Arquivos mensais: Maio 2011

MINISTÉRIO PÚBLICO PREPARA AÇÃO CIVIL CONTRA COMISSÃO DA FACIP 2009

Não bastassem as dores de cabeça em relação ao Caso Facip 97, parece que o prefeito Parini poderá ter, também, alguns sobressaltos por conta da Facip 2009. Isso porque a Facip 2007, cujo rombo aproximou-se dos R$ 300 mil, não foi investigada.

Mas vamos ao que interessa: o Diário Oficial do Estado, de hoje, traz uma publicação onde o Ministério Público de Jales está pedindo a abertura da inquérito preparatório visando propor Ação Civil Pública, por improbidade administrativa, contra a Comissão Organizadora da Facip 2007, presidida pelo comerciante Alessandro Ramalho Flausino.

Na mesma publicação, o MP também pede abertura de inquérito civil para investigar a empresa Clássica Comércio de Eletrônicos e Produções Ltda. Para quem não se lembra, a Clássica, uma empresa de Goiás, foi contratada para “aplicar” os R$ 177 mil que o Ministério do Turismo enviou para a publicidade da Facip 2009.

Não tenho conhecimento do que está sendo alegado pelo Ministério Público, mas tenho conhecimento sobre alguns fatos, já que os vivenciei. A planilha proposta pela Clássica incluía a divulgação da Facip 2009 através de: caminhão de som (R$ 28.500); Confecção e distribuição de cartazes (R$ 20.000); veiculação de propaganda em 10 rádios da cidade e da região (R$ 45.000); veiculação em TV regional (R$ 73.500) e propaganda em jornais da cidade e região (R$ 10.000).

Disso tudo aí, pouquíssima coisa foi realizada, já que quase toda a propaganda daquela Facip foi paga pela própria Comissão, e não pela Clássica. A comprovação da confecção dos cartazes, por exemplo, foi feita mediante a apresentação de uma nota emitida por uma gráfica de Fernandópolis, cujo talão de notas era de 2000. Segundo informações, a gráfica estava inativa há muito tempo, mas a nota foi aceita, sem contestações, pelo secretário de Finanças, Rubens Chaparim. A propaganda na TV foi quase nenhuma e, pelo que consta, paga pela Comissão.

A ex-secretária municipal de Agricultura, Gláucia Alvarez Tonin, que era também a vice-presidente da Facip 2009, assinou um primeiro laudo de vistoria, no valor de R$ 117 mil, atestando a “realização” dos serviços. Alertada para as consequências, ela negou-se a assinar o segundo laudo, no valor de R$ 60 mil, que, posteriormente, foi assinado por Irineu de Carvalho, secretário de Esportes. Irineu não tinha nada a ver com a Facip, mas foi pego a laço para assinar o documento.

Por enquanto, parece que apenas a Comissão da Facip 2009 está sendo acusada de improbidade, mas não tenham dúvidas de que o prefeito Parini ainda vai acabar sendo envolvido nisso. Afinal, a fiscalização sobre a aplicação do dinheiro vindo do Ministério do Turismo era responsabilidade da Prefeitura. Daqui a alguns anos saberemos no que vai dar tudo isso.

PS: Um amigo visitante chamou a atenção para um equívoco cometido por este blogueiro, no trecho “Facip 2007, presidida pelo comerciante Alessandro Ramalho Flausino”. Na verdade, eu queria me referir à Comissão Organizadora da Facip 2009, que foi presidida pelo Alessandro.

PREFEITO E VEREADORES FORAM A BRASÍLIA PEDIR CAMPUS DE INSTITUTO FEDERAL

(por Roberto Timpurim)

No último dia 19 de maio, representantes dos poderes Executivo e Legislativo jalesense estiveram em Brasília (DF), no Ministério da Educação. A comitiva do município de Jales foi formada pelo prefeito municipal Humberto Parini, pelo vereador e presidente da Câmara Municipal, Claudir Aranda (PDT), pelo vereador e 2º secretário Luís Especiato (PT) e pelo coordenador do Pólo Regional de Jales/UAB, Nilton Aparecido Marques de Oliveira, acompanhados por Carlos Augusto Bellintani (Tinho), assessor do deputado federal João Paulo Cunha.

O objetivo da audiência com o Secretário de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação, doutor Eliezer Moreira Pacheco, foi solicitar a instalação de um campus do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia no município de Jales, visando principalmente a oferta de cursos presenciais em nível superior.

Durante a audiência, foi entregue a solicitação oficial da criação do campus, devidamente acompanhada de documento com os estudos socio-econômicos da região, e informado pelo prefeito e vereadores que o município de Jales possui e disponibilizará para a instalação do Campus um prédio com dimensões superiores a 4.600 metros quadrados de área construída (antigo prédio do CAIC, no Bairro JACB).

 O secretário de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação analisou os documentos entregues e ponderou que a solicitação será analisada com a devida atenção, uma vez que o município se enquadra nos critérios para instalação do Instituto Federal. Ao final, Eliezer destacou que Jales tem grandes chances de receber o referido Campus.

O JUSTO E O CORRETO

A piada me foi mandada por uma amiga. Por didática, a estou postando, abaixo:

DOIS MAGISTRADOS NO MOTEL.

VEJA E… APRENDA A DIFERENÇA ENTRE CORRETO E JUSTO.

Coincidentemente, dois juí­zes encontram-se no estacionamento de um motel e, constrangidos, reparam que cada um estava com a mulher do outro. Após alguns instantes silentes e de “saia justa”, mas mantendo a compostura própria de magistrados, em tom solene e respeitoso um diz ao outro:

 – Nobre colega, inobstante este fortuito imprevisí­vel, sugiro que desconsideremos o ocorrido, crendo eu que o CORRETO seria que a minha mulher venha comigo, no meu carro, e a sua mulher volte com Vossa Excelência no seu…

Ao que o outro respondeu:

 – Concordo plenamente, nobre colega, que isso seria o CORRETO, sim… no entanto, não seria JUSTO, levando-se em consideração que vocês estão saindo e nós estamos entrando…

TRIBUNAL DE CONTAS CONCEDE MAIS 20 DIAS PARA PARINI EXPLICAR CONTRATO COM ECOPAV

O Diário Oficial do Estado publicou, ontem, despacho do conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, Eduardo Bittencourt Carvalho – aquele mesmo que está sendo acusado de movimentar dinheiro nos states e empregar cinco filhos em seu gabinete – onde ele concede mais um prazo de 20 dias para o prefeito Humberto Parini apresentar suas explicações sobre possíveis irregularidades no contrato firmado com a empresa Ecopav.

O contrato foi assinado, se não me falha a memória, em dezembro de 2010, depois que a Prefeitura fez uma nova licitação para a coleta de lixo. As irregularidades apontadas não foram divulgadas e, provavelmente, não vão dar em nada. O mesmo Tribunal já havia apontado irregularidades no contrato anterior, firmado pela Prefeitura e a Ecopav em 2007, mas, passados três anos, não se tem ainda uma decisão final. Abaixo, a publicação do DOE, de ontem

A fls. 2657, o Sr. HUMBERTO PARINI, Prefeito do Município de Jales, requer, em caráter excepcional, a derradeira prorrogação de 20 (vinte) dias de prazo para atendimento à determinação deste Tribunal.

Defiro. Publique-se.

G.C., em 24 de maio de 2011. 

 EDUARDO BITTENCOURT CARVALHO

SABESP APRESENTA AOS VEREADORES NOVO SISTEMA DE LEITURA E EMISSÃO DE CONTA DE ÁGUA

Nessa segunda-feira, 23, após o término da sessão ordinária da Câmara Municipal, os diretores da Sabesp de Jales estiveram reunidos com os vereadores. O objetivo da reunião foi demonstrar um moderno e eficiente sistema de leitura e emissão da conta de água e esgoto, que será implantado em nosso município no próximo mês.

Segundo os diretores da Sabesp, o consumidor poderá acompanhar pessoalmente a leitura e a emissão da sua conta de água e, em caso de eventuais dúvidas quanto ao consumo e valor cobrado, os mesmos poderão ser esclarecidos na hora pelo profissional, sem a necessidade de ir ou ligar para o atendimento da Sabesp.

Os diretores também esclareceram que a leitura será feita por um profissional TACE – Técnico de Atendimento Comercial Externo, que estará devidamente capacitado e treinado para atender o consumidor. 

Ao final, foi feita uma demonstração com simulação aos vereadores para que os mesmos pudessem ver e conhecer o novo sistema de emissão da conta de água e esgoto que está sendo instalado em Jales.

A Sabesp esteve representada pelos senhores Gilmar Rodrigues Jens, Gerente da Divisão de Jales; Gilberto Aielo, Gerente de Setor Adm. Comercial; José Roberto F. do Carmo, Analista de Gestão, e César Alves Vieira, Encarregado Administrativo.

RICO RI À TOA

O caso Palocci anda mexendo com a criatividade de muita gente. Um amigo, aqui de Jales, me mandou um email com um trecho de “Navio Negreiro”, do poeta Castro Alves:

E ri-se a orquestra irônica, estridente…

E da roda fantástica a serpente

Faz doudas espirais!

Qual um sonho dantesco as sombras voam…

Gritos, ais, maldições ressoam!

E ri-se satanás  

E, nos jornais, apareceram charges para todos os gostos. Vejam que até o Paul McCartney entrou na dança:

                                           Xalberto, de A Charge on Line                          

Erasmo, do Jornal de Piracicaba

César, do Jornal da Manhã

Mariosan, de O Popular

 

 

COCHILO DEPOIS DO ALMOÇO FAVORECE A MEMÓRIA E O CORAÇÃO

Bastam apenas 15 minutos para que o seu organismo se beneficie com a soneca:

Em casa, ele já reinava absoluto. Nas empresas e escritórios, além de liberado, tem virado febre mundial. Se para alguns o cochilo (aqueles poucos minutos de sono) não faz a menor diferença ou é sinônimo de preguiça, para a maioria é tão valioso que revigora o corpo e fortalece a memória.

O fato foi recentemente comprovado por pesquisadores da Universidade de Berkeley, na Califórnia (EUA), após testes feitos com 39 jovens saudáveis. Os participantes tinham que decorar cem nomes e rostos na hora do almoço. Em seguida, uma parte deles era liberado para dormir.

Às 18h, o grupo voltava e precisava decorar outros cem nomes e rostos. A conclusão do estudo foi de que os 20 jovens que tiraram uma soneca apresentaram desempenho 10% melhor na tarefa, o que apontou para um melhor funcionamento do cérebro após a soneca.

Ao contrário do que muita gente pensa, o sono que bate logo depois do almoço não é consequência da ação da alimentação no organismo e sim, um instinto natural do nosso organismo, que reage assim quando nossas reservas de energia caem. O pneumologista Denis Martinez, do Instituto de Medicina e Sono, explica:

“Fomos nos adaptando à correria dos tempos modernos e deixando de cochilar na hora do almoço, mas a sesta é tradicional em muitos países (principalmente nos países europeus) até hoje, por ser uma necessidade biológica do ser humano já que por volta desse horário, as reservas de ATP e glicogênio que nos dão energia sofrem uma baixa. Nesses casos, o cochilo não indica nenhum tipo de distúrbio e não interfere na qualidade de sono à noite”.

NOIVA ABANDONADA TENTA PULAR DE PRÉDIO

É uma história de amor com um final triste, mas que poderia ter sido ainda mais trágica. Uma jovem chinesa de 22 anos foi fotografada ao tentar saltar do sétimo andar de um prédio.

A imagem impressionante mostra a jovem vestida de noiva ao ser agarrada por dois homens, que tentam, a todo o custo, segurar a mulher que se vestiu de noiva especialmente para o suicídio.

O desespero da noiva foi registado na cidade de Changchun, na China. A jovem tentava acabar com a vida, depois de o namorado ter terminado a relação quando já planejavam o casamento.

PMDB QUER O ESCALPO DE MACETÃO DE QUALQUER MANEIRA

O PMDB, como era de se esperar, não desistiu de tomar a cadeira do vereador Luiz Henrique Viotto, o Macetão. Nesta terça-feira, ao meio-dia, o partido protocolou um Recurso Especial contra as decisões do TRE-SP, que, por enquanto, estão resultando uma folgada vitória de três a zero para o Macetão. O PMDB tenta virar o jogo, mas, mesmo que isso aconteça, ainda restará ao vereador uma prorrogação.

A idéia de tentar tirar Macetão do cargo e entregá-lo ao segundo suplente do PMDB, Wilson Flumenau, partiu do prefeito Humberto Parini, mas tudo indica que, agora, é o partido quem está no comando das ações. Afinal, o prefeito já tem seus próprios problemas com a Justiça e, a essa altura do campeonato, ele deve estar mais preocupado em salvar o próprio escalpo.

A cassação de Macetão, ao que parece, tomou ares de questão de honra para o PMDB, depois que o vereador soltou alguns fogos de artifício na frente do prédio da Prefeitura. O espoucar dos rojões deve ter mexido com os brios dos peemedebistas. Abaixo, a publicação desta tarde na página do Tribunal de Justiça. 

Andamentos
Seção Data e Hora Andamento
CPRO 24/05/2011 16:13 Interposto Recurso Especial (Protocolo: 85.865/2011 de 24/05/2011 12:08:53). Interposto via fac-símile pelo Partido do Movimento Democrático Brasileiro – PMDB de Jales – pelo Diretório Municipal contra os vv. acórdãos publicados em 12/04/2011 e 19/05/2011.

ESPECIATO CRITICA OS CRÍTICOS DE PARINI

Ontem, na sessão da Câmara, o vereador e líder do prefeito, Luís Especiato, usou novamente toda a sua retórica para rebater as críticas que vem sendo feitas ao governo Parini. Evidentemente que Especiato, ao fazer a defesa da administração, está apenas cumprindo o seu papel. Mas eu tenho quase certeza de que ele, sendo inteligente como é, faz isso apenas da boca prá fora. No fundo, Especiato sabe que a administração municipal tinha tudo para ser bem melhor do que isso que aí está.

Como disse Especiato, seria tolice não reconhecer que Jales teve alguns avanços nesses quase seis anos e meio de governo petista. É claro que teve, mas a cidade poderia e deveria ter avançado muito mais. O vereador citou como exemplo a Educação e lembrou que Parini construiu três novas escolas. Mas alguém aí está achando que Parini construiu essas escolas porque gosta de investir em Educação? Tenha santa paciência! O prefeito só construiu essas escolas porque ele, assim como todos os demais prefeitos, está obrigado a investir 25% das receitas anuais em Educação. Existe algum mérito nisso? Se existe, é da Lei de Responsabilidade Fiscal.

Por falta de planejamento, todo final de ano o prefeito é obrigado a comprar alguma coisa, às pressas, para gastar o dinheiro da Educação. Foi assim, por exemplo, que ele colocou ar condicionado no Teatro Municipal. No final de 2007, o prefeito não sabia o que fazer para gastar os 25% e um advogado de São Paulo sugeriu que ele comprasse refrigeradores de ar para o Teatro, com o argumento de que, de vez em quando, a Educação utiliza aquele espaço para seus encontros e seminários.

No final de 2009, novamente apenas com o objetivo de gastar o dinheiro da Educação, o prefeito comprou um bocado de aparelhos de ar condicionado para algumas escolas municipais. Não tomou o cuidado, porém, de verificar se a rede elétrica das escolas comportavam a instalação dos aparelhos. Resultado: um ano e meio depois, boa parte desses aparelhos ainda não foi colocada prá funcionar.

1 2 3 4 5 16