade Administrativa que o incluiu entre os candidatos fichas-sujas.

Pois bem, notícia do site Região Noroeste, desta segunda-feira, nos dá conta de que o presidente do STF, ministro Cesar Peluso, indeferiu o pedido de liminar apresentado por Uebe Rezek, que continua com a ficha suja, pelo menos até o julgamento do mérito da Ação por Improbidade. Desse modo, os votos obtidos por Uebe nas eleições de 2010 continuam no rol dos não-contabilizados e, por conta disso, Itamar continua no banco de reservas.

Mas ainda existem outras possibilidades do beijoqueiro conseguir sua cadeira, e ele, pelo jeito, não está disposto a entregar os pontos.

1 373 374 375 376 377 378