“CEI DA FARRA”: INVESTIGAÇÃO DA CÂMARA JÁ VAI COMEÇAR ERRADA

A Câmara Municipal realiza, nesta segunda-feira, sua 1.608ª sessão ordinária, quando será lido o requerimento para instalação da chamada “CEI da Farra“. Só depois disso é que a presidência da Câmara irá solicitar aos líderes de bancada a indicação dos três vereadores que integrarão a CEI.

Tudo indica que a investigação já vai começar errada. O requerimento que será lido hoje, diz que o objetivo da CEI será apurar possíveis desvios ocorridos no período entre 2012 e 2018.

Ora, já que alguns dos nossos vereadores se julgam capazes de realizar uma investigação à altura de servir de complemento ao trabalho da Polícia Federal, o recomendável seria que a apuração da Câmara devesse abranger o período 2008-2018.

Afinal, segundo entrevista do delegado da PF, Cristiano Pádua, ao Fantástico, a ex-tesoureira confessou que iniciou a sangria aos cofres municipais em 2008. Por sinal, a reportagem do Fantástico se referiu três vezes ao marido de Érica como “o então marido”.

Talvez a investigação dos nossos vereadores nos esclareça esse mistério lançado pelo Fantástico. Porque o resto – quem se beneficiou, quem prevaricou, quem negligenciou, quem se acumpliciou, etc – não tenham dúvidas, será muito bem esclarecido pela PF.

HOMEM QUE ALEGAVA TER SIDO PRESO POR FALHA DA PREFEITURA DESISTE DE PEDIDO DE INDENIZAÇÃO

E.N.S., o morador do Jardim Primavera que foi à Justiça com o objetivo de obrigar a Prefeitura a lhe pagar uma indenização de R$ 85 mil, está desistindo da ação

Denunciado em maio de 2016 por violação ao artigo 65 da Lei de Crimes Ambientais (pichação de edificação ou monumento urbano) ele foi condenado a quatro meses de detenção em regime semiaberto, pena que foi substituída pela prestação de serviços voluntários à comunidade.

O homem alegava ter cumprido a pena prestando serviços na recuperação da decoração natalina do município, mas, por uma falha da Prefeitura – que não teria informado à Justiça os serviços prestados por ele – acabou ficando preso por 17 dias.

Segundo o que corre, a Prefeitura obteve documentos mostrando que ele, realmente, prestou serviços ao município. Mas, de acordo com esses documentos, os serviços não tiveram nada de voluntários. Ele teria trabalhado para o município através de uma empresa terceirizada, ganhando um salário para isso.

De seu lado, o morador do Jardim Primavera teria argumentado que trabalhava duas horas diárias para a municipalidade, gratuitamente, e, já que estava lá, trabalhava mais algumas horas para a empresa.

Se ele tem ou não tem razão, não se sabe. O que se sabe é que, por via das dúvidas, ele pediu a desistência da ação. Antes, porém, de deferir o pedido, a Justiça quer ouvir a opinião da Prefeitura sobre a desistência.

TST VAI HOMENAGEAR “UM DOS MAIORES MÉDIUNS E ORADORES ESPÍRITAS” DO BRASIL

O baiano Divaldo Pereira Franco esteve em Jales, em outubro de 2009, para receber o título de “Cidadão Jalesense”. A entrega do Título foi realizada no Jales Clube, que lotou com a presença de, aproximadamente, 2.000 pessoas.

A notícia é do Conjur:

O Tribunal Superior do Trabalho estará aberto à presença de seres de outros planos na próxima terça-feira (14/8). E não são colegas de outros ramos do Judiciário. Nesse dia, a corte homenageia o médium, filantropo e orador espírita Divaldo Franco, de 91 anos.

Segundo comunicado do próprio TST, trata-se de “um dos maiores médiuns e oradores espíritas da atualidade”. Ele vai receber a comenda de Ordem do Mérito Judiciário do Trabalho.

O médium não está sozinho. Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) Dias Toffoli, Luís Roberto Barroso, Luiz Edson Fachin e Alexandre de Moraes e a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, também estão entre as autoridades públicas agraciadas na edição deste ano.

JUMENTO PODE TER TIRADO JALES DO ‘FANTÁSTICO’

Do jornalista Deonel Rosa Júnior, em sua coluna Fique Sabendo:

A presença em Jales de uma equipe do “Fantástico”, carro chefe da programação da Rede Globo nas noites de domingo, fez crer que o escândalo do desvio de recursos da Prefeitura Municipal descoberto pela Polícia Federal no dia 31 de julho iria ao ar no domingo passado, dia 05 de agosto. Ledo engano. Quem ficou acordado até depois das 11 da noite só perdeu o sono. O “Fantástico” não tocou no assunto.

Quem vive os bastidores dos meios de comunicação em suas várias plataformas – televisão, rádio, jornal, revista – sabe que uma matéria pode ser “derrubada” na reta final, antes de ir ao ar ou de publicação, no caso de mídia impressa, caso a direção entenda que, na última hora, apareceu algo mais atraente.

A veiculação de uma reportagem sobre a premiação de um jumento classificado como um dos 100 melhores prefeitos do Brasil, talvez tenha derrubado a matéria sobre a Farra no Tesouro. De fato, a história do jumento “Precioso” era saborosa. Para se justificar, o dono da empresa (que deu o prêmio), um picareta de mão cheia, justificou-se dizendo que o animal merecia o diploma de premiação “porque tinha carregado Jesus”.

Em tempo: Nosso estadista premiado, Humberto Parini, “ganhou” dois diplomas desses. Um deles – acredite se quiser! – por administrar uma das cinco cidades que mais cresceu no país, em 2010. E o outro por ter sido “escolhido” um dos cinquenta melhores do Brasil, em 2011.

Abaixo, a reportagem do Fantástico:

JORNAL DE JALES: OS BASTIDORES DA OPERAÇÃO ‘FARRA NO TESOURO’, REVELADOS POR DELEGADO DA PF

Eis a capa do Jornal de Jales deste domingo, cuja principal manchete destaca que a Polícia Federal está apurando se a ex-tesoureira da Prefeitura, Érica Cristina Carpi, agiu sozinha (ela jura que sim!) ao desfalcar os cofres municipais de alguns milhões de reais. Segundo o delegado Cristiano Pádua, é muito difícil que os crimes perpetrados por Érica durante praticamente uma década tenham sido cometidos sem a participação de outras pessoas. A matéria diz, ainda, que, embora o caso esteja sendo investigado pela PF há sete meses e apesar de o prefeito ter aberto uma sindicância interna, os vereadores resolveram instaurar uma CEI.

Destaque, igualmente, para a doação de um “arco cirúrgico” feita pelo Rotary Internacional ao Hospital de Amor, unidade de Jales. O equipamento custou 185 mil dólares e, segundo a ex-governadora de um distrito do Rotary em Buenos Aires, Maria Tereza Neira, essa foi uma das maiores doações já feitas por aquele clube de serviços. A campanha envolveu três distritos do Rotary no Brasil e cinco no exterior, com a participação de 26 clubes, além de outros parceiros, com destaque para a AVCC de Jales. A entrega do arco ao hospital foi realizada no sábado, 04.

Os bastidores da operação “Farra no Tesouro”, contados pelo delegado da PF; o simpósio sobre cuidados com a Internet, promovido pela ACIJ e realizado na quinta-feira, 07, com a participação de quatro especialistas no assunto; a inauguração do Ginásio de Esportes da EM “Iracema Pinheiro Candeo”, no JACB; a blitz do CREA-SP, que escalou sete fiscais para dar uma geral na região de Jales; e o simpósio sobre combate à corrupção, marcado para a próxima sexta-feira, 17, com a presença do ex-procurador geral da República, Rodrigo Janot, são outros assuntos do JJ.

Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior comenta que o esforço do vereador Tiago Abra em instalar uma CEI no caso do desvio de recursos da Prefeitura não é fruto apenas da vontade de exercer seu papel de fiscalizador do Executivo. Segundo o colunista, o furor fiscalizatório de Abra tem a ver com seu projeto político de, num futuro próximo, sentar-se na cadeira de prefeito. O vereador, conta Deonel, não esconde de ninguém que pretende disputar a Prefeitura em 2020, possivelmente contra o atual prefeito Flá Prandi, caso este seja candidato à reeleição.   

ZÉLIA DUNCAN – “NAQUELA MESA”

Daqui a pouco, às 10:00 horas, estarei lá na Regional FM, onde apresento, aos domingos, o Brasil & Cia. E hoje, Dia dos Pais, é dia de alguns ouvintes pedirem aquela música piegas do Fábio Júnior, “Pai Herói”. E, como faço há 24 anos, inventarei um desculpa qualquer para não tocá-la.

Até alguns anos atrás, eu dizia que “o CD do Fábio Júnior sumiu“. Atualmente, com todas as músicas no computador, essa desculpa não cola. Terei que ser mais criativo.

Haverá, também, aqueles que, com gosto mais apurado, pedirão “Naquela Mesa” para homenagear os pais que já se foram para o outro lado do mistério. Segundo consta, a letra dessa música teria sido escrita por Sérgio Bittencourt em um guardanapo,  durante o velório de seu pai, Jacob Pick Bittencourt, o Jacob do Bandolim.

Sérgio Bittencourt, que além de compositor era jornalista, não escondia a admiração pelo pai, apesar de manter com ele uma relação meio que conturbada. Certa vez, em um texto para o jornal “Última Hora”, ele disse que Jacob do Bandolim “foi mais do que um pai. Do que um amigo. Do que um ídolo. Foi um homem. Com todas as virtudes, fraquezas e defeitos de um homem com H maiúsculo”.

Se “Naquela Mesa” foi mesmo escrita no dia da morte de Jacob, não se pode ter certeza. O fato é que Jacob morreu em 1969, num 13 de agosto, aos 60 anos, e a música do filho só foi lançada em 1972, em um disco da divina Elizeth Cardoso.

Grande compositor (“Modinha” é sua obra prima) e jornalista polêmico, Sérgio Bittencourt ficou mais conhecido como jurado do programa Flávio Cavalcanti. Em 1970 sua música “Acorda, Alice” foi proibida pela censura da ditadura militar devido ao ingênuo verso “Acorda, Alice / Que o país das maravilhas acabou”.

Hemofílico, Bittencourt morreu em julho de 1979, com apenas 38 anos. No vídeo abaixo, Zélia Duncan canta “Naquela Mesa”, acompanhada por Hamilton de Hollanda, nosso melhor bandolinista, e Nilze Carvalho, nossa mais talentosa caviquinista.

 

A TRIBUNA: EX-SECRETÁRIO MAGALHÃES DESMENTE QUE TENHA INDICADO A PERMANÊNCIA DE ÉRICA AO PREFEITO FLÁ

No jornal A Tribuna deste final de semana, as duas principais manchetes são para a operação “Farra no Tesouro”. A primeira diz que a Justiça local negou o Habeas Corpus – ou pedido de liberdade, como bem explicou um comentarista aqui no blog – solicitado pela defesa da ex-tesoureira Érica Cristina Carpi. Os advogados alegaram que ela está colaborando com as investigações e não oferece riscos às testemunhas. A defesa argumentou, ainda, recente decisão do STF sobre mulheres encarceradas que possuem filhos menores de 12 anos. Um dos motivos que levou o juiz Adílson Vagner Ballotti a negar o pedido de liberdade foi a grande repercussão do escândalo de corrupção ocorrido em Jales.

A segunda manchete destaca a CEI da Farra, aprovada pela Câmara na sessão de segunda-feira, 06. Matéria do repórter Alexandre Ribeiro ressalta que dezenas de pessoas foram à Câmara para exigir a abertura da CEI e, diante da iminente rejeição, a turba ensandecida gritou palavras de ordem – tais como “pouca vergonha”, “rabo preso” e “vai embora” – para pressionar os vereadores contrários. De acordo com a matéria, as manifestações foram tão incisivas que a Mesa Diretora da Câmara decidiu chamar a polícia. Duas viaturas da PM compareceram ao local, mas os policiais não constataram nenhuma desordem e foram embora minutos depois.

A troca de “gentilezas” entre os vereadores Tiago Abra e Deley, por conta de uma sindicância realizada em 2016, envolvendo a ex-tesoureira Érica; o desmentido do ex-secretário José Magalhães Rocha, que diz não ter indicado Érica ao prefeito Flá, como andou dizendo o vereador Deley; a precipitação do presidente Pintinho ao emitir nota descartando a CEI; a entrevista do delegado Cristiano Pádua Silva, onde ele diz que dificilmente Érica agiu sozinha; e a denúncia contra o prefeito Flá Prandi e o auditor fiscal Ricardo Junqueira, acusados de improbidade administrativa, são outros assuntos de A Tribuna.

Na coluna Enfoque, a informação de que a defesa de Érica deverá pedir à Justiça a nomeação de um interventor judicial para reabrir as três lojas do marido da ex-tesoureira, que possuem pelo menos 16 funcionários. Na página de opinião, o ex-prefeito Pedro Callado escreve sobre o “Dia do Estudante”, “Dia do Advogado”, “Dia do Garçom”, “Dia da Televisão”, etc, todos comemorados no dia 11 de agosto. E no caderno social, além da aguardada coluna do Douglas Zílio, destaque para os 80 anos de um jalesense de extraordinário caráter, o senhor Pedro Laert Pupim.

1 2 3 4 5 1.187