PREFEITURA ABRE LICITAÇÃO VISANDO CONTRATAR EMPRESA PARA REALIZAR CONCURSO PÚBLICO

A Prefeitura de Jales publicou, na sexta-feira passada, a abertura de uma licitação – na modalidade pregão – cujo objetivo é a “contratação de empresa especializada para prestação de serviços de organização, planejamento, elaboração de edital e publicação, aplicação e julgamento de concurso público, para diversos cargos”. Foi uma das últimas providências do governo Callado.

São 28 cargos, que vão de Técnico de Enfermagem a Médico, de Pedreiro a Engenheiro Civil, de Terapeuta Ocupacional a Psicólogo, de Motorista a Procurador Jurídico, etc. Os salários não são grande coisa – vão de R$ 880,00 (tratorista) a R$ 2.816,03 (professor de educação básica I).

O salário-base de um médico, por exemplo, é inacreditável: R$ 1.443,40 por 20 horas semanais. Claro que o médico terá, também, uma gratificação, mas, mesmo assim, o contracheque não passará de R$ 3 ou R$ 4 mil. Ou seja, as 10 vagas de médico a serem preenchidas pelo concurso irão continuar vagas.

Se não errei na soma, o total de vagas a serem preenchidas pelo futuro concurso está previsto em 90. Vários cargos possuem apenas 01 vaga. O cargo com o maior número de vagas – 20 – é o de professor de educação básica I.

Algo, porém, está me soando estranho nesse suposto concurso: primeiramente, a iniciativa de publicar o edital no penúltimo dia do governo que estava terminando. Segundamente, o fato de não haver, no processo, o estudo do impacto financeiro das possíveis novas contratações nos gastos com pessoal.

Nos tempos em que trabalhei com licitações, aprendi que, no caso de um concurso, uma das primeiras providências para abertura do procedimento licitatório é o tal estudo de impacto. Sem ele, o certame corre o risco de ser impugnado.  

TRÊS PREFEITURAS DO RIO DECRETAM ESTADO DE CALAMIDADE FINANCEIRA

images-cms-image-000528971

O amigo acha que a situação da Prefeitura de Jales é ruim? Então leia a notícia  repercutida pelo Brasil 247:

Os novos prefeitos de Nova Iguaçu, São Gonçalo e Mesquita, na região metropolitana do Rio de Janeiro, decretaram calamidade financeira em seus municípios após encontrar problemas nas contas públicas, com salários atrasados de funcionários, corte de energia nas prefeituras e serviços, como coleta de lixo, paralisados por falta de pagamento.

A medida vai durar 120 dias. O prazo do decreto pode ser prorrogado por iguais períodos caso a situação se mantenha inalterada.

Nova Iguaçu

Segundo decreto do prefeito de Nova Iguaçu, Rogério Lisboa, a folha de pagamento dos servidores públicos municipais está atrasada por “seguidos meses” e o regime previdenciário encontra-se em “virtual estado de insolvência”, também com atraso de pagamento dos beneficiários.

De acordo com a assessoria do prefeito, Lisboa visitou ontem (2) as instalações da prefeitura municipal e encontrou diversos problemas estruturais. Salas sem janelas e ar-condicionado, infiltrações, falta d´água, paredes mofadas, ratos e sujeira foram alguns dos pontos detectados. Até o próximo dia 15, o prédio estará fechado e não atenderá à população.

“Minha meta é pagar os servidores, mas chegamos à conclusão de que a reconstrução física do prédio da prefeitura é questão emergencial. Funcionários que não têm condições dignas de trabalho não atendem bem à população. O patrimônio está deteriorado”, afirmou, em nota, o prefeito.

Lisboa disse, em sua conta no Facebook, que fará cortes significativos nos custos da administração.“O gabinete do prefeito voltará em breve à prefeitura. Não faz o menor sentido o município arcar com um custo de R$ 30 mil/mês para alugar um espaço em separado, que inclusive é de difícil acesso. Faremos também uma redução dos cargos comissionados, além de revisão dos muitos contratos de aluguel que hoje somam algo em torno de R$ 600 mil/mês”.

São Gonçalo

O prefeito de São Gonçalo, José Luiz Nanci, disse ter assumido a prefeitura com a luz cortada por falta de pagamento, mas conseguiu religá-la após reunião com representantes da concessionária de energia. A dívida gira em torno de R$ 35 milhões. Outro problema grave é a falta da coleta do lixo.

“Infelizmente, recebemos a prefeitura às escuras porque foi cortada a luz, mas conseguimos religar a iluminação. Também estamos com lixo por toda a cidade. Estamos conversando com a empresa coletora de lixo que está há oito meses sem receber e a dívida situa-se entre R$ 35 milhões e R$ 40 milhões. A dívida total do município deve estar entre R$ 500 milhões e R$ 600 milhões, o que é metade do nosso orçamento”, disse Nanci.

Segundo o prefeito, o pagamento do salário de dezembro e do 13º salário dos servidores municipais está atrasado. “Minha prioridade é pagar os salários”, afirmou. “Vamos diminuir o número de secretarias e de funcionários contratados. O problema não é só em São Gonçalo, é em todo o estado do Rio”.

Mesquita

O prefeito de Mesquita, Jorge Miranda, disse ter encontrado a prefeitura em situação de caos. “O prédio principal [da prefeitura] está sem condições de trabalho, há muito lixo na rua, os salários estão atrasados há dois meses, com o 13º salário também atrasado”, afirmou. “Teremos que ser muito austeros nas contas. Pedimos à população um pouco de calma”.

Segundo o decreto de calamidade financeira, fica suspenso, por até 15 dias, o atendimento ao público na prefeitura de Mesquita, incluindo o prédio administrativo e seus anexos, para efetivar a transição de governo, realizar auditoria interna e verificar o acervo, entre outras medidas.

Outro decreto do prefeito também determinou a paralisação por 90 dias da Unidade Mista de Saúde Doutor Mário Bento. É em razão da falta de remédios, de materiais médicos e cirúrgicos e pelo fato de a unidade de saúde encontrar-se em um estado precário nos “âmbitos estrutural, administrativo, pessoal e de salubridade”.

MESA DIRETORA DA CÂMARA TERÁ QUATRO VEREADORES NOVATOS. PINTINHO SERÁ O PRESIDENTE

mesa-2017-18

Como adiantou o jornal A Tribuna, edição de 25 de dezembro, os quatro cargos da Mesa Diretora da Câmara serão ocupados por quatro vereadores novatos – Pintinho (presidente), Bismark (vice-presidente), Chico do Cartório (1º secretário) e Kazuto (2º secretário) – durante o biênio 2017/2018. A eleição, ocorrida no domingo (1º de janeiro), foi por unanimidade. A notícia é da assessoria de imprensa da Câmara Municipal:

A Câmara Municipal de Jales empossou, na manhã de segunda-feira, 1º de janeiro de 2017, os dez vereadores eleitos no pleito de 2 de outubro de 2016, bem como o prefeito Flávio Prandi Franco – o Flá e o vice-prefeito José Devanir Rodrigues – o Garça. A Sessão Solene de posse lotou o Plenário Presidente Tancredo Neves e contou com a presença de autoridades, familiares dos eleitos e convidados.

Os vereadores empossados são Vagner Selis (PRB), Vanderley Vieira dos Santos (PPS), Fabio Kazuto Matsumura (PSB), Nivaldo Batista de Oliveira (PSD), Bismark Jun Iti Kuwakino (PSDB), Claudecir Jose dos Santos (DEM), Adalberto Francisco de Oliveira Filho (PMDB), João Valeriano Zanetoni (PSB), Luiz Henrique Viotto (PP) e Tiago Vandré de Souza Abra (PP).

Na ocasião também foi eleita, por unanimidade, a Mesa Diretora que comandará os trabalhos da Casa no biênio 2017-2018. A referida Mesa será presidida pelo vereador Vagner Selis – o Pintinho. Os vereadores Bismark Jun Iti Kuwakino, Adalberto Francisco de Oliveira Filho – o Chico Cartorário e Fábio Kazuto Matsumura ocuparão, respectivamente, os cargos de vice-presidente, 1º e 2º Secretários.

A primeira Sessão Ordinária de 2017 será realizada na segunda-feira, 6 de fevereiro, a partir das 20 horas.

POPULAÇÃO DE SANTA ALBERTINA ARRECADA SEIS TONELADAS DE MANTIMENTOS PARA SANTA CASA DE JALES

santa-casa-dscn2438

A notícia é da assessoria de imprensa da Santa Casa:

O 10º SOS Santa Casa de Jales é uma campanha anual realizada por uma equipe de voluntários de Santa Albertina que arrecadam mantimentos entre a população para serem doados para a instituição. Nessa edição foram arrecadadas seis toneladas de mantimentos, ultrapassando as expectativas dos organizadores e foram entregues na véspera de Natal, dia 24 de dezembro.

O provedor, Junior Ferreira, esteve presente na entrega das doações e ficou encantado com a dedicação dos voluntários. “É incrível ver a determinação de todas as pessoas, fiquei surpreso ao ver vários carros chegando escoltados pela Polícia Militar e Corpo de Bombeiros. No rosto de cada um deles vi um sentimento fraterno de amor e compaixão pela nossa instituição. Agradeço de coração toda população de Santa Albertina e os responsáveis por realizar essa ação”.

A gestora do setor de Captação de Recursos, Luciana Vicente, presenciou pela primeira vez esse gesto. “Ficamos até sem palavras ao ver tanta gente chegando e carregando as coisas. Só tenho que parabenizar todos que contribuíram. Esses alimentos irão beneficiar muitos pacientes”.

O projeto surgiu em 2006 após uma conversa entre amigos e é uma das maiores campanhas realizadas em Santa Albertina. O SOS Santa Casa conta com a participação ativa de mais de 40 voluntários.

MAIS UMA PADARIA FOI ASSALTADA EM JALES NESTA SEGUNDA-FEIRA

A notícia é do site A Voz das Cidades:

Um indivíduo de moto e usando capacete entrou na padaria da Rua 8, Pães e Cia, por volta das 20:30 minutos desta segunda-feira.

De posse de um revólver anunciou o assalto e levou em torno de 200 reais. A ação foi rápida e o indivíduo tomou rumo ignorado.

O site A VOZ DAS CIDADES,  conversou com algumas pessoas que estavam no local na hora do assalto e elas disseram que o rapaz  aparentava ser menor de idade. De qualquer forma, mais um mistério a ser desvendado pela Policia de Jales.

PRESIDENTE DA CÂMARA ASSUME PREFEITURA DE ILHA SOLTEIRA. EDSON GOMES ESTÁ FORAGIDO

A notícia é do Região Noroeste:

152068A Prefeitura de Ilha Solteira será comandada pelo vereador Emanuel Zinezi-DEM (foto) que venceu a eleição para a presidência da Câmara ontem, até que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decida o que fazer na cidade depois que o candidato eleito Edson Gomes, que também continua foragido, foi impedido de assumir o cargo.

Edson Gomes tem mandado de prisão expedido pela Justiça após ser condenado em uma ação que teria cometido irregularidades na realização da FAPIC de 2010. Alguns membros do governo foram presos.

Desde a condenação, Gomes continua foragido. Seus advogados tentaram recurso para impedir a prisão, mas tiveram pedidos negados pelo Tribunal de Justiça de São Paulo. 

VEREADOR ASSUME PREFEITURA DE EMBU DAS ARTES. PREFEITO ELEITO CONTINUA FORAGIDO

E a notícia abaixo também é da Agência Brasil:

hugo-prado-faz-primeiro-discurso-como-prefeito-de-embu-das-artesDepois de ser eleito presidente da Câmara dos Vereadores de Embu das Artes, na Grande São Paulo, o vereador Hugo Prado-PSB (foto) assumiu a prefeitura no lugar de Claudinei Alves dos Santos, conhecido como Ney Santos, que venceu as eleições, mas está foragido.

Durante a sessão solene de posse ontem (1º), foi lida uma carta de Ney em que ele se defende, dizendo que está sendo injustiçado e perseguido pela oposição desde 2010, “com denúncias falsas e mentiras”. Na carta, Ney diz ainda que irá se apresentar à Justiça em breve, o que ainda não fez porque teme pela sua vida.

Claudinei Alves dos Santos é considerado foragido desde a deflagração da Operação Xibalba, no dia 9 de dezembro, quando foram cumpridos 49 mandados de busca e cumpridos 14 mandados de prisão preventiva. As investigações identificaram uma organização criminosa para lavagem de dinheiro do tráfico de drogas, supostamente liderada pelo prefeito eleito de Embu, segundo o Ministério Público.

No pedido à Justiça, o promotor sustentou que o prefeito eleito “usou contribuições provenientes de lavagem de dinheiro oriundo do tráfico de entorpecentes, incluindo os valores doados pelo próprio eleito à campanha”. De acordo com o pedido, esses delitos seriam realizados pela organização criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), da qual o investigado seria integrante.

PREFEITO DE OSASCO FAZ EMPRÉSTIMO PARA PAGAR FIANÇA E NÃO VOLTAR PARA PRISÃO

images-cms-image-000528866

A notícia é da Agência Brasil:

O prefeito de Osasco, Rogério Lins, que é investigado na Operação Caça-Fantasmas, pagou hoje (2) a fiança de R$ 300 mil determinada pela Justiça para que ele pudesse sair da Penitenciária de Tremembé na última sexta-feira (30). A informação foi confirmada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP). Para cumprir o valor da fiança, informou a assessoria do prefeito, Lins fez um empréstimo e dividiu o pagamento em 60 vezes.

A decisão do desembargador Fábio Gouvêa, do TJ-SP, estabeleceu para Lins e 13 vereadores (seis deles reeleitos para a atual legislatura), todos investigados na operação, o pagamento de fiança no valor de R$ 300 mil e a entrega do passaporte no prazo de 24 horas como condição para que pudessem ser soltos. Alegando que não seria possível efetuar o pagamento na sexta-feira (30) por causa do recesso bancário, a defesa do prefeito pediu ao desembargador que o pagamento do valor da fiança ficasse para hoje. Caso o pagamento não ocorresse nesta segunda-feira, o prefeito corria o risco de voltar a ser preso.

Lins foi preso no domingo de Natal, após retornar de uma viagem a Miami, nos Estados Unidos, e foi levado à Penitenciária de Tremembé, no interior paulista, onde permaneceu até sexta-feira. Na manhã de ontem (1°), ele tomou posse em solenidade na Câmara dos Vereadores.

Segundo a assessoria da prefeitura, em seu primeiro dia útil como novo prefeito, Lins foi visitar a maternidade Amador Aguiar para averiguar denúncias de falta de médicos, equipamentos e medicamentos.

Segundo o Tribunal de Justiça, ainda não houve comunicação de pagamento de fiança por parte dos vereadores. A Câmara Municipal, no entanto, informou à Agência Brasil que os vereadores têm o prazo até quarta-feira (4) para efetuar o pagamento. A Câmara também informou que está em recesso e que os vereadores só começarão a trabalhar a partir de 2 de fevereiro.

Operação Caça-Fantasmas

As prisões fizeram parte da Operação Caça-Fantasmas, deflagrada em agosto de 2015 pelo Ministério Público de São Paulo. Os vereadores são suspeitos de manter um esquema de funcionários fantasmas, além de captar de parte do salário de assessores. O Ministério Público estima que R$ 21 milhões foram desviados com as fraudes. Ao total, foram denunciadas 217 pessoas, entre vereadores, assessores e funcionários fantasmas.

FLÁ REALIZA PRIMEIRA REUNIÃO DE TRABALHO COM SECRETARIADO

dsc02844-ed

O prefeito Flávio Prandi(DEM) parece estar mesmo cheio de gás. Apesar de o expediente da Prefeitura ter começado somente ao meio-dia desta segunda-feira, Flá chegou ao Paço às sete horas da manhã, para seu primeiro dia de trabalho.

O prefeito concedeu entrevistas, inteirou-se de alguns assuntos (inclusive sobre a licitação de R$ 4 milhões para recape) e, por volta das 09:30 horas, iniciou a sua primeira reunião de trabalho com seus principais assessores e com o vice-prefeito Garça.

Além de Flá e de Garça, participaram da reunião os secretários Francisco Melfi  (Administração), Nisael Renesto (Fazenda), Lourdinha Marcondes (Educação), Niltinho Suetugo (Planejamento) e Maria Aparecida Moreira (Saúde). O servidor de carreira, Nelsinho Guzzo, também participou da reunião e deverá ocupar um cargo importante na área de Finanças.

Outro servidor de carreira que deverá desempenhar papel importante no governo Flá é o diretor de divisão da Procuradoria Geral, Admildo José Ferreira. Com anos de experiência na Procuradoria, Admildo terá sala ao lado do gabinete e ficará encarregado de, entre outras coisas, analisar toda a documentação encaminhada ao prefeito.

O secretário de Agricultura, Hilário Pupim, não participou da reunião de hoje, mas o blog apurou que ele trabalhou normalmente nesta segunda-feira. Por sinal, se confirmada a continuação de Hilário na Agricultura, terá sido um dos maiores acertos do prefeito Flá, pois é voz corrente que o secretário – não obstante as limitações da sua pasta – vem realizando um bom trabalho.  

CONFUSÃO ENTRE VEREADORES MARCA POSSE EM CATANDUVA

Afonso Macchione, o prefeito de Catanduva, é o dono da empresa responsável pela coleta de lixo em Jales. Pelo visto, um de seus aliados andou “pisando na bola”. A notícia é do Diário da Região:

rp_posse_catanduva_bdc_020117A posse de 13 vereadores e do prefeito de Catanduva, Afonso Macchione (PSB), terminou em confusão e empurra empurra na tarde deste domingo, 1º  de janeiro. A confusão aconteceu depois da eleição da presidência da Mesa, no clube de tênis local. A posse foi marcada para às 18 horas. 

O vereador Cidimar Porto (PMDB) esperava ser eleito presidente, mas na última hora Aristides Jacinto Bruschi (PEN) foi o escolhido. Depois disso teria ido tirar satisfação com o vereador Amarildo Davoli (PSB), que teria encabeçado  o acordo fracassado para eleger Cidimar presidente. Imagens da confusão foram registradas por pessoas que acompanharam a posse e gritaram “vergonha, vergonha”. 

Ari venceu por 7 votos a 6 e foi chamado de “traidor” por Davoli. Seguranças tiveram de intervir para acalmar os ânimos. 

1 2 3 4 5 1.016