SECRETÁRIO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO VISITA JALES E TUCANOS NEM FICAM SABENDO

herman-1437587526

O PSDB de Jales é um mistério cercado de enigmas. A começar pelo fato de ser dominado por alguém que mora a centenas de quilômetros de distância, em Taboão da Serra.

Cercado assim de estranhezas, o tucanato local já produziu, ao longo dos anos, episódios curiosos. Em 2000, por exemplo, o então pré-candidato a prefeito José Carlos Guisso chegou a perder – por apenas um voto – a disputa interna com um forasteiro recém-chegado a Jales, o empresário Aluísio Moraes Teixeira.

Guisso foi salvo por uma ação do correligionário Ubaldo Martins. O simpático ex-vereador Ubaldo descobriu problemas em uma cédula, que levaram à anulação de um voto. Com o empate, Guisso levou vantagem e acabou indicado pelo partido para disputar o cargo de prefeito.

Nesta semana, o PSDB local produziu mais um episódio no mínimo engraçado. Como se sabe, o secretário estadual de Educação, Herman Jacobus Cornelis Voorwald, visitou Jales na segunda-feira, 20, logo pela manhã. E a cúpula do tucanato local, segundo consta, nem ficou sabendo.

É provável que tucanos instalados na Delegacia de Ensino – como João Luiz Sene e o professor Chico – tenham tido conhecimento antecipado da visita, mas, os tucanos instalados no Paço Municipal, por exemplo, só ficaram sabendo da presença do secretário pela imprensa. Quando ele já tinha ido embora.

Registre-se que a visita do secretário estadual à região incluía apenas reuniões de trabalho – como a da foto acima, em Fernandópolis – mas, mesmo assim, alguns tucanos ficaram chateados por não terem sido convidados. 

PREFEITURA DE JALES FOI INCLUÍDA NO CADIN POR DÍVIDAS COM ESTADO

cadin

Um dia desses, o prefeito Pedro Callado concedeu entrevista radiofônica, onde, entre outros assuntos, falou que estava regularizando a situação da Prefeitura de Jales junto ao CADIN. O prefeito aproveitou para explicar que o CADIN é uma espécie de Serasa dos municípios.

O município inscrito na lista dos inadimplentes ficará impedido de realizar algumas ações com o governo estadual. Ei-las:

I – celebração de convênios, acordos, ajustes ou contratos que envolvam o desembolso, a qualquer título, de recursos financeiros;

II – repasses de valores de convênios ou pagamentos referentes a contratos;

III – concessão de auxílios e subvenções;

IV – concessão de incentivos fiscais e financeiros;

V – liberação de créditos oriundos do Projeto da Nota Fiscal Paulista.

Pois bem, se quiser firmar algum convênio ou receber recursos do governo estadual, nosso prefeito vai ter  que dar mais alguns pulos, porque a nossa Prefeitura acaba de ser inscrita novamente no tal CADIN. A inscrição foi feita hoje, 22/07, pela Procuradoria Geral do Estado.

Como sou moço curioso, tratei de tentar descobrir o motivo da encrenca. E descobri que a nossa Prefeitura está devendo três multas ao governo estadual. Uma dessas multas foi aplicada pela Cetesb há 16 anos, em 1999. O valor da multa, à época, era de R$ 3.784,00. Atualmente, ela foi parar em R$ 20.742,84.

A segunda multa – no valor de R$ 5 mil – foi aplicada em setembro de 2013, pela Secretaria Estadual do Meio Ambiente. Atualmente, ela está em R$ 6,3 mil.

Finalmente, a terceira multa é de outubro de 2014. O valor original era de R$ 12.084,00, que transformou-se, com juros e correção monetária, em R$ 13.897,50.

Total do débito: quase R$ 41 mil. Não é muita coisa, mas, para uma Prefeitura quase quebrada como a nossa…

APESAR DA CRISE II: EMPRESÁRIO INICIA CONSTRUÇÃO DE NOVO SUPERMERCADO EM JALES

DSC00326

O empresário Alcides Fernandes, dono dos Supermercados Bom Retiro – o SBR, com três lojas em Santa Fé do Sul – já iniciou os serviços de terraplenagem no terreno onde ele pretende construir uma filial da Rede SBR, aqui em Jales, na Rua Dois, próximo ao Comboio.

Na semana passada, Alcides recebeu a visita dos vereadores Gilbertão e Júnior Rodrigues. Eles foram levar ao empresário cópia de uma lei municipal, recentemente aprovada, que isenta de alguns tributos os novos empreendimentos inaugurados em Jales, desde que gerem mais de 20 empregos.

Alcides teria, segundo os vereadores, ficado contente com a novidade. Ele revelou que, se depender de sua vontade, o empreendimento deverá estar pronto em, no máximo, um ano. Disse, também, que o novo supermercado deverá gerar entre 150 e 170 empregos.  

O valor do investimento que ele pretende fazer em Jales ainda é segredo. Sabe-se, no entanto, que o empresário comprou – e já demoliu a maioria – pelo menos sete casas do quarteirão onde o supermercado será construído. Sabe-se, ainda, que ele continua tentando comprar mais algumas casas no mesmo quarteirão.

Alcides e a esposa Odete fundaram o SBR em 1989, na cidade de Sumaré-SP, e, em setembro de 2000, inaugurou a primeira loja da rede em Santa Fé do Sul. A outras duas foram inauguradas em 2004 e 2006.

SOBRE CONCURSOS PÚBLICOS

Uma leitora do blog enviou comentário em um post sobre a “Operação QI”, aquela que redundou na prisão preventiva de algumas pessoas por fraudes em concursos. O comentário explica como funcionam, em alguns estados, as licitações para contratação de empresas especializadas em concursos. Confiram:

Pois é!!!
O Colega “Jalesense” acima postou sobre a ConRio.
A mesma já fora ‘tirada de mercado’ por ação do Ministério Público por suas práticas, especialmente quando tentou “passar um mel” angariando, sabe-se lá como, um concurso grande do SEMAE em São José do Rio Preto. Assim, tanto a Instituição Soler de Ensino, destituída de fazer seus concursos por decisão judicial quanto a ConRio estão fora de mercado.

Recentemente, o proprietário desta “concurseria” abriu outra empresa, a UNISIN, cujo CNPJ é: 19.790.830/00001-45 e está em nome do mesmo proprietário das outras empresas anteriores.
Ocorre que, a Justiça de Serrrana-SP no Processo n.º: 0001294-26.2015.8.26.0596, já se manifestou sobre a suspensão das atividades de tal empresa, citando na decisão o desencadeamento de uma empresa em outra e as suspeitas práticas que vem se reiterando ao longo do tempo.

Na região de Jales e Fernandópolis, lamentavelmente são celeiros deste tipo de situação. E, se há quem contrate estas empresas é porque há demanda de alguns políticos que ainda insistem no jeitinho, no ajeito, muitas vezes para beneficiar seus apadrinhados políticos, frutos de promessas de campanha.

Por exemplo, demorou demais para a “casa cair” para Persona e a Execursos. Elas utilizavam do mesmo endereço, sendo que a Execursos funcionava na sala 03 do endereço da Persona. É muita cara de pau!
As meninas foram pegas no Município de Rosana há muito tempo tentando fazer uma duplinha, o que gerou inclusive processo criminal de nº: 0001927-57.2013.8.26.0515, onde as mesmas foram pegas nesta prática.

Coincidência, ou não, da linha que vai da vicinal de Suzanápolis, a Jales, e as adjacências, as mesmas dominavam o mercado, onde alguns Municípios através de diversas dispensas de licitação, provavelmente instruídas com orçamento de outra ganhavam e ganhavam e ganhavam, e alternavam em um fracionamento a prestação deste tipo de serviços.

Note-se que, nesta região, inclusive em pequenas cidades, possuem ainda empresas de concurso que, se analisadas, nem mesmo estrutura alguma possuem. Funcionam em escritórios de contabilidade e já soubemos de empresas de concurso que funcionam dentro de papelaria.
Aliás, o objeto social destas empresas é papelaria, e ainda assim ‘fizeram’ processos seletivos.
É a velha mania de remediar, antes de prevenir!
Basta uma olhada nos Editais de Licitação que saem pela internet em outras regiões.

A exemplo do Estado do Paraná toda licitação de concursos públicos deve ser feita através de Tomada de Preços, uma vez que trata-se de serviços especializados.
E se for urgente? Respondo: Não existe urgência no serviço púbico, existe falta de planejamento!
Em Minas Gerais, quando uma empresa é contratada, o contrato deve ser remetido ao Tribunal de Contas que dirá se a contratação foi legal ou não, e dará diretrizes para o processo de seleção. Assim também o é em Sergipe.

É improvável que no Estado mais rico da Federação, a livre inciativa se confunda com a bagunçada inciativa, onde empresas sem sequer Responsáveis Técnicos atuem. Isto porque, para ser empresa de concurso é necessário atender requisitos de Lei.
A Legislação prevê (Lei 6.839/80, Lei nº: 4.769/65, Decreto n.º: 61.934/67 que seguem a própria Constituição Federal que diz: “é livre o exercício de qualquer trabalho, ofício, profissão, atendidas as qualificações profissionais que a Lei estabelecer”.

Mas ainda florescem neta região empresas que não se tem o competente registro, o profissional técnico responsável, enfim, quem responda com técnica, ética e profissionalismo aquilo que a Lei determina.
Quem sabe seja hora das autoridades não remediarem, mas prevenirem, exigindo dos Municípios que os mesmos efetuem contratações que obedeçam os ditames legais e constitucionais.
Só então passaremos a ter segurança jurídica, transparência e cumpriremos princípios como da legalidade e da moralidade que se desdobra em probidade administrativa.

Ademais, sobre probidade administrativa, há a história da mulher do imperador Júlio César onde se pacificou que: “não basta ser honesto, tem que parecer honesto”. Uma ação efetiva de fiscalização e recomendação para que se cumprisse a Lei, tiraria todos aventureiros que insistem em contratar erroneamente, para satisfazer seus delírios políticos.
Mas é somente uma mera opinião de alguém que assiste atônito o passar dos anos, com as mesmas histórias, com os mesmos personagens, com as mesmas situações em uma região do Estado mais rico da Federação.

O problema das fraudes em concursos não reside nos políticos. Reside nas empresas que fazem práticas desleais de mercado demonstrada por preços irrisórios que já levantam a suspeição de que há algo errado.
O problema reside na falta de exigência de cumprimento da Constituição Federal que exige requisitos de Lei e da própria Lei, o que acarretaria talvez, até mesmo, na nulidade de muitos concursos públicos por aí.
É preciso prevenir, não remediar!

JUSTIÇA DE URÂNIA CONDENA PREFEITO SARACUZA POR IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA

Saracuza 1

A juíza de Urânia, Thania Pereira Teixeira de Carvalho Cardin, julgou parcialmente procedente a Ação Civil Pública – por improbidade administrativa – ajuizada pelo Ministério Público contra o prefeito Francisco Airton Saracuza e outros dois acusados.

Segundo a acusação, Saracuza nomeou um dos acusados para um cargo de confiança como Diretor de Departamento de Secretaria – com salário de R$ 1,5 mil – mas, na verdade colocou-o para trabalhar como motorista de ambulância, caracterizando o desvio de função.

Mas o problema não foi só o desvio de função. O motorista era obrigado, segundo o MP, a dividir o salário com o outro acusado, que não tinha qualquer vínculo funcional com a Prefeitura de Urânia.

Essa estranha situação durou oito meses e teria sido criada pelo prefeito para honrar uma promessa eleitoral feita aos outros dois acusados. Segundo o que foi prometido, eles ocupariam cargos públicos, caso Saracuza fosse reeleito.

Resultado: Saracuza foi condenado a ressarcir aos cofres públicos os valores pagos irregularmente, com juros e correção monetária. Foi condenado, também, ao pagamento de multa correspondente a 10 vezes o valor pago a um dos acusados, mais 02 vezes o valor pago ao outro acusado.

Além disso, o prefeito teve seus direitos políticos suspensos por oito anos e não poderá contratar com o poder público pelo prazo de dez anos. A história, porém, ainda não terminou, uma vez que os condenados poderão recorrer ao TJ-SP.

MORADORES DA ‘SUBIDA PRETA’ PEDEM MELHORIAS EM ESTRADA

SUBIDA PRETA1

Alguns moradores da Subida Preta, como é conhecido o loteamento com várias chácaras, localizado logo após a Vila Aparecida da Boa Vista, estão reclamando das condições da estrada de terra que passa pelo local.

A estrada, possui trechos que ficam intransitáveis no período das chuvas, como esse da foto acima. “Temos muitos trabalhadores e crianças pequenas que passam pelo local diariamente e, em determinados trechos fica quase impossível transitar, principalmente para quem está de moto”, reclamou um morador a este aprendiz de blogueiro.

Ele revelou que já esteve diversas vezes na Prefeitura em busca de uma solução, mas… “O pessoal da Secretaria de Obras alega que possui poucas máquinas para esse tipo de serviço e que elas, frequentemente, estão quebradas. Na verdade, eles nunca vieram ao menos ver a situação da estrada”.

Há alguns dias, outro morador protocolou um requerimento na Prefeitura. “A Subida Preta possui um loteamento com pequenas chácaras, onde cada proprietário está individualizando seus terrenos com a construção de muros, impossibilitando o escoamento das águas pluviais. Nos dias mais chuvosos, o tráfego pela estrada fica quase impossível”, explica o documento.

Como se vê, não faltam problemas para o prefeito Pedro Callado resolver.

FRASE

“A interrupção involuntária do mandato não acontecerá, porque a Dilma não tem na testa o estigma da desonestidade. Eu não gosto do governo da Dilma, mas também não gosto do oportunismo como isso é tratado, porque faz mal ao país”.

(Do deputado federal Miro Teixeira(PROS-RJ), em entrevista onde descarta apoio ao impeachment da presidenta Dilma, como sonha a oposição).

NA CONTRAMÃO DA REGIÃO, JALES TEVE SALDO POSITIVO NA GERAÇÃO DE EMPREGOS EM JUNHO

DSC00110

Jales é mesmo uma cidade curiosa. Quando o país estava crescendo e todas as cidades da região apresentavam bons índices na geração de empregos, Jales perdia até para Palmeira D’Oeste.

Agora os números do CAGED, divulgados na semana passada pelo Ministério do Trabalho e Emprego, estão mostrando que, em junho, Jales foi a única cidade da região a apresentar saldo positivo no quesito geração de empregos com carteira assinada.

Enquanto Fernandópolis, por exemplo, fechou 156 postos de trabalho, e Votuporanga (-74) e Santa Fé do Sul (-25) também apresentaram resultados negativos, Jales abriu 56 novos empregos, a maioria deles no Comércio.

Apesar do resultado positivo de junho, os números do primeiro semestre continuam negativos: nos primeiros seis meses de 2015, Jales fechou 26 vagas. Se isso serve de consolo, Santa Fé do Sul e Votuporanga tiveram números piores no semestre, com o fechamento de 127 e 370 empregos formais, respectivamente.

Em termos de estado, São Paulo fechou 73.056 postos de trabalho em seis meses, enquanto o Rio de Janeiro, atingido pelo crise da Petrobrás, perdeu 80.247 empregos. Pernambuco fechou 68.767 empregos.

Alguns estados, no entanto, ainda estão apresentando números positivos. É o caso de Goiás, que abriu 22.942 empregos formais, Paraná, com 13.998 novos empregos, Santa Catarina (13.235), Mato Grosso (9.118) e Mato Grosso do Sul (2.569).

JALES TERMINA JOGOS REGIONAIS EM OITAVO LUGAR

Os últimos dados sobre a pontuação dos Jogos Regionais são de sexta-feira, 17, e não devem ter sofrido grandes alterações. De acordo com esses dados, a delegação de Jales ocupava a oitava colocação, entre as dez cidades que disputaram a 1ª Divisão dos Jogos.

No total, tínhamos 88 pontos, ou 39 a menos que a 7ª colocada, Ilha Solteira, e 24 pontos a mais que Fernandópolis a 9ª colocada. São José do Rio Preto tinha – até a sexta-feira – 334 pontos e, como de praxe, foi a campeã.

Dos 88 pontos obtidos por Jales, 06 foram conseguidos pelo time de futebol, que terminou o torneio em 3º lugar. No ano passado, o nosso futebol ficou em 2º lugar, mas disputou os Jogos com atletas “importados”, que custaram cerca de R$ 5 mil. Neste ano, o nosso time de futebol só tinha atletas de Jales.

Além do futebol, apenas a bocha conquistou 06 pontos para Jales. O handebol feminino também foi destaque e conquistou o 4º lugar (05 pontos). Mas a modalidade que conquistou mais pontos para Jales foi o vôlei de praia. O feminino conquistou  04 pontos (5º lugar), enquanto o masculino faturou 05 pontos (4º lugar).

Detalhe: segundo o Jornal de Jales, o número de cidades competidoras caiu de 78, no ano passado, para apenas 38, neste ano. Além disso, o jornal registrou que o nível das competições teria sido muito baixo.

PROJETO ‘CIDADE LIMPA’ COMEÇOU NESTA SEGUNDA-FEIRA EM JALES

cidade limpa-cronograma completo

A notícia é da Secretaria de Comunicação:

O projeto Cidade Limpa já começou a recolher todo tipo de entulho como móveis velhos, colchões, pneus, sofás e garrafas. Nesta segunda-feira (20) os caminhões de coleta vão percorrer 08 bairros da cidade passando pelo Jardim São Gabriel, Loteamento Big Plaza, Cohab Roque Viola, Cohab Dercilio Joaquim de Carvalho, Cohab Santo Hernandes Argentina Paulista 1 e Vila Nossa Senhora Aparecida. 

Amanhã, dia 21, será a vez do Jardim Paraíso, São Judas Tadeu e Jardim América. O objetivo do projeto é colaborar com a Saúde Pública e o Meio Ambiente, eliminando possíveis criadouros de insetos e mosquitos causadores de graves doenças. 

O projeto vai percorrer os bairros da cidade até o dia 31 de julho. No dia da coleta, os moradores devem colocar os materiais sem uso na rua (e não em calçadas) para a retirada até as 08h no dia da coleta programada em seu bairro. Serão recolhidas somente, as podas de árvores da parte interna de residências e terrenos. Moradores que descumprirem as determinações estão sujeitos a multa. 

A ação é uma iniciativa da TV TEM, em parceria com a Prefeitura Municipal de Jales.

APESAR DA CRISE

Por interessante, reproduzo abaixo artigo do escritor Pablo Villaça, publicado pelo Tijolaço:

Eu fico realmente impressionado ao perceber como os colunistas políticos da grande mídia sentem prazer em pintar o país em cores sombrias: tudo está sempre “terrível”, “desesperador”, “desalentador”. Nunca estivemos “tão mal” ou numa crise “tão grande”.

Em primeiro lugar, é preciso perguntar: estes colunistas não viveram os anos 90?! Mas, mesmo que não tenham vivido e realmente acreditem que “crise” é o que o Brasil enfrenta hoje, outra indagação se faz necessária: não lêem as informações que seus próprios jornais publicam, mesmo que escondidas em pequenas notas no meio dos cadernos?

Vejamos: a safra agrícola é recordista, os supermercados seguem aumentando lucros, a estimativa de ganhos da Ambev para 2015 é 14,5% maior do que o de 2014, os aeroportos estão lotados e as cidades turísticas têm atraído número colossal de visitantes. Passem diante dos melhores bares e restaurantes de sua cidade no fim de semana e perceberá que seguem lotados.

Aliás, isto é sintomático: quando um país se encontra realmente em crise econômica, as primeiras indústrias que sofrem são as de entretenimento. Sempre. Famílias com o bolso vazio não gastam com supérfluos – e o entretenimento não consegue competir com a necessidade de economizar para gastos em supermercado, escola, saúde, água, luz, etc.

Portanto, é revelador notar, por exemplo, como os cinemas brasileiros estão tendo seu melhor ano desde 2011. Público recorde. “Apesar da crise”. A venda de livros aumentou 7% no primeiro semestre. “Apesar da crise”.

Uma “crise” que, no entanto, não dissuadiu a China de anunciar investimentos de mais de 60 bilhões no mercado brasileiro – porque, claro, os chineses são conhecidos por investir em maus negócios, certo? Foi isto que os tornou uma potência econômica, afinal de contas. Não?

Se banissem a expressão “apesar da crise” do jornalismo brasileiro, a mídia não teria mais o que publicar. Faça uma rápida pesquisa no Google pela expressão “apesar da crise”: quase 400 mil resultados.

“Apesar da crise, cenário de investimentos no Brasil é promissor para 2015.”

“Cinemas do país têm maior crescimento em 4 anos apesar da crise”

“Apesar da crise, organização da Flip soube driblar os contratempos: mesas estiveram sempre lotadas”

“Apesar da crise, produção de batatas atrai investimentos em Minas”

“Apesar da crise, vendas da Toyota crescem 3% no primeiro semestre”

“Apesar da crise, Riachuelo vai inaugurar mais 40 lojas em 2015″

“Apesar da crise, fabricantes de máquinas agrícolas estão otimistas para 2015″

“Apesar da crise, Rock in Rio conseguiu licenciar 643 produtos – o recorde histórico do festival.”

“Honda tem fila de espera por carros e paga hora extra para produzir mais apesar da crise,”

“16º Exposerra: Apesar da crise, hotéis estão lotados;”

“Apesar da crise, brasileiros pretendem fazer mais viagens internacionais”

“Apesar da crise, Piauí registra crescimento na abertura de empresas”

Apesar da crise. Apesar da crise. Apesar da crise.

A crise que nós vivemos no país é a de falta de caráter do jornalismo brasileiro.

Uma coisa é dizer que o país está em situação maravilhosa, pois não está; outra é inventar um caos que não corresponde à realidade. A verdade, como de hábito, reside no meio do caminho: o país enfrenta problemas sérios, mas está longe de viver “em crise”. E certamente teria mais facilidade para evitá-la caso a mídia em peso não insistisse em semear o pânico na mente da população – o que, aí, sim, tem potencial de provocar uma crise real.

Que é, afinal, o que eles querem. Porque nos momentos de verdadeira crise econômica, os mais abastados permanecem confortáveis – no máximo cortam uma viagem extra à Europa. Já da classe média para baixo, as consequências são devastadoras, criando um quadro no qual, em desespero, a população poderá tender a acreditar que a solução será devolver ao poder aqueles mesmos que encabeçaram a verdadeira crise dos anos 90. Uma “crise” neoliberal que sufocou os miseráveis, mas enriqueceu ainda mais os poderosos.

E quando nos damos conta disso, percebemos por que os colunistas políticos insistem tanto em pintar um retrato tão sombrio do país. Porque estão escrevendo as palavras desejadas pelas corporações que os empregam.

Como eu disse, a crise é de caráter. E, infelizmente, este não é vendido nas prateleiras dos supermercados.

DOIS HOMENS SÃO VÍTIMAS DE TENTATIVA DE HOMICÍDIO NA NOITE DE SÁBADO

Meus chefes, o Franley e a Val, devem ter levado um grande susto. A notícia é do site Informa Mais, do amigo Ilson Colombo:

A Polícia de Jales registrou ocorrência de Tentativa de Homicídio as 23h20 deste sábado, na Avenida “Paulo Marcondes” no Jardim Monterrey.

Segundo o relatório na Central de Polícia Judiciária, o diretor do Jornal a Tribuna, Franlei Garcia Machado que mora na residência número 1021, disse aos policiais militares que por volta das 23h15m estava com o portão da garagem aberto, quando um indivíduo entrou correndo seguindo para os fundos da casa pelo corredor lateral e como houve muita gritaria, o homem retornou para frente da casa. Franlei disse que em seguida ouviu dois disparos de arma de fogo e ao abrir a porta da sala, viu o rapaz caído, ensanguentado e chamou o resgate e a PM.

A vítima Adilson dos Santos, vulgo “Neguinho Problema”, de 37 anos, morador no Jardim Paulista foi socorrido para a Santa Casa onde passou por cirurgia e continua internado. Ele foi atingido por dois tiros, um na face e outro no abdomen.

Ainda segundo o BO, foi relatado que ha 300 metros do local da tentativa de homicídio, próximo de um posto de combustível, Diego Franzini (31) havia sido lesionado por disparo de arma de fogo e socorrido pelo SAMU até a Santa Casa com um ferimento no braço.

Nenhuma das vítimas da tentativa de homicídio reconheceu o autor dos disparos, não disseram os motivos dos tiros contra os mesmos e continuam internados na Santa Casa.

MP CONSEGUE A CONDENAÇÃO DE 05 EX-VEREADORES DE IGARAPAVA, POR CORRUPÇÃO

Para quem não se lembra, o grupo de achacadores era formado por dois vereadores do PSDB, um do DEM, um do PP e um do PT. A notícia é do portal do Ministério Público de São Paulo:

O Ministério Público, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) – Núcleo Franca, obteve a condenação à pena de prisão de cinco ex-vereadores de Igarapava, presos em flagrante em março de 2009, pela prática de concussão e formação de quadrilha.

O grupo foi denunciado após exigir do então Prefeito, em duas ocasiões, pagamento de propina para não barrar projetos de interesse do Executivo na Câmara. Eles exigiam o pagamento que variava de R$ 16 mil a R$ 25 mil mensais, valor que seria rateado entre os cinco vereadores, que formavam maioria na Câmara, integrada por nove parlamentares.

Os cinco vereadores foram presos em flagrante em março de 2009, quando se reuniram com o prefeito, na sede da Prefeitura, para exigir o pagamento da propina mensal, além da nomeação de seus indicados para cargos públicos. Quatro foram presos na hora e o Presidente da Câmara no dia seguinte, quando foi localizado escondido dentro de um armário da Prefeitura.

Roberto Silveira foi condenado a 5 anos e 7 sete meses de reclusão, em regime inicial semiaberto. José Eurípedes de Souza, Alan Kardec de Mendonça (ex-Presidente do Legislativo) e Sérgio Augusto Freitas receberam pena de 5 anos e 8 meses de reclusão, em regime inicial semiaberto, e José Laudemiro Alves foi condenado à pena de 6 anos e 5 meses de reclusão, em regime inicial fechado.

JORNAL DE JALES: EM ABAIXO-ASSINADO, MORADORES PEDEM RETIRADA DE SEMÁFORO NA RUA 24

DSC00321Eis a capa do Jornal de Jales deste domingo. Como se vê, a manchete principal destaca a comitiva jalesense que esteve em Brasília para apresentar novos pedidos no Ministério da Educação, requerendo a instalação, em Jales, de um campus do Instituto Federal de Educação e de uma extensão da UFSCar.

Destaque, igualmente, para o projeto do vereador Gilbertão(DEM), aprovado pela Câmara, que obriga a Prefeitura a discriminar, no carnê de impostos, os valores referentes à Taxa de Limpeza e à Taxa de Coleta do Lixo. O projeto suscitou polêmica, pois, segundo o prefeito Pedro Callado, o município não cobra essas taxas. Já o vereador Gilbertão garante que as taxas estão sendo cobradas junto com o IPTU.

A qualidade do asfalto que está sendo feito no Residencial Vila Mariana; os shows e demais atrações da Festa do Motorista, que acontece no próximo final de semana, e uma análise do engenheiro e empresário Alexandre Rensi sobre a situação de Jales em relação aos municípios vizinhos, são outros assuntos do JJ.

Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior está informando que o secretário de Planejamento e Trânsito, José Magalhães Rocha, terá mais um abacaxi em mãos para descascar nos próximos dias. Um abaixo-assinado, com cerca de 300 assinaturas, será entregue a ele, solicitando a retirada do semáforo localizado no cruzamento da Avenida Francisco Jalles com a Rua 24.   

A TRIBUNA: PREFEITURA, CÂMARA E INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA TERÃO QUE EXTINGUIR CARGOS DE CONFIANÇA

capa tribuna 19.07.15O jornal A Tribuna deste final de semana está destacando a iniciativa do promotor Horival dos Santos Marques Júnior, que pretende acabar com os cargos de confiança na Câmara Municipal de Jales, os quais deverão ser preenchidos por concurso público. Da mesma forma, pelo menos 26 cargos de confiança deverão ser extintos na Prefeitura e no Instituto Municipal de Previdência, até dezembro de 2016.

Destaque, também, para matéria sobre a ponte ferroviária que está sendo construída sobre o Rio Grande, uma das principais obras do trecho Ouro Verde(GO)-Estrela D’Oeste(SP) da Ferrovia Norte-Sul. O jornal A Tribuna foi o primeiro órgão de imprensa da região a visitar a ponte, localizada em lugar de difícil acesso e desconhecida para muita gente.

A incursão de uma delegação jalesense, comandada pelo prefeito Pedro Callado, ao Ministério da Educação; os inscritos para as eleições do Conselho Tutelar; os preparativos para a Festa do Motorista, que começa na próxima sexta-feira; e a atuação de Jales nos Jogos Regionais, são outros assuntos de A Tribuna.

Na coluna Enfoque, destaque para a visita que os auditores do Tribunal de Contas da União (TCU) fizeram a Jales para fiscalizar a construção da creche do Jardim Maria Silveira, paralisada há quase três anos. No caderno social, destaque para a coluna do Douglas Zílio e os flashes da Violada 5 Estrelas.  

1 2 3 4 5 537